Elio Gaspari torna difícil permanência de Joaquim Levy

Parece que as ideias de Barbosa não estão agradando…

Pedro do Coutto

Na minha opinião, o artigo de Elio Gaspari, publicado quarta-feira, simultaneamente no Globo e Folha de São Paulo, pela objetividade do texto e pela repercussão que possuem os dois jornais, tornou difícil a permanência do ministro Joaquim Levy na Fazenda. O texto expõe com brilho e nitidez as contradições que o envolvem no governo e bloqueia a tentativa da presidente Dilma Rousseff, que, claramente respondendo ao articulista, negou que Joaquim Levy estivesse isolado no centro de poder do governo federal.

O artigo saiu no alvorecer do dia 2, por volta de meio-dia a presidente da República convocou entrevista coletiva para falar na questão do déficit orçamentário, aproveitando a ocasião para rebater as colocações feitas por Gaspari.

FATOS CONCRETOS

Entretanto, os fatos concretos não confirmam a versão da chefe do Executivo. Em primeiro lugar, à tarde de quarta-feira o ministro Nelson Barbosa, do Planejamento, foi ao Congresso buscar entendimentos a respeito das dificuldades que surgiram com a apresentação de uma lei de meios deficitária para 2016. No mesmo dia, em declarações aos repórteres Flávio Monteiro e Valdo Cruz, Folha de São Paulo, o próprio Joaquim Levy sustentou, recorrendo a uma expressão usual, que a casa não estava em ordem. Referiu-se, portanto, diretamente ao governo, não chegando ao termo desordem, mas o que necessita ser colocado em ordem decorre, pelo menos, de situações equivocadas.

Uma delas, por exemplo, a de que foi protagonista a presidente Dilma Rousseff, falando à Globo News também na quarta-feira, ao focalizar as dificuldades financeiras que seu governo enfrenta. Disse não gostar da CPMF, mas que não a descarta como um dos caminhos para elevar a arrecadação e equilibrar as contas públicas. Sob este aspecto, entrou em contradição consigo mesma, uma vez que foi ela quem, dois dias antes, decidiu recuar do envio de projeto ao Congresso propondo o restabelecimento de tal contribuição. Não descartar não foi seguramente a afirmação mais adequada. Porque a recriação da CPMF, como se sabe, não depende só do Executivo, mas também de aprovação prévia pelo poder Legislativo.

REAÇÃO A LEVY

Voltando a Élio Gaspari, ele apontou a reação existente dentro do próprio Palácio do Planalto à atuação de Joaquim Levy, representando uma nítida contradição em matéria de unidade no núcleo central de Brasília. A dificuldade não decorreria apenas da disputa de espaço com Nelson Barbosa, mas sim com a falta de sustentabilidade das medidas que propõe, por parte de correntes do PT concentradas no Planalto em torno de Dilma Rousseff.

Gaspari ao enfocar a posição de Levy, me levou a lembrar o título do livro famoso, de Kundera, A insustentável Leveza do Ser. Em política a sustentabilidade é fundamental para qualquer ação, sobretudo quando o poder encontra-se em total defensiva, alvejado pela retração econômica, pela insatisfação popular, pela falta de soluções efetivas a problemas que angustiam a sociedade, tudo isso acrescido da questão do déficit orçamentário para o próximo ano, anunciado por Nelson Barbosa na escala de 30,5 bilhões de reais.

E Dilma Rousseff, que havia tentado transferir a solução do impasse aos deputados e senadores, mudou de posição e afirmou que a saída é de responsabilidade total do governo. O que não exclui a colaboração do Parlamento.

Ora, isso inclusive é o que se encontra na lei, principalmente porque, exceto quanto às emendas dos parlamentares destinadas ao setor saúde, cujos valores são impositivos até o limite de 500 mil reais, cada uma o contexto orçamentário trata-se de uma lei autorizativa. O governo, assim, tem flexibilidade para jogar com as verbas e transferi-las de um setor para outro, não necessitando assim buscar uma flexibilidade, que já existe, para conter o déficit previsto. Parece incrível, porém é o que se constata. Nem Levy, nem Nelson Barbosa, nem Renan Calheiros, para citar apenas estes, não terem chegado a uma conclusão tão óbvia, a qual a experiência política revela tão claramente. Observa-se, dessa forma a predominância de uma atmosfera de descontrole no plano alto do Planalto.

INDECISÃO

Não se sabe como o problema poderá ser resolvido, com a presença, ainda que por pouco tempo, do ministro da Fazenda, Joaquim Levy ou com sua substituição por outro, como prevê o jornalista Elio Gaspari. Deve ser uma questão de tempo, e ele, que está entrando de férias segundo anunciou terá portanto quatro semanas para obter a resposta da pergunta que tão brilhantemente colocou na forma e no conteúdo. Tanto quanto a política e a economia, na análise de Thomas Piketti, uma e outra historicamente encontram seus próprios caminhos. Vamos ver quais os caminhos que o governo precisará achar para livrar-se da tempestade. A tripulação pode mudar, é claro, mas a mudança principal tem de ser de rumo para que o país não venha a naufragar.

11 thoughts on “Elio Gaspari torna difícil permanência de Joaquim Levy

    • Sr. Paulo, por falar em obedecer, esta semana, ainda não fechada, temos uma bela duma carnificina que se fosse lá na Matrix do Baraquis Obrammis , o proprio, o governador e o prefeito já tinham imediatamente fechado o Páis com toda a tropa nas ruas.
      Mas, como estamos nas Ilhas Tucadisiacas Francesas, o crime é quem comanda o Estado.
      Só para o senhor ficar sabendo, até ontem, 3 ônibus torrados em plena luz do dia, mais de dez ataques a caixas eletrônicos, todos explodidos e em alguns casos quase o banco inteiro destruído no chão……
      Ai eu pergunto para o Senhor.
      Cadê o gerardo efeagacê.???
      Ele não é um gênio, o mais preparado.?????
      E não adianta jogar a culpa em terceiros como desculpa, q quadrilha está há 30 nos no Palácio do Caviar.
      VIVE LA FRANCE.!!!!

      • Sr Armando, se a violência impera no país é porque a política (?) econômica da Rainha de Portugal e seus sucessores é um fracasso. Em casa de ladrão todo o mundo quer por a mão. Então, não são a rainha da França e nem o Pedro Alvares Cabral os culpados. Se a turma do mensalão tivesse realmente ido em cana, hoje o Brasil seria um país bem melhor. Mas o que esperar de quem come mortadela alucinógena?

  1. Joaquim Levy tá com cara de que comeu e não gostou, o que terá sido amargo, será que está difícil tragar o ministro do planejamento ou Dilma Rousseff?

  2. mav é uma desgraça mesmo.
    O maior roubo da história mundial de todos os tempos. a pior gestão da história mundial de todos os tempos, a maior incompetência e incapacidade cognitiva mundial de todos os tempos e essa turma vem com uma conversa de tucano.
    Idiotas, não somos tucanos, se tiver tucano ladrão que vá preso junto com a quadrilha que exauriu o país mais rico do mundo.
    Gaspari é petista de carteirinha. Mais um sem credibilidade. Zero.

  3. Desde o início da nomeação dessa equipe econômica que o tal do Barbosa foi colocado lá para esvaziar completamente a tentativa de ajuste fiscal a ser conduzido pelo sr. Levy.

    O PT move as cartas fazendo todo o tipo de jogo de cena. É um governo populista, esquerdista, não dado à administração científica, à meritocracia e ao desenvolvimento econômico e social sustentável.

    Como o ajuste fiscal não sai o país vai atrasando a possibilidade de recuperação econômica para além de qualquer previsão.

  4. Dilma acata decisão de Joaquim Levy.
    Se Dilma concordou com o Ministro Levy * representante dos banqueiros * estamos ferrados. Porque mais arrocho em cima do povo vai haver. Ele e Ela por acaso concordam em reduzir e cortas gastos dentro do Governo? Se querem cortar gastos comecem a cortar na própria carne. Diminuir mais de 10 ministérios e não só 10. Acabar de vez com cargos comissionados dentro da máquina pública do Governo. Acabar de vez com os famigerados cartões corporativos que o povo brasileiro não tem acesso para saber. Se fizerem isto tudo bem, mas duvido que o façam. Arrocho é em cima do Povo. Para eles que ganham muito bem tudo continua como antes no mar de abrantes. Fiquei sabendo que o senhor ministro Joaquim Levy só de diárias ganha 57 mil reais. Será que é diárias para o ano todo ou será que este valor é de um único mês? Me engana que eu gosto. FORA DILMA!!!!!!!!!! Fora Leviano Levy.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *