Entenda como o governo atua diariamente para engordar os lucros dos banqueiros

Charge reproduzida do Arquivo Google

Maria Lucia Fattorelli
Site Auditoria Cidadã

As taxas de juros de mercado que os bancos cobram das indústrias, dos estabelecimentos comerciais e das pessoas físicas que precisam de crédito no Brasil são as mais elevadas do Planeta e atingem níveis inacreditáveis! Esses juros elevadíssimos impedem o financiamento de investimentos geradores de emprego e renda, inibem o empreendedorismo no país e até provocam a quebra de muitas empresas que necessitam capital de giro para financiar a sua produção, aumentando ainda mais o grave quadro de desemprego existente no país.

São poucas as empresas e pessoas dispostas a pagar as escorchantes taxas de juros que os bancos cobram no Brasil. Dessa forma, uma montanha de dinheiro deixa de ser emprestada e sobra dinheiro no caixa dos bancos: atualmente cerca de R$ 1,2 trilhão, ou seja, quase 20% do PIB!

CERTO E ERRADO – Alguém pode deduzir que deixar de emprestar essa montanha de dinheiro provocaria grandes prejuízos aos bancos, que tenderiam então a reduzir as taxas de juros cobradas da população, para não ficar com todo esse dinheiro parado em caixa, certo?

Errado! O Banco Central não deixa isso acontecer! O Banco Central aceita toda essa sobra de caixa dos bancos e, em troca, entrega a eles títulos da dívida pública. Na medida em que os bancos detêm os títulos, eles passam a ter o direito de receber remuneração por isso.

Essa montanha de recursos, equivalente a quase 20% do PIB, fica esterilizada no Banco Central, amarra a economia do país, gera “dívida pública” sem contrapartida alguma, e, ainda por cima, gera despesa diária com a sua remuneração aos bancos!

ALTÍSSIMO CUSTO – Esse tipo de operação vem superando a marca de R$ 1 trilhão desde 2016, e nos últimos 4 anos custou quase meio trilhão de reais aos cofres públicos, conforme balanços publicados pelo Banco Central (de 2014 a 2017, essa remuneração da sobra de caixa dos bancos consumiu R$ 449 bilhões).

Assim, além de instituir cenário de profunda escassez de recursos financeiros, acirrando a elevação das taxas de juros de mercado para patamares indecentes, impedindo o financiamento de atividades produtivas geradoras de emprego e renda, essa operação tem custado muito caro para a sociedade brasileira.

O mais grave é que não existe fundamento legal para esse tipo de operação. O Banco Central tem utilizado indevidamente as “Operações Compromissadas”, que foram criadas para controlar o volume de moeda em circulação e, teoricamente, a inflação.

SEM INFLAÇÃO – Em 2017, por exemplo, a inflação caiu para perto de zero e o IGP-M calculado pela FGV foi negativo, ou seja, não se justificaria esterilizar, de forma tão onerosa, essa montanha de recursos “para controlar a inflação”. No entanto, o volume dessas operações aumentou em 2017, atingindo o patamar mais elevado da série em outubro: R$ 1,23 trilhão, o que desmascara completamente o argumento de utilização das Operações Compromissadas para controle inflacionário.

Diante dessa flagrante ilegalidade, denunciada pela Auditoria Cidadã da Dívida, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, enviou ao Congresso Nacional o projeto de lei – PL 9.248/2017 na Câmara dos Deputados – que visa legalizar essa remuneração da sobra de caixa dos bancos por meio da criação de “Depósito Voluntário Remunerado”, de tal forma que os bancos irão depositar sua sobra no Banco Central e este continuará remunerando diariamente os recursos parados, mas já com base na lei “encomendada”.

25 thoughts on “Entenda como o governo atua diariamente para engordar os lucros dos banqueiros

  1. É só perguntar para os jornalistas da globo. Eles saberão explicar tudo sobre qualquer assunto tratado no governo.
    Afinal eles grampearam os telefones do Planalto. A conversinha gravada entre o Onix e Bolsonaro é prova cabal. Só ingênuos ou malintencionados acreditam em conversa acidental simultânea entre globo, ônix e Bolsonaro.

  2. O Globo tenta deter a sangria de assinaturas e Telemarket menti dizendo que colunistas famosos vão amaciar contra Jair Bolsonaro.

    Depois que áudio da atendente vasa tenta consertar o escândalo dizendo que os colunistas são independentes.

    Como previ ontem o fim se avizinha para a mídia terrorista e marrom.

    Ouçam e vejam:

    https://twitter.com/i/status/1098272911188807680

    https://oglobo.globo.com/brasil/o-globo-esclarece-que-nao-fez-reuniao-para-alterar-linha-editorial-colunistas-sao-independentes-23467099

    Tadinhos que peninha!

  3. O juros são altos no Brasil devido ao estado.
    Os títulos públicos, emitidos do governo, utilizados para o financiamento da “máquina estatal” possuem risco muito baixo de inadimplência e pagam gordos dividendos. Qualquer investidor procura o maior retorno com o menor risco. O estado/governo brasileiro proporciona o melhor dos dois mundos para os banqueiros, que se servem deste banquete. A pergunta é: a culpa é do banqueiro? ou a culpa é do estado, gigante por natureza, que não satisfeito com a extorsão dos cidadãos comuns via impostos cria dívida para o auto-financiamento.
    O estado com este modus operandi cria distorção do mercado de capitais, elevando o juros básico da economia e obrigando o setor produtivo a pagar juros maiores do que a taxa selic para o financiamento de atividades produtivas.
    O estado é o grande gerador, a grande fonte de toda a distorção da atividade produtiva do país.
    Ou reduzimos o problema ou continuaremos na mesmice de sempre.

  4. Complementando o raciocínio do artigo: somente a título de exemplo, o dinheiro que fica guardado nos bancos são remunerados pelo Bacen diariamente. Por isso, geralmente não tem dinheiro nos caixas eletrônicos nos fins de semana. É que o dinheiro que fica nesses caixas, à disposição dos clientes, os bancos não ganham juros sobre eles. Mas o dinheiro que sobra, que não são emprestados aos clientes, os bancos ganham juros diariamente do BC. Sem esfôrço nenhum. Assim não há tatu que aguente.

  5. Deixa eu ver se entendi, o governo pega 1,2 trilhões emprestado para não usar em porcaria nenhuma.

    A discussão da reforma da previdência no congresso tem de ter a participação da Maria Lucia Fattorelli.

    • “Deixa eu ver se entendi, o governo pega 1,2 trilhões emprestado para não usar em porcaria nenhuma.”

      E você acreditou?

      O governo vende titulo público para se financiar, e para continuar vendendo títulos para futuro tem que garantir a compra dos títulos passado; ou seja, todo os dias o governo compra e vende seus próprios títulos, garantindo a liquidez e confiança para conseguir continuar se endividando. No dia que as pessoas desconfiarem da capacidade do governo em pagar suas dívidas(comprar o titulo), ninguém comprará novos títulos.

      Dessa forma, os bancos pegam seu dinheiro que está parado na conta a espera de clientes e compra títulos do governo, e claro sendo remunerado por isso, até que apareça um cliente e o dinheiro seja emprestado a taxas maiores.

    • Esta é a causa mater, e ninguém fala. Quando o capo aparecia arrotando que tinha pago a dívida externa do Brasil, estes mesmos economistas se calaram e não denunciaram a manobra que beneficiou os banqueiros como nuncadantes. Trocar um dívida de 1% pelos juros selic de mais de 10% é o que? I

  6. Uma boa forma de media o quanto os governos abrem as pernas para o sistema financeiro é ver como combateram o chamado rentismo. A poupança que no Brasil, valeu por anos, como forma de garantir a este país de distorções colossais, uma pequena proteção a renda do assalariado, hoje caiu quase a zero. Os bancos investem, lucram, os governos recebem seus impostos, só poupador, o cliente sai perdendo. Este pode conseguir alguma coisa dos lucros que seu dinheiro deu aos bancos pegando emprestado, só que irá pagar pouco menos em juros e correções, o que pagaria a qualquer agiota nas ruas.

  7. Caso o modelo de capitalização seja um dos incluídos na reforma da Previdência, apresentada ao Congresso Nacional pelo presidente Jair Bolsonaro, a alteração terá de conter a contribuição patronal, no enfoque do PDT. A sigla brizolista pode ocupar a presidência da Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) da Câmara e já rechaça o modelo chileno, que só conta com o aporte do trabalhador. https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2019/02/20/interna_politica,738606/pdt-cobra-contribuicao-patronal-para-defender-a-reforma-da-previdencia.shtml

    Eu avisava na campanha, essa direita golpista não é flor que se queire, mas também não acho que o caminho seja embarcar em canoas golpistas cujos condutores já tramam para substituir Bolsonaro por Mourão. A solução para o impasse deve ser política, não com outra ruptura institucional porque está claro perante a história que isto nunca resolveu para melhor a situação. As cúpulas que se entendam de forma transparente e não no sub imundo dos bastidores, de nada adianta tramar, essas trapaças acabam vindo à tona. É preciso abrir a caixa preta desse governo que mal começou. Vaza novo áudio de Bolsonaro, vejam: “Se Bebianno me cobrar individualmente o mínimo, eu tô f… Tem que vender uma casa minha para poder pagar…” https://www.facebook.com/ErikaKokay/videos/vb.257453204279241/1063777780496616/?type=2&theater

  8. Alguém tem que dá o murro na cadeira e dizer: Não dá mais, chega! Senhor presidente a Nação não aguenta mais essa roubalheira que o Senhor acredita em tapar o sol com a peneira com a reforma da Previdência. Ou pedir desculpa à Nação por ter criticado antes a reforma e agora caiu na real. Fala sério! Quem mais precisa fazer reforma neste País, pois FHC, LULA E DILMA fizeram e agora o Senhor também quer fazer usando o mesmo argumento. E essa dinheirama que fica no Banco Central sem gerar um centavo de lucro para Nação, no entanto bilhões saem dos cofres públicos para pagar juros por esse dinheiro. Agora quero ver alguém dizer: E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

    João 8:32

  9. Me desculpe a ignorância, mas quando foi que

    “O governo Lula trocou a dívida externa por títulos em real fazendo o Brasil refém do sistema financeiro nacional turbinado por um histórico de juros altos.
    Impagável. ” ?

    Que seja do meu conhecimento, o Brasil recebeu cerca de US$ 40 bilhões do FMI para aplacar a crise cambial do final de 98 e início de 99, e o Lula pagou essa dívida integralmente, tendo o Brasil, inclusive, obtido o grau de investimento durante seu segundo mandato. O link abaixo corrobora plenamente a minha afirmação.

    http://noticias.uol.com.br/economia/ultnot/2006/01/10/ult1767u58456.jhtm

  10. E pior, em tempos de crises, que são comuns, o BC coloca os juros lá em cima e , claro, os banqueiros investem pesados nesses títulos. Se a finalidade é retirar dinheiro do mercado no caso de inflação, basta aumentar o percentual de dinheiro dos bancos no BC, isso retira o dinheiro de circulação a juros mínimos. Mas, tudo é feito para garantir os lucros desses vampiros.

  11. Se isso não for crime contra a Soberania Nacional, como tipificar?

    Cadê o Ministério Público Federal?
    Cadê a Polícia Federal?
    Cadê a ESG?

    Imagina quando derem a independência formal ao BC, tão desejada por banqueiros.

    Este lugar está deixando de ser uma Nação. Progressivamente voltando a ser um Buraco de moer gentes e de extração de riquezas para as Metrópoles..

    E os Agentes do Estado se tornando ou Feitores, ou Capitães do Mato.

    É difícil, muito difícil mesmo ser Brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *