Empresário filmado e festejado por Pazuello já foi condenado por fraude em importação

Pazuello se reuniu com os empresários “fora da agenda”

Vinícius Valfré e Julia Affonso
Estadão

O então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, abriu as portas do ministério para representantes de uma empresa que pretendia intermediar a venda ao governo de 30 milhões de doses da Coronavac, vacina do laboratório chinês Sinovac já em uso no País graças à parceria com o Instituto Butantan.

A World Brands Distribuição, de Santa Catarina, está registrada em nome do empresário Jaime José Tomaselli. Ele foi um dos três condenados pela Justiça Federal de Itajaí (SC), em maio de 2014, por participar de um conluio que fraudou documentos de importação de produtos.

NOTAS FALSAS – Segundo a decisão do juiz Marcelo Micheloti, notas fiscais de importação de “carrinhos de controle remoto, embalagens em cartela de papel com plástico e lâmpadas fluorescentes” eram falsamente emitidas em nome de uma das empresas de Jaime, a Marfim.

Os produtos, na verdade, eram adquiridos por outra firma, em uma operação que tinha por objetivo “ocultar a real adquirente e ludibriar a fiscalização estatal”.

Jaime Tomaselli foi condenado a um ano e seis meses de prisão. A pena foi transformada em pagamento de R$ 54 mil em multa e prestação de serviços comunitários. A decisão foi mantida pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Um recurso especial e um habeas corpus foram negados pelo Superior Tribunal de Justiça.

VÍDEO DA REUNIÃO – Eduardo Pazuello recebeu os representantes da World Brands em 11 de março. Na oportunidade, gravou um vídeo ao lado deles para anunciar o interesse na aquisição dos imunizantes contra a covid-19. Na gravação, apenas uma pessoa identificada como “John” se manifesta em nome da empresa.

O vídeo foi revelado pela Folha de S. Paulo. Segundo o jornal, o preço da dose negociado pela empresa seria quase três vezes maior do que o do Instituto Butantan. A companhia cobraria US$ 28 por dose da Coronavac- cerca de R$ 155 naquele dia. O preço do Butantan é de aproximadamente R$ 58, convertidos.

“Saímos daqui hoje com o memorando de entendimento já assinado e com o compromisso do ministério de celebrar, no mais curto prazo, o contrato para podermos receber essas 30 milhões de doses no mais curto prazo possível para atender a nossa população”, diz Pazuello.

PORTAS ABERTAS – No vídeo, “John” agradece pelas “portas abertas” que encontrou no ministério. “Muito obrigado, ministro, pela oportunidade de nos receber também, como empresário, eu acho que sempre nós pensamos no trabalho, mas principalmente na contribuição social que podemos oferecer hoje. E junto em parceria com tanta porta aberta que o ministro nos propôs, eu acredito que nós podemos fazer essa parceria por um longo e duradouro tempo para vários produtos inclusive se necessário, tá?”, declarou.

Três dias depois do vídeo, o general, que já vinha pressionado por conta da maneira como conduzia a pasta, pediu demissão do cargo. A exoneração foi efetivada no dia 23.

A gravação é um dos documentos analisados pela CPI da Covid, que apura erros e fraudes na gestão da pandemia pelo governo de Jair Bolsonaro. O site da World Brands está registrado em nome da Marfim.

6 thoughts on “Empresário filmado e festejado por Pazuello já foi condenado por fraude em importação

  1. Mais uma vez, esse infeliz chamado Pazuello prova sua desonestidade. É um idiota chapado. Um governo decente e que visasse o bem estar do povo, deveria ser totalmente laico e exercido unicamente por civis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *