Em homenagem a Rodolfo Fernandes, uma despedida extraordinária e emocionante.

Carlos Newton

Uma cerimônia comovente e impressionante. Políticos, artistas, jornalistas, parentes e amigos foram ao Memorial do Carmo, no Caju, se despedir do jornalista Rodolfo Fernandes, diretor de Redação do GLOBO. Estiveram presentes ao velório, neste domingo, o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB), os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e Lindberg Farias (PT-RJ), os deputados Miro Teixeira (PDT-RJ, Aspásia Camargo (PV-RJ) e Benedita da Silva (PT-RJ), o vice-governador Luiz Fernando Pezão (Sergio Cabral, com certeza, estava ocupando com a leitura do Código de Conduta Ética), entre outros.

Foi impactante e comovedor assistir, na mesma cerimônia, a participação  dos três filhos de Roberto Marinho, eterno adversário de Helio Fernandes, um dos raros jornalistas brasileiros que teve coragem de enfrentar e até hoje enfrenta o poderio da Organização Globo. Roberto Irineu, João Roberto e José Roberto fizeram questão de comparecer. José Roberto chegou mais cedo e foi embora às 12h45m, mas Roberto Irineu e João Roberto ficaram até o final.

Detalhe: eles estiveram na cerimônia, mas não cumprimentaram Helio Fernandes e dona Rosinha.

O número de personalidades era extraordinário. Estavam lá, por exemplo, o ministro de Assuntos Estratégicos, Moreira Franco, e o ex-ministro do Exterior, Felipe Lampreia. O antropólogo Roberto DaMatta e o cineasta Cacá Diegues também foram abraçar Helio e Dona Rosinha. Aliás, muitos cineastas estiveram lá, como Ruy Solberg e Rodolfo Brandão, por serem amigos de Bruno Fernandes, um dos filhos de Helio e Rosinha, que é documentarista. Walter Salles foi com a mulher, Maria Klabin.

A atriz Sílvia Buarque de Holanda participou de toda a cerimônia com o marido, o ator Chico Diaz, e lá eles encontraram a atriz e produtora Paula Lavigne, Antonio Pitanga, Edu Lobo e Jards Macalé, a escritora Marina Colassanti e filha Alessandra, a socióloga Yvone Bezerra de Mello, o ex-deputado Marcelo Itagiba, o ator Pedro Cardoso, o ex-diretor da Tribuna Alfredo Marques Viana, o criminalista Técio Lins e Silva, Aristóteles Drummond, ex-diretor da Light, e mais e mais.

Os jornalistas, é claro, marcaram presença, como Ancelmo Góis, Marcelo Beraba e Elvira Lobato, Aydano Mota, Marceu Vieira, Ali Kamel e Patrícia Kogut, Orivaldo Perin, Luiz Paulo Horta e Ana Cristina Reis, Arnaldo Bloch, Helena Celestino, Amélia Gonzáles, Arthur Dapieve e Manya Millen, José Augusto Ribeiro, Ricardo Noblat, Jorge Bastos Moreno e Tereza Cruvinel, que vieram de Brasília, Marisa Tavares, diretora da CBN, Merval Pereira e a filha Joana, Márcia Menezes, do portal G1, Ronaldo Lapa, Jussara Martins, Pedro do Coutto, Vera Saavedra Durão, os colunistas Luiz Fernando Veríssimo e mulher Márcia , Zuenir Ventura, com Mary, Fernando Mollica, Joaquim Ferreira dos Santos, Flávia Oliveira, Fernando Calazans, José Carlos Tedesco, Miriam Leitão, Sérgio Costa e Silva, Chico Caruso, um nunca-acabar de colegas.

Saudades do Rodolfo, aquele adolescente que começou a trabalhar como jornalista com a namorada a tiracolo, cheio de amor, e levou até fim essa paixão por uma profissão na qual deixaria uma marca indelével. Jamais, em tempo algum e em nenhum lugar, ninguém acometido de tão grave doença, que lhe tirou praticamente todos os movimentos do corpo, lutou tanto pelo dever de seguir trabalhando, como Rodolfo Fernandes. Deixou a todos um exemplo realmente inigualável.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *