Espionagem? Sempre houve e sempre haverá, desde sempre.


Humberto Guedes

A respeito do chamado Marco Regulatório da Internet, em discussão na Câmara, com a devida vênia dos apreciadores do controle e da prevenção, a experiência ensina que os expertos, ah! esses sempre burlam, fraudar é sua índole, sua tara mesmo. E, numa palavra, inexiste bunker inexpugnável.

Deixando de lado o geral do marco civil, o quase nada que vi parece dar uma ar calvinista e produtivista à rede, cuja virtude maior é abrir espaço à mais estonteante atuação da inteligência, capaz de renovar a civilização, ao arrepio das mentalidades organizadas, institucionalizadas, esclerosadas, apodrecidas com suas velhas receitas.

Cumpre, sim, preservar o cidadão contra o Estado. Mas espionagem sempre houve e haverá, desde os chimpanzés – ou antes, a espreitada do predador, o olhar indiscreto do vizinho, enfim… O problema é deixarmos de ser idiotas e de externar nossa histeria, acreditando poder acabar com “o mal”. O outro sempre existirá. Veja-se os EUA do fim do século XVIII, quem diria tornar-se o que se tornou já em meados do século XIX?

CONQUISTAS DIÁRIAS

É preciso ter em mente que liberdade e segurança são coisas conquistadas diariamente, e não, tão-somente, garantidas por leis, elas têm valor diminuto no processo civilizatório.

Ora, ora, se querem proteger seus dados de variado valor estratégico, não os exponham numa rede vulnerável a crianças, aos nerds. Pais querem proteger seus filhos, não lhes deem acesso a computadores antes de idade para compreenderem os riscos. Não querem ter sua intimidade exposta, não posem para fotos íntimas, pois poderão acabar na rede etc…

INEVITÁVEL

O mundo lá fora pode ser muito mau, sim, ou bom, conforme a preferência, isso é inevitável.

Aos doutores e pós-doutores que não olham além de seus próprios modelitos, pois foram adestrados neles, o nicho do mundo que lhes coube no esquartejamento cartesiano, sob os nefastos princípios do especialismo e do racionalismo (logicismo formalista de viés matemático, quando não puramente matemático, com todo o embuste que o marca), ou seja duplamente idiotizados, e que se pensam protegidos pela militarizaçao do cotidiano, somente resta convidá-los para os sábios “viva e deixe viver” e te cuide que a vida não pode ser baile de debutantes.

Pretender um mundo asséptico é o mesmo que querer as luzes sem sombras, alimentos sem esterco, não passa de delírio arrogante, fundo de paranóia e maniqueísmo. É preciso saber conviver com o outro, ele é complementar do real.

Melhor sem lei, pois a prova é meramente virtual, fragilizando sobremaneira a defesa de algum perseguido, ou bode expiatório, suprimindo a um magistrado a capacidade de avaliação do fato, senão do que técnicos lhe apresentem. Isto é perigosíssimo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

4 thoughts on “Espionagem? Sempre houve e sempre haverá, desde sempre.

  1. Tenho achado estranho, flashes que a rede globo está fazendo sobre uma reportagem do “FANTÁSTICO”, enfatizando o discurso da presidente Dilma Rousseff na ONU sobre espionagem, que no meu entender parece mais propaganda eleitoral antecipada.
    Os partidos políticos deveriam prestar atenção especial, pois todos os dias em horário nobre, porque estas passagens todos os dias.

  2. …É COMO O velho corno manso, que descobre que o seu vizinho, hoje com seus 22 anos, espiona sua esposa ao tomar banho, desde os 13 anos. Ah! mas ja faz tanto tempo, deixa pra la. Espionagem é coisa seria e tem que ser tratada como crime… ImAGINEM, se os states, descobrem que o Brasil vinha espionando-os desde os anos 40??? primeio: a reaçao seria desproporcional, depois nem se fala…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *