Estranha aliança une diversos partidos no mesmo complô contra a Lava Jato

Resultado de imagem para operação abafa

Reprodução do Arquivo Google

José Casado
O Globo

Em meio à campanha eleitoral surgiu uma estranha aliança: o PT de Lula, o PDT de Ciro Gomes, o PSOL de Guilherme Boulos e o PCdoB de Manuela D’Ávila se uniram ao MDB de Michel Temer, o PP de Ciro Nogueira e o PSD de Gilberto Kassab. O acordo foi selado dias atrás na Câmara, com adesão posterior do PR de Valdemar da Costa Neto e do PSB, que ainda não definiram o rumo na sucessão.

O objetivo comum é usar o Legislativo para instigar a anulação, ao menos parcial, de processos criminais abertos na Operação Lava-Jato. A manobra prevê a contestação da integridade da atuação de procuradores e juízes federais da primeira instância, do Superior Tribunal de Justiça e do Supremo Tribunal Federal em acordos de delação premiada.

CPI DAS DELAÇÕES – Pretende-se instalação imediata de uma CPI na Câmara para investigar especulações, assim descritas: “Possibilidade de manipulação das colaborações premiadas, e possibilidade do envolvimento de agentes públicos.”

O pedido foi assinado por 190 deputados. Parte já esteve envolvida em artimanhas frustradas para emparedar procuradores e juízes ou, simplesmente, anistiar a réus e investigados na Lava-Jato. Tentam a reeleição e, para eles, a liquidação da Lava-Jato é um sonho que não acabou.

O documento indica um triunfo do improvável: uma grande aliança entre partidos adversários, cujos candidatos à presidência mantêm visões peculiares tanto sobre o governo Michel Temer quanto dos competidores na sucessão.

ROSSI NEGOCIOU – Temer é alvo central. Seu líder na Câmara é o deputado Baleia Rossi, que escolheu por absoluta confiança. Rossi negociou o acordo da CPI contra a Lava-Jato com o deputado Paulo Pimenta, líder do PT, defensor da candidatura virtual de Lula, preso em Curitiba, onde cumpre pena de 12 anos e um mês por corrupção e lavagem de dinheiro. Pimenta só se refere a Temer como “golpista”, “corrupto” e “chefe de quadrilha”, entre outros qualificativos.

Aliados de Temer, como Rossi, retrucam. Lembram quase diariamente, no Congresso, as “roubalheiras” da era petista, nos governos Lula e Dilma, “principalmente na Petrobras”.

O PDT de Ciro Gomes aceitou a aliança com o governo e o PT. Ciro, candidato do partido, atravessa o país em campanha identificando Temer como modelo de político viciado em “roubar a nação”. Também costuma culpar Lula pela confusão que está aí: “Resolveu brincar de Deus — botar Temer na linha de sucessão; impor a Dilma sem experiência num ‘dedaço’ como presidente; entregar Furnas a Eduardo Cunha… Tudo isso Lula sabe que fez.”

EXPLICAÇÕES? – PSOL e PCdoB, já classificados por Ciro Gomes como “puxadinhos” do PT, certamente terão dificuldades para explicar aoS seus eleitores as razões do alinhamento não só ao MDB de Temer e o PDT de Ciro, como também ao PR de Valdemar da Costa Neto, o PP de Ciro Nogueira e o PSD de Gilberto Kassab — nesses três partidos aglutinam-se dezenas de investigados por corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de influência.

Essa estranha união contra a Lava-Jato contribui só para aumentar a nebulosidade numa campanha dominada pela desconfiança dos eleitores. Ela sugere que partidos e candidatos desejam enquadrar o país na moldura do realismo fantástico, onde não existem leis, a começar pela lei da gravidade.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O excelente jornalista José Casado faz uma revelação importantíssima, que merecia ter sido manchete do jornal. Mas fica faltando acrescentar a informação de que todos os demais partidos estão dentro do esquema, inclusive o PTB e o PSDB. Acho que a única legenda que ficou fora foi a Rede, porque só tem dois deputados. Pode ser que alguns parlamentares mais independentes, como Ivan Valente e Chico Alencar, do PSOL, Jarbas Vasconcelos, do MDB, Ronaldo Caiado, do DEM, Ana Amélia, do PP, e Miro Teixeira, da Rede, fiquem de fora e denunciem a armação. Vamos aguardar. (C.N.)

14 thoughts on “Estranha aliança une diversos partidos no mesmo complô contra a Lava Jato

  1. Caro Newton, a corja criminosa das quadrilhas hediondas da caneta de Brasília, envergonham o Brasil, que O Cidadão trabalhador eleitor tenha consciência e honra em dar ser voto, não elegendo ou reelegendo, os canalhas que roubam o cofre público. Em meus 89 anos, nunca assisti tanta podridão na administração pública, esses politiqueiros são verdadeiros sanguessugas. Façamos nossa parte de esclarecer o Zé e Maria Povinho, o significado do voto em nossas vidas, e não ser coniventes com a omissão. Cito parte da frase do Pastor Luther King, assassinado pelas almas trevosas:”….0 que preocupa, não é o barulho dos maus e dos corruptos, mas, o Silêncio dos bons”, acrescento a Omissão.

  2. Caro Jornalista,

    “Em meio à campanha eleitoral surgiu uma estranha aliança:
    O PT de Lula, o PDT de Ciro Gomes, o PSOL de Guilherme Boulos e o PCdoB de Manuela D’Ávila se uniram ao MDB de Michel Temer, o PP de Ciro Nogueira e o PSD de Gilberto Kassab… com adesão posterior do PR de Valdemar da Costa Neto e do PSB.
    (…)
    O objetivo comum é usar o Legislativo para instigar a anulação, ao menos parcial, de processos criminais abertos na Operação Lava-Jato.”

    -Bem, suponho que quem tenha um pingo de ética (ou que diz que pela na internet), um laivo de vontade de ver bandido na cadeia, quem paga os seus impostos regularmente sem receber nada em troca, ou quem pensa em tirar o País dos Desdentados do atraso mundial e da miséria já sabe em quem não votar.
    -Já quem vota por ser desinformado ou por ter motivos pessoais inconfessáveis em público…

    Abraços.

    (PS: Caro Jornalista, na sua lista de exceções não teria faltado “outro partido de um outro candidato”?)

    • Caro Francisco,
      O “outro” candidato só é citado em situações pejorativas. É o Trump brasileiro, a Geni da mídia. Por estas e outras, os que andam de ônibus e trem, estão vendo que ele parece ser a excessão. Não por méritos, mas por exclusão.

  3. O evangelho de João abre com a declaração que “no princípio era o Verbo”. O significado disso está explicado a seguir e mostra que Jesus é Deus. Em outras traduções, a palavra “verbo” é traduzida como “palavra”.

  4. “A primeira impressão que se tem de um governante e da sua inteligência é dada pelos homens que o cercam”.

    Frase atribuída a Nicolau Maquiavel, por não precisamos hesitar em chamar os últimos governantes brasileiros de ladrões.

  5. Essa aliança nada tem de estranha, todos esses políticos tem um mesmo interesse, que é o de enriquecer impunemente à custa da nação.

  6. O Brasil precisa de um Fidel Castro diferente. Ao invés de fuzilamento, seriam retirados desses políticos canalhas o sangue e todos os órgãos necessarios para transplantes. Após este procedimento, seria concedido o indulto a todos os que sobrevivessem.

  7. As castas se protegem, óbvio.

    Principalmente a política, causadora de nossos problemas mais graves porque corrupta e incompetente, inútil e perdulária.

    Evidentemente que agiria contra a Lava Jato, pois esta operação está mostrando o verdadeiro caráter do parlamentar e de membros do Executivo, simplesmente desonestos e traidores do povo e país!

    Curiosamente – o povo é obrigado a perceber este detalhe -, os partidos que estão unidos em acabar com a caça aos ladrões pertencem às esquerdas, às agremiações que se dizem preocupadas com o povo, logo, comunistas e socialistas!

    Portanto, mais do que nunca, este interesse falso e demagógico com a situação popular é simples pretexto para o verdadeiro objetivo da esquerda nacional, o poder a qualquer custo!

    E, para tal intenção, precisa-se de dinheiro, muito dinheiro, então os crimes contra as estatais, obras superfaturadas, abarrotar as burras dos partidos de esquerda para vencer as eleições, quantias que pertencem ao cidadão, e tomadas de áreas vitais à nação!

    Os inimigos da Lava Jato são inimigos do Brasil, do povo, do desenvolvimento.
    Meros criminosos, que devem estar na cadeia, conforme o chefe da quadrilha se encontra!

  8. É importante que os formadores de opinião mostrem aos eleitores quais parlamentares assinaram a solicitação de instalação imediata de uma CPI na Câmara para investigar especulações, assim descritas: “Possibilidade de manipulação das colaborações premiadas, e possibilidade do envolvimento de agentes públicos. É indispensável que seja dada maciça publicidade ao fato, explicando à população de forma clara qual é o objetivo desta CPI e sua relação com a LAVA JATO.

  9. Você acredita nisso Newton? É dificil acreditar. Não creio. Beneficiaria a quem afinal? Esse acôrdo é muito dificil de decodificar. Se acontecer isso todos vão para cadeia.

    • Amigo Aquino, pessoalmente, não acredito. Mas é verdade que os políticos sonham com uma anistia, a pretexto de “descriminalizar a política”. Este é o argumento deles.

      Vou escrever a respeito.

      Forte abraço,

      CN

  10. Quem esta costurando acordo com vários partidos tem um nome Ciro Gomes Droguinha. O qual está defende até o larápio jornaleiro Lupi do PDT. Tudo se borrando nas eleições desse ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *