“Está na hora de os ministros investigados pedirem demissão”, afirma Miro Teixeira

Miro diz que voto em lista é só conversa fiada

Leticia Fernandes
O Globo

Decano da Câmara, em seu 11° mandato, o deputado federal Miro Teixeira (Rede-RJ) diz que governo Temer perderá a legitimidade se mantiver oito ministros investigados pela Lava-Jato. Ele afirma, ainda, que o excesso de regulamentação no Brasil propicia a corrupção.

O senhor é o decano do Congresso e não está na lista do Fachin. Como escapou?
Tem muita gente que não se envolve em corrupção no Congresso. A reflexão é outra, não é numérica. O que está se passando no Brasil é que há um excesso de regulamentação, que leva as empresas a precisarem cada vez mais de favores do Estado. Há muitos anos defendo uma Assembleia Nacional Constituinte porque precisamos desregulamentar o Brasil. O excesso de regulamentação facilita a corrupção.

Diante desse quadro, qual a saída?
É preciso convocar uma nova Assembleia Constituinte, porque a nossa Constituição de 1988 já tem 98 emendas aprovadas. Em tramitação, acho que são 350 no Senado e 850 da Câmara. A Constituição está virando um periódico.

Como se sobrevive a uma campanha sem caixa dois e troca de favores?
Muita gente tem contribuintes de campanha que são pessoas que confiam no mandato, que querem um país democrático. Funciona assim: o contribuinte paga a contribuição oficial, declarada e tudo mais. Mas quem se arrisca a trabalhar com caixa dois está cruzando a linha, a partir da qual ele se torna refém. E não tem ingenuidade nenhuma, porque em algum momento vai ter um pedido de troca. Ninguém conversa com o diabo só quando quer. Acho até que tem casos de pessoas que de boa fé oferecem doações por fora, dizem que não querem aparecer porque o governo vai perseguir.

E o fato de todos os ex-presidentes vivos terem sido citados nas delações da Odebrecht? Principalmente o Lula, de quem o senhor foi ministro duas vezes.
Citação não quer dizer que haja culpa. Dos presidentes eleitos depois da ditadura, tivemos o Collor e Dilma, que sofreram impeachment, Lula, que está respondendo na Justiça, e sobrava o Fernando Henrique, cuja situação ainda não está muito clara. Desde a redemocratização tivemos sucessivas crises: a CPI do Collor, a CPI dos Anões do Orçamento. Então, a história da democracia no Brasil não preservou a honra, a higidez, a licitude de procedimentos. A democratização, com a Constituição de 1988, garantiu o fim da tortura, assegurou os direitos individuais, assegurou o funcionamento dessas instituições, mas ela agora deve ser atualizada.

Como vê a situação do governo Michel Temer, que tem oito ministros investigados?
O Presidente da República fez um gesto de determinar uma linha de corte, agora está na hora de os ministros fazerem um gesto e pedirem demissão, ou o Temer não vai conseguir governar. O povo não reconhecerá a legitimidade do governo em nada com um monte de ministros arrolados em investigações. Eles são inocentes até que se prove o contrário, mas não basta, é preciso ter as atitudes que melhorem as condições do governo. Esses ministros têm o dever de sair. Saiam e deixem o presidente trabalhar.

A Lava-Jato pode levar a uma eleição de um aventureiro em 2018?
Há muitos anos já constatamos que o povo vota em pessoas, não em partidos. Isso não é uma crítica, isso é bom. Essa história de criar uma lista fechada, por exemplo, é uma conversa fiada, isso é insustentável e lamentável. Isso é retirar o direito de voto direto do povo, recriar o deputado biônico é uma loucura. Acho que não haverá um salvador da pátria. Se não pensarmos nas instituições, numa Constituinte, em organizar a estrutura da vida do país, não adianta, qualquer pessoa vai dar errado. No caso do Collor, o povo escolheu o discurso, a pessoa, e o povo é enganado ali. Mas hoje é muito mais fácil pelas redes sociais e sites você desmistificar uma figura desse tipo, então não vai acontecer graças a isso.

Acredita que a polarização vai continuar entre PT e PSDB, com o PMDB orbitando em torno do poder?
Depende dos nomes que serão postos. Se Lula for candidato, vai ser um nome muito forte, o que não quer dizer que qualquer candidato do PT é um candidato forte. A Marina Silva é uma candidata muito forte também. Vejo o (Geraldo) Alckmin (governador de São Paulo), que não é de se subestimar. Tem o (João) Doria (prefeito de São Paulo) crescendo no PSDB. Mas não vejo outros com expressão para estarem no segundo turno.

O senhor vê o futuro com otimismo?
O dia em que eu deixar de ser otimista eu largo a política. (risos). A política só é permitida aos otimistas, senão como você vai entrar no ringue? Você tem que continuar lutando, tem que acreditar na luta. Eu acredito. Tem um estudo fantástico de um professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês) sobre o Brasil em que ele resume em três coisas: incompetência, impunidade e corrupção. E eu acrescento: você escolhe a ordem. Acho que o Brasil esgotou o ciclo da impunidade, pelo menos da segurança da impunidade, e agora a corrupção está ameaçada pelo esgotamento do fim da impunidade. Falta resolver a incompetência, que é a máquina pública.

15 thoughts on ““Está na hora de os ministros investigados pedirem demissão”, afirma Miro Teixeira

  1. Essa frase do Miro: ” convocar uma nova Assembleia Constituinte”, implica, caso aconteça agora, na anulacao da Lava Jato?

    Seria esta a saida dos marginais corruptos, convocar a Assembleia Constituinte, zerar o marcador?

  2. Onde há justiça de verdade sobre corrupção, vejam esta matéria do JB.

    Justiça dos EUA multa Odebrecht em US$ 2,6 bilhões. Aqui, nada…
    Jornal do Brasil

    Nos EUA, onde o prejuízo causado pela Odebrecht foi de peanuts, a Justiça condenou a empreiteira, nesta segunda-feira (17), a pagar US$ 2,6 bilhões (cerca de R$ 8 bilhões) em multas por corrupção.

    Aqui, onde os roubos destruíram o país, fazendo um PIB positivo de 3% cair para um negativo de 2%, nada acontece.

    E os criminosos ainda dão entrevistas.

    • Foi um acordo foi conjunto o entre BRASIL USA E SUÍÇA. usa ficará com cerca 93 milhões. a Suíça com cerca de 115 milhões e o Brasil com o restante.

  3. Está escrito na Constituição que “Os Ministros de Estado serão responsáveis:

    I. Por traição.

    II. Por peita, suborno, ou concussão.

    III. Por abuso do Poder.

    IV. Pela falta de observancia da Lei.

    V. Pelo que obrarem contra a Liberdade, segurança, ou propriedade dos Cidadãos.

    VI. Por qualquer dissipação dos bens públicos.”

    Claro, não é na atual Constituição, na qual privilegiados agentes públicos enriquecem com o dinheiro roubado do povo e tem direito a impunidade, garantida pelo foro prevaricado.

    O artigo transcrito é o de número Art. 133 da Constituição do Império do Brasil de 1824, tempo em que os administradores do dinheiro dos cidadãos tinham vergonha na cara.

    É meu caro Deodoro, você falhou ao proclamar a Republiqueta de bananas Podres…

  4. Miro Teixeira é um bom nome para se canditar ao governo do RJ. Probo, sua carreira não têm senões, muito diferente de pretensos postulantes que andam por aí. Pode também compor chapa com Cristóvão Buarque, na condição e vice-presidente. Será que vão deixar? Eis a dúvida! O país precisa mudar, sabemos. Mas quando???

  5. Uma crítica ao comentário de Sidney Alves de Oliveira, reiterando que criticar não é concordar ou discordar, mas avançar o tema, discuti-lo, aperfeiçoá-lo, encontrar um denominador comum.

    Por que a tentativa de encontrar nos políticos atuais a solução para os gravíssimos problemas que nos ocasionaram?!

    Não interessa, a meu ver, se Miro é probo ou não, mas é egresso desta política brasileira abjeta, deletéria.

    Mais a mais, se fosse mesmo uma pessoa honrada, ética e tivesse moral, o parlamentar teria de obrigatoriamente renunciar porque está no meio de corruptos e desonestos ou, então, denunciar o que sabe de atos ilícitos de seus pares!

    Desta forma, conforme os acontecimentos que devastam o Brasil e proporcionam ao povo sofrimento nunca antes registrado, definitivamente insistir nesses parlamentares ou ex-parlamentares como alternativa de sucesso para as nossas mazelas não creio que sejam não só capazes como não teriam a devida coragem para as mudanças tão necessárias e urgentes.

    Entendeste a minha crítica, Sidney, ela não é pessoal, definitivamente aborda a tua colocação sobre Miro, e é sobre o parlamentar que discuto como possível solução para o Rio de Janeiro,a minha querida Cidade Maravilhosa.

    Precisamos ir adiante dessas sugestões de parlamentares aparentemente honestos, repito, aparentemente, pois duvido haver nesse meio um homem digno de merecer o voto da população diante do caos que hoje nos esmaga e impede a retomada do crescimento, em razão da corrupção e desonestidade que imperam no país pelos Três Poderes!

    Um abraço, Sidney.
    Saúde e paz.

  6. Não poderia esperar mais do que o conteúdo franco e otimista do deputado federal Miro Teixeira.

    Tornou a levantar as questões de fundo constitucionais que só ajudam a separar o Brasil do dístico Ordem e Progresso constante da bandeira nacional.

    Infelizmente falou para o vazio, como muitos de nós da TI, já cansados de apelar, sugerir, lembrar, condenar e até xingar o descaso das autoridades responsáveis pelo momento que o país vive,uma autêntica sinuca de bico.

    Quero lembrar ao meu caro Bendl, que o deputado em questão, em muitas ocasiões importantes para a República, duelou, esbravejou com seus pares, e denunciou para o povo, situações que acabaram por levar a Nação para esse fundo de poço em que nos encontramos.

    Se ele ainda não jogou a toalha, não se despediu da vida pública é porque, como disse, ele é um otimista, e ainda espera ver dias melhores para o Congresso e para os brasileiros.

    É uma pena que a maioria dos congressistas não pensem como ele, e outros ainda não contaminados pela corrupção que grassa na vida pública, na Câmara e no Senado.

  7. Andrade,

    Grato pelo comentário.

    Como eu disse, a intenção é ampliar o debate, e não discordar por discordar ou concordar sem qualquer motivo.

    Assim, és o segundo que apoia Miro, além do Sidney, que não é o meu caso, em razão das alegações que apresento aos colegas que enfatizam a incompetência, corrupção e desonestidade do meio político.

    Ora, como esperar que apareça justamente desse atual estágio da política, indiscutivelmente a causadora de nossos males, alguém que seja a solução para nossos impasses?

    Esse é o ponto que está na mesa para uma boa, útil e salutar discussão, que, reitero e repito é a minha intenção, de dissecar se devemos ou não ainda dar votos de confiança para os originários de um poder que faliu ética e moralmente!

    Um abraço, Andrade.
    Saúde e paz.

  8. Freire,

    Volto a frisar:

    Por que a tentativa de se buscar no meio falido ética e moralmente a solução para nossos problemas?

    Por que não pode encontrar um candidato fora do círculo político, incompetente, corrupto e desonesto?!

    Esta é a questão, a meu ver, que precisa ser debatida e ampliada com responsabilidade, senso crítico e consciência cívica.

    Um abraço.

  9. O Pior de tudo são os falsos moralistas. Miro foi Ministro das Comunicações de Lula no início do “mensalão”. Roberto Jefferson está vivo. Foi ele quem disse que Miro Texeira sabia do “mensalão” Miro aceitou ser ministro de Lula sem consultar o PDT. Brizola saiu com o partido da base do PT e mandou todos do PDT sairem, Miro não saiu. Brizola disse-lhe então: Miro sai do partido senão vou te expulsar. Ele saiu. Voltou depois que Brizola morreu. Como Ministro das Comunicações tranferiu irregularmente a Rádio Rio de Janeiro para Vivaldo Barbosa deputado do PDT. Houve um tempo em que diziam que ele seria sócio oculto de Vivaldo. Não sei. Só sei8 que Miro gosta de uma asa. No princípio de sua carreira se abrigava sob as asas de Chagas Freitas.Mandava e desmandava. Depois ao perder a eleição para Brizola em 1982 abrigou-se sob as asas quente do “caudilho”. Agora abriga-se sob as asas quentinhas de Marina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *