Em entrevista, Bolsonaro ataca Macron, desafia a Alemanha e nega nepotismo em indicao de Eduardo

Cotundncia na ONU foi resposta ataques, diz Bolsonaro

Deu no Estado

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o presidente da Frana, Emmanuel Macron, retomou uma retrica desafiante em relao Alemanha no pagamento do Fundo Amaznia, e sugeriu que o dinheiro para reflorestamento tenha sido desviado por Organizaes No-Governamentais (ONGs).

Em entrevista ao programa Frente a Frente, da TV Rede Vida, gravada logo aps seu discurso na Assembleia-Geral da Organizao das Naes Unidas (ONU), o presidente disse que ele e sua equipe planejaram um pronunciamento “contundente, mas no agressivo” aps “semanas de muito ataque ao Brasil”.

DESAFIADOR– “Eu at desafio quem tem doado dinheiro para ns ao longo de tanto tempo que me mostrem uma rvore s plantada por ONGs que pegam (sic) metade desse recurso”, disse Bolsonaro, aps ser perguntado se tinha a inteno de retomar relaes com a chanceler alem, Angela Merkel, e com Macron. Ele no citou organizaes nem casos especficos para exemplificar desvios.

“Esse problema todo comeou quando eu falei que no aceitei US$ 20 milhes. No aceitei e eu disse que eles estavam comprando a Amaznia a prestao, e uma realidade”, contou. Bolsonaro tambm disse que o presidente francs “potencializou” as crticas ao Brasil, e que isso teria ocorrido aps Macron enfrentar “uma rejeio nunca vista na Frana” e resolver “tomar para si a agenda ambiental”.

QUEIMADAS – O presidente voltou a defender a permisso para que ndios explorem as terras indgenas com garimpos, agricultura e turismo. Bolsonaro rebateu crticas poltica ambiental do seu governo e ressaltou que as queimadas esto abaixo da mdia histrica.

Em outro momento da entrevista, no entanto, ele ressaltou que o governo brasileiro no pode controlar focos de incndio em todo o territrio da Amaznia. “O tamanho da nossa Amaznia maior do que a Europa Ocidental, no tem como manter o controle”, disse.

VENEZUELA – Ao ser perguntado sobre a possibilidade de interveno militar na Venezuela, o presidente descartou qualquer iniciativa e indicou que espera que as sanes econmicas do governo dos Estados Unidos surtam efeito no regime de Nicols Maduro. Bolsonaro disse que as Foras Armadas tiveram seu potencial “diminudo” em governos anteriores e que um conflito no pas vizinho seria desastroso,

“No Brasil, voc sabe que as nossas Foras Armadas, o seu potencial foi bastante diminudo ao longo das ltimas dcadas. E, pela topografia da Venezuela, qualquer interveno militar ali, de qualquer pas, seria um ‘Vietn'”, disse o presdiente.

EMBAIXADA – Ele tambm comentou a indicao do prprio filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, para a Embaixada de Washington. O presidente diz que o cargo de embaixador pode servir como “carto de visitas” e que, uma vez que seu filho, Eduardo teria mais facilidade para ser atendido por Trump. “No procede a questo do nepotismo. At o Supremo (Tribunal Federal) tem uma deciso nesse sentido”, defendeu.

###
NOTA DA REDAO DO BLOG J dizia Joseph Goebbels, que foi ministro da propaganda de Hitler, uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade. E essa a impresso que Bolsonaro passa ao repetir o discurso que tenta amenizar as contradies da indicao do seu prprio filho para a embaixada americana. Chega a ferir a inteligncia alheia a conversa que isso abriria portas, que a relao com a famlia Trump quase ntima, que o rapaz qualificado. Talvez pela imposio, articulaes e repetio exaustiva consiga persuadir uns e outros. Mas notria a tentativa de entubar Eduardo e o seu prometido “fil mignon”. (Marcelo Copelli)

8 thoughts on “Em entrevista, Bolsonaro ataca Macron, desafia a Alemanha e nega nepotismo em indicao de Eduardo

  1. A eleio do FHC at que teve uma narrativa plausvel, um intelectual no poder, a do Lula idem, o primeiro operrio no poder, a da Dilma idem, a primeira mulher presidente do Brasil, at a virtual eleio de Joaquim Barbosa tb teria uma narrativa plausvel, seria o primeiro afrodescendente a ocupar a presidncia da repblica, mas a eleio do Bolsonaro, um carreirista com 28 anos de baixo clero, ex-militar escorraado com luva de pelica do exrcito (talvez face a possvel rabo preso do regime ditatorial em relao ao mesmo), no consigo vislumbrar nenhuma narrativa plausvel, pelo contrrio, completamente na contramo da evoluo poltica do pas.

    • financiada por George Soros mesmo, Ela, papai e mame. E da se fosse? Soros globalista e tem uma agenda bem definida a implementar (Aborto, pedofilia, ideologia de gnero, destruio do conceito de famlia, desestabilizao de governos, etc.). Todo mundo sabe disso e isso so apenas algumas das pautas globalistas. Eu estou do lado aposto destas pautas nocivas.

  2. Insistir em tornar o despreparado filho embaixador , Bolsonaro agride o bom senso, ultraja a competncia, experincia e cultura dos diplomatas e humilha o Brasil, aqui e no exterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.