Entenda como a educação pública vem sendo massacrada na Bahia

Antonio Henrique Dantas Silva

Volto ao tópico do fechamento de escolas na Bahia, estado que Jaques Wagner governou e mandou o que quis e não quis. Desde o primeiro mandato do Wagner que a educação vem sendo massacrada, agora com o seu sucessor o Rui Costa, a coisa está bem pior, uma vez que estão fechando escolas de maneira arbitrária. Em Feira de Santana, maior município baiano, foram várias as escolas fechadas, a justificativa é a falta de alunos.

Como é a metodologia deles: primeiro, põem uma diretora que vai por os pregos no caixão da escola, ou seja, a tal “gestora” pede para encerrar algumas turmas do noturno, onde estudam os mais carentes e jovens, que por necessidade de trabalho só lhes resta esta opção de cursar o turno noturno na modalidade EJA (Educação de Jovens e Adultos).

O EJA é a vítima, pois é o refúgio dos mais necessitados de instrução, que estão tentando trabalhar e estudar, com a crise tudo piorou.

SENTENÇA FINAL

Depois de encerrar as atividades de algumas turmas, que concentram a maioria dos alunos, como o os 1º, 2º e 3º anos do ensino médio, a clientela cai, e assim leva o EJA junto, uma vez que pela própria estrutura do “curso” permite que os alunos não sejam forçados a cumprirem uma carga horária das disciplinas normais. Isto posto, o número de alunos fica abaixo de 100, então vem a DIREC, agora NRE (Núcleo Regional de Educação) e dá a sentença final.

Digo isso porque é o que está acontecendo na unidade escolar onde trabalho, o Colégio Estadual Eraldo Tinoco de Melo NRE 19 (Feira de Santana). A diretora começou a pregar as tábuas do esquife do dito educandário, os professores do turno noturno fizeram campanha no rádio, foram às casas dos alunos e ex-alunos, quando tudo parecia caminhar para uma revitalização, a diretora boicota o nosso trabalho, se negando a matricular os alunos e com isso o número permanece abaixo do que o NRE exige, e eis que aparece o diretor de entidade suja e, sem mais delongas. põe fim ao turno noturno, de forma irresponsável, alegando que o Estado tem muitas despesas e não pode pagar professores para ministrar aulas a poucos alunos.

NA PODRIDÃO

Todas as tentativas de registrar queixa contra as arbitrariedades são barradas pelo diretor do Núcleo, que segue na podridão da política corrupta. Para ele, é só menos gasto para o governo baiano, enquanto isso a escola segue mambembe com uma direção centralizadora que sequer faz as prestações de contas e no momento está sem oferecer merenda escolar para os alunos, e que quando tem é pipoca e água, que os alunos ironizam ao dizer que água sabor suco de uva e pipoca sabor sanduíche.

Aquela imagem do Lula com as criancinhas sem futuro me lembra o Adolf Hitler visitando um campo de extermínio com crianças judias, só que o nosso Hitler tem sido mais eficiente que o Hitler alemão, aqui ele mata de inanição, mata de ignorância, mata lenta e silenciosamente, de forma que as ovelhas sequer percebem que estão sendo exterminadas. O governo da Bahia e seu séquito de diretores de Núcleos de Educação são os arautos desse extermínio social.

7 thoughts on “Entenda como a educação pública vem sendo massacrada na Bahia

  1. Na Bahia??????
    E no Estado agora des-governado pelo neohitler do século 21.
    Veja o que o gerardo efeagace está fazendo com as escolas do estado,
    3.000 salas de aula estão fechando no seu des-governo
    Por que será???
    Será uma nova onda da Privataria Franco-Tucana????
    Para depois dizer a linda frase francesa “. Nós sabemos governar”….

  2. Artigo muito bem escrito pelo Prof. Antonio Henrique Dantas Silva, de Feira de Santana, na Bahia, que após queixar-se às autoridades que têm a obrigação de tomar as providências, e estas lhe viram as costas ou até sabotam movimentos que chamem a atenção do público para a miserabilidade do ensino público na Bahia, faz sua queixa à população geral do Brasil, através da Tribuna da Internet. Após o governo de dois mandatos de Jacques Wagner, do PT, hoje ministro da Casa Civil da presidente Dilma Roussef e do qual o Prof. Antonio Henrique afirma que foram dois mandatos de terra arrasada, os eleitores baianos foram às urnas e Dilma Roussef foi a campeã de votos no Estado, com 61,44% dos votos baianos, exatamente 4.292.325 votos, e o vice-campeão de votos na Bahia foi precisamente o atual governador Rui Costa, também do PT, que arrebatou 54,53% dos votos válidos, exatamente 3.292.325 votos.

    Pois é ! Os brasileiros da Bahia, como os brasileiros de muitos estados da Federação (à exceção de São Paulo, creio) foram enganados mais uma vez pelo PT. O que está acontecendo com as escolas públicas da Bahia, professor Antonio Henrique, está acontecendo também nos diversos estados da Federação. Com a gastança desenfreada do governo federal em 2014, o Executivo está sem caixa para repassar dinheiro aos Estados e municípios, e a situação, infelizmente, só tende a piorar. O Estado do Rio Grande do Sul já não está conseguindo sequer pagar o salário dos professores em dia, no rastro do governo passado e perdulário de Tarso Genro, do PT. Minas Gerais já dá sinais de estar sem caixa, e o governo é do PT.

    O PT criou mais este círculo vicioso: o povo precisa de educação para não votar no PT, mas esta educação é negada pelo governo do PT, aí o povo, carente ainda de educação, torna a votar no PT. Lamento, Prof. Antonio Henrique. Eu gostaria de dar alguma sugestão construtiva ou alimentar alguma esperança, mas não vejo uma luz no fim do túnel. Mas é pertinente a sua comparação entre Lula e Hitler: as crianças e adolescentes pobres do Brasil são os novos judeus e Lula é o Hitler dessas crianças. Gostei de sua construção: “Aquela imagem do Lula com as criancinhas sem futuro me lembra o Adolf Hitler visitando um campo de extermínio com crianças judias, só que o nosso Hitler tem sido mais eficiente que o Hitler alemão, aqui ele mata de inanição, mata de ignorância, mata lenta e silenciosamente, de forma que as ovelhas sequer percebem que estão sendo exterminadas” É isso aí !

  3. Meu Deus, Feira não é só o maior município baiano, mas também tem muitas indústrias grandes. Como é que esses jovens poderão concorrer por bons empregos sem a formação? O professor, se me permite opinar, deveria levar esse crime à grande imprensa do País, pois quem sabe assim o governo da Bahia e o MEC se envergonhem e resolvam o problema dessa meninada.

  4. Enquanto o estado faz isso com suas escolas, os municípios , como é o caso de Feira de Santana, lotam seus quadros de professores com estagiários. Não que esses não sejam dignos de dar início a prática docente através dessa importante ferramenta da formação, mas também não acho justo que existam escolas com 5 professores concursados e todo o restante do quadro composto por estagiários, que recebem menos, não tem direitos trabalhistas e podem ser colocados pra fora a qualquer momento.
    Falo isso por experiência própria, leciono em uma escola municipal de Feira de Santana, que só no turno que eu trabalho tem 4 professores efetivos para o fundamental II e o restante são estagiários, que recebem cerca de 600 reais, enquanto sobram vagas para a realização de concursos, o que irá beneficiar os professores e principalmente os estudantes, que acabam sendo muitas vezes prejudicados pela descontinuidade que acontece graças as contantes trocas de professores e até mesmo pela atuação de estagiários que nem tem um professor oficial da disciplina para discutir um plano de aula.
    Nossa Pátria Educadora está de parabéns.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *