Ex-senador Gim Argello é preso, na nova fase da Lava-Jato

Gim Argello teve prisão decretada pelo juiz Sérgio Moro

Eduardo Militão  e Jacqueline Saraiva
Correio Braziliense

O ex-senador Gim Argello foi preso preventivamente pela Polícia Federal em Brasília, nesta manhã de terça-feira (12/4), na 28ª etapa da Lava-Jato. A prisão ocorre na 28ª fase da operação, intitulada Vitoria de Pirro , que é realizada nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal. Cem policiais federais devem cumprir 21 ordens judiciais. São 14 mandados de busca e apreensão, 1 mandado de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária e 4 mandados de condução coercitiva.

As investigações apuram a existência de indícios concretos de que “destacado integrante da Comissão Parlamentar de Inquérito instaurada no Senado Federal e também da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito instaurada no Congresso Nacional”, que apuram irregularidades no âmbito da Petrobras no ano de 2014, teria atuado de forma incisiva no sentido de evitar a convocação de empreiteiros para prestarem depoimento.

O investigado teria cobrado pagamentos indevidos, de acordo com a apuração da PF, travestidos de doações eleitorais oficiais em favor dos partidos de sua base de sustentação.

“VITÓRIA DE PIRRO”

O nome da operação, Vitoria de Pirro, é uma alusão à expressão histórica que representa uma vitória obtida mediante alto custo, popularmente adotada para vitórias consideradas inúteis. Os crimes investigados nesta fase são de concussão, corrupção ativa, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Os presos serão encaminhados para a Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba (PR). Os que forem conduzidos para depoimentos serão ouvidos nas respectivas cidades onde forem localizados.

4 thoughts on “Ex-senador Gim Argello é preso, na nova fase da Lava-Jato

  1. O ex- senador Gim Argello é amigo do peito da presidenta tanto que, em 2014, ele foi o protagonista de um dos mais vergonhosas capítulos da era Dilma, ao ser indicado pela presidente Dilma para uma vaga no TCU.
    Na realidade , Renan Calheiros assumiu a paternidade da indicação de Argello , tentando, junto com a base governista , tratorar a aprovação do então senador para a vaga, mas falhou na aprovação de um requerimento de urgência para que os prazos normais pudessem ser ignorados. Renan Calheiros chegou a declarar aprovado o requerimento, mas com um pedido de verificação de quórum, os cleptoaliados foram derrotados pela oposição por 1 voto.
    Detalhe : o presidente do Senado era então acusado pela mídia de estar tentando inviabilizar a CPI da Petrobras.
    O Gim – agora de nickname Alcoólico – já tinha sido pego de calças curtas fazendo lobby junto à Advocacia-Geral da União em favor do ex-senador Luiz Estevão, batalhando exatamente para amaciar o valor de uma multa aplicada pelo TCU de R$ 1 bilhão por conta das irregularidades na construção da sede do Tribunal Regional do Trabalho, em São Paulo, aquele do inesquecível juiz Lalau.Como se não bastasse , o probo senhor senador respondia – como Renan ! – a seis inquéritos no Supremo Tribunal, sendo investigado por suspeitas de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica, peculato (desvio de dinheiro público) e crime contra a lei de licitações.
    É um acinte que , assim mesmo, seu nome foi indicado para o TCU pela presidenta que defendia ter o amigo os requisitos exigíveis, entre eles idoneidade moral, reputação ilibada, notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos etc, etc , etc.
    Lembro que os servidores do TCU iniciaram uma vigília no Senado para impedir a aprovação da nomeação de Gim, que os ministros do TCU soltaram uma nota alertando que a exótica indicação feria a Constituição.Por fim,o então presidente do TCU , ministro Augusto Nardes , deu declarações às “fontes” de sempre de que não empossaria o Gim , mesmo que ele fosse eleito.
    Finalmente e encurralado ,Gim Argello para não ficar ainda pior na foto, renunciou à
    indicação, mas sem perder a majestade. Declarou alto e bom som que a sua indicação fora acertada com a presidenta Dilma e que, portanto, sua derrota fora também uma derrota do governo.
    Eu espero que a Lava Jato não tenha esquecido o vergonhoso papel da presidenta
    em mais esse espetáculo de descaramento, em mais essa tentativa de aparelhamento do TCU, em mais esse crime de desvio de responsabilidade

    • O alcunhado “alcóolico” também tem como cumpanhêro de fraude o constantino da Gol. Famiglia esta que coincidentemente é dona da Pássaro Azul Táxi Aéreo e seus jatinhos executivos que o capo lula tem usado nas suas viagens à Brasília para ocupar a sua cadeira de corleone tupiniquim.
      A Lava-jato não dá ponto sem nó…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *