Expulsaram Dona Marina, massacraram a democracia. Mas ela não pode desistir da luta.

Helio Fernandes

Ontem, às 7 horas da noite, sentado diante da televisão, eu era um homem dividido e atormentado. O jornalista bem informado lembrava o comportamento desse mesmo TSE, no registro desprezível do PSD de Kassab, do Pros de ninguém e do Solidariedade do Paulinho da Força.

Mas confiante na mente, na alma e no coração do ser humano, eu esperava, aguardava, acreditava. Em quê? Não antevia de jeito algum aquele 6 a 1 desmoralizante, resistia à descrença, dizia para mim mesmo que ainda era possível um 4 a3, quem sabe a favor do registro do partido de Dona Marina.

Quando a relatora disse: “Cabia ao partido que pedia o registro autenticar as assinaturas”, e que isso não era obrigação deles, fiquei assombrado. A relatora considerava que os cartórios estavam acima da lei, perdão, eles representavam a própria lei. Perguntei então para mim mesmo, lógico, sem resposta: “Essa relatora não tem família? O que dirá quando chegar em casa?”.

Como a vida é cheia de lembranças, de reminiscências de fatos que aconteceram, enquanto esperava, retrocedia para 1966, 47 anos atrás. Candidato a deputado pelo MDB da resistência (havia o MDB da subserviência, de Chagas Freitas e Miro Teixeira, este ao lado de Dona Marina, todos os dias). O general Golbery levou o ano todo procurando amigos do repórter com a proposta indecente: “Se o jornalista desistir da candidatura, não será cassado”. Eu respondia com uma pergunta. Não a ele, claro, mas aos amigos preocupados : “O que vou dizer à minha família?”. Resisti o ano todo, só fui cassado no dia 12 de novembro, a eleição seria no dia 15. Mario Martins, candidato a senador, eleito e logo cassado, telefonou pedindo que eu encerrasse o comício do dia seguinte na PUC. Encerrei, claro, com um discurso violentíssimo.

O TSE VAI SE DISSOLVER?

Quando o resultado ficou em 4 a 0 contra o registro e nenhum dos três ministros votara, pensei numa solução heroica, válida,legitima, constitucional: os três votariam pelo registro e fariam a sugestão de conceder um prazo de 30 ou 60 dias, para que Dona Marina fizesse o que a relatora falara: “Referendar as assinaturas”, 92 ou 98 mil, que os cartórios vetaram, não precisavam explicar coisa alguma, eles estão isentos dessas “motivações tolas”. Faltavam 48 mil assinaturas, nos cartórios, 98 mil INTOCADAS.

Não houve nenhuma palavra sobre isso, ficou em 5 a 0. Gilmar Mendes foi o único a tirar do placar esse zero deprimente. Não é segredo que tenho criticado muito Gilmar Mendes, mas na participação de ontem, só merece aplausos. Primeiro, retumbou: “O que está acontecendo aqui é VERGONHOSO”. E não recorreu ao lugar comum, “data vênia”.

Depois, com as duas mãos cobrindo o rosto, apelou para o vulgar, que no caso não vou nem criticar: “O que estão decidindo é de FAZER CORAR UM FRADE DE PEDRA”. Bom ator, Gilmar foi se exaltando, elevando a voz, quase gritando, depois, enlevado, baixava o tom sem diminuir a violência da crítica.

Nem adianta examinar o conteúdo (conteúdo?) dos seis votos que liquidaram o 33º partido, decidiram que deveriam terminar o julgamento em odor de santidade, ao contrário das três outras vezes, quando não se incomodavam e até se exibiam da forma mais enganadora, mistificadora, fraudulenta.

###

PS – Agora me dirigindo a Dona Marina, a quem recorro pela primeira vez na vida. A resistência não termina por causa de uma derrota programada, planejada, pressentida. Mesmo sem a Rede, tem que ser candidata.

PS2 – Se não queriam que você fosse candidata, para que não interferisse no resultado e tudo se resolvesse no primeiro turno, não faça o jogo deles, se filie a outro partido. Dispute, faça campanha sem raiva mas com disposição ainda maior. Marina, quer derrota mais gloriosa do que a de ontem, com poderes e poderosos se voltando contra você?

PS3 – São 10 horas da manhã. Espero que ainda hoje, a qualquer momento, volte para comentar a tua entrada em outro partido, sinal de que você continua na luta.

PS4 – Em 1937, Geraldo Rocha, dono do jornal “A Noite”, por causa de uma conspiração interna, perdeu o órgão (o que já acontecera com Irineu Marinho, em 1925).

PS5 – Vargas chamou o jornalista, disse: “Na hora da borrasca não se muda o timoneiro, funde outro jornal”. Geraldo Rocha concordou, fundou “A Nota” (pegado ao Teatro Municipal), não desistiu.

PS6 – Não desista, marina. Resistência é palavra de têmpera divina, poucos, muito poucos, podem pronunciá-la, exibi-la, gritá-la pela ruas.

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

22 thoughts on “Expulsaram Dona Marina, massacraram a democracia. Mas ela não pode desistir da luta.

  1. Mais um Salvador da pátria !
    Colônia de exploração , pode entrar quem for nunca vão enfrentar a metrópole e sua elite subserviente , que por migalhas escraviza milhões , o Único que teve peito foi LMB , por isso odiado ate hoje !

  2. O que falarão quando chegarem em casa? Ora..é simples: “Querida… aquela viagem de 1001 noites está OK….Filhão, aquela BMW zerinho vai sair……Filha, aqueles peitos novos…pode ligar pro cirurgião plástico…. Acabei de vender um Infringente…”

  3. Sr gms?

    Não é questão de salvar a pátria, é questão de direitos iguais, mesmo que muitas vezes sejam contestados.

    O “planalto” botou o dedo, e os covardes de sempre assobraram.

  4. O fundamentalismo de D. Marina, crescida e criada no PT, onde teve tudo que nunca sonhou, saiu chamuscado (aliás, ela ainda não disse porque saiu do PT). Pensava que o novo partido do Itaú iria lhe conferir credencial de cara nova na política. Mas os métodos lhe tiraram a máscara, querendo tirar vantagem da própria torpeza.

  5. Ninguém expulsou a Marina, ninguém a proibiu de disputar as eleições, ela e os seus, é que não cumpriram o que determina a lei pra tornar a “Rede” um partido. Ela teve o tempo necessário, como todos os outros, para conseguir as assinaturas, conseguiu, mas, faltou reconhecer as assinaturas de quase 90 mil pessoas.
    Não será problema pra ela conseguir guarida num partido qualquer, já que a musa do meio ambiente está protegida financeiramente pela filha do banqueiro Olavo Setubal.
    Agora, ela podia começar a falar sobre educação, saúde, economia, coisas que não sabemos ainda o que ela pensa sobre isso.

  6. Jamais a sociedade Brasileira, vai esquecer esta decisão do TSE, em barrar a criação do Partido da Ex-Sen. Marina da Silva o comportamento do TSE no registro do Pros de e do Solidariedade de Paulinho da Força foi outro, isto é normal no Brasil dois pesos e duas medidas, aprendiz logo cedo que este Brasil veio de preto velho, só tem justiça para os três “P” PRETO – POBRE E PUTA, se falta 48.000 assinatura e nos cartorios tinha 98.000 para ser anlizadas faltou dignidade aos Cidadões que compõe o TSE, essa é a verdade mais eles tinha de acompanhar STF, no caso dos mensaleiros para não ficar para traz juntos aos poderosos chefes da corrupção deste pais.
    O Povo vai dar a resposta na hora certa, o povo que está protestando na rua contra esse tipo de injustiça dos poderes constituido neste pais. Fará de MARINA Presidente da Republica não desista porque sua historia de vida não permite desistir, você é daquelas pessoas que “NÃO SE GLORIA DA VITORIA SEM ANTES TER LUTADO POR ELA” em frente MARINA, vamos dar resposta nas urnas, sem voce ser candidata muito brasileiro ficaram sem opção de votar.

  7. Caro Jornalista,

    Ainda que Marina seja pura de corpo e alma e cheias de boas intenções, se por acaso for eleita, terá que negociar com o atual Poder Legislativo. Ela poderá pagar pedágio aos senadores e deputados, seja à vista (como fez FHC), seja a prazo (como bem sabe o Lula).

    No nosso atual sistema de governo, presidente não manda em nada!

    Abraços.

  8. Para a felicidade geral daqueles que sabem uma parte ínfima dos bastidores do poder, nos salvamos da “nova empregadinha” do poder globalitário, esta pronta para maltatrar ainda mais a nossa querida e rica, mas vilependiada nação. Mandou mal em elogiá-la, Hélio Fernandes. Ela é terrível, em todos do sentidos.

  9. Afeeee… Marina Silva candidata a presidente do Brasil ajudaria a democracia? Financiada e em conluio com o mercado financeiro e o empresariado sonegador? Faz me rir, é muito ódio do PT né não.

  10. Prezado Mestre HF.
    GOSTEI DO PS 6
    À VOSSA SENHORIA,É QUE PODE SAIR E GRITAR PELAS RUAS.
    ÉS UMA AUTORIDADE RECONHECIDA.
    QUE DEUS ILUMINE SEUS CAMINHOS:SAÚDE E PAZl

  11. Essa espertalhona sabia que o Solidariedade não conseguiria o registro. Ficou exposta todo esse tempo propagando o seu nome, já bem conhecido. Falou mal dos outros partidos e que a Rede era a inovação. Não pode, por dever de caráter, se candidatar por outro partido. Se aceitar demonstrará que o programa que ela tem é o de todos: o poder. Para ser coerente deve esperar até 208.

Deixe uma resposta para Mauro Julio Vieira Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *