Epidemiologista da Fiocruz confirma segunda onda em Manaus e propõe um novo lockdown

Fiocruz afirma que Manaus vive segunda onda da Covid-19 e propõe lockdown  para conter avanço do vírus | Amazonas | G1

Jsem Orellana afirma que os indicam a segunda onda

Deu no G1 AM

Pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aponta que Manaus vive uma segunda onda de casos da Covid-19. O epidemiologista e autor do estudo, Jesem Orellana, propõe a adoção de lockdown para conter a circulação do vírus. O Governo do Estado determinou, desde a sexta-feira (25), o fechamento de bares e casas noturnas após constatação de aumento de infecções.

Manaus tem 49.237 pessoas infectadas e 2.487 mortes pelo novo coronavírus desde o início da pandemia e começou a flexibilizar o isolamento social em junho, quando houve uma redução dos casos. A capital foi a primeira capital a registrar colapso no sistema de saúde e funerário, entre abril e maio.

NOVAS RESTRIÇÕES – Quatro meses após flexibilização, o governo do Amazonas volta a adotar restrições contra Covid-19. Em entrevista à Globonews, neste sábado (26), o pesquisador cita um “aumento sustentável da incidência ou de casos novos de síndromes respiratória aguda grave em Manaus há mais de quatro semanas”.

“É indubitável que estamos em uma segunda onda em Manaus, que estamos tendo um elevando número de hospitalizações por casos graves de síndromes respiratória aguda grave. Esse tipo de cenário epidemiológico em que se tem a Prefeitura aumentando os atendimentos nas unidades básicas de saúde, você tem o governo do estado aumentando o número de leitos para internação por casos suspeitos e confirmados de covid-19, é completamente incompatível com a tese de que temos imunidade de rebanho”, disse.

AUMENTO CONFIRMADO – De acordo com o governo, a Vigilância Epidemiológica do estado confirma tendência de aumento de casos de Covid-19 nas últimas semanas devido, principalmente, a aglomerações e a realização de festas clandestinas.

Em média, o Amazonas confirmou 7 novas mortes por dia na última semana – uma variação de 6% em relação à média de 14 dias antes.

Em razão da situação, o Governo voltou a decretar o fechamento de bares e balneários, que haviam sido autorizados a reabrir em julho. Entre outras medidas determinadas está a redução no horário de funcionamento de restaurantes e lojas de conveniência, até as 22h. As restrições valem por 30 dias.

MAIS LEITOS ABERTOS – Também foi anunciado aumento do número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ofertados no Hospital Delphina Aziz, referência no tratamento de Covid-19 e outras Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAGs). O Instituto de Saúde da Criança do Amazonas (Icam) foi definido como referência para o atendimento infantil da doença.

Para o pesquisador, as restrições anunciadas são insuficientes para conter a circulação do vírus na cidade. Ele defende lockdown em toda a cidade pelo período de 14 dias.

“Para você conseguir conter a circulação do vírus não há outra solução que não seja o lockdown e o lockdown rigoroso em que você consiga fazer você consiga fazer uma fiscalização efetiva da mobilidade intermunicipal, tanto da parte de transporte transporte coletivo quanto do transporte privado das pessoas. reduzir os horários de restaurantes, de bares e proibir eventos públicos você não consegue reduzir com esse tipo de estratégia significativa a circulação viral, na verdade o que se faz é desacelerar a propagação”, afirmou.

VEJA AS ESTATÍSTICAS – Até a última sexta-feira (25), 323 pacientes estavam internados em Manaus, sendo 212 em leitos clínicos (86 na rede privada e 126 na rede pública), 107 em UTI (47 na rede privada e 60 na rede pública).

A taxa de ocupação na rede privada é de 70,93% em leitos de UTI e 42,81% em leitos clínicos. Já na rede pública, a ocupação de leitos UTI chega 72,53% e 68,49% em leitos clínicos.

A primeira onda de casos da Covid-19 ocorreu nos meses de abril e maio, quando o sistema público de saúde entrou em colapso, com quase 100% de ocupação. A capital amazonense acabou sofrendo colapso, também, no sistema funerário e o número de mortes ficou 108% acima da média histórica.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O governo do estado nega que o Amazonas já esteja vivendo uma segunda onda da doença. Mas admite informou que os dados apontam uma alta na média móvel de internações pela doença após meses de queda, notem a contradição oficial. (C.N.)

6 thoughts on “Epidemiologista da Fiocruz confirma segunda onda em Manaus e propõe um novo lockdown

  1. Juiz condena militares por esquema com desvio de alimentos e prostitutas.

    Um conluio entre oficiais e praças do Exército e empresários do ramo da alimentação, investigado pela Polícia Federal, começou a ser destrinchado pela Justiça após quase 15 anos.

    O esquema, segundo as denúncias do Ministério Público Militar, tinha como base pagamentos de propina dos empresários a militares a fim de receber vantagens nos processos de licitação do Exército para compra de alimentos, além de fraudes nos editais e superfaturamentos de compras.

    As ligações [interceptadas] demonstram que o contato de B. e C. [capitães do Exército] era tão estreito com J.L. [empresário] que este último contratou prostitutas e promoveu uma festa em um motel de Manaus para os referidos Oficiais Alexandre Augusto Quintas, juiz federal substituto.

    https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2020/07/21/esquema-corrupto-no-exercito-tem-festa-com-prostitutas-e-desvio-de-alimento.htm

    PURGA JÁ!

  2. Mamatocracia: Ministro do Superior Tribunal Militar ganhou R$ 671,9 mil ao se aposentar

    O Almirante de Esquadra Álvaro Luiz Pinto, ministro do STM (Superior Tribunal Militar), recebeu R$ 671,9 mil em junho, a título de licença-prêmio na aposentadoria.

    O fato foi revelado nesta terça-feira (22) pela FolhaJus, newsletter semanal da Folha sobre o universo jurídico.

    O valor surpreendeu magistrados e membros do Ministério Público consultados pelo Blog.

    O STM atuou sem transparência.

    Há exatamente três meses, o tribunal não quis confirmar –ou negar– informação anônima de um leitor de que o ministro receberia R$ 990 mil.

    Consultado se a dúvida do leitor era procedente, a assessoria de imprensa do STM informou: “Amanhã teremos uma resposta“.

    Três dias depois: “[A consulta] já está com o ministro-presidente para despacho”.

    Uma semana depois: “Ainda não foi despachado”.

    Uma semana e um dia depois: “Tem como você me passar um e-mail cobrando a demanda?”

    Nas semanas seguintes, não foi possível localizar no site do STM o valor efetivamente recebido pelo almirante. Voltamos a consultar o STM neste final de semana. O tribunal não se manifestou até a conclusão deste post.
    (…)
    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/mamatocracia-ministro-do-superior-tribunal-militar-ganhou-r-6719-mil-ao-se-aposentar/

    Purga já nas FFAA!

  3. O que ocorre agora em Manaus ocorrerá no Rio e em São Paulo, dentro de algumas semanas. Anotem aí. Afinal as populações dessas duas megacidades já estão abandonando os NECESSÁRIOS cuidados preventivos à infecção, inspirados em Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *