Escândalo da Petrobras significa uma nova Ficha Limpa

João Bosco Rabello
Estadão

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, já fez saber ao público em geral que dispõe do conteúdo necessário para encaminhar o pedido de processo do escândalo da Petrobras ao Supremo Tribunal Federal, o que pode ocorrer ainda antes do recesso do Judiciário, em 19 de dezembro. Essa é apenas uma etapa preliminar para um processo que deverá se estender por todo o próximo ano, mas suficiente para estabelecer o fim do segredo de justiça que mantém os políticos com seus nomes preservados.

Essa singular circunstância dá uma medida da crise política instalada pelas investigações do caso Petrobras, que já paralisa o processo legislativo antes mesmo de conhecida em toda a sua dimensão.

Sem conhecimento dos nomes dos parlamentares, fica obstruída a composição ministerial e as negociações interligadas que dizem respeito às eleições no Parlamento para a definição das mesas diretoras de Câmara e Senado.

QUEM ESTÁ ENVOLVIDO?

O processo investigativo passa a funcionar como uma espécie de ficha limpa fora do âmbito eleitoral, estendendo à rotina parlamentar o critério seletivo do mecanismo legal responsável pela eliminação de candidaturas, agora uma realidade também para a preservação dos mandatos conquistados nas urnas.

Trocando em miúdos, muitos não alcançados pela ficha limpa, que puderam chegar ao Congresso, ou a ele retornar, estarão agora com seus mandatos obstruídos pelo envolvimento no escândalo de corrupção que assusta o país pela dimensão, logística, método e volume de recursos desviados para financiamento político.

Se não se sabia até certo ponto da fase da pré-campanha eleitoral quem poderia concorrer, agora inicia-se uma nova etapa que determinará quais, entre os eleitos, terão condições de desempenhar o mandato. Não resta dúvida de que o país ingressou em um ciclo seletivo pela via dos costumes, que guarda relação com a quebra de padrões históricos de comportamento respaldados por legislações internacionais que também vivem fase de transformação.

SEM SIGILO

Um exemplo é a ruptura da Suíça com legislações que preservavam o sigilo bancário de correntistas cujos recursos provêm de esquemas de corrupção espalhados por todo o planeta. O estado suíço decidiu pela quebra histórica de um sistema de proteção ao delinquente do colarinho branco, surpreendendo os governos paralelos que se formaram em muitos países, desafiando a ordem instituída.

O Brasil se insere nesse contexto, como mostra a devolução, por parte de infratores sob a delação premiada, de fortunas jamais imaginadas, por maior fosse a imaginação dos mais atentos à corrupção no país, guardadas em contas em paraísos fiscais.

A equipe de procuradores brasileiros que foi à Suíça em busca de alguma informação passível de agregar às investigações em curso no país, voltou com as pastas mais cheias do que supunham possível seus integrantes quando daqui sairam. E mais: abriram uma via de mão dupla, com os suíços programando uma vinda ao Brasil para agregar informações às suas próprias investigações.

O fato que se impõe é que antes de conhecidos os nomes de parlamentares envolvidos nesse escândalo inédito em suas proporções, qualquer ação política mais objetiva é temerária e sujeita a revogação pelos fatos.

17 thoughts on “Escândalo da Petrobras significa uma nova Ficha Limpa

  1. TEM CAROÇO NESSE ANGU

    Disfarçaram, mas o Hércules C-130 da FAB, que fez pouso forçado, há dias, levava à estação espacial Antártica Sérgio Solon de Pontes, assessor-chefe da presidência do TSE, e ex-assessor de Dilma.

    FONTE:
    coluna claudio humberto

  2. Mais uma do ‘trabalhismo’ dos comediantes da ideologia…
    ” A Previc, órgão que fiscaliza os fundos de pensão, interveio numa parte do fundo da Braskem que é gerido pela Petros. A própria Braskem, que considera bem-vinda a intervenção, há tempos tentava acabar com a terceirização. A Petros é citada nas investigações do Petrolão.”

    Por Lauro Jardim

  3. Mais um cano do governo Dilma Youssef….
    ” Dilma Rousseff cogita trocar o seu chanceler, apesar de Luiz Alberto Figueiredo ser ministro há apenas quinze meses.

    A propósito, a coisa está feia no Itamaraty. O contrato com a empresa de tradutores que serve o Ministério das Relações Exteriores foi rompido por falta de pagamento.

    Ou seja, quando autoridade estrangeira visitar o Brasil e o ministro ou outras autoridades necessitarem de tradução, a solução talvez seja a linguagem dos sinais.

    Inglês, francês e espanhol, o.k., todos ali falam, mas por ora nada de russo, chinês, árabe…

    Por Lauro Jardim

  4. Se o auxiliar de um Duque vai devolver U$ 100 milhões e o Rei e a Rainha???
    “Por ter sido subordinado a Duque, indicado pelo então ministro José Dirceu para o cargo de diretor da estatal, Barusco colaborou significativamente para apontar provas contra o antigo chefe, mas não apenas contra ele. Foram mencionados, nos depoimentos da delação premiada, novos operadores que atuavam como intermediários dos pagamentos de propina para os executivos da estatal. Barusco confirmou a participação de Shinko Nakandakari como operador do PT na Diretoria de Serviços, como apontou Erton Medeiros da Fonseca, presidente da divisão industrial da Galvão Engenharia. A colaboração de Barusco deve motivar uma nova leva de prisões desses intermediários, de acordo com investigadores.

    “Barusco presenciou muitos anos de corrupção. Tem muito mais gente envolvida”, afirmou uma fonte que acompanha a investigação.

    A insistência da família levou Barusco a se entregar e colaborar. A esposa chegou a acompanhá-lo em depoimentos ao Ministério Público. Ele enfrenta um câncer ósseo e tenta escapar da prisão. Já se comprometeu a devolver 97 milhões de dólares escondidos na Suíça e a devolver outros 6,5 milhões de reais, parte da propina que recebeu em espécie. Barusco disse que vai provar aos investigadores que gastou “apenas” cerca de 1,5 milhão de dólares do dinheiro desviado da Petrobras.
    ( Veja).

  5. Enfim uma boa notícia:
    ” O Brasil ganha de presente, neste final de ano, uma entidade que tem tudo para dar no que falar daqui para frente. A Associação dos Juízes Anticorrupção será instituída no próximo dia 15 de dezembro, em São Paulo. Um dos membros do Judiciário que pretende aderir à AJA é o juiz federal Sérgio Fernando Moro que cumpre o seu dever de magistrado na condução dos processos da Operação Lava Jato. Se o aposentado Joaquim Barbosa também se filiar, o time togado ganha peso político para pressionar o Judiciário a funcionar Direito (sem trocadilho).

    Um desembargador da ativa, um dos motivadores da criação da AJA, resume, de forma descontraída, qual será o papel ético e motivador da nova entidade – que vai combinar experiência jurídica e ação da juventude dos seus filiados: “Vamos juntos sacudir essa Pátria e colocar nos trilhos para que futuras gerações não morram nas filas do SUS, nos descasos da bala perdida, ou nas favelas das drogas de dependentes químicos. Chega de meia volta! O que pretendemos é um Brasil leve, livre e solto. Presos todos os bandidos de colarinho branco e negro, os homens de dez ou nove dedos que construíram riqueza e fortuna com o roubo deslavado e escancarado”.

    A AJA resume bem o sentimento da maioria dos brasileiros de bem. Não dá mais para suportar tanta corrupção, desmando e injustiça. Tais defeitos institucionais do Brasil, sob falido regime capimunista, inviabilizam qualquer chance democrática. A Democracia é a segurança do direito individual e coletivo, através do exercício da razão pública. No atual império de desmandos e péssimos exemplos vindos de cima, o Brasil ruma para mais uma onda de ignorância e violência que nos conduzirão ao autoritarismo explícito. Tal quadro tem de mudar. É preciso fé, esperança e coragem para isto! Não só dos magistrados, mas de qualquer cidadão.

    • juízes anticorrupção??? ahahahahahahha
      Não precisa dessa merda. Basta que essas putas de toga apliquem a lei e trabalhem. Coisa que eles não fazem. É só ver a produtividade ridícula do puteiro que é o judiciário.

    • RJ a SP = 400 k
      Velocidade do trem bala = 350 km/h
      Quantidade de estações = 8 (oito)
      Distância média entre estações = 50 km
      Tempo para percorrer 50 km = 8 min e 30 segundos

      Conclusão:
      A cada 8,5 min o trem para em uma estação

      TREM BALA É MAIS UMA FARSA DA QUADRILHA PETRALHA

      • Desculpe, senhora, mas sou eleitor de José Serra. Mas se e = v * t e se admitindo que o tempo para se atingir a velocidade máxima é desprezível, como a senhora chegou àqueles resultados ?

          • Deixa de ser estúpido, cara ! Tá parecendo judeu que quando não gosta da opinião de alguém chama logo de antissemita. Tenho culpa se a mulher não sabe dividir ? Vai ver que estudou na mesma escola do lulla.

  6. Se um auxiliar de Duque vai devolver U$ 100 milhões quanto não levaram o Rei e a Rainha. Impeachment foi criado pois urna não é carta branca para ladrões. O partido que mais batalhou o do Collor foi o PT ….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *