Entenda como fracassou a tentativa de Lula escapar do juiz Sérgio Moro

Resultado de imagem para lula e moro chargesFausto Macedo, Julia Affonso e Mateus Coutinho
Estadão

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, manteve decisão que negou seguimento à Reclamação (RCL) 25048, ajuizada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra decisão do juiz Sérgio Moro, da 13.ª Vara Federal de Curitiba, de manter sob sua guarda os inquéritos contra o petista. As informações foram divulgadas no site do Supremo nesta quarta-feira, dia 14, enquanto em Curitiba a força-tarefa da Lava Jato denunciava criminalmente o ex-presidente por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Sua mulher, Marisa Letícia, o presidente do Instituto Lula, o empreiteiro Léo Pinheiro e mais quatro investigados também foram denunciados.

Segundo a Procuradoria da República, Lula era o ‘comandante máximo do esquema de corrupção’ instalado na Petrobrás e em outros órgãos públicos. E agora essa denúncia será apreciada pelo juiz Sérgio Moro, embora o recurso dos advogados de Lula, após manifestação do Ministério Público, ainda tenha de ser submetido à Segunda Turma do STF. Mas são mínimas as chances de ser alterada a decisão do relator Teori Zavascki. Portanto, Lula será mesmo julgado por Moro e vai se tornar réu da Lava Jato.

“EMBARAÇAR” – Em sua decisão, Teori aceitou apenas em parte o agravo regimental interposto por Lula para reconsiderar trecho de sua decisão monocrática em que afirmou que a Reclamação teria por finalidade ’embaraçar as apurações’. No agravo regimental, os advogados pedem a reconsideração da decisão e reiteram os argumentos de usurpação da competência do STF porque Moro estaria investigando, em três inquéritos, os mesmos fatos em apuração na Corte máxima no Inquérito 3989.

Em relação ao item 6 da decisão anterior de Teori, proferida no dia 6 de setembro, os advogados de Lula sustentam que, em duas das quatro Reclamações que tramitam no STF tendo Lula como reclamante ou assistente litisconsorcial, houve deferimento de liminar, com decisão definitiva favorável a ele em uma delas, e uma terceira que ainda não foi apreciada. “Não há espaço para se afirmar que a presente reclamação seria ‘mais uma das diversas tentativas da defesa de embaraçar as apurações’”, afirmam os advogados do petista.

“INADEQUADA” – No exame do pedido, o ministro reconheceu que a expressão ‘tentativas da defesa de embaraçar as apurações’ foi inadequada, ‘no que possa ser interpretada como pejorativa ao agravante’.

Segundo Teori, o sentido da afirmação ‘deve ficar compreendido como destinado unicamente a pontuar os já reiterados pronunciamentos da Corte contrários à tese da defesa’, nas Reclamações 18875, 18930 e 20175.

“Nesse ponto, portanto, tem razão o agravante, o que, todavia, não compromete a conclusão sobre o mérito da reclamação, tal como enfrentado e decidido na decisão agravada”, concluiu o relator.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Os advogados de Lula, liderados pelo criminalista José Roberto Batochio, ex-deputado federal pelo PDT paulista, fazem o que podem, mas não há como conseguir milagres a esta altura do campeonato. As provas contra o ex-presidente são – redundantemente – por demais abundantes. (C.N.)

6 thoughts on “Entenda como fracassou a tentativa de Lula escapar do juiz Sérgio Moro

  1. Carlos Newton, o próprio procurador disse que tem provas mas não tem convicção. Não dá para entender. Na minha cabeça as provas convencem. Já pensou no exame do ENEM o aluno responde tudo certinho e o professor não se convence das respostas e o aluno toma zero? Será que só bacharel em direito entende de provas sem convicção?

  2. Newton, vou consultar advogados para saber se eu fizer denúcias espontâneas contra alguns políticos. As denúncias servirão como prova suficiente para condená-los. Se servirem, pode anotar que mostrarei minha cara denunciando muita gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *