Excluram o povo

Carlos Chagas

Quanto performance dos jogadores, a ttica do Felipo ou o pnalti inexistente marcado pelo nosso amigo nipnico, so assuntos por conta dos colegas especializados em futebol.

No d para ficar calado, porm, a respeito da profunda distoro social que o incio da copa do mundo vai revelando. Quem assiste as transmisses, desde quinta-feira, tem a impresso de estarmos na Sucia, tantas lourinhas flagradas pelas cmeras em meio euforia de um pblico bem vestido e elitizado. Negros e mulatos foram vistos s bissextamente, com o agravante de no ter aparecido nenhum torcedor trajado da forma modesta como a maioria de nosso povo.

Os estdios, mais parecidos com palcios, podem ter deslumbrado os turistas, mas pouco tem a ver com a realidade do pas. Em suma, um espetculo para os bem aquinhoados, claro que por conta do altssimo preo dos ingressos, inacessveis aos operrios de salrio mnimo.

E AS GERAIS?

No h como deixar de comparar a atual copa com aquela outra, de 1950, quando em vez dos 60 mil privilegiados de hoje, compareciam 150 e at 200 mil pessoas, no antigo Maracan. L, havia espao nas gerais, onde a preos mdicos as partidas eram assistidas de p, alegria dos menos afortunados. Para no falar nas arquibancadas onde a gente sentava no cimento, quando podia sentar, em meio multido feliz. Agora, o povo est excludo da copa, obrigado a ver os jogos nos teles montados em praa pblica ou nos monitores dos botequins. Por muitos anos, no Rio, os Fla-Flus reuniam a massa, pois o futebol era delas, alm da classe mdia. Em So Paulo, a mesma coisa diante do embate entre Corinthians e Palmeiras, no Pacaembu.

Sobre o comportamento das massas, Nelson Rodrigues definiu muito bem ao escrever que elas vaiavam at minuto de silncio, mas educadamente, ao contrrio dos tempos atuais quando se ouvem chaves obscenos e desnecessrios. E por um pblico menos numeroso, com dinheiro no bolso.

Uma palavra sobre a presidente Dilma, que demonstrou covardia ao no abrir a solenidade, escondendo-se na tribuna de honra e deixando de inaugurar o certame. No entanto, enganou-se, caso tenha pensado em no perder votos por conta das vaias. Porque foi descoberta pelas cmeras, mesmo em fugazes segundos, recebendo agresses verbais capazes de faz-la meditar sobre as surpresas de outubro. Na presena do secretrio -geral das Naes Unidas e de governantes de diversos pases, omitiu-se a nossa presidente, para satisfao do dono da Fifa, que tambm seria vaiado.

 

7 thoughts on “Excluram o povo

  1. Sr. Carlos Chagas,
    No sou expert em futebol. Sou advogado tributarista, mas sei o que PENALTY. FOI PENALTY SIM. O Sr. est torcendo pela a mdia estrangeira coisa muito comum dos brasileiros. No se v isso na Europa ou Estados Unidos. A G1-Noticias Globo em vdeo passou o lance em 18 posies. Em 4 delas, v-se claramente o nmero 6 da Grocia empurrando com a mo esquerda o antebrao direito do FRED e o derrubando. Congelando-se o lance, v-se claramente que foi PENALTY.

  2. Quer queiram, quer no a Luta de Classe chegando aos estdios. Mao Ts Tung dizia que a LdC move a Histria. De fato, a atualssima Histria do Brasil “moveu” os torcedores pobres para as periferias, assistam em casa… ou nas ruas… Alis, estdio agora se chama “arena” e eu sempre lembro que nas antigas arenas do Imprio Romano, os cristos (pobres?) eram deglutidos pelos lees…

  3. PURO COMPLEXO DE INFERIORIDADE. O POVO BRASILEIRO MESTIO. SE VOC EST VENDO SO LOIROS, SO CRILOIROS OU LOIROSc TURISTAS EUROPEUS. kkkkk

  4. No votei em Dilma nem em Lula.
    Porm entendo que a manifestao deveria ser de outra forma.
    Deveria ser uma colossal via, que naturalmente envolveria quase
    todo o estdio : , , . Ela mereceu, pois
    ” QUEM SEMEIA VENTO, COLHE TEMPESTADE”.
    Agora, quanto ao Lula, me lembrei do Carlos Drumond de Andrade:
    ” Onde ests que no respondes. Onde que t ti escondes ?
    um fujo.

  5. Mas que mania essa de achar que para ser brasileiro tem que ser preto e pobre?
    Eu no estava neste jogo, mas estava em jogo da Copa das Confederaes, onde se falou a mesma insanidade. E eu sou mestia e trabalhei muito duro para hoje poder pagar pelo ingresso nos estdios!
    O povo trabalhador, que move o pas, merece mais respeito.

  6. Entendi a profundidade do texto, jornalista.
    O equivalente a pensar que nessa Copa, o Geral..dino vai assistir, de p, em frente a um telo ou televiso na vitrine de alguma loja …

  7. Ai que demagogia barata, no aguento mais essa ladainha de rico contra pobre. Se em 1950 o Maracan cabia 200 mil pessoas sendo uma grande parte sem o menor conforto e em p, no vejo isso como vantagem do povo. Se hoje so colocados teles com boa imagem em braa pblica e de graa no vejo onde possa se ver com indignao e preconceito esses espaos que so pblicos e legtimos para quem quiser comparecer. Chega de palhaada querendo jogar uns contra os outros s por que no foram aos estdios. Eu no fui porque no quis, acho melhor assistir aos jogos no conforto de minha casa na poltrona da sala.

Deixe um comentário para Antonio Rocha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.