Elogio de Serra a Lula desarma a oposio

Pedro do Coutto

Compreende-se a estratgia de Jos Serra de no atacar Lula e o seu governo em face dos ndices de popularidade que os Institutos de Pesquisa todos eles – assinalam para o presidente da Repblica. Datafolha, Ibope, Vox Populi e Sensus, no caso, coincidem plenamente, concluindo por uma aprovao superior a 70% da populao, portanto, claro, do eleitorado.

O ex-governador de So Paulo, assim, reconhece tacitamente que os que atacarem Luiz Incio perdem votos, sufrgios importantes e fundamentais para as eleies de Outubro. Este um ngulo da questo. Mas existe outro prisma paralelo: maquiavelismo demais na poltica aberta no funciona, sobretudo na rota das urnas. Em primeiro lugar porque Lula e o PT identificam facilmente a manobra. Em segundo lugar, porque o reflexo na opinio pblica s pode prejudicar o autor do movimento de envolver pelos flancos.

Ningum do PT e do sistema governista vai votar em Serra por causa de seu elogio. claro. Porm muitos eleitores do prprio Serra podem ser desestimulados a prosseguir em sua campanha. Uma frao pequena, por menor que seja, pode-se tornar decisiva no desfecho final. E quando falo em eleitores, incluo os partidos de oposio como o PSDB, DEM e o PPS. Como podero empenhar-se a fundo na campanha de Serra se o candidato, que deveria representar as oposies unidas, sinaliza destaques para aquele a quem diz combater?

Mesmo utilizando a imagem de que um candidato PS Lula, como fez Barack Obama, nos Estados Unidos, colocando-se como um candidato ps questo racial. Mas a situao diferente. O problema racial americano no tinha aparentemente uma cara, um perfil, uma personificao. No representava um confronto e sim uma superao.

O caso brasileiro diferente. Trata-se de uma candidatura governista e outra de oposio. Se o oposicionista no faz oposio, o tema confronto sai de foco. Em seu lugar, entra uma viso embaada de luta que est comeando. Sobretudo porque no atacar Lula uma coisa. Elogiar o adversrio, outra muito diferente. Francamente, penso que Serra exagerou na dose.

O ex-governador paulista no apenas felicitou Lula diretamente, mas sustentou tratar-se de uma conquista para o Brasil. Dou-lhe meus parabns acrescentou. A matria foi publicada com destaque na edio de O Globo de sexta-feira. Aplaudindo Lula pessoalmente, Serra contribuiu para desmotivar ativistas de sua campanha, o que pesou, negativamente para ele, junto opinio pblica. Pois no se assume o papel de candidato das oposies coligadas, para que disputar a presidncia como se fosse? Isso de um lado.

De outro, este reflexo ele no poderia prever, que o pronunciamento de Lula em rede nacional de televiso pela passagem do Primeiro de Maio teve como um dos pontos bsicos a continuidade administrativa. Portanto, a continuidade de seu governo. Nesse momento que Serra elogia Luis Incio da Silva? Era o menos indicado, por ironia do destino, pois se Lula parabenizado por se incluir entre as 25 personalidades mais influentes do mundo, indiretamente Serra realou essa influncia inevitavelmente no destino das prximas eleies.

Descaracterizando esta dualidade eterna, Serra, alm do mais, forneceu argumento slido ao presidente da Repblica para se empenhar por sua candidata, sem ser assediado pelas oposies. Est agora, com a firma da Revista Time reconhecida por Serra, com mais e novas condies de influir. Serra errou. No atacar uma coisa. Elogiar outra. Muito alm da lgica poltica que sempre existe.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.