Era só o que faltava: sindicatos também querem pegar carona no movimento das ruas

Carlos Newton

Sob a alegação de que está “acostumado a ocupar ruas e espaços públicos, em seus protestos”, o movimento sindical anuncia que passará a se integrar aos grandes atos em São Paulo e outras cidades.

Nesta sexta (21), o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo (filiado à Força Sindical) realiza manifestação com trabalhadores de várias metalúrgicas da capital, em solidariedade ao movimento “Passe Livre”. Será a partir das 8 horas, na Avenida Arno, 146, na Mooca.

A direção do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Região alega que foi “procurada por um jovem líder das manifestações”,  e então também decidiu “participar de atos no ABC, levando para as mobilizações palavras de ordem sindicaleiras, como fim do Fator Previdenciário e jornada de 40 horas”.

Miguel Torres, líder dos Metalúrgicos de São Paulo, argumenta que “os trabalhadores também reivindicam transporte de qualidade, redução da tarifa e melhoria da mobilidade na cidade”.

O próprio presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM/CUT), Paulo Cayres, informa haver orientado as entidades filiadas a se integrar às mobilizações. Ele diz: “Acho que o povo está certo. Numa democracia tem de ser assim. Só não gosto da falta de liderança”.

É claro que isso não vai dar certo. Da mesma forma que aconteceu esta quinta-feira, com o repúdio dos manifestantes e os desentendimentos com militantes do PT e da CUT que se infiltraram nas manifestações, os líderes sindicais também serão repelidos, podem apostar.

E o Sindicato de Lula, em São Bernardo? Dizer que a direção da entidade foi “procurada por um jovem líder das manifestações” deve ser considerado a piada do ano.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

26 thoughts on “Era só o que faltava: sindicatos também querem pegar carona no movimento das ruas

  1. ALERTA MÁXIMO. DENÚNCIA. Urge conter o vandalismo dos gollpistas-ditatoriais, nazi-fascistas, e mercenários à soldo, que estão atuando infiltrados no movimento popular, usando o povo como inocente útil, com segundas intenções gollpistas. Os gollpistas-ditatoriais, nazi-fascistas, e mercenários à soldo, estão, infelizmente, infiltrados no MPL e se não forem contidos em tempo vão acabar destruindo outra vez o nosso Sonho e Esperança do Novo Brasil de Verdade, assim como estão impedindo, sabotando, obstruindo e destruindo o debate livre e democrático de idéias nos sites livres da Internet. Os brucutus violentos, psicóticos, reacionários, e mercenários à soldo, estão fazendo nas ruas, infiltrados no movimento, o que há anos fazem na Internet: deturpam, sabotam , vandalizam e até impedem a liberdade de expressão, destroem o debate livre e democrático e até mesmo os sites livres.

  2. As evidências são de que não temos presidente.
    Tem um marketeiro e um cidadão que não quer
    largar o osso, dando ordens e impondo os
    seus pontos de vista.
    A estratégias estão se mostrando ineficazes.

  3. Atenção, nova tática para acabar com as manifestações. Estão reduzindo o número dos ônibus para as pessoas não poderem voltar para casa!! As pessoas estão ficando ilhadas no RIO DE JANEIRO E AGORA TEM GENTE NA FRENTE DO PALÁCIO DA GUANABARA!
    POLÍCIA E HELICÓPTEROS PARA TODOS OS LADOS!!!

  4. FORA DILMA… O “POSTE” DEU ERRADO.
    Nós estamos cansados da traição dos partidos políticos, não existe nenhum programa nesses partidos, cujo objetivo principal é roubarem. Esse PT é uma vergonha todos são corruptos, traidores. Esse LULADRÃO TARADÃO era pra ser PRESO, mas o povo ainda vai pegá-lo é questão de tempo. Zé Dirceu, Genoíno, João Paulo Cunha, José Guimarães o dos dólares na cueca, lembram? são a representação, desse PT CORRUPTO, vejam o que aconteceu com o Celso Daniel e o Toinho do PT. Um dia eles vão pagar não resta dúvida. Aqui no Brasil não existe democracia, é só ver a questão da apreciação dos VETOS PRESIDENCIAIS, mais de 3.000 vetos e esses políticos pensando que o povo é BURRO. O FATOR PREVIDENCIÁRIO outro assalto aos trabalhadores há mais de dez anos esse PT é governo e o LULADRÃO TARADÃO ainda teve a ousadia de VETAR O PROJETO QUE ACABARIA com essa excrecência. A imprensa brasileira também é toda ela cooptada pelo GOVERNO CORRUPTO, essa REDE GLOBO lembram do Jornal Nacional do Willer Bonner com o LULADRÃO TARADÃO depois das ELEIÇÕES DE 2002? REDE GLOBO FACISTA, após puxar o saco de qualquer governo que está no poder, só fala em FUTEBOL, NOVELA, BBB, GAY, DANIELA MERCURY, IVETE SANGALO, FAUSTÃO, GALVÃO BUENO UNS VERDADEIROS ignorantes ludibriando o povo, é obvio que isso não pode durar uma ETERNIDADE, parece que as coisas estão começando a mudar. Temos que acabar com esses, SENADORES E DEPUTADOS FEDERAIS, vagabundos que só trabalham TRÊS DIAS NA SEMANA, traidores, corruptos, isso tem que ACABAR URGENTEMENTE, o povo não aguenta mais tanto desmando.

  5. Acho que esse vandalismo infiltrado nas manifestações é mais uma articulação do PT e do PMDB para implodir o movimento.
    Esse jogo sujo é a cara do PT.
    Cadê as autoridades políticas? Parece que o País está sendo governado nas ruas pela população.

  6. A presidanta está sendo submetida a um processo de desmoralização nunca visto antes neste país!
    Os partidários de nosso mui amado e eterno lider molusco regozijam-se jubilantes: sua candidatura já está mais que fundamentada – só elle consegue segurar as massas, as rosas!
    Agora ninguem impede o mollusco de subir a rampa, de novo!
    Pelo menos elle pensa assim.
    Tancredo tambem.

  7. Jingle que virou trilha sonora dos protestos.

    VAMO PRA RUA

    Compositor: Henrique Ruiz Nicolau

    Intérprete: Falcão do Rappa

    Vem vamos pra rua
    Pode vir que a festa é sua
    Que o Brasil vai tá gigante
    Grande como nunca se viu

    Vem vamos com a gente
    Vem torcer, bola pra frente
    Sai de casa, vem pra rua
    Pra maior arquibancada do Brasil

    Ooooh
    Vem pra rua
    Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

    Ooooh
    Vem pra rua
    Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

    Se essa rua fosse minha
    Eu mandava ladrilhar
    Tudo em verde e amarelo
    Só pra ver o Brasil inteiro passar

    Ooooh

    Vem pra rua
    Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

    Ooooh

    Vem pra rua
    Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

    Ooooh

    Vem pra rua
    Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

    Vem pra rua!
    Vem pra rua!
    Vem pra rua!
    Vem pra rua!

    Vem vamos pra rua
    Pode vir que a festa é sua
    Que o Brasil vai tá gigante
    Grande como nunca se viu

    Vem vamos com a gente
    Vem torcer, bola pra frente
    Sai de casa, vem pra rua
    Pra maior arquibancada do Brasil

    Ooooh
    Vem pra rua
    Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

    Ooooh
    Vem pra rua
    Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

    Ooooh
    Vem pra rua
    Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

  8. Peço encarecidamente que a prefeitura do Rio de Janeiro coloque todas as terças e quintas, banheiro químico para o público da manifestação, na altura da Candelária e Rio Branco!! Agradeço!! Desculpa o incomodo estamos tentando mudar o Brasil!!

  9. Só se for no ABC no Rio de Janeiro e São Paulo sindicato vai ser extinto, não pode nem protestar que passa risco de vida!! Alguém viu a UNE ai?? Os manifestantes na Candelária gostaria de dar as boas vindas a mesma dada para CUT!!

  10. Nossas cores sao, foram e sempre serao:

    V-E-R-D-E

    A-M-A-R-E-L-O

    A-Z-U-L

    B-R-A-N-C-O.

    Nao existe a cor vermelha em nossa LINDA BANDEIRA.

    Fora com o vermelho.

    Estou vislumbrando uma outra surra MONUMENTAL nos vermelhos.

  11. Sindicatos e partidos politicos tem que ficar fora do movimento, eatão “mamando” nas “tetas” do povo brasileiro há anos. Querem se infiltrar para enfraquecer o movimento. Está chegando a hora da verdade. ROBSON FUMASSA NITEROI

  12. Sindicatos, CUT e adjacências, são ninhos de de “pelegos”, que manipulam milhões em “desfavor ao trabalhador, que lhe dá compulsoriamente um “dia de salário anual”, para ser sacaneado nos 365 dias. Quando se aposenta, perde seu padrão de vida, com perda imediata e através do tempo, se descontou 5 SMM, no fim de 4 anos chega a 1 SMM. Aí a pergunta: os estão as Centrais e Sindicatos!???; querem pegar carona nesse movimento pacífico de indignação pela corrupção desenfreada que grassa no País. “Porque nesses anos,de governo civil, ficaram mamando e continuam a mamar nas tetas do governo e no bolso do trabalhador, não protestaram, mostrando indignação pelo “Oceano de lama” em que estamos mergulhado.
    Parabéns ao Lideres pacíficos das passeatas, e aos participantes, aos baderneiros, FÓRA!.
    DEMOCRACIA SOCRATIANA: GOVERNO DO POVO PARA O POVO, NÃO TEMOS, TEMOS DEMOCRADURA.
    Lembro aos Lideres e participantes: GANDHI, libertou sua Pátria, a ÍNDIA,do domínio da Inglaterra e seus canhões, praticando o AMOR UNIVERSAL por seu semelhante.
    Indignação pacifica, SIM, vandalismo, NÃO.

  13. A presença de sindicatos e partidos não é ilegítima, senhor Carlos Newton. Que vergonha esta sua postura! Foi por estas e outras, que após 1964, Lacerda quebrou a cara!
    Embora as representações sindicais e partidárias estejam em crise, elas são sim, pela sua diversidade, a salvaguarda da democracia. E tem sim, o direito à manifestação.
    É pela ausência deles que muitos participantes das manifestações, quando entrevistados, só conseguem falar frases feitas (trechos do Hino Nacional ou refrões da Legião Urbana). Um militante político, de qualquer matiz, pelo contrário, vem com o discurso curtido e forjado no debate. Ele conhece através de seu viés partidário o que deseja derrubar e o que quer construir. A chamada de seu artigo é digna de um blog fascista, não de um blog democrático.
    Ao invés de questionar a participação de sindicatos, questione a virada de pensamento da Globo, da Veja e da Folha em relação às passeatas. Questione por que a Globo não coloca seus repórteres lá em baixo, com o microfone identificado, no olho do furacão, para entrevistar os manifestantes.
    Todo o mundo sabe, que quando se fala: “-sem partido!”, os alvos são os partidos progressistas populares, pois em manifestações de massa, ninguém vê bandeiras do PSDB e do DEM.

  14. Walter, terei que discordar de ti.

    As manifestações dos partidos são válidas sim, porém quando por eles mesmas iniciadas.

    Esses protestos não foram iniciados por partidos, sendo assim não é DECENTE querer pegar carona para imputar as causas que lhe convém.

    Querem fazer manifestações? Que façam em outros lugares! Podem até nos convidar, quem sabe iremos?

    Porém não queiram PARASITAR a energia desses jovens que estão mudando a ordem comum das coisas.

  15. Só esporadicamente me manifestarei nesse espaço, que parecia democrático. Cansei de ver esbirros do autoritarismo, paus mandados e viúvas da Ditadura milico-servil se expressando livremente enquanto a moderação do blog apagava comentário meu, desnecessariamente.

    Walter Martins exprimiu muito bem uma visão política correta, democrática. Nada mais estúpido e fascista que, em nome de uma indignação legítima – a luta pela autodeterminação popular, a luta contra a corrupção e a exploração pelo CAPITALismo selvagem (e existe CAPITALismo que não seja selvagem?!) -, que a liberdade de expressão seja tolhida de forma autoritária, antidemocrática, violenta.

    Os ovos da Serpente, expelidos pela cloaca do autoritarismo milico-servil, encontram terreno fértil na despolitização e corrupção plantada e cultivada de 1964 até a presente data.

    Um abraço fraterno, Walter Martins.

    João Batista de Oliveira Filho

  16. Olhar distorcido de uma mídia caipira
    21/06/2013

    Enquanto a imprensa internacional destaca a crise política no Brasil, provocada pelas manifestações de rua, o descontentamento com o desperdício de dinheiro público, os péssimos serviços públicos, a grande mídia caipira dá importância aos confrontos, provocados pela polícia, procurando criminalizar o movimento.

    Em todas as manifestações, das grandes metrópoles às cidades pequenas, a população se dirigiu aos prédios em que reinam os governantes. Esses prédios simbolizam exatamente o que o povo repudia nas ruas: as falcatruas que beneficiam interesses privados, os desmandos, o poder apartado das ruas, as negociatas.

    O que a polícia, mas exatamente as tropas de choque das PMs, fizeram? Elas não estavam ali para dar proteção aos manifestantes, garantir o direito de ir e vir e outras balelas do discurso oficial, mas para dispersar as manifestações. Por isso, qualquer fagulha, cuspe ou fogo de artifício foi usado para desencadear a violenta repressão policial que ocorreu em todo o país no dia 20 de junho.

    Se os manifestantes mais exaltados são parte de uma ínfima minoria, por que a polícia investiu contra tudo e contra todos? Se a polícia estivesse ali para proteger a maioria, como dizem em seus discursos cínicos, poderia facilmente identificar os mais radicalizados e detê-los já no percurso das passeatas. No Rio jogaram bombas, caveirão e até cavalaria contra a multidão.

    Aliás, nada disso é novidade. Afinal, qual “autoridade” deste país transita sem segurança pública ou particular? Você conhece alguma? É claro que eles precisam ser escoltados, porque se andassem pelas ruas seriam hostilizados pelo povo.

    A insatisfação de boa parte dos manifestantes contra os partidos de esquerda se explica por alguns motivos: despolitização de uma parte e o medo que as manifestações sejam utilizadas politicamente por esses partidos. Esses comportamentos são compreensíveis, mas não justificam a postura dos mais exaltados, que querem impedir os militantes de partidos de esquerda de participar das manifestações com suas faixas e cartazes.

    No entanto, cabe a esses partidos fazer reflexões profundas sobre seus propósitos e métodos. A maioria também não entendeu o recado das ruas e procura se justificar com um discurso de que o antipartidarismo é igual a fascismo. Por aí vão continuar na sua insignificância, apesar da luta de rua ter um caráter nitidamente progressista e de esquerda.

    Já os governantes estão atônitos. Não sabem como e nem porque as manifestações começaram, porque cresceram e como responder às demandas do povo que está nas ruas. O problema dessa gente é que ela está tão distante da realidade popular que não enxerga o óbvio: as pessoas querem ser respeitadas, terem serviços decentes a preços compatíveis e, sobretudo, terem canais para serem ouvidas e suas opiniões serem acatadas.

    Fonte: blog do Henrique Acker

  17. Walter Martins,
    Em condições normais de temperatura e pressão, tens razão quanto à participação dos partidos e sindicatos nas passeatas que varrem o Brasil atualmente, em nome da democracia.
    Não é este caso.
    Os partidos políticos não se identificam mais com o povo, mas com alianças espúrias e interesseiras;
    Rasgaram seus estatutos;
    Cuspiram na essência do que os levou a se formarem;
    Rejeitaram a democracia em nome de uniões que os levassem a se aproveitar da condição de “base aliada” do governo;
    Substituíram as necessidades do povo e do Brasil pelos benefícios em não mais serem oposição, obtendo cargos, ministérios, diretorias e secretarias;
    Perderam completamente suas identidades filosóficas.
    Inegavelmente que a democracia é composta por partidos políticos e a população organizada através de entidades de classes, no entanto, os sindicatos se irmanaram com o PT, e tornaram-se trampolim de candidaturas à função parlamentar, negligenciando seus associados, defendendo o governo abertamente mesmo com o envolvimento deste em escândalos que abalaram a nação brasileira, demonstrando o quanto hoje são tendenciosos e a serviço de interesses outros, menos de quem representam.
    Assim, as manifestações pedem que as bandeiras dos partidos não sejam desfraldadas e seus portadores que as abandonem, justamente porque esta identidade que deveria existir foi rompida pelos partidos políticos quando optaram pelo poder reinante e não pelo clamor da população que vem sendo feito há tempos no que diz respeito à Saúde, Educação e Segurança.
    O texto do Newton que tu o criticas – em tese amostra reacionária indesculpável -, na verdade vai ao encontro da vontade popular e de encontro aos desejos de partidos que querem retornar à representatividade perdida por culpa deles mesmos, de seus desprezos à população e enaltecimento às alianças que sempre condenamos e que extinguiram a oposição, querendo o mesmo para o Ministério Público, o fiscal da lei, referente à perpetuação de suas impunidades e manutenção do poder que tanto adoram e se venderam descarada e perniciosamente a ele!
    Eis o momento para que novos partidos surjam depois deste episódio tão elucidativo, que basta dessas atuais siglas desgastadas e que não possuem mais qualquer credibilidade!

  18. Francisco Bendl, discordo.
    Ufa, espere aí, estou num ônibus lotado, parado e em pé, num trânsito infernal, por causa das manifestações. Portanto, tentarei raciocinar para escrever.
    Não há como inexistir partidos políticos numa democracia. Nem adotar a prática niilista de destruir todos para construir novos. Duvido muito que estes novos não seriam velhas novidades.
    Mas, por que isto?
    Ocorre que a mobilização das massas assusta governos, pressiona-os, mas não consefue abrir um canal de diálogo propositivo, justamente por ser massa. E ser for massa antipartidária, pior, pois os interesses são difusos e, certamente, contraditórios. É simplesmente impossível que os manifestantes presentes a estes protestos, Brasil afora, tenham interesses comuns.
    Os partidos, embora sofram crises de identidade e pratiquem traições filosóficas programáticas, canalizam segmentos sociais que se identificam com eles. Um militante do PSTU e do PSDB, quando abrem a boca, você percebe a diferença. Os partidos catalizam as propostas (se as cumprem, é outra história). E as massas?
    Para que você tenha idéia, ontem, cheguei ao terminal Alvorada 21:30h, para pegar outra condução até minha casa. Vi alguns jovens de rosto pintado descerem de um ônibus, para pegarem outro. Fiquei perto deles para ovluvir suas falas: “-Maneira a manifestação!”; “-Peguei um filezinho lá (sic)”. Ou seja, topei, de cara, com jovens altamente despolitizados que, em momento algum falaram de política, naturalmente. Para eles, não foi protesto, foi micareta.
    Um jovem filiado a qualquer partido, jamais iria à uma passeata de maneira tão alienada.

  19. Na prática percebo que os sindicatos só funcionam no papel. É uma instituição falida. Não raro vir sindicatos de trabalhadores em conluio com os sindicato dos empresários em detrimento dos trabalhadores.

  20. Tá, Walter Martins, tu abordas o aspecto lógico, o correto, ideal à manutenção democrática.
    Mas nossos partidos e parlamentares não agem desta forma, ao contrário, nos isolaram, abandonaram, nos deixaram à mercê das circunstâncias e simplesmente renunciaram às suas representatividades.
    Tu tens razão na tua exposição – acho que pela primeira vez não estamos discutindo -, eu não discordo dela, mas estou realçando o fenômeno deste rompimento entre povo e partidos por conta deles mesmos, e não porque as manifestações assim decidiram!
    Quem vai acreditar ainda no PT? PSDB? PMDB? PSB? PDT? PCdoB? E nos demais existentes?
    Pois é este rompimento que abre uma brecha enorme à introdução de um novo modelo político, a famosa reforma, que tanto os parlamentares se esquivam, que tanto fogem em concretizá-la.
    Neste aspecto, Walter, esta demonstração de descontentamento é absolutamente inédita, haja vista que as anteriores manifestações do povo sempre tiveram partidos políticos como orientadores, como líderes desses movimentos de cunho social e, desta vez, eles são simplesmente ignorados, inclusive e principalmente, os denominados de esquerda que, indubitavelmente, foram os que mais nos decepcionaram nesta última década.
    Espero que consigas um assento no ônibus, pois sei também o que é andar neles lotados e sendo espremido no corredor, quando o motorista ainda por cima senta o pé no freio propositadamente para arrumar a “carga”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *