Exploração, produção e refino de petróleo no Brasil ainda são tipo casa da mãe Joana

Resultado de imagem para navio vitoria 10000

Navio Vitória 10000 foi vendido e está abandonado em Campos

Vanderson Tavares

Sou oriundo da indústria de petróleo, onde inclusive estou embarcado, realizando projeto de exploração para a empresa francesa Total. Realmente o custo de produção aqui no pré-sal é bem baixo, muito inferior ao que estudamos na faculdade nos idos de 2013, porém, embora o pré-sal já venha dando bons frutos no aumento de produção nacional, o petróleo extraído daqui não é processado por nós, pois não temos refinaria para refino de petróleo leve.

Nossas refinarias (muitas sucateadas), refinam petróleo pesado, proveniente da Bacia de Campos (grande geradora de petróleo brasileiro).

SEM PLANOS – Tínhamos muito para dar uma alavancada em nossa produção e refino, com adaptação de nossas refinarias ou simplesmente misturando o petróleo de Campos (pesado), com o do pré-sal (leve), porém, com o abandono do Comperj e da Abreu e Lima, continuamos indo do nada ao lugar nenhum,

Infelizmente, em nosso país, as obras são com fins eleitoreiros. Nossos governantes não fazem plano de desenvolvimento a longo prazo. E continuamos nessa “marolinha”.

Para ser sincero, a gestão petrolífera brasileira sempre foi tumultuada. Trabalho no petróleo desde 1993 (há 27 anos) e sei o quanto tudo isso parece ser maluco.

NEGOCIATA – Vou dar como exemplo: agora em novembro, a Petrobrás vendeu em leilão, “a preço de sucata”, um navio de perfuração (NS-30 – Vitória 10.000) por 15 milhões de dólares, sendo que esse navio tinha sido comprado em 2010 por 750 milhões de dólares (pela Schahin Cury, com a promessa de pagar à Petrobrás, em serviços).

Enfim, deu aquela confusão toda, e inclusive nessa estória teve dois navios que sairam do país na “surdina” após ação da Receita Federal (não poderiam ter deixado o país), mas afinal, o Brasil é uma casa da mãe Joana, aqui tudo pode.

https://exame.abril.com.br/revista-exame/sigam-aqueles-navios/

PROJETOS MALUCOS  – O Comperj é um verdadeiro fiasco, que parece que foi um projeto feito por bêbados dentro de “pé sujo”, onde ninguém sabe o que vai acontecer com aquilo lá. Só falta demolir tudo e transformar em estádio para o Flamengo (em projeto de doido tudo pode acontecer).

Este navio de que estou falando (Vitória 10.000), é uma embarcação de perfuração supermoderna, construída no estaleiro da Samsung na Coréia do Sul, e poderia muito bem realizar serviços de perfuração nos campos adquiridos pela Petrobrás, pois o navio está jogado na Bacia de Campos, sem nenhum tipo de operação.

Mas, como você mesmo diz: Quem se interessa??

17 thoughts on “Exploração, produção e refino de petróleo no Brasil ainda são tipo casa da mãe Joana

  1. “Infelizmente, em nosso país, as obras são com fins eleitoreiros. Nossos governantes não fazem plano de desenvolvimento a longo prazo. E continuamos nessa “marolinha”. Para ser sincero, a gestão petrolífera brasileira sempre foi tumultuada. Trabalho no petróleo desde 1993 (há 27 anos) e sei o quanto tudo isso parece ser maluco.” No Brasil, salvo exceções, as obras são apenas pretextos para a corrupção, ao que parece, sob a égide do sistema podre, forjado pelo golpismo ditatorial, o partidarismo eleitoral e seus tentáculos, velhaco$, à paisana e fardados, enquanto artífices e sócios-proprietários da república tipo 171, que faz do Brasil um país sui generis, hors concours, completamente doidivana$, que a cada novo golpe ou nova eleição dilacera cada vez mais o fiofó do contribuinte, sempre obrigado a pagar a conta das loucuras do sistema podre, canceroso, saco sem fundo, sob as penas da lei delle$, à moda todos os bônus para elle$ até morrem de velhos nas tetas do erário e o resto que se dane com os ônus, doença essa que afeta não só a política mas tb o estado. Há mais 40 anos tenho refletido sobre tudo isso, tentando encontrar uma fórmula capaz de por alguma ordem justa nessa casa de “Mãe Joana”, e daí, há cerca de 20 anos , mais ou menos, fechei questão em torno da transformação da república sinistra, bichada, vencida, numa confederação, mandar toda a corja velhaca sediada em Brasília de volta para as suas respectivas regiões, obrigando estas a caminharem com as suas próprias pernas, com autonomia e auto-suficiência, e mandar para Brasília apenas um representante de cada região (7 regiões ao todo) para compor o governo confederativo, administrar e nortear tb o fundo confederativo e sobretudo o conjunto da obra, tudo isso em regime de Democracia Direta com Meritocracia, em todos os quadrantes da confederação, fazendo assim barba, cabelo e bigode no sistema podre, com prazo de validade vencido há muito tempo, tipo velho que já morreu, a ser sepultado no mausoléu da história do Brasil.

    • Só Lamentar não conserta nada. Lamento não passa de atitude de fracos – que é o que somos.
      O Brasil aos poucos está se tornando um lixeirão (landfill): há insjustiça e a aceitamos com lamentos constantes; a pobreza se expande como ebola; a ignorância é lugar comum nas artes, nas ruas, na TV, e afunda cada vez mais nosso país no fosso do subdesenvolvimento.
      Precisamos mudar, exigir que a integridade e o senso de cidadania prevaleça em todos os níveis. Como fazer? Essa é uma questão crítica e difícil de responder, mas sabemos o que não funciona: a nossa inércia diante do acinte das autoridades e o conformismo com status quo. Temos que começar nas comunidades: limpemos a frente de nossa casa se quisermos um bairro limpo,troquemos idéias com nossos vizinhos, enganjemo-nos em ações comunitárias e em protestos que reinvidiquem ações positivas. Temos que participar. Chorar pra quê? não adianta – só dá samba.

      • Vc não leu o que o Loriaga escreveu. Leia de novo e entre vc tb na nossa LUTA que já está nas ruas do país há cerca de 20 anos, como já deu o ar da sua graça em Junho de 2013, porque a Revolução Redentora da Nação é a Mega-Solução.

  2. Adendos, em:. O Papel das Sociedades Secretas na Implantação da Cobiçada Nova Ordem Mundial
    Ao longo de dezenas de anos e de várias gerações, os líderes globalistas da elite empurraram a agenda da NOM pela nossa goela abaixo e a temos engolido sem reclamar. O papel das sociedades secretas não é apenas secreto, é decisivo. [30 KB]

  3. Nome aos bois por obséquio.
    Comperj e Abreu e Lima superhiperfaturados e neste a Venezuela deu cano, mãos com nove dedos suja de petróleo dizendo que temos um bilhete premiado, gerentona ministra das minas e energia alçada a gênia presidanta, a ruivinha de Pasadena e por aí vai.
    Vamos citar os nomes dos principais responsáveis e não ficar ficar falando impessoalmente “governo e governantes”?

  4. Mas, como você mesmo diz: Quem se interessa??

    E por onde anda os funcionários milionários que mamam na gata?
    Calados, então que se fodam, pois é o emprego e renda deles que esta em jogo.

  5. A tristeza é sabermos que entra governo, sai governo os interesses nacionais sempre ficam em segundo plano. Exemplo disto é a Reforma da Previdência, ela reformou o que de verdade? Lascou no lombo do contribuinte mais anos de contribuição, ou seja, deu uma folga de caixa ao INSS. Daqui há cinco anos a folga acaba e o drama volta. Assim é que se administra o Brasil, pensando na segunda-feira porque hoje estamos no sábado. E segunda-feira se pensa na quarta-feira, quando é que vamos pensar só no Brasil?

  6. O autor do texto comete um erro ao falar sobre a capacidade das refinarias de processarem o petróleo oriundo do pre-sal.
    Nossas refinarias não estão preparadas é para o petróleo de campos que é muito pesado (grau API <22° e precisa ser misturado com petróleo leve para ser processado). A média do pre-sal é 27° API que é bem apropriado às nossas refinarias.

    Quanto ao COMPERJ, era um projeto bem ambicioso, unia refinaria e petroquímica, mas o valor do projeto era bem vultuoso.

    O valor da refinaria Abreu Lima foi subavaliado no projeto básico, O valor inicial orçado estava bem aquém da realidade. O valor real foi muito maior do que o previsto inicialmente, mesmo que não houvesse desvios. Mesmo assim, uma parte da refinaria está operando.

    Construir uma refinaria custa muito dinheiro, por isso os compradores preferem a coisa pronta.

    Uma coisa que não foi comentada é que a exigência do conteúdo nacional para aquisição de bens e serviços por parte das empresas que exploram o petróleo e seus derivados, diminuiu muito. Isso gerava muito emprego aqui no Brasil , como a construção de navios e plataformas de petróleo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *