Está tudo ruim, mas pode ficar muito pior

corrupção-Gasto-Público-charge

Reprodução da internet

Luiz Tito
O Tempo

Os últimos dias do Brasil em que estamos nos dão conta de que caminhamos para um novo mundo, talvez inspirado em Santo Agostinho, de gente pura e santa. Ninguém erra e só se conhece a verdade.

A operação Lava Jato entregou como presente, amarrado com um laço de fita, as gravações pinçadas de conversas de Lula com Dilma e com um batalhão de outros interlocutores, revelando a avaliação que ele, Lula, faz do Supremo Tribunal Federal (STF), do Superior Tribunal de Justiça (STJ), do Ministério Público, da Polícia Federal, da Câmara e do Senado. Mais não falou porque não lhe fora perguntado.

Parte da sociedade foi para as ruas, com suas causas e palavras de ordem, buscando a deposição imediata da presidente Dilma, a prisão de Lula, sua mulher e filhos e ainda de uns poucos políticos que receberam dinheiro roubado pelas empreiteiras da Petrobras.

Outro grupo, organizado pelo PT, também levou às ruas seu protesto em apoio especialmente a Lula, sua posse, sua mulher, filhos e a presidente Dilma. Nada de mais. Era o esperado.

COM AS ARMAS DISPONÍVEIS

Algumas coisas, contudo, não estão consideradas no seu conjunto ou pelo menos estão interpretadas com parcialidade. Desconhece-se que está em jogo uma guerra de poder, com o uso das armas disponíveis. A indicação de Lula para o ministério, como forma de preveni-lo de uma eventual prisão pelo juiz Sérgio Moro, se feita num outro momento seria, se não aceitável pelo menos, menos traumática.

Vários parlamentares renunciaram aos seus mandatos na Câmara e no Senado, para escaparem do julgamento pelo STF, no processo do mensalão, temendo sua condenação, buscando a proteção da morosidade dos Juizados estaduais. Se tivessem sido igualmente escutados nas suas conversas, que juízo estariam fazendo de Joaquim Barbosa? Adivinhem.

Algum investigado ou réu, fala bem do delegado de seu inquérito, do promotor que o acusa ou ama o juiz que lhe pode requerer a prisão preventiva? O que a sociedade brasileira pensa das instituições e seus membros listados nas conversas de Lula? Alguém, em sã consciência, pensa bem de Renan Calheiros e de Eduardo Cunha? Alguém acha que a Justiça brasileira é sempre eficiente, julga com presteza as demandas da sociedade?

E mais: como se sustentam as campanhas políticas no Brasil? As verbas e os favores que recebem as campanhas dos hoje opositores ao governo Dilma, vindas das mesmas empreiteiras investigadas foram retirados de onde? De um outro caixa, do caixa puro e santo da sacristia, não conspurcado pela corrupção, pelo superfaturamento das obras públicas?

NÃO SEJAMOS HIPÓCRITAS

Quem, de todos que detêm mandatos, se apresenta para ser investigado com as mesmas lupas hoje usadas pelo juiz Sérgio Moro, pelo atual MP e pela PF? De onde vieram os recursos para que fossem aprovadas no Congresso, em cada um de seus momentos, tantas manobras que forjaram regras econômicas, concessões diversas e mudanças da Constituição? Foram debates de ideias? Não sejamos hipócritas.

O juiz Sérgio Moro, o MP e a Polícia Federal que lhe servem estão de parabéns pela sua coragem em abrir baús tão enterrados. Mas que sejam imparciais com todos os suspeitos e investigados nas próximas fases de sua histórica operação. E rápido, porque o Brasil parou, a economia estagnou, não há investimentos, falta trabalho, casa e comida; sobram insegurança e dificuldades. Está tudo muito ruim. Mas pode piorar muito mais.

4 thoughts on “Está tudo ruim, mas pode ficar muito pior

  1. Ora bolas, quem está fazendo chicanas é o STF e os acovardados, segundo lula.
    Esta “cobrança” do articulista é a variável subliminar das falsas acusações petistas, tentando jogar no colo da Lava-Jato a corrupção e incompetência da facção petista.
    Vai piorar sim. E isso eu, e muitos outros, falam há anos. Enquanto isso o articulista ficava confortavelmente apoiando este governinho de merda. Por que não avaliou antes?

  2. O Luiz Tito vem com a mesma conversa fiada de alguns comentaristas que aparecem aqui na Tribuna. Sempre têm um “mas” para justificar as falcatruas do PT. Se o Brasil está indo ladeira abaixo tudo começa com um partido que se dizendo honesto, sempre foi o mais desonesto de todos. E, sim, o STF tem muita culpa e esta culpa se torna clara durante o mensalão. Tivesse ali, o STF aplicado a lei com todo o rigor que era necessário e as coisas teriam começado a mudar, e para melhor. Mas não, o STF preferiu ser um penduricalho do PT e deu no que deu. Vir, agora, o Luiz Tito, pedir que o Moro seja imparcial e que investigue todos com rapidez, mostra claramente que o Tito ainda não perdeu o ranço petista, que cheira mal, fede e ofende a nação. Tito, o Moro não anda mais rápido porque o PT não quer e não deixa.

  3. Se Luiz Tito teve a intenção de comparar a nomeação de Lula para fugir da justiça comum com a renúncia de parlamentares ao mandato para fugir do foro privilegiado, foi no mínimo infeliz. O parlamentar tem o direito de renunciar ao mandato, ainda que possa ser nessa situação um ato covarde, mas a presidente nomear um investigado, com prisão preventiva decretada, para um cargo de ministro para fugir da justiça comum é ao mesmo tempo uma confissão da culpa do nomeado e um tapa na cara dos cidadãos que a elegeram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *