Ex-ministro do Supremo confirma possibilidade de impeachment

Existe crime de responsabilidade, diz Sanches

Letícia Sorg
Estadão

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Sydney Sanches afirma que o caminho para um processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff está aberto, embora não esteja instaurado. Na avaliação do ex-ministro, que presidiu o Congresso durante o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello, se o Legislativo rejeitar as contas da presidente Dilma Rousseff em 2014, como recomendou nesta semana o Tribunal de Contas da União, está caracterizado crime de responsabilidade.

Em entrevista ao Broadcast Político, serviço em tempo real da Agência Estado, Sanches afirma que o processo de impeachment é político, não jurídico, e, portanto, imprevisível, já que os políticos, diferentemente dos juízes, não precisam embasar suas decisões. E avalia que uma nova interrupção de mandato não põe em risco a democracia no País.

CRIMES ELEITORAIS

Sydney Sanches falou também sobre a possibilidade de crimes eleitorias. Disse que o TSE havia aprovado as contas, mas depois surgiram fatos novos evidenciando que teria havido irregularidades durante a campanha da presidente Dilma Rousseff e o processo foi reaberto.

“Se ficar comprovado que as contas realmente não deveriam ter sido admitidas, há consequências como a possibilidade de anular a eleição da presidente e também do vice Michel Temer, porque a chapa é uma só. A menos que – e falo excepcionalmente e em tese – fique evidenciado que o vice-presidente não teve nenhuma participação na declaração de bens e valores da campanha e que não teve nenhuma culpa nisso. E isso quem tem que provar é quem acusa, no caso o Ministério Público.

5 thoughts on “Ex-ministro do Supremo confirma possibilidade de impeachment

  1. “É surrealista, acho que o Brasil nunca viveu uma situação dessas. Um bandido, corrupto denunciado, comprovado, apoiado por um partido (PSDB) que não se conforma com a derrota e aposta todas as suas fichas nesse bandido pra derrubar uma presidente que não é acusada de nenhum crime”; é uma situação, de fato, esdrúxula; em nome da “ética”, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) se alia a Cunha, beneficiário de várias contas secretas na Suíça por onde passaram pelo menos R$ 23 milhões, para tentar solapar a democracia e cassar uma presidente reconhecida como honesta até por seus adversários; situação não caberia nos filmes de Luis Buñuel nem nos quadros de Salvador Dalí; só Aécio foi capaz de algo tão indigno e tão grotesco”
    Comentario de uma bahiana no 247

  2. Incrível, mas o real está valendo menos do que o sol peruano. Um real compra apenas 75 centavos de um sol. Os paraguaios estão invadindo as cidades da fronteira para se abastecerem nos supermecados e lojas do lado brasileiro. Tudo isso pela desvalorização acentuada da nossa moeda. O pete levou vinte anos, mas conseguiu detonar o real. Para não falar na volta da inflação.

    • Qual inflação voce fala, aquela que Fernando Henrique passou para o Lula a 12,57%, mesmo depois de Itamar Franco traze-la a menos de 3% e entregar a FHC a inflação controlada?

  3. Com todo respeito, não entendo o comentário do senhor Francisco de Assis.
    Ou melhor, entendi assim : – nós roubamos, mas, eles também. OU NÃO?
    Mas, não é isto que SÃO FRANCISCO DE ASSIS pregou, quando disse,
    ”É DANDO QUE SE RECEBE”
    Sinceramente … Estou errado ou confuso. ?

Deixe um comentário para José Camilo - Muriaé- MG Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *