Entre os 443 acusados pela “Farra das Passagens” há sete ministros de Temer

Resultado de imagem para FARRA DAS PASSAGENS charges

Charge do Liberati (liberatinews / youpode)

Julia Affonso, Mateus Coutinho e Fausto Macedo
Estadão

Relatório da Procuradoria Regional da República da 1.ª Região aponta que 443 ex-deputados gastaram R$ 25 milhões na ‘Farra das Passagens’. No total, estão incluídos valores desembolsados com as tarifas dos bilhetes e com a taxa de embarque. Foi em 2009 que ficou conhecida como ‘Farra das Passagens’ a revelação de que deputados e senadores usavam recursos do Congresso para pagar passagens para amigos e familiares viajarem no Brasil e no exterior. Na época, o presidente da Câmara era Michel Temer (PMDB), hoje presidente da República e constam da lista sete de seus ministros.

Na relação de 443 ex-parlamentares denunciados, estão o secretário do Programa de Parcerias de Investimentos do governo Temer, Moreira Franco, o prefeito reeleito de Salvador, ACM Neto (DEM), o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (Turismo/Governo Temer) e os ex-deputados Antonio Palocci (PT) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) – ambos presos na Operação Lava Jato.

DUAS INVESTIGAÇÕES – A planilha da ‘Farra das Passagens’, feita pela Procuradoria, é dividida em cinco colunas com nome, quantidade de passagens, tarifas, taxa de embarque e o número da denúncia criminal contra cada um.

Na sexta-feira, 4, em outra frente de investigação, a Procuradoria enviou ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a lista de 219 políticos que teriam feito ‘uso indevido’ de recursos públicos no caso da ‘Farra das Passagens’.

FORO PRIVILEGIADO – O documento cita nominalmente deputados, senadores, ministros do Tribunal de Contas da União e governadores – políticos que detêm foro privilegiado perante o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

As investigações apuraram os gastos com viagens no período de janeiro de 2007 a fevereiro de 2009.

As denúncias aguardam a manifestação do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1). Os denunciados são acusados de peculato, incidindo na prática do crime do artigo 312 do Código Penal, por ‘terem desviado, em proveito de terceiros, valores de que tinham a posse em razão do cargo’. A pena para o delito é de reclusão de dois a doze anos, mais multa.

 

31 thoughts on “Entre os 443 acusados pela “Farra das Passagens” há sete ministros de Temer

  1. “PROPINA PARA ASSESSOR DE TEMER (O Antagonista)

    Brasil 05.11.16 10:20
    A reportagem de Veja sobre a corrupção nos estádios da Copa diz que a Andrade Gutierrez negociou o pagamento de 1% de propina na obra do Mané Garrincha.

    A negociata foi iniciada com José Roberto Arruda e herdada por Agnelo Queiroz e Tadeu Filippelli, hoje assessor especial de Michel Temer. A obra custou R$ 1,4 bilhão – 87% acima do preço original.

    “O então vice de Agnelo, Tadeu Filippelli, também solicitou à Andrade Gutierrez pagamento de propina via doações de campanha em favor do PMDB na ordem de 1% do valor do estádio”, disse Clovis Renato Primo, ex-diretor da empreiteira, em delação premiada.”

  2. Farra das passagens, farra com notas falsas de combustível, farra com os contratos com empreiteiras, farra com os empréstimos consignados, farra com a merenda escolar, farra com a saúde, farra com a segurança, farra com a educação, farra com a contratação de aspones, farra com as indenizações pessoais, farra disto e daquilo, o Congresso Nacional, Assembleias e Câmaras Municipais são exemplos e modelos de farras memoráveis!

    Em contrapartida, de modo a compensar tanta alegria com o dinheiro público, gasto de forma perdulária e criminosa, um povo que sofre as agruras do desemprego, inflação, recessão econômica, juros extorsivos, e que será mais penalizado ainda do que tem sido, por conta que muitos estados da Federação estão falidos, então o povo é convocado para pagar as contas de governantes irresponsáveis e incompetentes, desonestos e corruptos!

    O Palácio do Forró, vulgo congresso, tem festivais diariamente, enaltecido e conhecido pelo fornecimento gratuito de comida e bebida aos farristas e convidados, passagens aéreas para irem e virem aos bailes, e combustível à vontade para deixarem seus familiares passeando com dinheiro do povo em suas localidades, cobrando depois do erário as despesas estabelecidas como “manutenção da função parlamentar”.

    Calígula e seus bacanais seriam uma espécie de festinhas de jardins de infâncias, se comparados aos do Congresso Nacional, onde não só a exploração sexual está presente – comentários dão conta que o ex-presidente Cunha teria uma lista de parlamentares envolvidos -, bebedeiras, comilanças, como a participação dos comensais gera grossos dividendos, salários espetaculares e corrupção desmedida, que aumentam poderosamente os prêmios abiscoitados!

    O povo dança em um pé só, tentando se equilibrar na corda bamba de uma subsistência sem dinheiro, sem emprego, em um ritmo alucinante de vai e vem e de um lado para outro, para não despencar da corda esticada alta do solo, e evitar se quebrar ou perder a vida.

    E porque entendem os parlamentares e governantes que tal sofrimento é diversão, atribuem aos equilibristas mais impostos, pois de onde que se descobriu que o povo pode se divertir?!

    Enquanto não os fizermos pular à base de socos e pontapés, alguns tiros e pauladas, continuaremos a patrocinar as farras diárias, a compensar com o nosso trabalho – daqueles que estão empregados – os danos e prejuízos que os ladrões dos políticos ocasionam, pois estamos seguindo céleres para a miséria absoluta, na razão inversamente proporcional do quanto os farristas enriquecem e participam de farras indescritíveis!

    Precisamos instituir para os parlamentares a Farra das Passagens somente de ida … para o INFERNO!

    Candidato-me para entregá-las.
    Tenho comigo mais voluntários?

  3. “Farra das passagens, farra com notas falsas de combustível, farra com os contratos com empreiteiras, farra com os empréstimos consignados, farra com a merenda escolar, farra com a saúde, farra com a segurança, farra com a educação, farra com a contratação de aspones, farra com as indenizações pessoais, farra disto e daquilo, o Congresso Nacional, Assembleias e Câmaras Municipais são exemplos e modelos de farras memoráveis!””””

    Por falar em farras, ontem nossos grandíssimos Vereadores Filhos de umas Pátrias da Câmara Municipal de São Paulo nos “presentou”, após as eleições há poucos dias quando se fecharam as Urnas Eletrônicas da “festa da Democracia no Páis”…….
    Vejam como eles adoram o povo que lhes deram mais quatro anos de Mandato para “cuidar ” da Cidade Mais Rica do Brasil…..

    http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2016/11/04/camara-deve-subir-salarios-de-doria-e-vereadores.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *