Exumação do corpo de Jango será feita dentro de três meses

<br />
Enterro de João Goulart em São Borja (RS) - 07/12/1976<br />
Foto: Arquivo O Globo
Jango foi enterrado em São Borja, numa cerimônia emocionante.
Flávio Ilha (Instituto João Goulart)
A Comissão Nacional da Verdade (CNV) e o Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul decidiram exumar o corpo do ex-presidente João Goulart, que morreu supostamente vítima de um ataque cardíaco no dia 6 de dezembro de 1976 durante exílio na Argentina. A exumação, que terá o acompanhamento de peritos argentinos e uruguaios, deverá ser realizada nos próximos três meses.
A decisão, tomada em uma reunião ocorrida em Brasília no último dia 24 de abril, foi confirmada pela coordenadora do grupo de Relações com a Sociedade Civil e Instituições da Comissão, Rosa Cardoso. No âmbito da CNV, ainda está em discussão a forma como a medida será concretizada – um inquérito civil público tramita desde 2007 na Procuradoria da República pedindo investigação sobre as causas da morte de João Goulart. A dúvida da Comissão é sobre a necessidade ou não de uma medida judicial para garantir a exumação.
– Tudo terá de ser feito com muito cuidado e cautela, já que se trata de um assunto bastante delicado. Haverá muita pesquisa antes de concretizarmos (a exumação). Mas a decisão está tomada – disse.
LABORATÓRIOS
A Comissão de Mortos e Desaparecidos já realizou um levantamento para rastrear os laboratórios capazes de fazer a melhor análise toxicológica do material que será colhido do corpo do ex-presidente. Esse resultado não foi informado pela Comissão. A expectativa é de que os componentes químicos utilizados num suposto envenenamento de Jango tenham se depositado nos ossos do ex-presidente, o que seria possível detectar com a tecnologia atual.
Mas, segundo uma fonte da CNV ouvida por O GLOBO, não há garantia de que as condições em que João Goulart tenha sido sepultado viabilizem esse processo. Nesse caso, a análise toxicológica seria inconclusiva. O ex-presidente está sepultado no cemitério municipal de São Borja (RS).
Outra preocupação da CNV é com a divulgação dos resultados. A exumação, segundo a mesma fonte, é a etapa mais tranquila do processo, cuja análise de laboratório pode demorar muito tempo – meses, talvez mais de um ano. O objetivo, contudo, é elucidar a morte de Jango da maneira mais precisa possível.
PERÍCIA
A procuradora federal Suzete Bragagnolo, que cuida do inquérito movido pela família do ex-presidente, disse que o próximo passo será reunir o corpo técnico que fará a perícia nos restos mortais de Jango para acertar detalhes do procedimento. Suzete foi mais cautelosa com relação a prazo, dizendo que a exumação poderá se realizar “até o final do ano”.
– Queremos fazer no prazo mais curto possível, mas não gostaríamos de fixar uma data neste momento. Mas posso assegurar que não é nossa intenção enrolar com o procedimento – afirmou a procuradora.
Em março, durante audiência pública da CNV em Porto Alegre, a família do ex-presidente fez um pedido formal para que o corpo fosse exumado. Desde então, o processo passou a ser analisado pela Comissão. A hipótese é que Jango tenha sido assassinado mediante a adição de um cápsula com três tipos de veneno no frasco de medicamentos que ele tomava diariamente para combater problemas cardíacos.
ENVENENAMENTO
O ex-agente da ditadura uruguaia Mário Barreiro, preso no Rio Grande do Sul por crimes comuns, confirmou em depoimento à Polícia Federal, em 2008, que participou da operação para matar João Goulart. O envenenamento teria sido planejado e executado pela ditadura uruguaia a pedido do governo militar brasileiro, já que Jango havia recuperado seus direitos políticos e planejava voltar ao país.
O neto do ex-presidente e diretor de Acervo do InstituTo João Goulart, Chistopher Goulart, comemorou a decisão.
– É muito importante. Temos defendido esse procedimento há bastante tempo, para que possamos restaurar uma versão oficial mentirosa sobre a morte de Jango. Como os indícios de assassinato são fortíssimos, esperamos que a perícia traga provas científicas – avaliou.
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

5 thoughts on “Exumação do corpo de Jango será feita dentro de três meses

  1. Tanto oba-oba para no final descobrir o óbvio: o que causou a morte desse sujeito foi aquele moléstia grave própria de manguaça – a cirrose hepática.

  2. A Dilma imita o finado Hugo Chavez. O finado cleptocrata e marxista mandou exumar os ossos de Simon Bolívar, para “provar” que Bolívar não tinha morrido de tuberculose, mas envenenado pela oligarquia colombiana. Foi só Chavez fazer tal feitiçaria, que ele pegou um cancer e morreu.

  3. É Jango, é Jango, é Jango,
    É o Jango Goulart!
    Dona Dilma faz muito bem em patrocinar essa investigação! Os militares gorilas eram mesmo assassinos. Foi com eles que o gorilão Pinochet aprendeu a ter orgasmos com torturas e assassinatos.
    O povo tem o direito de saber o que aconteceu com o grande Presidente João Goulart. Foi Jango quem deu a partida para a libertação dos trabalhadores da maldita tirania fascista. Isto ninguém vai tirar, nem do Jango, nem do Brizola. E não tem mais volta para os fascistas. Nenhum compromisso com os generais da ditadura!

  4. Bem que poderiam aproveitar a oportunidade e exumar um pequeno resto do Getúlio, fazer o teste de DNA nos dois e comprovar se Jango era mesmo filho do Getúlio – como tantas vezes ouvi no Rio Grande do Sul, inclusive de um primo do Jango.

Deixe um comentário para Chicão da Serra Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *