Em meio à crise dos laranjas, o líder do PSL propõe extinção do Fundo Eleitoral

Major Olímpio apresentou um projeto de real interesse público

Daniel Carvalho
Folha

Na semana em que um ministro foi demitido e outro está ameaçado de ter o mesmo fim por causa de um esquema de candidaturas de laranjas do PSL, o líder do partido no Senado, Major Olímpio (SP), apresentou um projeto de lei que propõe a extinção do Fundo Especial de Financiamento de Campanha.

O Fundo Eleitoral, como é mais conhecido, foi usado para abastecer as candidaturas sob suspeita. Atualmente, as campanhas políticas são financiadas por recursos deste fundo, do Fundo Partidário e de doações de pessoas físicas.

SEM OBRAS – Ao justificar a proposta, Olímpio argumenta que o Fundo, criado em 2017, retira recursos que seriam destinados a emendas parlamentares, dinheiro usado por deputados e senadores para fazer obras em seus redutos eleitorais.

“Ora, não nos parece razoável nem moral que as verbas que seriam objetos de emendas parlamentares que iriam ter como destinação a educação, segurança pública e a saúde brasileira sejam utilizadas para o financiamento de campanhas eleitorais”, afirmou no projeto.

“Desde a época que foi aprovado este fundo, eu, já nos debates, me posicionei contrário, votei contrário ao fundo. Resolvi materializar no projeto. Não consultei a direção nacional do partido nem as pessoas do partido. É um iniciativa minha”, disse o senador à Folha.

MOMENTO PROPÍCIO – No entanto, Olímpio admite que “o momento está propício” para discutir o tema. “Nos casos que estão aí manifestos em inúmeros partidos, está cada vez mais clara a falta de critérios na própria lei e ainda a imoralidade de usar recurso público, no caso, R$ 1,750 bilhão [total de recursos do fundo]. A lei é absolutamente aberta, a distribuição é feita ao bel prazer do dirigente partidário”, afirmou Olímpio, que também é presidente do PSL em São Paulo.

Na segunda-feira (18), o então ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, caiu após uma crise instalada no Palácio do Planalto com a revelação pela Folha da existência de um esquema de candidaturas de laranjas do PSL para desviar verba pública eleitoral.

DISCURSO DE ÉTICA – O partido foi presidido por ele durante as eleições de 2018, em campanha presidencial de Jair Bolsonaro marcada por um discurso de ética e de combate à corrupção.

Além disso, integrantes do governo dizem acreditar na queda do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. Reportagem da Folha revelou, em 4 de fevereiro, que o ministro do Turismo, deputado federal mais votado em Minas Gerais, patrocinou um esquema de quatro candidaturas de laranjas, todas abastecidas com verba pública do PSL, partido de Bolsonaro.

Nesta quinta-feira (21), o ministro do Turismo recorreu ao foro especial e pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) que a investigação sobre candidatas-laranjas do PSL aberta em Minas Gerais passe a tramitar perante a corte. O ministro é alvo direto da apuração da Promotoria mineira.

BRECHAS NA LEI – O senador Olímpio disse que a legislação atual tem brechas que permitem que os recursos eleitorais abasteçam candidaturas de laranjas.

“Você pode falar ‘é logico que era uma candidatura [de] laranja’. O recurso teve a destinação, foi utilizado, mas, na verdade, estava ali um guarda-chuva para a campanha dos marmanjos.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGUm projeto importantíssimo, que merece aplausos. Infelizmente, jamais será aprovado. Os políticos brasileiros não têm interesse em moralizar as eleições. (C.N.)

7 thoughts on “Em meio à crise dos laranjas, o líder do PSL propõe extinção do Fundo Eleitoral

  1. “Um projeto importantíssimo, que merece aplausos. Infelizmente, jamais será aprovado. Os políticos brasileiros não têm interesse em moralizar as eleições. (C.N.)” Os políticos brasileiros, na verdade, não são Políticos mas apenas oportunistas, aventureiros, aproveitadores…, sem nenhum desprendimento, sem nenhuma vergonha na cara, sem nenhum remorso, e o que vale para elle$ é apenas o aqui e agora, à moda chegou a nossa vez de nos locupletarmos e não vamos perder a chance de se dar bem na vida às custas dos contribuintes otários e do povão bobão. Simples.

  2. Crianças, a radiografia do sistema político apodrecido é horrível, quem conhece as suas entranhas sabe do que estou falando, e não dá um níquel para o dito-cujo. Não é à toa que há mais de 20 anos, defendo o advento da Democracia Direta com Meritocracia Eleitoral, aberta à participação de todos os interessados em disputar um cargo de representante do povo, a qual funciona como um espécie de Corrida de São Silvestre em São Paulo, todos podem participar mas só os mais qualificados, testados e aprovados chegarão lá ao topo. E não vai custar nenhum centavo para o contribuinte, pelo contrário, vai dar lucro para o erário, com eleições gerais, distritais, mandatos de no máximo 5 anos, sem reeleição, com renovação total dos quadros de 5 em 5 anos, até porque pedra que não vira junta muito limbo. A Democracia Direta é o fim do sistema político apodrecido, com prazo de validade vencido há muito tempo, e que continua levando bandidos em profusão para Brasília, que tornam o sistema insaciável e insustentável, tornando o Brasil inviável, de modo que jamais conseguiremos resolver o Brasil no varejo, nos municípios, sem resolvê-lo antes no atacado, em Brasília, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o projeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso.

  3. Prezado Marcos

    Não lhe passa pela cabeça, nem por um leve momento, que esta declaração é fruto da violenta pressão feita pelo Gilmar, seus parceiros e grande parte da classe politica , aterrorizados pela possibilidade de criar o precedente?

    Como a vida ( para alguns iluminados) se resume a ser contra qualquer iniciativa do outro lado , devemos comemorar a pequena possibilidade de uma luz sobre mais uma sangria potencial de nossos esforços ou ficarmos felizes ( como você parece estar) com a permanência dos privilégios que sempre nos asfixiaram , desde que isso possa parecer uma derrota do Bolsonaro?

    Por favor me explique esta sua lógica, pois minha neta de 01 ano tem uma capacidade de analisar causa- efeito mais profundamente do que esta comemoração rasa e primária.

  4. Na realidade , quem precisa ser extinguido, é este partido, primo pobre do PT. Mais uma facção criminosa para assaltar os cofres públicos.
    Fenômeno político e ideológico : um partido de direita e comunista .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *