“Empresas” de Youssef ganharam R$ 22 milhões de empreiteiras

Wilson Lima
iG Brasília

Extratos bancários apreendidos pela Polícia Federal (PF) no âmbito da Operação Lava Jato revelam que as nove empreiteiras investigadas de participar do esquema de corrupção na Petrobras pagaram R$ 21,7 milhões para as quatro empresas comandas por Alberto Youssef. As investigações apontam que as empresas de Youssef eram empresas de fachada, utilizadas somente para o recebimento de propina das empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção revelado pela Lava Jato.

Em depoimento tomado na segunda-feira pela PF, o vice-presidente da Mendes Júnior, Sérgio Cunha Mendes, afirmou que a empresa efetuou depósitos de R$ 8 milhões às empresas GFD Investimentos LTDA e Empreiteira Rigidez como forma de pagamento de propina a Alberto Youssef e ao ex-diretor de refino e abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. Mendes disse que efetuou o pagamento para manter contratos e pagamentos, que chegavam à R$ 300 milhões, da empreiteira com a Petrobras.

Conforme os relatórios de análise da Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado (Drcor) da Polícia Federal do Paraná, foram confirmados 48 depósitos bancários entre os anos de 2009 e 2012, relacionados a contratos que as empreiteiras tinham com as empresas de Alberto Youssef. Além da Rigidez e a GFD Investimentos, os policiais federais também encontraram depósitos em favor da RCI Software e Hardware Ltda e M.O. Consultoria Comercial e Laudos Estatísticos Ltda.

LAVAGEM

As investigações apontam que os pagamentos, na realidade, eram uma forma de se “legalizar” o pagamento de propina das empreiteiras, tanto para Youssef, quanto para Paulo Roberto Costa, ex-diretor de refino e abastecimento da Petrobras. Nas investigações, os policiais suspeitam que para legalizar o recebimento da propina, as empresas de Alberto Youssef “criavam” serviços a serem tomados pelas empreiteiras. Depois disso, era formalizado um contrato entre as empreiteiras e as empresas de Youssef. Cada contrato gerava uma nota fiscal e as empreiteiras efetuavam os pagamentos nas contas de Youssef, mas sem que as empresas do doleiro efetuassem os serviços previstos nos contratos.

CONTRATO

Os contratos na área de Petróleo e Gás entre a Galvão Engenharia e a M.O. Consultoria eram um caso específico. A Galvão realizou vários contratos com a Rigidez, com teores semelhantes.

“O contrato possui o mesmo teor dos citados anteriormente, ou seja, se mostra confuso em relação aos serviços que serão contratados”, detalha o relatório da Polícia Federal sobre os pagamentos da Galvão Engenharia às empresas fantasmas de Alberto Youssef. O relatório é datado do dia 05 de novembro deste ano.

Outro contrato que chamou a atenção dos investigadores foi um firmado entre a OAS e a Rigidez para a execução de serviços de engenharia de um shopping de Maceió.

“Apesar de as empresas realizarem as formalidades legais na contratação dos serviços já citados, fica a questão de que qual seria a motivação de uma empresa do porte da OAS, a qual está presente em várias unidades da federação executando grandes obras de engenharia, desta forma, presume-se que a mesma possui corpo técnico especializado em elaboração de projetos de construção, mas, mesmo assim, terceirizou os serviços deste projeto para uma empresa que nem sequer possui quadro de funcionários, conforme consulta realizada nos sistemas Caged/Rais”, apontam os investigadores em relatório do dia 08 de outubro deste ano.

O iG manteve contato com a Galvão Engenharia e a OAS mas as empresas não enviaram resposta até o fechamento desta matéria.

9 thoughts on ““Empresas” de Youssef ganharam R$ 22 milhões de empreiteiras

  1. O que está ficando intolerável, são as opiniões de alguns, a dizer que sempre foi assim e tal e tal, blá, blá.
    Se não se começar a tentar mudar esta porcaria, o futuro realmente ficará incerto.

    O tal novo ministro da fazenda já andou expondo suas idéias, ou seja medidas “impopulares”.
    O que nos dar medo, é que no Brasil, qdo em crise está, logo aparecem os milagreiros com suas maletas de maldades.
    Sempre sobra para o trabalhador e principalmente as vítimas de sempre, os aposentados.

    Aguardemos…..

    • Ontem o reeducando José Dirceu estava dando uns bordejos em São Paulo, sem a autorização do STF. Essa quadrilha de marginais é folgada mesmo ! Tem que colocar uma tornozeleira vermelha com estrelinha dourada nos pés da cambada !

  2. BRASIL COESO CONTRA DIVISIONISMOS DA TV GLOBO

    Afinal o que quer Alexandre Garcia, impondo o rótulo da corrupção nas testas de 53 milhões de eleitores, senão a divisão do país em só duas frentes políticas como na ditadura? Por quê a TV Globo não paga logo R$ 1 bilhão que deve ao fisco? Combate à corrupção se faz denunciando corruptos e corruptores, sem exceção, como fazemos em 18 anos de ações efetivas na Internet. Não será com divisionismos que vamos passar o país a limpo, menos ainda praticando a política rasteira sugerida pelos comissários da Globo. Vejam: http://pocos10.com.br/?p=16036

    SEJAMOS COERENTES: É questionável a bifurcação do debate, com um lado defendendo cegamente o governo sob a ótica do “nunca antes na história deste país” e outro atacando ferozmente com frases como “este país vive o maior roubo de todos os tempos”. Quem se apega a esses falsos dilemas nega o mais concreto e precioso: a Constituição da República Federativa do Brasil, que só é possível fortalecer pela via democrática (ditadura nunca mais) e os partidos todos (não só dois) são instituições da democracia. O caminho da Legalidade é que deve nos motivar e unir em busca e defesa da verdade, esteja com quem estiver. Acho, francamente, que Dilma Rousseff venceu Aécio Neves porque ela se superou conseguindo a candidatura desacreditada e até desafiada pela mídia e dentro do próprio PT.

    Agora que passaram as eleições, aproveitadores e oportunistas tentam dividir a população. Na sexta-feira testemunhei uma dessas rixas que ocorrem nas redes sociais, entre pessoas que involuntariamente aplaudem esses grupos, que chegaram ao ponto de um lado decretar o fim da amizade com o outro simplesmente porque este estava defendendo seu ponto de vista favorável ao governo e, portanto, diferente do ataque raivoso da parte contrária. E como nada acontece por acaso, no mesmo dia recebi de uma amiga este link – http://jornalggn.com.br/noticia/os-filtros-invisiveis-na-internet#.VG8tUM7ovX4.facebook – e assistindo ao vídeo me convenci da existência dessa indução ao divisionismo.

    • Jornal GGN, mais um exemplo do isento jornalismo petista…..
      Em 2005, por não honrar os pagamentos mesmo após negociações da dívida, o contrato foi executado, cobrando-se do blogueiro a quantia de R$ 4,2 milhões. O banco já estava buscando bens para penhora quando ocorre o acordo judicial entre as partes.
      Pelo acordo, o devedor-executado teria sua dívida repartida em duas parcelas: uma de R$ 2,38 milhões (subcrédito A) e outra de R$ 1,9 mi (subcrédito B). Pagando a primeira, ficaria DESONERADO da segunda. Isso mesmo: R$ 1,9 milhões não precisariam ser pagos ao BNDES, banco público gerido pelo governo federal.
      Esse tal “subcrédito A”, nos termos do acordo firmado entre BNDES e Luís Nassif, poderia ser pago ATÉ O ANO DE DOIS MIL E DEZESSETE. Isso mesmo: praticamente dez anos depois da data da celebração do acordo. São 120 parcelas que, sendo pagas, eliminam a exigência do pagamento do tal “subcrédito B” e, vale reiterar, num acordo judicial firmado SEM QUALQUER GARANTIA DE BENS.
      Ainda assim, em agosto DESTE ano, o banco NOVAMENTE executou Luís Nassif, alegando o seguinte (termos da execução de número 582.00.2005.200321-5, que tramita na 17ª Vara Cível de São Paulo_____________________________________________________
      Desde terça-feira, o jornalista tem destacado em seu blog informações em defesa do protesto contra a imprensa marcado para hoje a partir das 19 horas no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo. Nassif é do conselho consultivo do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, que integra a organização do protesto, intitulado “Contra o Golpismo Midiático e em Defesa da Democracia”. Movimentos sociais de apoio ao governo, como centrais sindicais e a UNE, já manifestaram adesão ao movimento.
      A EBC informou que o jornalista foi contratado porque a legislação “prevê a dispensa de licitação para pessoas ou empresas de notória especialização”.
      Nassif fechou um novo acordo depois de ter expirado, em julho, o contrato de R$ 1,2 milhão que tinha para fazer o programa Brasilianas.
      Nassif disse que sua contratação sem licitação se deve ao fato de o contrato ter como objetivo http://fb.me/1xdQ23phL
      um “trabalho intelectual”, com “pessoas com reputação em sua área e reconhecimento público, que ajudam a reforçar a cara da emissora”. “Em relação à minha área – comentários econômicos -, há muitos e muitos anos fico entre os três jornalistas mais votados (no prêmio Comunique-se) na categoria jornalismo de economia, mídia eletrônica, além dos prêmios que recebi como jornalista de economia da mídia impressa”, afirmou.

    • Se existe algum ‘divisionismo’ é para afastar das tetas do governo esses ladrões e o enorme bando de Parasitas do Estado chupins do dinheiro público. Nesse aspecto eu quero o divisionismo, Há vagabundo que viva há mais de 30 anos da miséria alheia. Cafetões da desgraça social.

  3. Sei não…
    Continuo no outro lado do muro, revoltado, mas não em cima…

    Como sempre, a história, repetida, de que não existe almoço grátis.
    Alguém vai bancar todo esse prejuízo causado pelo PT.
    Só sei que, no fundo e no raso, vai sobrar para mim, como para vocês, também…
    .

    Longe de ser alarmista, já tem gente revoltada contra tanta corrupção e já pregando a desobediência civil… naquela base de não pago mais impostos!…
    Me lembro que a mesma coisa que aconteceu uma vez.
    Não pela corrupção, mas pelo excesso de tributos.
    Uma rebelião, comandada, na época, pelo senhor Afif Domingues, hoje deputado.

    A essência do protesto era contra o imposto de renda, contra a Receita Federal, e, no caso, a povo ignorando a Declaração do IRPF, que não seria entregue por ninguém.
    A opinião pública revoltada, demonstrava concordar, mas na hora da apresentação da Declaração, todo mundo sentou na boneca…
    “Melou” o protesto…

    De lá para cá, os brasileiros se acostumaram. Já pagamos quase meio ano só de impostos.
    Brasileiro é bonzinho, já dizia a loura americana Katia Lira…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *