Ex-mulher de Bolsonaro comprou 14 imóveis enquanto casada e pagou parte em dinheiro vivo

Cristina não tinha nenhum imóvel antes de se envolver com Bolsonaro

Deu no Estadão

Segunda ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle adquiriu 14 imóveis enquanto esteve casada com ele, entre 1997 e 2008. Dentre eles, cinco foram comprados com dinheiro vivo, segundo reportagem da revista Época.

Ana Cristina é investigada pelo Ministério Público do Rio pela suspeita de ter sido funcionária fantasma do gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho de outro casamento do presidente, na Câmara do Rio. Ela foi lotada no gabinete entre 2001 e 2008.

MILHÕES EM IMÓVEIS – De acordo com a revista, Ana Cristina não tinha nenhum imóvel antes de se envolver com o então deputado federal Bolsonaro, em 1997. Os 14 bens adquiridos entre aquele ano e 2008, quando se separaram em confronto, somariam R$ 5,3 milhões, em valores corrigidos. Esses imóveis incluem apartamentos, casas e terrenos, apontou a reportagem. Os dois têm um filho juntos, Jair Renan.

O próprio Bolsonaro não tinha patrimônio vultoso registrado antes do casamento com Ana Cristina. Possuía apenas dois apartamentos no Rio e um terreno em Angra dos Reis. Foi na década de duração do vínculo entre os dois  que o casal passou a acumular patrimônio.

Além da ex-mulher, outros membros da família Siqueira Valle integraram os gabinetes da família Bolsonaro. Eles também são investigados pelo MP – tanto no inquérito contra Carlos quanto na apuração do caso Queiroz, que mira o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). A Promotoria apresentou, na investigação, indícios de que esses parentes chegavam a transferir quase a totalidade dos salários como assessores para Fabrício Queiroz, o suposto operador de Flávio no esquema.

OCULTAÇÃO – Durante a eleição de 2018, a revista Veja revelou um processo movido por Ana Cristina contra Bolsonaro em que ela o acusa de ocultar patrimônio. Além disso, a ex-mulher também dizia que o atual presidente havia furtado um cofre de banco, recebido pagamentos não declarados e agido com “desmedida agressividade”. Depois, Ana Cristina se desmentiu. Atribuiu as acusações à separação conflituosa. Em 2018, ela já tinha se reconciliado com o ex-marido.

O advogado Magnum Cardoso, que defende Ana Cristina Valle, informou que sua cliente não responderia às questões da revista. Segundo ele, “há evidente descompasso entre a realidade dos fatos e as ilações provocadas nesses questionamentos (feitos pela revista)”. Cardoso disse que repudia “com veemência qualquer afirmação, de quem quer que seja, indicando a prática de qualquer ato ilícito por parte de Ana Cristina Siqueira Valle”.

13 thoughts on “Ex-mulher de Bolsonaro comprou 14 imóveis enquanto casada e pagou parte em dinheiro vivo

  1. “…Além disso, a ex-mulher também dizia que o atual presidente havia furtado um cofre de banco, recebido pagamentos não declarados e agido com “desmedida agressividade”. Depois, Ana Cristina se desmentiu”.

    Deve ter levado um “cala boca” pra desmentir o que havia dito. Ela tem uma imaginação fértil que uma hora fala que o ex é bandido, mas depois diz que não era nada daquilo.

    Não sei se o porteiro do condomínio do seu Jair teve a mesma sorte, qual seja, levou um cala boca pra desmentir o que havia falado de que tinha sido seu Jair que tinha autorizado a entrada do susposto assassino de Marielle no condomínio.

    • Esse furto do cofre, aventado durante a campanha de Bolsonaro, o staff do abafa agiu de pronto, e tudo foi convertido em falácia da oposição!

    • Sr. Sebastião Barros,
      A ex levou um cala boca. Não tem a menor dúvida.

      Já o porteiro, levou um susto, tipo ou muda a versão ou vai ser suicidado.

      O grande calcanhar de Aquiles dos bolsonaros, está no condomínio Vivendas da Barra. (pesada)…
      É ali que mora o perigo.

      Cordialmente.

  2. Por isso JB é um cara “da família”. A primeira mulher ele colocou na política, a segunda se deu bem, a terceira está sendo bem tratada. Os filhos vão muito bem obrigado. Mas larápio é o Lula, a D Marisa e o Lulinha!!!

  3. Sendo uma EX de Bolsonaro, dele, ela deve ter herdado o vício de mentir. Logo, ela pode safar-se assim: “Dr. Juiz, era o dia do meu aniversário, fui à feira a avistei 14 frangos que se movimentavam de um lado para o outro. Então pensei: como faço para deixar esses frangos IMÓVEIS? Aí chamei o vendedor e pedi que ele os abatesse. Pronto, fiz os 14 ficarem IMÓVEIS”
    E por que você comprou exatamente14 aves? Perguntou o magistrado! E Ana Cristina respondeu: “Meritíssimo, bem que eu queria comprar só 13, mas lembrei que o meu marido odeia o PT, e 13 também é o número do galo, no jogo do bicho. E eu lembrei que Jair Messias sempre fala: ‘Aqui, em casa, quem canta de galo sou eu’. E eu Não gostaria de ZANGÁ-LO, Excelência!” Como é que é Dona Ana Cristina, o que ZAGALLO tem a ver com isso? Interpelou o juiz. A ex-mulher: “Bem lembrado, Doutor, 13 também é o número do ZAGALLO” E tudo acabou num bate-bola!

  4. Faz somente dez anos que foi implantada a lei contra o nepotismo na administração federal, mais precisamente em 4 de junho de 2010, Decreto nº 7.203.

    Mesmo com essa proibição, os casos de familiares sendo utilizados por parlamentares é incalculável.
    O processo até que é simples, pois um colega do político emprega o familiar do outro com sobrenome diferente, e passam a se aproveitar dessa ilicitude.
    Caso de Bolsonaro com a segunda esposa do seu pai ou a madrasta, e assim por diante.

    A bem da verdade, o congresso se atribuiu tantos direitos, meios de burlar as leis, de se conceder privilégios, mordomias, regalias, penduricalhos, legislar em causa própria, indenizações pessoais, diárias nababescas para viagens dentro e fora do país, que a soma do salário de um deputado ou senador atinge cerca de 200.000,00 por mês!
    Não há país, por mais sólida que seja a sua economia, que possa suportar gastos nessa ordem.

    Justamente por esse tratamento diferenciado entre todas as nações do globo terrestre, o Brasil é o país que melhor remunera o seu poder legislativo.
    Em compensação, é quem paga um dos menores salários mínimos para o trabalhador.

    Para quem não sabe, o valor mensal da verba de gabinete é R$ 111.675,59, de acordo com o Ato da Mesa 117/2016. A verba é destinada ao pagamento de salários dos secretários parlamentares (SP), funcionários que não precisam ser servidores públicos e são escolhidos diretamente pelo deputado.
    Cada deputado pode contratar de 5 a 25 secretários parlamentares para prestar serviços de secretaria, assistência e assessoramento direto e exclusivo nos gabinetes dos deputados, em Brasília ou nos estados.

    Izalci Lucas é contador, professor e senador da República (PSDB-DF) eleito no ano passado. Político com mandato desde 2003, quando virou deputado distrital, o mineiro radicado em Brasília ganhou projeção nacional em abril, perto de seu aniversário de 63 anos, quando foi cotado para assumir o Ministério da Educação no governo Jair Bolsonaro (PSL). Nos corredores do Parlamento, no entanto, Izalci ficou famoso já nos primeiros meses de 2019 por empregar o maior número de funcionários no Senado: até a última atualização desta reportagem, ele contava com 85 assessores parlamentares pagos com dinheiro público….
    – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2019/06/24/85-assessores-izalci-lucas-o-senador-que-vale-por-uma-media-empresa.htm?cmpid=copiaecola

    O número de contratados por senador varia muito ao longo de todo o ano, mas, desde o final de abril, quando Izalci contabilizava 74 colaboradores, ele já era o senador com mais empregados, segundo dados compilados pela ONG Ranking dos Políticos. Ao todo, os 81 senadores da Casa empregam 2.764 pessoas, média de 34 assessores por parlamentar. Com seus 85 auxiliares, Izalci gasta R$ 553 mil em folha de pagamento todo mês –ou o equivalente a R$ 6,6 milhões por ano. Se fosse uma empresa do ramo de serviços ou comércio, seu gabinete seria de médio porte –segundo o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e…
    – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2019/06/24/85-assessores-izalci-lucas-o-senador-que-vale-por-uma-media-empresa.htm?cmpid=copiaecola

    O salário mensal dos parlamentares é de R$ 33.763. Para o exercício do mandato, os deputados federais utilizam mensalmente:
    Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap): o valor depende do estado de cada deputado, devido ao preço da passagem aérea. Representantes do Distrito Federal ficam com a menor quantia (R$ 30.788,66). Já os de Roraima recebem a maior: R$ 45.612,53. (Fonte: Agência Câmara de Notícias).
    Verba destinada à contratação de pessoal: o valor, que hoje é de R$ 111.675,59 por mês, destina-se à contratação de até 25 secretários parlamentares (cuja lotação pode ser no gabinete ou no estado do deputado), que ocupam cargos comissionados de livre provimento. A remuneração do secretariado deve ficar entre R$ 980,98 e R$ 15.022,32.
    Auxílio-moradia: R$ 4.253, concedidos aos parlamentares que não moram em residências funcionais em Brasília.
    Despesas com saúde: os deputados têm atendimento no Departamento Médico da Câmara (Demed) e podem pedir reembolso para despesas médico-hospitalares realizadas fora do Demed. Deputados em exercício do mandato e seus familiares que podem ser incluídos como dependentes no Imposto de Renda têm direito de utilizar o departamento.
    Além disso, se quiser, o parlamentar poderá aderir ao plano de saúde dos funcionários da Câmara, pagando R$ 420 por mês, com direito a rede conveniada nacional e a filhos e cônjuge como dependentes. Também é paga a participação de 25% sobre o valor da despesa médica realizada.
    Cota gráfica: o parlamentar pode solicitar a confecção de material de papelaria oficial (cartões, pastas, papel timbrado e envelopes) e a impressão de documentos e publicações.
    Ajuda de custo: no início e no fim do mandato, o parlamentar recebe ajuda de custo equivalente ao valor mensal da remuneração. A ajuda é destinada a compensar as despesas com mudança e transporte e não será paga ao suplente que for reconvocado dentro do mesmo mandato.
    Aposentadoria: a lei do Plano de Seguridade Social dos Congressistas (PSSC – Lei 9.506/97) prevê aposentadoria com proventos proporcionais ao tempo de mandato. Nesse caso, os proventos serão calculados à razão de 1/35 (um trinta e cinco avos) por ano de mandato. No entanto, é obrigatório preencher os requisitos de 35 anos de contribuição e 60 anos de idade.
    (Fonte: Agência Câmara de Notícias)

    Meses atrás, publiquei em um comentário onde cada parlamentar havia gasto ano passado em despesas de saúde, 50.000,00 por mês!
    Portanto, 200.000,00 de salário mais 50.000,00 em verbas para a saúde (MÉDIA), nos defrontamos com o maior escândalo mundial em termos de custos de um poder, hoje legitimamente uma casta.
    Mais:
    Se, em viagem, recebem diárias polpudas tanto dentro do território nacional quanto fora do país.

    Os proventos mensais de um deputado ou senador equivalem a 250 trabalhadores que recebem um salário mínimo!
    Considerando que um salário mínimo “sustenta” 4 pessoas em média, um parlamentar ganha o equivalente a MIL PESSOAS que sobrevivem com 250.000 por mês!
    Ou, se quiserem, enquanto um parlamentar recebe 250 mil reais, quem vive do salário mínimo só pode gastar 250,00 a cada trinta dias!

    Sendo assim, a verba de quase 112 mil à disposição para gastos na contratação de aspones, com o parlamentar embolsando a metade ou mais, em razão das rachadinhas, o “legislador” recebe líquidos e somente para si, mais de 180.000,00 a cada trinta dias!!!!

    Por essas e outras, a luta de outras categorias dos demais poderes para terem os mesmos privilégios.

    Se a Justiça já se assemelha aos parlamentares, e as FFAA foram agraciadas com reajustes salariais substanciais, evidentemente que a realidade brasileira está estampada na miséria e pobreza maiores a cada ano, desemprego crônico, e uma economia frágil.
    Não há como nos reerguermos dessa forma, impossível.

    Excelente para as castas do Legislativo e Judiciário com algumas instituições, logo, mudanças nem pensar.
    Mas, em termos populares, aguarda-nos sangue, suor, lágrimas e trabalho … escravo, de modo que sustentemos os privilegiados, castas, elites, ricos e poderosos.

    Na condição de colônia que fomos de Portugal, e no sistema exploratório, onde as nossas riquezas naturais iam para a metrópole ou o país que nos havia descoberto, a situação do povo nunca mudou o seu curso.
    Se, atualmente, o nosso dinheiro na forma de impostos, taxas, multas, obrigações, emolumentos são destinados ao sustento da máquina Brasil, o povo continua sendo colonizado por aqueles que mencionei, razão pela qual o nosso subdesenvolvimento e permanente estagnação econômica.

    Diga-se de passagem, agora somados à deplorável saúde pública, deprimente educação, segurança inexistente, e saneamento apenas como figura de linguagem.
    Menos, evidentemente, para os poderes constituídos, que seguem no mesmo modelo português:
    Tirando do povo o que produz e, na maior parte do tempo, também roubando e manipulando o cidadão!

    Flávio Bolsonaro é apenas mais um parlamentar que se aproveita das condições que o Legislativo se concedeu.
    Diante da nossa omissão como povo, irresponsabilidade quanto ao uso do nosso dinheiro, e permissão que outorgamos a cada eleição para que nos roubem à vontade, a corrupção é exatamente a consequência de um Estado desonesto, incompetente, perdulário e criminoso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *