“Éxercito de Stédile” fará ato pró-Dilma no dia 31 de março

Exército de Stédile em ação, diante da ABI, no Rio de Janeiro

Ana Fernandes
Estadão

Aproveitando a data em que ocorreu o golpe militar em 1964, os movimentos sociais programam um ato de defesa ao mandato da presidente Dilma Rousseff para 31 de março. A manifestação será em Brasília e reunirá a Frente Brasil Popular, que tem o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e entidades sindicais como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), ligada ao PT, e a Frente Povo Sem Medo, que tem grupos mais refratários ao governo, como o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e a Intersindical – Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora, ligada ao Psol.

“Ditadura, a gente já viveu no passado, não podemos ter golpe de novo. Em relação à presidenta Dilma, não tem absolutamente nada que impeça ela de governar”, disse o secretário-geral da CUT, Sérgio Nobre, ao Broadcast Político. “Nossa democracia ainda é recente e frágil. Não há razão legal para o impedimento da presidenta”, disse Gilmar Mauro, um dos líderes do MST, à reportagem.

A manifestação virá mais de duas semanas depois do ato programado por movimentos anti-Dilma, com apoio da oposição, em 13 de março. “Não estamos demorando a responder porque não é uma manifestação de resposta. Não vamos ser pautados por esse povo (pró-impeachment). Esse pessoal que está insistindo em agravar crise política está prestando um grande desserviço ao País. Um dia, a história vai mostrar isso”, disse Nobre.

CRÍTICA A AÉCIO

Ele também criticou a postura do presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), de apoiar grupos como Movimento Brasil Livre (MBL), Vem Pra Rua e Revoltados Online. “O papel dele era ajudar o País a crescer. Isso prova que ele não tinha estatura para ser presidente, que o povo fez certo ao não escolher ele (nas eleições de 2014).”

Mauro afirma que a data permitirá também uma maior organização entre as dezenas de movimentos e centrais que integram as frentes. O líder do MST afirma que não há qualquer estimativa oficial da organização do ato do dia 31, mas que ele acredita ser possível reunir entre 50 mil e 100 mil manifestantes em Brasília.

Os líderes dos movimentos dizem que seguem críticos à orientação da política econômica do governo, mas que isso não significa uma autorização para depor Dilma. Eles rebatem a ideia de que a prisão do marqueteiro João Santana, na Operação Lava Jato, seja motivo para impeachment ou para uma cassação da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

CRÍTICAS A DILMA

“Evidentemente, somos críticos ao governo Dilma, muito críticos, mas ela foi eleita legitimamente. Se a presidente for impedida por isso (caixa dois de campanha), todos os governadores, prefeitos, a maioria dos deputados teria de ser impedida. O caixa dois é parte da lógica da política brasileira e continuará sendo, enquanto não houver uma verdadeira reforma política”, disse Mauro. “Defendemos que tem de se investigar, mas todas as campanhas, não um lado só. Os mesmos caixas que financiaram o PT, financiaram o PSDB e o PMDB. Não há equidade no processo de apuração”, complementou Nobre.

Novamente, o ato dos movimentos sociais e das centrais sindicais vai às ruas com a pauta de defesa do direito da presidente Dilma governar, mas levará duras críticas à política econômica do governo. A principal crítica deve se centrar à proposta da reforma da Previdência. “Não dá para misturar as duas coisas. Defendemos a democracia, mas somos contra a reforma da Previdência e toda essa política econômica de ajuste, que é uma fórmula de desemprego e depressão”, afirmou Mauro, do MST. “Temos como eixo principal a defesa do emprego, contra a reforma da Previdência com essa proposta de idade mínima e equalização da idade de aposentadoria de homens e mulheres”, disse Nobre, da CUT.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Conforme já anunciamos aqui na Tribuna da Internet, o chamado “exército do Stédile”, convocado pelo ex-presidente Lula, já está nas ruas e não pretende sair. A partir de agora, todo protesto contra Dilma será reprimido na base da violência. Resta saber o que acontecerá no dia 13 de março, quando será realizada a megamanifestação nacional pelo impeachment de Dilma. Se não houver policiamento ostensivo, tudo pode acontecer. O ato pró-Dilma no dia 31 parece ser uma provocação às Forças Armadas. Todo cuidado é pouco, como dizia Ibrahim Sued, porque cavalo não desce escada… (C.N.)

15 thoughts on ““Éxercito de Stédile” fará ato pró-Dilma no dia 31 de março

  1. São os cafetões da miséria, usando os deserdados como escudo humano de ladrões… O que o Sr. Stédile já fez na vida a não ser pastor da miséria, desde 1979 ??? Reparem bem na cara dele, não tem nenhuma ruga, pele rachada ou manchas de quem já puxou um cabo de guatambu na vida !
    Do que vive esse senhor ? Antes ele vivia com dinheiro da Associação Mundial de Igrejas, onde o ‘coroinha’, chalaça de Santo André, vulgo homem do carro preto , passava a cestinha.
    São uns covardes, já que o gigolô do lumpesinato nunca põe a cara na frente, geralmente coloca mulheres e crianças. Ao visto estão querendo arrumar uma vítima, pois esse bando de bunda mole não aguenta dois sacodes do Batalhão Tobias de Aguiar.
    Aliás, até diárias de R$ 130,00 o seu Stédile anda cobrando do Palácio….

    IRRESPONSÁVEIS A SERVIÇO DO CRIME….

  2. O dono desse blog, também é conhecido como “maluco do megafone’ , pois certa vez ele e mais uns 5, foram fazer um comício na porta da Folha a favor do Zé Dirceu.
    O ex vendedor de auto peças, é um lunático, pois certa vez escreveu que haveria até atentados na Copa, para prejudicar a Dilma. Essa é a Rede Goebbels..

    ” Blog petista fala em quebra de sigilo de Lula
    Brasil 26.02.16 12:11
    Lula e o PT estão desesperados. Em mais uma tentativa de tentar melar a Lava Jato, começaram a difundir na internet notícia de uma suposta quebra de sigilo bancário e fiscal de Lula, Okamoto, dos Lulinhas e até do caseiro Maradona.
    A informação está sendo publicada pelo “Blog da Cidadania”, mais um da camarilha petista.
    Ele diz que uma “fonte” lhe passou a decisão número 5005896-77.2016.404.7000 e, curiosamente, alega que esse “vazamento” faz parte de uma conspiração da Lava Jato com a imprensa.
    O Antagonista torce para ser verdadeira a decisão de Moro e aguarda ansiosamente a operação que irá prender o Brahma.

  3. E nós pagamos para sermos ameaçados pelo Guevara de picadeiro…

    ” O governo federal repassou, sem qualquer processo licitatório, milhares de reais ao líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile. A grana tem sido depositada ao longo dos governos petistas, ao menos 24 vezes. A maioria dos pagamentos (18) foi justificada como “Diárias a colaboradores eventuais” para bancar viagens de Stédile para locais como Brasília, São Paulo e Florianópolis.

    Em 2015, a Presidência pagou diária para Stédile comparecer a uma entrevista no programa “Espaço Público”, da EBC, a “TV do Lula”.

    Stédile não dispensa nem as merrecas saídas dos cofres públicos. Em 2004, embolsou R$ 120 para ir a evento de “qualificação social”.

    O líder do MST abusou das “diárias”, com dinheiro público, em 2013, pagas pela Presidência da República, ora pelo Ministério da Educação.

    Em 2005, o Tribunal de Contas da União chegou a investigar a farra de Stédile. Teve trecho que recebeu e não viajou. Mas acabou em pizza.

  4. Já estamos na 3.ª geração de acampados e a Dilma fez menos de 1/4 dos assentamentos feitos pelo FHC, sem contar que a melhor amiga dela é a Katia Abreu…

    O Comediante está defendendo o quê ???

  5. Aqui em São Paulo, pelo menos, a PM se faz presente em número muito expressivo. Todos obedecemos às orientações dos movimentos organizadores e da PM. Nunca houve sequer uma vitrine quebrada. As revistarias de nossa Avenida Paulista permanecem abertas durante nossas manifestações, bem como bares e restaurantes. Todos sabem quem somos, tanto a Polícia, como os comerciantes. As hordas vermelhas não vão nos intimidar. Não podemos viver eternamente sob o jugo dessa organização criminosa, por medo dos vermelhos.

  6. Sempre que os cidadãos brasileiros por livre e espontânea vontade marcam uma data para fazer protesto contra o governo do PT, os apaniguados do governo marcam logo um movimento numa data próxima para apoiar a Presidente Dilma, querendo fazer crer que existem pessoas contra o governo, mas também existem a favor. A grande diferença é que os movimentos contra esse governo são realizados pelo povo espontaneamente com apoio da maioria da população. Enquanto os movimentos a favor do PT e desse governo são de organizações beneficiadas pelo governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *