Pré-falida, parte da imprensa força uma barra para ajudar a desmontar a Lava Jato

Resultado de imagem para imprensa vendida charges

Charge do Clóvis Lima (Arquivo Google)

Carlos Newton

É duro constatar a situação da grande imprensa. Nenhum setor empresarial tem sofrido tão duramente os efeitos da estagflação (recessão com  inflação) que a economia brasileira vem registrando nos últimos anos. Jornais são fechados um atrás do outro, como o tradicional “Jornal do Commercio”, o mais antigo do Rio de Janeiro, e o “Jornal de Brasília”, que era o segundo mais importante órgão de imprensa da capital. As revistas diminuem a tiragem, fazem até edições em tamanho menor e também vão sucumbindo. A situação das rádios é desalentadora e apenas as grandes redes de TV conseguem se segurar, mesmo assim com enormes dificuldades e com o providencial auxílio do uso do horário politico, que de gratuito não tem nada e vai custar cerca de R$ 1 bilhão em 2018, em isenção fiscal.

“OPERAÇÃO ABAFA” – Em meio a essa gravíssima crise financeira, não causa surpresa que alguns órgãos de comunicação estejam se curvando à força da chamada “Operação Abafa’, que visa a inviabilizar a Lava Jato e manter o status quo da política, para beneficiar também as grandes empresas envolvidas em corrupção. Afinal, o governo federal é o maior anunciante do país e o dinheiro das empresas corruptoras também faz falta à mídia.

Para qualquer jornalista que tenha um mínimo de respeito próprio, abordar este assunto chega a ser dilacerante. É triste ver as redações encolhidas, num processo progressivo e que ninguém sabe aonde vai parar. Antigamente, os grandes jornais mantinham sucursais. Depois, passaram a ter correspondentes. Atualmente, nem isso, estão se abastecendo com notícias de “free-lancers” (colaboradores) locais, como está acontecendo com a cobertura da chamada República de Curitiba.

CULPA DA INTERNET? – Parte da culpa dessa crise, por óbvio, é da internet, que democratiza cada vez mais a informação. Mas surgem as distorções, criando-se sites e blogs a favor disso ou daquilo, para privilegiar opiniões dirigidas. Aliás, neste particular os governos do PT foram precursores. Sustentaram muitos blogs e sites, foi um verdadeiro festival.

Existem hoje pouquíssimos espaços independentes, onde possam ser lidos ideólogos de diferentes tendências, como ocorre aqui na “Tribuna da Internet”, que transcreve simultaneamente Leonardo Boff e Percival Pugina, Merval Pereira e Mauro Santayana – e todos eles são verdadeiras sumidades, cada um com sua ideologia, pois não se pode deixar de reconhecer que todos eles merecem respeito, até porque perseguem o mesmo objetivo, o bem comum, embora cada um trafegue seu próprio caminho.

IMPRENSA LIVRE – A grande lição disso tudo é que o jornalismo precisa ser livre e contraditório, admitindo ideias e propostas antagônicas, para que a opinião pública possa fazer opções e se posicionar acerca dos grandes temas nacionais e internacionais.

Na “Tribuna da Internet”, estamos dando uma pequena contribuição para que ocorra esse grande debate, que interessa a todos nós. Justamente por isso, ficamos entristecidos com a campanha que se faz contra a Lava Jato na mídia e na internet, porque sabemos que é movida exclusivamente por dinheiro, não existe embate ideológico.

###
P.S. – Aqui na “Tribuna da Internet” a gente não tem sossego. O blog vive infiltrado de comentaristas que são pagos para defender A ou B, eles não se mancam, são estranhos no ninho, agem de uma maneira idiota e reveladora, não sabem usufruir da liberdade de expressão, chega a ser constrangedor. São supostos comentaristas que não têm a menor ideia do significado da palavra democracia. (C.N.) 

30 thoughts on “Pré-falida, parte da imprensa força uma barra para ajudar a desmontar a Lava Jato

  1. Moreira Franco diz: QUE ESPETACULARIZAÇÃO DE DELAÇÕES ATRAPALHA A ECONOMIA. É muita cara de pau. O que atrapalha é a roubalheira generalizada e muitas concentradas em dinheiro vivo nos assessores e ex do “presidente” Temer. Ainda falta descobrir vários “bunker’s” dos ligados diretamente aos governos . Até quando vamos aguentar quadrilhas nos poderes?

  2. Carlos, em meio a tantas tormentas financeiras que passam os Cidadãos de Bem do Brasil, esse espaço, humildemente, não se vendeu a canalha que tenta “venezuelizar” o Brasil ! A Liberdade de Imprensa não é um discurso nesse espaço ! Enquanto o “bêbado mor” do Brasil afirma sem medo na mídia que vai calar a Imprensa quando voltar a comandar o Brasil, somente esse espaço repudiou essa ameaça contra a Liberdade Imprensa ! Parabéns, continuamos aqui com você Bravo Carlos Newton !

    • Querido amigo Edjailson Correia, muito obrigado por suas palavras de incentivo, desejando-lhe um fim de semana glorioso aí no belíssimo Recife.

      Forte abraço,

      CN

  3. Uma coisa intrigante me assola: se houve tanta falcatrua com dinheiro de caixa 2 (destinados a campanha eleitoral, que diga-se de passagem, não parece ter fiscalização correta por parte da justiça eleitoral), pergunto: por quê existir TRE??? Acho que com a extinção do órgão, seria uma enorme economia ao governo. Outro assunto um tanto intrigante: como essa fortuna encontrada com Geddel não deve ser dinheiro declarado, ou seja, se não declarado por ele, não é dele. Por quê não liberar esse dinheiro para pagamento de milhares de funcionários públicos que estão com pagamentos atrasados, ao invés de ficar em conta judicial estacionado, sem nenhuma utilidade??? A morosidade da justiça envergonha o povo brasileiro.

  4. Newton, acho que você esta certíssimo ao publicar todos os pensamentos e correntes ideológicas, desde que não sejam ofensivas.
    Você se declara como de esquerda, o que respeitamos, enquanto nós, que somos assumidamente de direita, também temos tido o seu respeito, o que contribui para a convivência pacífica.
    Os infiltrados, infelizmente devem ser suportados em nome do convívio democrático.
    Quanto aos textos escrito por indivíduos com forte conotação ideológica, tem o condão de inspirar os comentários, favoráveis ou contrário, mas benéficos ao debate.
    A TI é o único blog que conheço, onde os comentários, que as vezes são até críticos ao moderador, mas que são publicados na integralidade.
    Da minha parte, só resta a admiração e reconhecimento pelo seu trabalho.
    Um abraço.

    • Querido Luiz Vilela, suas palavras me emocionaram. Quero esclarecer que, para mim, nem deveria existir o conceito de direita e esquerda. Seria melhor falarmos em pessoas do bem e pessoas nefastas, como diz o Gilberto Gil.

      Gosto de todas as religiões e chamo atenção para o ensinamento de Buda, que resume tudo em oito procedimentos:
      Compreensão Correta (Samyag-drsti);
      Pensamento Correto(Samyak-samkalpa);
      Fala Correta (Samyag-vac);
      Ação Correta (Samyak-karmanta);
      Meio de Vida Correto (Samyag-ajiva);
      Esforço Correto (Samyak-vyayama);
      Atenção Correta (Samyak-smrti);
      Concentração Correta (Samyak-samadhi).

      Ou seja, é só sermos corretos, independentemente de direita ou esquerda. A direita é estigmatizada pelo desprezo aos pobres, mas nem todas as pessoas de direita são assim. E a esquerda é estigmatizada por uma suposta atitude ditatorial, que Marx e Engels jamais defenderam. É tudo uma grande bobagem.

      Acho que Cristo é meio budista, ele passou ceca de 15 anos no Oriente e sabia que o importante é pensar e agir corretamente.

      Forte abraço.

      CN

      • 1) Certíssimo CN, concordo com vc.

        2) Pensamento do dia: “Uma das maiores burlas de nossos tempos terá sido o prestígio da imprensa” = Joaquim Nabuco.

        3) Citado por Sebastião Nery em artigo impresso na Tribuna da Imprensa, 11/08/1991.

  5. Quem de maneira aberta ou dissimulada critica a atuação dos agentes, procuradores e juízes da Operação Lava Jato, ou é corrupto, ladrão ou alienado. Sem exceção! A liberdade de opinião e expressão e análise das nuances neste assunto é incabível.Ou sim ou não!

  6. A imprensa brasileira sempre viveu nas tetas do poder e a serviço do mesmo. Rarissimas as exceções, como é o caso desta Tribuna. Ocorre que o dinheiro sujo que recebiam para divulgar matérias pagas e promover o sistema, ficou escasso, devido as investigações .

  7. Numa Democracia de verdade, Direta, a imprensa livre, honesta, enquanto olhos abertos da população, tem que ser de fato o quarto poder, tendo em vista inclusive que tem melhores condições de fiscalizar todos os demais poderes tendo como foco o interesse público e o sucesso pleno do bem comum do conjunto da sociedade de rabo preso apenas com a verdade plena enquanto âncora obrigatória de todos os poderes. O diabo é que na plutocracia putrefata que aí está, há 127 anos, alimentando a república tipo 171, com jeitão de cleptocracia e are fétidos de bandidocracia, contaminou tb a imprensa que, infelizmente, tornou-se instrumento até de golpes e ditaduras, avessas à liberdade de expressão e manifestação do pensamento, à moda tudo e qualquer coisa por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, salvo exceções, provocando assim até a antecipação do surgimento da Internet, engenhoca quiçá empurrada pelo dedinho de Deus, daí o fim de feira da imprensa ao velho estilo da velha república: ” é dando que se recebe”, ” ou dá o dinheiro aí, ou desce do poder”, conduta de fato criminosa, que, cá entre nós, não é imprensa coisa nenhuma mas isto sim máfia paralela à máfia maior que assalta o erário.

  8. o grande pulo – internet – nos deu a liberdade de confrontrar, checar as diversas informações. Alguns blogs e não é nem necessário citá-los, são tão tendenciosos e “fakes” ao estilo Trump e por isso serão depurados naturalmente com o tempo. A TI é meu prazer diário e CN minha informação isenta de radicalismos. Parabéns.

    • Nisso de ‘fake news’ pró Trump há muito de exagero e de vontade da mídia americana de arranjar uma desculpa para a derrota eleitoral de Hillary Clinton, que tinha o apoio ostensivo de 99,9% da imprensa e que gastou 650 milhões de dólares em propaganda na estimativa mais modesta, e mesmo assim perdeu para um personagem ridículo. As tais ‘fake news’ pesaram tanto assim, mais que toda a imprensa a favor dos democratas e os milhões gastos em propaganda? E quais foram essas ‘fake news’? Recentemente o Facebook divulgou um relatório dizendo que identificou que sua rede social teria sido usada para veicular falsas propagandas pró-Trump ‘provavelmente’ (conforme o próprio relatório) de origem russa, avaliadas em cem mil dólares. Quer dizer que cem mil dólares em propaganda no Facebook pesam mais que toda a mídia? E quanta propaganda houve a favor de Hillary Clinton, vinda do exterior?
      Trocando em miúdos, toda essa polêmica sobre ‘fake news’ não está querendo dizer que as pessoas só tem direito de receber notícias de fontes ‘aprovadas’ pelas classes dirigentes, e, ainda, tem obrigação de tirar dessas notícias as conclusões esperadas, como se avaliar um evento político fosse alguma operação de aritmética? As pessoas não tem seu próprio senso crítico, bom ou ruim que seja, para avaliar as notícias, se correspondem ou não à realidade e à suas experiências pessoais?

  9. A TI e o que necessitamos, a voz do povo se faz presente nesses momentos dificieis, antigamente com Helio fernandes ja era uma das melhores fonte de noticias e agora com Carlos Newton continua sendo , fico grato por ler esse blog e aqui devo notar o agradecimento ao jornalista, ..que deus lhe de saude e obrigado por continuar com A TI um espaco livre

  10. Bom, da minha parte “cunhei” junto à Tribuna da Internet como sendo um blog INCOMPARÁVEL!

    Acho que venho comprovando com meus comentários assíduos – certamente não têm a qualidade desejada pelo Mediador, lamento -, que se pode constatar nesse momento, onde a maior parte da imprensa é questionada, que este espaço democrático é verdadeiro, autêntico, e acolhe as mais diversas correntes políticas e religiosas.

    Parabéns ao Newton por não ter se vendido a partidos políticos, mantendo esta página na Web como um dos últimos baluartes a serviço da liberdade de expressão!

    • Obrigado, amigo Bendl, seu comentários engrandecem este espaço.
      Estou aguardando as sugestões que você e o Fallavena querem fazer para melhorar a TI.

      Saúde e Paz, amikgo.

      CN

  11. Até por uma questão de sobrevivência, imprensa livre, jamais esxistirá, Porquanto, nesse papel dualista de libelo/defesa pagos, a verdade passa a ser a impressão de quem já lê os noticiosos de modo preconcebido.Quanto à bíblia: adorei lê acerca dos prodígios de Jesus…. O satanista se deliciou com a narrativa da destruição de Sodoma….. O cético se sentiu bem representado na lenda da Torre de Babel. Onde está a verdade, enfim?

  12. Parabéns à Ti, minha compahia há algum tempo. Obrigado Dr. Carlos Newton. A TI possui ótimos articulistas e comentaristas. As traduções simultâneas de matérias de outras publicações são oportunas. VIDA LONGA, TI!

  13. Meu caro Carlos Newton,

    Você representa o que de melhor tem o jornalismo do Brasil.É sério, ético, culto, e acima de tudo idealista.

    Não sei há quanto tempo venho participante deste blog, com comentários e às vezes com alguns textos meus.

    A TI é meu chamego.

    Parabéns pelo artigo, e muito principalmente pelo P.S.

    Grande abraço, saúde e paz!

  14. A imprensa está em situação pré-falimentar no mundo todo, graças principalmente à internet, onde se pode ter notícias sem precisar pagar. A grande imprensa tradicional em toda parte vem encolhendo, desaparecendo ou, em alguns casos, se transformando em instrumento de super-interesses financeiros, como aconteceu com o Washington Post, agora propriedade do Jeff Bezos, o muiltibilionário da Amazon.
    Talvez tenha sido melhor para a imprensa brasileira que o aparato de corrupção do lulismo-peemedebismo tenha querido parecer tão moderninho e concentrado seus esforços de propaganda à internet. Do contrário, poderíamos hoje ter visto jornais, em vez de fecharem, sendo encampados pelos ‘campeões nacionais’ turbinados com dinheiro do BNDES, e atacando a Lava Jato ainda mais do que já fazem.

  15. Viu CN!!!
    Nada está perdido e sim em transformação.
    Quanto mais dificuldades, mais nós temos que dar nossos “pulos” para sair do sufoco; e a grande imprensa nunca passou por isto; só agora que os caras estão cortando propaganda para obrigar a mídia a se curvar para eles.
    Não esqueço que foi aqui na TI que foi falado pela primeira vez sobre as pretensões do Lula de querer o terceiro mandato e com as reações contrárias ele “inventou” um poste que depois se mostraria o maior erro de avaliação de um líder que se supunha imbatível.
    Então como fala o Sr Théo, a Lei do Progresso é uma realidade e nunca retrocedemos; podemos repetir de ano mais, retroceder não.
    Abraço.

  16. Caríssimo CN, não poderia deixar de tecer comentários. Seu posicionamento nesse texto, como sempre, é corretíssimo.

    E me fez enxergar uma realidade interessante, que falarei à frente – não é suspense, é tentativa de organizar as ideias.

    Não é de hoje que este blog existe. Sempre com essa linha libertária, onde cada um expõe suas opiniões, infelizmente nem sempre frequentado por pessoas que respeitam as opiniões contrárias, o que é lamentável.

    Mas esse é o ser humano. Cabe-nos o conformismo. E pedir, solicitar, implorar, se necessário e suficiente for, que discordem, discordem e discordem. Mas, respeitem, respeitem e respeitem.

    Pois bem. O que percebi?

    Como disseste, caro CN, a imprensa tradicional vem claudicando, seja pela crise, seja pelo fenômeno da internet. Não é de hoje que não vejo sentido em ler às 9 da manhã um jornal impresso à meia-noite, se posso, a essa hora, consultar os mesmos ou quaisquer órgãos de informação e tê-las on line – instantaneamente, às vezes -, com fotos e até vídeos atualizados.

    E este magnifico blog crescendo, crescendo, crescendo. À sombra dos órgãos de imprensa que vão fechando. Não digo “infelizmente”, penso ser uma decadência natural, resultado da evolução dos tempos. E ai daqueles que tentam cobrar para que alguém viaje pelas suas páginas. Isso não sobreviverá no mundo.

    Mas, por que este blog, tão bem comandado pelo grande Carlos Newton e com a participação de outros tantos – que, sem dúvida, abrilhantam este espaço -, consegue esse sucesso?

    A resposta é simples, muito simples. Porque aqui rola a verdade! A verdade de cada um, a partir do caríssimo Comandante CN.

    Não há, por parte dos sinceros colaboradores, nenhum “rabo preso”, senão às nossas próprias ideias. E, mesmo assim, nem tão preso. Eu mesmo – e tenho certeza que diversos outros leitores já passaram por essa experiência – mudei de ponto de vista, quando devidamente aclarado.

    Nenhum de nós quer “ganhar a discussão”. Isso não existe por aqui. E o exemplo vem de cima. Do nosso comandante, o grande Carlos Newton.

    Como sabemos, há locais sérios, seriíssimos, que se valem de matérias aqui publicadas. Não é de se estranhar. Os bons procuram a bondade.

    Por isso tudo, e por muito mais que não sei expressar, meus parabéns, prezadíssimo Carlos, pela grandiosidade que exalas e que fazes multiplicar pelos dedos de todos que aqui participam com grandeza d’alma.

    É isto, este círculo virtuoso, que faz atrair os bons para o seu lado, para este lado, assim como o néctar das flores que se desprende atrai a fauna que dele depende.

    • Amigo Martinelli, suas palavras fizeram com que eu começasse este sábado como pé direito. O nível do blog é mantido pela alta qualidade e pelo entrechoque de ideias dos comentaristas. Às vezes, fico exausto e entendiado, acho que essa tentativa de manter um espaço livre na internet é bobagem. Mas aí eu lembro uma velha amiga, Laura Alvim, filha do Dr. Álvaro Alvim, mártir da Medicina no Brasil, que morreu após amputar os dois braços, contaminados pela radiação por aplicar raios-X e fazer exames para salvar os pacientes. Laura Alvim era belíssima, culta e elegante, só se vestia de preto. Construiu e doou ao Rio de Janeiro seu mais belo e sofisticado centro cultural independente, a Casa Laura Alvim, à beira-mar em Ipanema.

      Quando seu dinheiro acabou e a obra precisava de acabamento, eu e minha mulher, a jornalista Jussara Martins, levamos até lá a então primeira-dama do Rio de Janeiro, Belita Tamoio, que ficou emocionadíssima, começou a chorar e nós também não resistimos, foram lágrimas coletivas. O governo estadual interveio e concluiu a obra, Laura Alvim conseguiu então descansar em paz. Com ela aprendi que não devemos desistir nunca, temos de ir em frente, cada qual com sua missão. E a minha é esta – manter um espaço livre na internet.

      Vamos em frente, Martinelli, gratíssimo por suas palavras.

      CN

  17. Caro Jornalista,

    Aqui no Distrito Federal alguns sindicatos quiseram alugar uns outdoors para uma campanha contra o governador.
    -Foram informados que não poderiam alugar. O motivo: o Governo do Distrito Federal já alugara alguns e estava próximo da data de renovação do contrato! A empresa não podia se indispor com o GDF perder a boquinha estatal… Que se dane a verdade!!!

  18. “AQUI NA “TRIBUNA DA INTERNET” A GENTE NÃO TEM SOSSEGO. O BLOG VIVE INFILTRADO DE COMENTARISTAS QUE SÃO PAGOS PARA DEFENDER A OU B…”

    Caro Jornalista,

    Geralmente os textos dessas PESSOAS PAGAS são resultados do famoso CTRL+C CTRL+V e, como são feitos para serem postados em todas as páginas e redes sociais possíveis, são muitos “impessoais” e “fora do contexto” do assunto da postagem ou do personagem específico que esteja em discussão.

    São TEXTOS GENÉRICOS, LONGOS e ENFADONHOS, com formatação e pontuação precárias, e neles aparecem caracteres da formatação do texto da página de onde fora copiado, como número de página, numeração de tópicos e até mesmo referências a fotografias!!!

    A pessoa quer receber o dinheiro sem ter o trabalho de digitar e/ou de adequar cada texto a cada assunto, pois, dependendo da quantidade de sites “visitados”, ficaria impossível de digitar e personalizar o argumento para cada um deles, por isso faz um “TEXTO CHAVE-MESTRA” que sirva para todos.

    Na verdade, tais textos não passam de SPANS, pois o “autor” não desenvolve qualquer assunto ou ponto de vista, nem se dá o trabalho de apresentar argumentos para a discussão do grupo, mas apenas tenta “injetar” na página hospedeira as suas PALAVRAS DE ORDEM e o seu já formado “conceito ideológico ou político”, se preocupando, apenas, que ele apresente o conteúdo que fora acordado com o patrão.

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *