Em seu centenário, Paulo Freire ganha aplausos do mundo e silêncio do governo federal

Frases de Paulo Freire added a... - Frases de Paulo FreireBruno Alfano e Paula Ferreira
O Globo

Na rotina da roça, Iva Pereira da Silva, ainda criança, não conseguiu ir para a escola. Aprendeu a plantar arroz, feijão, milho e mandioca, a cuidar das galinhas e dos porcos e a criar os três filhos. Só aos 58 anos, completos em 2019, começou a estudar as letras.

— Estou quase aprendendo a ler e escrever. A pessoa que não estuda é cega — resume a senhora de Planaltina, cidade satélite de Brasília.

PROJETO ANGICOS – Quando ela nasceu, em 1963, surgia para o Brasil o filósofo e educador Paulo Freire. Foi nesse ano que ele colocou em prática seu bem-sucedido método de alfabetização de adultos, com um grupo de trabalhadores de Angicos (RN), em experiência que ofereceu letramento a 300 pessoas em apenas 40 horas de estudo.

Paulo Freire foi preso pela ditadura militar por ensinar a população pobre, precisou se exilar e se estabeleceu como o maior filósofo da educação brasileira. Mesmo assim, seu centenário de nascimento, celebrado hoje no mundo inteiro, deve passar sem cerimônias pelo Ministério da Educação (MEC).

Após meses de silêncio, apenas um seminário deve acontecer em outubro, realizado pelo Conselho Nacional da Educação (CNE), órgão cujas decisões são tomadas por colegiado independente do ministério.

DEMOCRATIZAÇÃO —“O Brasil viveu um processo de democratização a partir dos anos 80 no qual o pensamento de Freire contribuiu muito para a criação de políticas públicas. É coerente que governos democráticos comprometidos com a partilha dos bens culturais produzidos pela Humanidade se inspirem nele para isso — diz a historiadora da educação Dulcineia Ferreira, professora da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

No longo processo de desenvolvimento da escolarização brasileira, o país, com grandes desafios pela frente, conseguiu, a partir da década de 1960, derrubar taxas de analfabetismo (de 40% para 6,6%, em 2020) e aumentar a média de anos na escola do brasileiro adulto (de 2,7 para 11, em 2020) — o objetivo do Plano Nacional de Educação é chegar a 12 para todos em 2024.

Hoje, cerca de 700 mil alunos brasileiros completam o ensino básico, anualmente, pela modalidade de Educação de Jovens e Adultos (Eja), a primeira agenda de Freire, que ganhou o coro de movimentos sociais de educação popular e só teve a sua

O SONHO DE LER – É pela Eja que dona Iva, que não desanimou nem com a interrupção das aulas pela pandemia, vê o sonho de estudar tomar forma. Mal as atividades escolares foram retomadas, ela voltou a percorrer diariamente os mais de 3km que separam sua casa da escola mais próxima. Uma hora de caminhada e mais uma de ônibus. Na volta, tarde da noite, um caminho de capim alto e cobras.

— Me diziam: “Dona Iva, a senhora é doida”. Mas não é coragem, não. É por causa que eu quero aprender.

O legado de Paulo Freire se preserva na contramão das políticas do governo de Jair Bolsonaro. Em 2020, o MEC gastou pouco mais de R$ 7 milhões com educação de jovens e adultos, o menor investimento de todo o século XXI.

BOICOTE OFICIAL — “É difícil imaginar políticas educacionais piores ou mais “antifreirianas” que as atuais. Quando um ministro de um dos países mais elitistas no acesso ao ensino superior diz que a universidade é para poucos, é sintoma de que estamos num péssimo momento educacional no Brasil — avalia Walter Kohan, professor da Uerj e autor de “Paulo Freire mais do que nunca: uma biografia filosófica”, referindo-se a uma fala do ministro da Educação, Milton Ribeiro.

Defenestrado e chamado de “energúmeno” pelo presidente Bolsonaro, que chegou a escrever no plano de governo que expurgaria a “filosofia freiriana das escolas”, e por todos os ministros que ocuparam o comando da Educação (Ricardo Vélez Rodríguez, Abraham Weintraub e Milton Ribeiro), Paulo Freire foi traduzido para mais de 20 idiomas, agraciado com 41 títulos honoris causa e escolhido para nomear 102 centros de pesquisa e mais de 400 escolas no Brasil e nove em outros países.

Arquivos Google | Google Discovery

O Google homenageou Freire no mundo inteiro

CIÊNCIAS HUMANAS – Toda campanha de detração do bolsonarismo não abalou a posição de Freire de terceiro autor mais citado no mundo em ciências humanas. No Brasil, as referências ao trabalho do educador crescem ano a ano desde 1992, segundo dados do Google Schoolar, e dobraram entre 2010 e 2020, indo de 18.968 para 38.204.

— Por causa de tanta tentativa de desqualificá-lo, esse governo gerou até uma curiosidade. Pessoal que é contra ele pensa: “Já que o Bolsonaro e sua turma falam tão mal, deve ser bom”. Foi um estímulo, uma propaganda — diz Tião Rocha, antropólogo e criador do Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento inspirado no educador pernambucano.

FINANCIAMENTO DOS EUA  – Freire nasceu no Recife em 19 de setembro de 1921. Formou-se em Direito e já se destacava na educação na década de 1950, questionando o analfabetismo adulto no Brasil. Socialista declarado, teve financiamento da Aliança pelo Progresso — projeto anticomunista do governo dos EUA.

Lá, no interior do RN, surpreendeu o país com a eficiência dos encontros em que pregava o aprendizado pelos saberes dos trabalhadores analfabetos. O método identificava palavras-chaves utilizadas pelos alunos e, a partir dali, eram trabalhadas sílabas e letras.

— A força maior do pensamento de Freire é a noção de diálogo como um movimento de ensino e aprendizagem. Há uma suposição de que, embora a docência tenha autoridade, não tem todo o conhecimento e portanto quem é discente também tem a capacidade de ensinar — explica o filósofo Mario Sérgio Cortella, último orientando de doutorado por Freire.

FREIRE NA PRISÃO – Com o sucesso de Angicos, Freire foi convidado pelo então presidente João Goulart para construir um Plano Nacional de Alfabetização. Naquele momento, os analfabetos — 40% da população do país — eram impedidos de votar. O golpe que decretou a ditadura militar acabou por encerrar o projeto e prender Freire.

Freire contava que, na cadeia, um militar pediu para que ele alfabetizasse os soldados. O bem-humorado educador respondeu que era justamente por isso que estava ali.

Depois dessa experiência, fugiu para o Chile. Deu aula nos EUA, em Harvard, e na Suíça. No exterior, produziu sua principal obra, “Pedagogia do Oprimido”, em 1968, que só chegou oficialmente ao Brasil seis anos depois — até lá, trechos dos escritos do pernambucano circulavam ilegalmente por cópias mimeografadas.

ATO POLÍTICO — “Quando Paulo Freire diz que a educação é um ato político, em nenhum momento ele diz que era um ato partidário — explica Cortella. — Ele jamais teria a ideia de que a educação é para fazer a cabeça das pessoas, é contrário a toda sua obra que falava de liberdade, autonomia e emancipação.

O Brasil ainda tem 11 milhões de analfabetos e 70 milhões (53% dos adultos) sem o ensino básico. Em 1994, Freire, em entrevista à Folha de S. Paulo, disse por que seu método não acabou com o analfabetismo: “Em tese, o analfabetismo poderia ter sido erradicado com ou sem Paulo Freire. O que faltou foi decisão política”.

25 thoughts on “Em seu centenário, Paulo Freire ganha aplausos do mundo e silêncio do governo federal

  1. Ressalto os três maiores educadores que este país já teve:

    Anísio Teixeira (12/07/1900, BA – 11/03/1971, RJ)… “Só existirá Democracia no Brasil no dia em que se montar a máquina que prepara as democracias. Essa máquina é a Escola Pública “.

    Paulo Freire (19/09/1921, PE – 02/05/1997, SP)… “Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com gente brincando de matar gente, ofendendo a Vida, destruindo o sonho, inviabilizando o Amor. Se a Educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda.”

    Darcy Ribeiro (26/10/1922, MG – 17/02/1997, Brasília)… “Fracassei em tudo que tentei na Vida. Tentei alfabetizar as crianças brasileiras, não consegui. Tentei salvar os índios, não consegui. Tentei fazer uma universidade séria e fracassei. Mas os fracassos são minhas vitórias. Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu.”

  2. Texto oportuno e atual.

    Há uma campanha sendo exercida para destruir a imagem de educadores neste país.
    Caso se identificarem com o socialismo ou que os pobres também têm direito a uma educação/ensino de qualidade, automaticamente são classificados pela direita como “inimigos”, então precisam ser riscados da área pedagógica.

    Batista Filho fez um apanhado interessante sobre quem são os mais conhecidos educadores, e foi feliz na frase proferida por Darcy Ribeiro, hoje esquecido tanto pela sociedade quanto pela mídia nacional.

    Talvez porque desde o início aproximou-se de Brizola, onde juntos construíram os CIEPS, que seriam a revolução no ensino tão esperada, haja vista a oferta à criançada do que haveria de melhor à educação, lazer e alimentação.

    A escola pública se aproximaria muito da privada, e isso deve ter gerado protestos velados pelas elites e castas brasileiras, que não só fazem questão como lutam pela péssima qualidade do ensino público nacional!

    Seus rebentos precisam ter o mercado reservado, sem competidores, ainda mais de gente advinda da escola pública, um bando de jovens sem eira e nem beira.
    Ora, desde quando que a nata da sociedade iria admitir tamanha ousadia?!

    Enquanto pagam pequenas fortunas mensais com seus filhos em colégios renomados, os narizes sujos e pés usando chinelos de dedos, teriam uma escola também de nível??!!
    Com médicos, dentistas, psicólogos, bons professores, biblioteca, refeitório, 5 refeições diárias … mas é muita despesa para investir em negrinhos, sararás, pardos e branquelas!

    O Brasil está muito atrasado e omisso na sua oferta ao povo de uma escola pública razoável, pelo menos.
    Mas, há quantas décadas que não temos governantes que invistam na educação, e a transformem em alavanca para o nosso desenvolvimento e progresso individual e coletivo?

    Em compensação, parlamentares recebem mais de 200 mil mensais, enquanto o salário mínimo é … ó …. ó … assim, pequenininho!!!

  3. 1) Há um ditado popular: “Santo de casa não faz milagre”. Talvez por isso haja essa campanha contra Paulo Freire.

    2) Li alhures, que essa propaganda negativa contra o Educador é devida à inveja, setores das elites que só querem saber de celebridades, classe média ressentida e pobres recalcados…

    3) Mas não tem problema mesmo… o mundo adotou Paulo Freire como um grande ser humano.

    4) Quando esteve no exílio, em Genebra, o Conselho Mundial de Igrejas (protestantes ecumênicos democráticos) apoiou Paulo Freire e ofereceu a ele uma salinha para trabalhar no mesmo prédio sede, visto que o Educador era presbiteriano e, segundo se fala… uma vez presbiteriano sempre presbiteriano !

  4. Paulo Freire, cujo maravilhoso método de ensino jamais produziu um escritor, um cientista, um filósofo ou mesmo um executivo competente, limitando-se a transformar milhares de coitadinhos em igual número de coitadinhos, é o patrono de uma educação nacional que produz analfabetos funcionais em massa e cujos estudantes obtêm sempre as piores notas nos testes internacionais. Se 41 universidades acham esse cidadão o máximo, 41 universidades deveriam ser fechadas. Paulo Freire é um sujeito oco, o tipo acabado do pseudo-intelectual militante. Sua fama baseia-se inteiramente no lucro político que os comunistas obtêm do seu método. Esse método, aliás, não passa de uma coleção de truques para reduzir a educação à doutrinação sectária. Um dia teremos vergonha de ter dado atenção a este lixo educacional…”
    Se alguém ainda tinha alguma dúvida, o ranking do Pisa provou de uma vez por todas que a tal “pátria educadora”, que encheu péssimas universidades com péssimos alunos formados por péssimos professores, era apenas um embuste. Distribuir diplomas a pessoas de baixa inteligência, nenhum talento, estúpidas, cotistas, etc, é como carimbar o traseiro de bois e vacas que estão indo para o abate (neste caso justificável).
    Na nossa cultura deformada pelo ‘coitadismo’, ou para falar mais academicamente, pelo ethos-igualitarista moderno, teimamos em achar que a Universidade é para todos. Nunca foi e nunca será. Essa é uma das maiores mentiras da modernidade. A decadência da civilização se iniciou com a universalização do ensino, com a troca da formação espiritual e intelectual puras, “ars gratia artis” no sentido aristotélico, pelo adestramento meramente utilitarista para fins de sobrevivência. Universidade é para uma elite intelectual. É para quem realmente tem talentos, gosta de estudar e tem uma inteligência privilegiada. Sua prioridade é produzir conhecimento e não formar mão de obra, e muito menos ainda formar militantes revolucionários que irão implantar o comunismo no país. Para formar profissionais e mão de obra qualificada, existe o ensino técnico e profissionalizante.”

    • Se todo cidadão brasileiro for como esse aí, é melhor fechar logo o país e o último a sair apague a luz. Não existe nada mais necessário a uma população do que ESCOLA. Mas escola com seus excelentes funcionários especialíssimos: OS PROFESSORES. Escolas de primeiríssima qualidade não só para os ricos mas, e principalmente, para os pobres.
      Acabaríamos rapidamente com a pobreza e seríamos um país rico e independente. Infelizmente, além dos seres normais, algumas gestações também produzem gente “superior” e “privilegiada” como o cidadão aí…

  5. Continua…

    As oportunidades que devem ser oferecidas a todos é a de uma boa formação de base!
    Depois, onde por meio da meritocracia, serão revelados aqueles mais capazes de ir para a Universidade PRODUZIR CONHECIMENTO. Transformar todo mundo em universitário apenas para não ferir a autoestima do jovem maconheiro que usa piercing no nariz e alargador na orelha é algo completamente estúpido!
    Tudo que o governo do PT conseguiu foi queimar centenas e centenas de bilhões de reais para produzir o pior, o mais idiota, o mais ignorante, o mais analfabeto, e por consequência o mais mimado, alienado e arrogante aluno do mundo!
    Nivelaram todo mundo por baixo, destruíram qualquer possibilidade de formar uma verdadeira elite intelectual para o país!
    São mais de duas décadas jogadas inteiramente na lata de lixo da história. Trocaram a meritocracia (de alunos e professores) pela “universalização”, pela “política de cotas” e pela “ideologização”.
    Nunca reconhecendo que as pessoas são essencialmente diferentes, umas mais inteligentes, mais capazes e mais esforçadas que as outras; enfiam goela abaixo de todos o maldito igualitarismo que sempre favorecerá o vulgar, o grosseiro e o ignorante. Sempre nivelará por baixo, rebaixará a tudo e a todos e produzirá os piores resultados.
    Reúna vários alunos inteligentes e todos se tornarão mais inteligentes ainda. Cerquem um gênio de medíocres e vulgares e testemunhará sua lenta e gradual decadência.
    Numa era em que a humanidade enfrenta a sua mais radical transformação tecnológica, a civilização cibernética põe em cheque toda a cultura humanista, há uma mudança profunda de quase todos os paradigmas científicos, sociais e econômicos; nanotecnologia, microbiologia, projeto genoma, matriz energética, 5G e 6G, Internet das coisas, etc.
    Nós gastamos trilhões em 20 anos para produzir uma geração de mimadinhos(as), estúpidos, deprimidos, feminilizados, vazios, idiotas e arrogantes que votam no PSOL e morrem de medo de se tornar adultos. Uma legião de falsos graduados sem possibilidade de emprego, endividados com o FIES, caminhando para a meia idade, morando com os pais e frequentando a marcha da maconha porque precisam urgentemente legalizar seu suicídio.

      • Selminha,

        Não sabes a diferença de panegírico de paisagismo, e queres dar pitaco sobre Paulo Freire?

        Por acaso és professora?
        Sabes o processo que te ensinou a ler e escrever?
        Aonde que o “péssimo método de educação brasileira é resultado direto da linha dinâmica de Paulo Freire”?!
        Em que área específica?

        Por favor, não utilizes o teu anonimato pera fazer coro com a idiotice e a imbecilidade reinantes em uns e outros comentaristas.

        Sejas um pouco mais inteligente, só um pouquinho, pois no meio dessa gentalha intelectual serás uma privilegiada!

  6. O método é muito interessante; ao invés do ensino vir de fora para dentro, o orientador ‘pega’ o saber da classe e desenvolve, resultando em rápido crescimento do conhecimento.

  7. Meu Deus, como é triste a decadência humana!!!

    “ Paulo Freire, cujo maravilhoso método de ensino jamais produziu um escritor, um cientista, um filósofo ou mesmo um executivo competente, limitando-se a transformar milhares de coitadinhos em igual número de coitadinhos, é o patrono de uma educação nacional que produz analfabetos funcionais em massa e cujos estudantes obtêm sempre as piores notas nos testes internacionais.”

    A acusação leviana, solerte, mentirosa sobre Paulo Freire chancela o ódio que as classes dominantes têm por este educador.

    A título de informação, Paulo Freire ocupou o posto de titular da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo de 1989 a 1991. Esse foi o único momento em que teve responsabilidade direta pela gestão educacional!

    Faz 30 anos que Freire está fora dos ditames escolares e diretrizes educacionais, 30 anos!
    Collor, Itamar, FHC, Lula, Dilma, Temer, Bolsonaro, podem apresentar um resquício de planejamento educacional?
    Nada!

    Mas é Paulo Freire o culpado pelo deserto de ideias que os brasileiros são caracterizados?!
    Quer dizer que faz 30 anos que a escola pública tem como base ensinar mediante orientação pedagógica de Paulo Freire??!!
    Falácia!

    “ … Sua fama baseia-se inteiramente no lucro político que os comunistas obtêm do seu método. Esse método, aliás, não passa de uma coleção de truques para reduzir a educação à doutrinação sectária. Um dia teremos vergonha de ter dado atenção a este lixo educacional…”

    Cidadão Brasileiro não disse quem é o autor desta frase, pois está entre aspas.
    Volto a dizer:
    Faz trinta anos que Freire está fora da Educação;
    Faz 36 anos que o Brasil voltou a ter o regime democrático, sem que os comunistas tenham dominado a nação.
    Que lucro político (asneira infame!) que os “comunistas” obtiveram??!!

    Se temos lixo educacional, seria de bom alvitre pesquisar quem foram os ministros da Educação que tivemos nesses últimos 36 anos, e cobrar-lhes o lixo que o Ensino nacional se transformou, menos responsabilizar Paulo Freire, até pelo fato de esta acusação não só ser caluniosa e difamante, como atribui ao seu autor a ignorância que Freire combateu!

    Em onze anos que frequento a TI, jamais eu havia lido um trecho tão preconceituoso, solerte, rasteiro, segregacionista, discriminatório, repugnante, conforme transcrevo abaixo:

    “ … Distribuir diplomas a pessoas de baixa inteligência, nenhum talento, estúpidas, cotistas, etc, é como carimbar o traseiro de bois e vacas que estão indo para o abate (neste caso justificável).
    Na nossa cultura deformada pelo ‘coitadismo’, ou para falar mais academicamente, pelo ethos-igualitarista moderno, teimamos em achar que a Universidade é para todos. Nunca foi e nunca será. Essa é uma das maiores mentiras da modernidade. A decadência da civilização se iniciou com a universalização do ensino, com a troca da formação espiritual e intelectual puras, “ars gratia artis” no sentido aristotélico, pelo adestramento meramente utilitarista para fins de sobrevivência. Universidade é para uma elite intelectual. É para quem realmente tem talentos, gosta de estudar e tem uma inteligência privilegiada. Sua prioridade é produzir conhecimento e não formar mão de obra, e muito menos ainda formar militantes revolucionários que irão implantar o comunismo no país. Para formar profissionais e mão de obra qualificada, existe o ensino técnico e profissionalizante.”

    Em resumo:
    A universidade é para os escolhidos, e não para todos.
    Somente quem é rico, pois pertence à elite intelectual do Brasil, é que teria “direito” de frequentar faculdade, pois a sua inteligência é privilegiada!

    Pobres sequer têm inteligência, logo, tê-los nas Universidades é uma agressão aos donos do poder!

    Caso pobres frequentarem as faculdades serão revolucionários que irão implantar o comunismo no país, e para eles, burros de carga, basta o ensino técnico e profissionalizante, pois a intelectualidade brasileira tem reserva de mercado!

    PQP!

    Não acredito que eu tenha lido essa excrescência, essa aberração, estupidez, imbecilidade … esse crime escancarado contra o povo!!!

    Mais vale uma nação como a brasileira, então, com 200 milhões de analfabetos absolutos e funcionais, que oferecer aos necessitados uma chance de estudar!!!???

    Estudar é para quem tem berço, dinheiro, pertencente à classe AAA, que não serão revolucionários comunistas – tá bem, serão ovelhas de presépio; não terão voz ativa; não tomarão inciativa alguma porque castrados pelas suas “habilidades cognitivas”, tão somente.
    ´
    Jamais peçam para um desses intelectuais de reserva de mercado que façam o seu almoço ou que comprem um pão ou deem de comida aos filhos ou lhes trocam a fralda ou lavem uma louça ou varram a casa, pois não saberão o que é um fogão ou como acendê-lo ou aonde tem uma padaria ou como dar de comer para um filho ou como se troca uma fralda ou como que a torneira abre para lavar a louça ou o que é uma vassoura?!”

    Para essas funções existem os criados, as diaristas, as faxineiras, os quebra-galhos na eletricidade, hidráulica, pedreiro, encanador, carpinteiro, pintor, mecânico, pipoqueiro, açougueiro, balconista, motoristas … que não são inteligentes e não devem não só perder tempo nas Universidades, como ainda roubar a vaga de um intelectual em potencial!!!

    Jamais postei isso, mas CUSPO nesse texto de MERDA!!!!

    Quem o escreveu é um NAZISTA, que merece o meu desprezo, o meu repúdio, o meu dedo em riste na sua cara lhe dizendo que é uma besta humana, um biltre, um canalha!

    Ah, e quem manda esse recado para esse nazista filho da mãe sou eu, que não tem faculdade, mas bota esse infeliz no bolso em inteligência, cultura, conhecimentos e socialização!!!
    Aliás, bolso não, mas na lata de lixo, pois um MERDA!

    Continuando, agora para pessoas honestas, decentes, dignas e honradas:
    Outro personagem mundialmente conhecido, tido como um dos três maiores pensadores e influenciadores da Humanidade, Karl Marx, é combatido justamente por aqueles que jamais leram uma página dos livros que escreveu!
    Freire não poderia ser diferente.

    Há um medo que asfixia as elites e castas brasileiras, quando se aborda educação, ensino e socialismo;
    O brasileiro deve permanecer inculto e incauto, assim se torna muito mais fácil manipulá-lo e influenciá-lo, ROUBÁ-LO e explorá-lo pelos intelectuais!

    Igualmente deve ser proibido ou ser imensamente difícil, que tenha discernimento, senso crítico e capacidade interpretativa dos fatos.

    Para os comentaristas que desconhecem Paulo Freire, e fazem questão de mostrar o quanto nada sabem a respeito desse genial brasileiro, abaixo um resumo de quem foi e o que nos deixou como obras publicadas:

    “O filósofo recifense Paulo Freire ocupa lugar de destaque no pensamento global.
    Um levantamento feito com base em dados do Google Scholar, maior ferramenta de trabalhos acadêmicos do mundo, mostra que Freire é o terceiro pensador mais citado na plataforma.
    Ele é, também, o único brasileiro que figura na lista dos top 25 da categoria.

    O método de alfabetização de adultos idealizado por Paulo Freire inspirou o Plano Nacional de Alfabetização adotado pelo Ministério da Educação.

    Na época, em 1961, ele era o diretor do Departamento de Extensões Culturais da Universidade de Recife.
    Poucos anos mais tarde viria se tornar um ícone da literatura, da filosofia e da pedagogia.

    Preso por 70 dias exatamente por seus pensamentos progressistas, Paulo Freire viveu por anos exilado.
    Na época, como somente quem poderia votar eram as pessoas formalmente alfabetizadas, os objetivos e projetos de Freire potencialmente fariam 6 milhões de novos votantes.
    O que ia de encontro aos desejos das classes ditas dominantes.

    Em abril de 1964, o Plano Nacional de Alfabetização foi cancelado.
    Em 1969, já em exílio, Freire é convidado para lecionar na Universidade de Harvard.
    Em 1970, se torna consultor e coordenador emérito do Conselho Mundial de Igrejas, o CMI.
    Nos próximos 10 anos, até voltar para o Brasil em 1980, Paulo Freire iria viajar com o CMI por 30 países levando sua pedagogia.

    Hoje, existem, pelo menos, 350 instituições que levam seu nome e cerca de 48 títulos e honrarias já foram concedidos ao filósofo.

    Mas seu maior legado são seus livros.
    Entender as publicações de Paulo Freire é também a melhor maneira de entender seu pensamento.

    Pedagogia do Oprimido
    Esse é, provavelmente, seu livro mais famoso.
    Escrito durante os primeiros anos de seu exílio, no Chile, o livro propõe a libertação das massas através da educação.
    Contudo, Freire apresenta, no livro, a proposição de que o educando tem papel fundamental nesse processo.
    Para o pedagogo, é essencial que se ouça quem está sendo educado e que se aprenda com ele.
    Segundo Freire, é respeitando as diferenças nas relações educacionais que se constrói um método efetivo de escola.

    Educação como Prática da Liberdade
    Escrito logo após Pedagogia do Oprimido, o autor analisa o método de alfabetização de adultos de maneira detalhada.
    No título, ele contextualiza essa proposta histórica, política e filosoficamente.

    Pedagogia da Autonomia
    Nessa obra, a intenção de Paulo Freire é apresentar um conjunto de práticas e habilidades as quais ele considera indispensável para qualquer educador, independentemente do gênero ou posição política.
    Aqui, mais uma vez, Freire reforça seu pensamento de que a pedagogia do diálogo deva ser a base da relação entre mestre e aprendiz.

    Cartas à Guiné-Bissau
    Foi escrito entre 1976 e 1977.
    O livro é um convite para olharmos aos processos históricos da África, continente com cultura tão presente na nossa, brasileira.
    Foi escrito por intermédio das correspondências trocadas entre Paulo Freire e a Comissão Coordenadora do projeto de alfabetização de adultos em Guiné-Bissau.
    Na obra, o autor nos apresenta a situação pós-independência do país africano sob a perspectiva de condutor de um projeto de educação de adultos que desenvolveu ali.
    Longe de oferecer um método fechado ou uma resposta, o livro propõe e destaca as aberturas da educação construída coletivamente.

    Professora, sim; tia, não
    Questiona a relação paternalista entre aluno e professor.
    Para Freire, o “tia” eufemiza a formação do educador, o que ele vê como negativo.
    Contudo, o autor mantém seu pensamento de que essa relação entre aluno e professor deva ser construído com diálogo e bilateralidade.
    Em detrimento de uma relação unilateral de transmissão de saberes.

    Freire não poderia mesmo prestar para a elite intelectual mencionada pelo cidadão brasileiro, e da qual ele faz parte, então o seu atrofiamento mental!

  8. Cidadão Brasileiro x Francisco Bendl, entre mortos e feridos, convido-os ao café.

    Um pega, um arranca rabos – assim mesmo, rabos plurais -, seria possível levá-lo a ausência de ardjetivos? (Escrevi, por engano, “ardjetivos*. Deixei).

    O Cidadão, no campo dos ardes, foi mais contido que o xarapim. Feros, ambos! Encontrar-se-iam sem xingamentos? Faço votos.

    O Mundo está melhor; ou melhor, menos ruim, mais amistoso, mais amigável, menos hostil, com certeza, vide O NOVO ILUMINISMO, do Steven Pinker). Já vivemos por séculos o duelo como instituto obrigatório, Hoje, falar em duelos, kkkk – imito os jovens e coloco esses kkkk que, naquele algum tempo seriam também dueláveis. (Você está rindo de quê, seu salafra?! kkkk).

    Afinal de contas, esse senhor Freire, do cão-demõe ou de NSJC?

    Segundo o Cidadão, não seria de compadre cão-demõe, mas o cão-demõe em pessoa.

    Segundo Francisco, o outro, eu, não; seria logo abaixo dos pés de NSJC.

    Será possível, “ardjetivos” à parte, um parâmetro, digamos, BR-Freire x escolas de Singapura?

    A escola BR-Freire à léguas, parece-me.

    Falei no cão-demõe – compadre, coisa nenhuma; botei o compadre, viés sertanejo, para adoçar; o que me faz lembrar o famoso Cão do Segundo Livro, de Felisberto de Carvalho. Era o nosso ensino, 1º, 2º e 3º livros, o método vigente até a chegada de São Freire. Era brabo, sim; corria a palmatória na sabatina. O respeito ao mestre, aliás, Mestre, era patente.
    Comparem.
    O Cão do Segundo Livro está aqui. Intacto.
    http://www.jornaldepoesia.jor.br/francisco150.html
    Esta TI cada vez melhor.
    Parabéns.

  9. Paulo Freire já foi desmascarado em vários textos. Não passa de um ‘agitprop’ marxista-leninista vulgar, que plagiou um método de alfabetização de adultos e escreveu livros de “pedagogia”, repletos de chavões e frases empoladas e incompreensíveis.

    Assim, vou lembrar um detalhe “esquecido” sobre o patrono da deseducação brasileira. A experiência de Angicos foi financiada com a grana dos imperialistas americanos, via USAID. Na época, os comunistas (como Freire), diziam que essa grana era da CIA. Então, seguindo a lógica dos próprios comunas, posso dizer que, enquanto Paulo Freire criticava o capitalismo americano, com a mão esquerda ele alegremente embolsava a grana da CIA. Todo comuna adora a grana capitalista (no exílio, em vez de ir vender o seu peixe em Cuba ou na URSS, o comunão foi desfrutar “bem bão” longe do inferno socialista). Haja picaretagem.

  10. Admirador de Fidel, melhor referência impossível.O básico do básico do básico, basta ver os resultados do Pisa, pedagogia repleta de chavões esquerdopatas, “saberes diferentes”, alunos agredindo professores, fumando maconha nas cercanias e no interior de salas de aula, respeito zero pelo docente, um sucesso!

  11. Por falta de tempo misturado com relaxamento e esquecimento não percebi esse Artigo. Neste momento fui rever as postagens dos últimos 8 dias e chequei a esta postagem sobre o “Educador” Paulo Freire e aqui posto meu Comentário:

    UM INÚTIL A SERVIÇO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA.
    Sabemos que o inútil Paulo Freire foi feito “Patrono da Educação Brasileira”.
    E como não poderia deixar de ser, o Paulo Freire foi feito guru da já combalida Educação Brasileira através de um decreto da presidente comunista Dilma Rousseff.
    O pior é saber que esse inútil criou um tal Método e que foi aplicado nas Escolas públicas a mais de 55 anos.
    E nestes mais de 55 anos a Educação brasileira foi e continua sendo influenciada por comunistas nefastos tipo Paulo Freire, Florestan Fernandes, Darcy Ribeiro, de outros comunistas tupiniquins e também do italiano Antonio Gramsci que por sinal é o guru dos esquerdistas desse país periférico.
    E assim a nossa Educação não avançou e está tão ruim que nos Rankings internacionais até perdemos para países daqui da América Latina. Está aí o PISA e outros Rankings nacionais e internacionais para confirmar o que relatei.

    “Pedagogia do Oprimido” é o livro de Paulo Freire que influenciou e marcou gerações de professores e estudantes no Brasil, é a Bíblia dos pedagogos brasileiros.
    Basicamente, é um panfleto de autoajuda marxista embalado numa linguagem de sistema pedagógico, introduzindo conceitos como “luta de classes”, “revolução” e “classe operária” na sala de aula.
    Seu “método” de alfabetização de adultos baseado em Marx foi adotado pelo sistema de educação brasileira nas últimas cinco décadas.
    Não surpreende, portanto, que não se conheça, até hoje, o nome de nenhuma pessoa que foi alfabetizada por seu “método” revolucionário, ou seja, não se tem noticia de nenhum gênio brasileiro que tenha se alfabetizado pelo “método” de ensino desse “Educador”.
    Não é de surpreender que o Brasil sempre esteja nos últimos lugares nos rankings mundiais de educação. Mesmo assim, o autor foi endeusado até o limite do possível, tendo sido escolhido postumamente, em 2012, como o “patrono da pedagogia nacional” pelo governo petista de Dilma Rousseff.
    E esse inútil, foi um “educador” marxista que enganou a todos na base do plágio e do charlatanismo.
    Nos anos 40 veio ao Brasil o missionário norte-americano Charles Laubauch, esse sim, um verdadeiro educador.
    Laubauch trabalhou por mais de 30 anos nas Filipinas onde conseguiu criar um método que ajudou a alfabetizar 60% da população filipina.
    Devido ao sucesso estrondoso e à sua simplicidade, o método de ensino do missionário americano foi trazido ao Brasil pelo próprio Laubauch, a pedido do governo brasileiro, em 1943.
    Na época 3 em cada 4 brasileiros eram analfabetos. Daí o Paulo Freire que tinha um cargo de chefia no SESI, tomou contato com o método de ensino de Laubauch e o plagiou.
    Só que, o Laubauch era cristão e Paulo Freire era marxista.
    As cartilhas de alfabetização do missionário traziam referências à cidadania, à ética, à paz social e ao cristianismo, valores contrário ao marxismo que prega propósitos revolucionários através do ódio, da coerção, da violência e da matança.
    A fim de se utilizar das técnicas de Laubauch, mas sem seus princípios éticos (algo inexistente no socialismo), o Paulo Freire reescreveu a cartilha, mantendo a estrutura pedagógica e trocando os valores cristãos por princípios marxistas.
    Essa nova cartilha começou a ser usada nos programas de alfabetização do próprio SESI e, com a ascensão de Paulo Freire, em 1961, ao cargo de Diretor do Departamento de Extensões Culturais da Universidade do Recife, foi aplicada em maior escala, com cortadores de cana e outros grupos experimentais.
    Os resultados levaram o inútil Paulo Freire a trabalhar com o comunista João Goulart na elaboração do Plano Nacional de Alfabetização.
    Pois é, antes mesmo do governo militar a esquerda brasileira já havia preparado sua estratégia de subversão cultural para as escolas brasileiras.
    Bom, da ascensão desse “educador” até os dias de hoje há de se perguntar: qual mesmo a colaboração desse comunista à Educação brasileira se desde quando ocupamos os últimos lugares nos rankings internacionais quando nossos alunos competem com alunos de outros países?
    E alguém conhece algum gênio brasileiro que foi educado através do Método de ensino do inútil Paulo Freire?
    Paulo Freire está longe de ser considerado um verdadeiro Educador, ele apenas foi um revolucionário a serviço do marxismo, assim como Fidel Castro era um office-boy da URSS o Paulo Freire é apenas um Fantoche dos Líderes marxistas que ele tanto endeusou até no seu nefasto livro alcunhado de “Pedagogia do Oprimido”.

    Este texto foi pesquisado e escrito por mim, mas foi mesclado com pequenas partes do Livro “MENTIRAM e muito PARA MIM”

  12. Esse Texto acima EU escrevi em 2017.
    Semana passada dia 19/09/2021 o Rodrigo Constantino escreveu um ótimo Artigo a respeito do destruidor da Educação brasileira.
    O Título do Artigo de RC é bem sugestivo para a figura do suposto educador brasileiro “Paulo Freire era um comunista bajulador de tiranos!”
    LEIAM UM POUCO DO QUE O RC ESCREVEU NO SEU ARTIGO A RESPEITO DO BAJULADOR DE PERSONAGENS DO COMUNISMO.
    A juíza Geraldine Pinto Vital de Castro, da 27ª Vara Federal do Rio de Janeiro, determinou, por meio de liminar, que a União, e “quem a represente a qualquer título”, se abstenha de praticar qualquer ato institucional “atentatório a dignidade do Professor Paulo Freire na condição de Patrono da Educação Brasileira”.
    A decisão atende a um pedido feito pelo Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), que alegou na ação existir “movimentos desqualificadores dos agentes do Governo Federal contra Paulo Freire, educador e filósofo brasileiro, com falas ofensivas e em contraposição ao pedagogo ser Patrono da Educação brasileira”. Cabe recurso da decisão.
    A Respeito diz Rodrigo Constantino:
    Ficamos assim: os representantes da União possuem “liberdade de expressão”, mas não de crítica. Eles precisam continuar reverenciando um COMUNISTA QUE BAJULAVA OS PIORES TIRANOS DO PLANETA, alguém que levou a visão marxista de luta de classes para dentro das salas de aula, substituindo ensino por DOUTRINAÇÃO IDEOLÓGICA. O Brasil não é o patinho feio no teste mundial do Pisa por acaso: é obra de DÉCADAS DE ESQUERDISMO PAULOFREIRIANO EM NOSSAS ESCOLAS!”

    Também deixo aqui um comentário feito pelo grande educador Dom Lourenço de Almeida Prado que foi reitor emérito do tradicional e prestigiado Colégio de São Bento do Rio de Janeiro:
    “É uma lástima que o meio católico se tenha deixado contagiar por esse mestre equívoco da pedagogia que é Paulo Freire e por essa falsa elaboração que chama educação libertadora. Na verdade, ela nada tem de libertadora, como nada tem de pedagogia. É uma campanha política, de fundo marxista, isto é, fundada no dogma da luta de classes e na divisão da humanidade entre opressores e oprimidos”.

    E EU JS finalizo dizendo: Paulo Freire foi um GRANDE Serviçal, Fantoche e Idólatra de Figuras Nefastas e Tirânicas da Esquerda mundial tipo Fidel/Che.

  13. Pedagogia do Oprimido…desde quando educação e cultura é opressão?Somente na cabeça de fanáticos e ignorantes, mais uma inveja do bem, da turminha vermelha.

Deixe um comentário para Selminha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *