Em nota, a defesa de Lula alega que denúncia é “espetáculo judicial e midiático”

Resultado de imagem para triplex charges

Charge do Sponholz (sponholz.arq.br)

Pedro Rocha Franco
O Tempo

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira, rebateram as acusações da força-tarefa da Lava Jato, responsável por denunciar à Justiça o petista. Segundo ele, a acusação é de cunho político e nem Lula nem a ex-primeira dama Marisa Letícia cometeram os crimes constantes na denúncia. “Para sustentar o impossível, força-tarefa valeu-se de ilusionismo, promovendo improvável espetáculo judicial e midiático”, disse o advogado.

Zanin explicou o caso relacionado ao triplex do Guarujá. Segundo o advogado, Marisa comprou uma cota do imóvel junto à Bancoop, o que garantiria a reserva de uma unidade de 82,5 metros quadrados. De 2005 até 2009, a ex-primeira dama teria quitado as parcelas referentes ao apartamento, num investimento total de R$ 179 mil, que, corrigidos pela inflação, corresponderiam a R$ 286 mil em termos correntes.

O advogado diz que a posse da cota “nunca foi ocultada”, tendo sido declarada pelo ex-presidente ao Imposto de Renda. Na entrevista coletiva, Zanin apresentou a declaração de Lula ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2006 em que constaria o imóvel.

SUSPENDEU OS PAGAMENTOS – Com a transferência do edifício para a empreiteira OAS, Marisa Letícia teria a possibilidade de aderir a um novo contrato, mas preferiu suspender os pagamentos, segundo Zanin. Com a decisão, ela teria a opção de resgatar do valor pago ou usar o valor como parte do pagamento para comprar uma unidade do edifício.

A avaliação feita pela família é que o imóvel não se adequava aos interesses de Lula e Marisa. O advogado rebate o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Deltan Dallagnol, que disse que o casal teria estado no imóvel para coordenar uma reforma. Zanin afirma que o ex-presidente esteve apenas uma vez no apartamento e, à época, disse não ter interesse no imóvel. Marisa Letícia e Fábio, filho de Lula, teriam retornado ao imóvel, mas confirmaram não ter interesse mesmo depois das adequações. “Nunca tiveram posse”, diz o advogado.

RESSARCIMENTO – Os advogados alegam que Marisa Letícia pediu o ressarcimento do valor investimento, mas, mesmo com a solicitação, não recebeu o valor investido. Por isso, a ex-primeira dama entrou com ação judicial para solicitar restituição dos valores investidos.

Zanin diz que documentos foram apresentados à força-tarefa da Lava Jato, mas foram ignorados. O defensor de Lula também crítica a denúncia por ter sido baseada em relatório elaborado por “policial que tem histórico de ofensas e calúnias ao presidente nas redes sociais”. A afirmação faz referência ao delegado Marcio Adriano Anselmo. “Apresento provas e documentos contra ilações e hipóteses”, argumenta Zanin.

2 thoughts on “Em nota, a defesa de Lula alega que denúncia é “espetáculo judicial e midiático”

  1. Vejam só a defesa do Lula vai à ONU, jornais internacionais, blog limpo, sujo, encardidos, TVs. E solta uma explicação na internet. Precisa explicar é na justiça caso seja aceita a denúncia. Eles querem escolher tudo e só aceitar os elogios.

  2. E, alguma vez, algum larápio reconheceu ser culpado? O Lula vai continuar negando até o fim. A cadeia está cheia de ladrões honestos. E, o que foi apresentado, ontem, é apenas a ponta do iceberg.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *