Falta pressionar senadores para aprovar impeachment de ministros do STF

TRIBUNA DA INTERNET | Em novembro, Bolsonaro precisará escolher um ...

Charge de Sponholz (sponholz.arq.br)

Percival Puggina

Muito leitores me escrevem expressando desânimo em suas manifestações. Dizem-se desiludidos, desesperançados. Estão deixando cair os braços. O que fazer? O Brasil melhor, que buscaram nas mobilizações desde 2013 e redundaram na vitória de conservadores e liberais em 2018, enfrenta terríveis resistências. Elas são políticas. Elas são ideológicas. Elas são poderosas. O que fazer?

O desalento dos vitoriosos fornece adrenalina pura à veia dos derrotados! É exatamente o que sempre buscam. Todos os totalitários, em suas experiências históricas, cuidaram de submeter os inconformados e, para tanto, o caminho não sangrento (o sangue corre mais tarde) é o roubo da esperança. É o roubo daquela joia preciosa a que se refere um personagem de Bernard Bro em “Contra toda a Esperança”.

SEM RENOVAÇÃO – A primeira grande frustração que sucedeu à vitória eleitoral de 2018 veio com a percepção de que, apesar de toda a faxina, apesar de muito esfregão, palha de aço, lava-jato e desinfetante, o ganho qualitativo com a renovação da representação política nacional no Congresso não foi suficiente para que as más práticas e os piores interesses perdessem vitalidade.

O governo não podia contar sequer com metade do partido do presidente. Os outros dois blocos eram formados pelas oposições e pelo centrão. Ou seja, Bolsonaro tinha umas poucas dezenas entre os 594 membros do parlamento. Matéria de GauchaZH de 5 de fevereiro deste ano informa que durante 2019 o governo enviou 48 Medidas Provisórias ao Congresso e apenas 11 destas se converteram em lei.

Com uma plataforma conservadora e liberal, o governo tinha contra si praticamente toda a extrema imprensa e a totalidade do Supremo Tribunal Federal. Este último trata o governo como potência inimiga e assumiu um protagonismo político percebido como tirano.

STF É ADVERSÁRIO – O STF é totalmente avesso à agenda conservadora e liberal e barra iniciativas caras aos eleitores do presidente, mas não condizentes com o petismo enraizado na maioria de seus membros.

O que fazer, e fazer logo? De momento, no curto prazo, sem possibilidade de ir às ruas e sob forte repressão à liberdade de opinião, é urgentíssimo fazer andar os pedidos de impeachment de membros do STF entregues à leitura das traças nas gavetas do senador Davi Alcolumbre.

Isso está no tabuleiro das iniciativas viáveis. São apenas três senadores por estado! Cada um deles, independentemente do partido a que esteja filiado deve passar a receber irresistível “pressão das bases”. Há que romper o circuito fechado “álcool gel”, onde as mãos se esterilizam reciprocamente nas relações entre o Senado e o STF.

O BEM DO BRASIL – Estou falando de usar toda a forma de contato civilizado possível para mostrar a cada senador, que sua cadeira é muito mais instável do que lhe pode estar parecendo. A renovação de seu mandato, sonho comum a todos, depende de agir tendo em vista o bem do Brasil, a decisão democrática das urnas, o respeito à Constituição, o Estado de direito. A proteção de maus magistrados, de maus colegas e más legendas não faz parte desse conjunto e será muito mal acolhida nas inexoráveis cabines de votação de 2024 e 2028.

Nesse sentido, mobilize em seu município associações, sindicatos, meios de comunicação, lideranças políticas e todas as legítimas energias locais para cobrarem posição dos três senadores de seu Estado. Não esmoreça, não há impeachment sem apoio popular.

O êxito dessa campanha, que precisa de todos, abrirá portas para profundas transformações na cena institucional brasileira.

31 thoughts on “Falta pressionar senadores para aprovar impeachment de ministros do STF

  1. Votei no “tosco” (com um pé atrás), no início e principalmente pelo engajamento nas redes sociais, o “tosco” teve suas bandeiras no mais alto do pódio.
    Via um congresso e um stf encurralados e com medo e isto pelas bandeiras que eram poderosas como as do combate a corrupção, “conheças a verdade e ela o libertará” entre outras como reformas.
    O “tosco”, para garantir a ‘salvação’ de seu clã fez o que?!!!
    Foi negociar um pacto com os demônios e daí para cá é só queda com o ‘bolota botafogo entre outros, fazendo e desfazendo.
    Sei que os poderes são independentes mas, embora não saibamos; todos estão subordinados a sociedade que é quem os paga.
    Em vez de obrarem para o beneficio da sociedade, a roubam descaradamente.
    PS: Garantiram a não prisão por crimes do “colarinho branco” onde hoje, vemos um MP e PF em trabalho insano para investigar e prender e o malditos soltarem por atitude única ou por leis feitas sob medida para quem rouba o suficiente para pagar uma banca de advogados.

    • Sr José Pereira Filho, não sabia que era fotógrafo, seu retrato da República Tupiniquim é perfeito, não precisa de retoques, assim como o artigo do Sr Puggina.
      No popular, os governantes são os espertalhões de sempre, e nos, os otários que os pagamos.

    • Precisamos trocar todos do STF, mas não escolhidos por Bolsonaro, ou seja, precisamos mudar a lei de.escolha.
      Sem isso , o Brasiç continuará a descer ladeira.
      Com esse tipo de escolha não há jeito, e as injustiças se multiplicarão.
      Lutemos por isso como o Vasco lutou para ser dono do maior estádio particular de uma metrópole ha 93 anos.

  2. Apoio popular para agenda conservadora e liberal?

    Esse Puggina é uma piada.

    Assim também é uma piada quando se fala em combate à corrupção, como sendo uma panaceia aos males do Brasil. Quanta ingenuidade.

    • Até concordo, Sr José Vidal, que possa ser ingênuo falar em combate à corrupção, já que parece estar profundamente arraigada, já que até críticos dos desmandos do Poder Público sobre a população, como o senhor e tantos companheiros da Ti, não sentem pejo em relativizá-la e tirar-lhe importância.
      Piada me parece, quando um grupo de pessoas, aparentemente, inteligentes e bem informadas, se debatem, vigorosamente todos os dias nesta TI, sobre condições e ações, consideradas negativas, do Poder Público e, raramente, sobre as verdadeiras causas estruturais do descalabro.

      • Caro F. Moreno,
        quando o pessoal fala em corrupção, incluindo a mídia tradicional e até as mídias sociais, há esquecimento proposital ou até por desconhecimento, talvez induzido, que as formas de corrupção são muitas.

        Sim, existe essa corrupção que todos conhecem e que é amplamente divulgada. Por exemplo, asa propinas por determinados trabalhos, obras e que vão para os bolsos particulares e/ou, no caso da política, para os partidos. Existe a corrupção miúda e a grande.

        Existem leis que favorecem as formas de corrupção. Sonegação, para mim, é um tipo de corrupção moral, pode até ser amparada por coisas legais, mas ela, em valores, é muitas vezes maior que a corrupção comum. Procrastinação de pagamentos de impostos, aguardando algum perdão tal como o Refis ou até o cancelamento do pagamento das taxas devidas, favorecimento de empresas poderosas (e até de pessoas físicas) com isenções fiscais, lei Kandir, elisão fiscal, são outros exemplos

        Quando determinadas classes se beneficiam de privilégios inaceitáveis, isso é corrupção moral.

        Um carga tributária que ferra o povo mais necessitado, o faz de conta que mantém as estruturas e que perenizam as mazelas brasileiras, isso também é corrupção moral.

        Se estás falando desse tipo de corrupção, concordo que se o país iniciar a combatê-la, melhoraremos, mas essas mudanças só acontecem se o andar de cima quiser.

        • Amigo José, sempre que falo em corrupção, mesmo que algumas vezes não explicite, me refiro principalmente à corrupção moral que redunda em corrupção financeira e de costumes. Concordo totalmente com a tua percepção da sonegação e da proscrastinação de pagamento de impostos, esta a forma mais covarde de corrupção pois tem praticamente garantida a impunidade.
          Tenha esperança, o andar de embaixo também pode mudar muita coisa e o segredo é conscientização e união.
          Vamos martelar, uma grande marcha começa com primeiro passo.

  3. O articulista tinha uma expectativa e nós também.
    A mudança esperada não aconteceu, pelo menos da forma como todos nós desejávamos.
    Os protagonistas dessa transposição política nos frustraram.

    É confusão a toda hora; ministros que estão mais para sinistros do que outra coisa; disputas em várias esferas do judiciário; etc.
    Está sendo muito frustrante tudo o que está acontecendo.

    Esse sentimento coletivo tem um nome na política: chama-se estelionato eleitoral.

  4. Estimado CN, há tempos até acompanhava o blog do doutor Percival. Mas defender o (des)governo de um boçal, isso sim é desanimador, desalentador. Abraço. Oremos!

  5. Percival Puggina, parabéns. Teu artigo me colocou para pensar.

    Porém, penso eu, os problemas que estamos vivendo atualmente são originários ao poder ficar longe do povo. Brasília – a Ilha da Fantasia, a capital mundial da corrupção impune – é longe do Brasil.

    Em Brasília, até o STF se corrompeu, fato que jamais ocorreu quando a capital era no Rio de Janeiro.

    Hoje, com a capital em Brasília, temos até um presidente do STF que foi reprovado em um simples concurso para juiz de primeira instância.

    Está sendo muito difícil manter a esperança que o Brasil melhore com um Poder Judiciário complacente com a corrupção.

    • Celso meu querido isso se chama aparelhamento , desde a chamada redemocratizaçáo só colocamos os chamados ” socias democratas , progressistas e o grande legado do PT a corrupçáo sistemica e agora as pessoas querem que o cara mude tudo de uma hora para outra ? vamos ter que cuspir muito sangue ainda para depois cuspir branco ai estaremos bem .Se é que me entendem .

  6. Percival, boa tarde!

    Como assim o STF é contra a agenda conservadora liberal?

    A Constituição é liberal? É conservadora?

    O que faz o STF senão desempenha a função de guardião da Constituição (?)

    A Constituição tem conteúdo programático. E ignorá-la seria o mesmo que desempenhar o papel do Tribunal Alemão quanto aos atos do Governo Nazista de Hitler, que como Furher tinha a última palavra – e não o Tribunal.

    • Governo conservador e liberal eleito precisa combinar com a Constituição…
      Então, se quiser imprimir uma agenda conservadora e liberal precisa, antes de tudo, reformar a Constituição…

      Mas tem a notícia ruim de que o Constituinte Originário estabeleceu limites quanto às mudanças que podem ocorrer…

  7. O IMPEACHMENT, dos impeachments, que urge fazermos neste país, e que já está atrasado há uns trocentos anos, é o proposto pela Revolução Pacífica do Leão, a RPL-PNBC-DD-ME, o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso. Revolução essa que não é contra a direita, não é contra a esquerda, não é contra o centro, não é contra o Judiciário, não é contra o Executivo, não é contra o Legislativo, não é contra a Mídia, e nem é contra o Poder Econômico, que perfazem os cinco poderes da república, até porque sem eles, impossível construirmos uma grande nação civilizada. Portanto, a RPL-PNBC-DD-ME, é simplesmente a favor, a favor da entrega do Brasil ao comando do povo brasileiro, à verdade que liberta, à decência, à honestidade, à capacidade criativa, à força realizadora, à engenhosidade, às mãos limpas, à coisa certa, ao possível sucesso pleno do bem comum do conjunto da sociedade, à Democracia Direta com Meritocracia, expressões essas que têm poderes mais do que suficientes para varrer para fora de nossas vidas, de uma vez por todas, a nefasta herança maldita que é o FEBEAPÁ, Festival de Besteiras que Assolam o País, há 130 anos, via golpes e eleições, do tipo 171, cheias de fake news, mentiras e enganações, impostas pelo militarismo e o partidarismo, politiqueiro$, e seus tentáculos, velhaco$, como, p. ex., as contidas no artigo abaixo, que me deixam cada vez mais indignados e ainda mais P da Vida, diante de tantas deturpações, mistificações, aberrações e CIA, inclusive porque Junho de 2013 foi exatamente pelo possível advento do Novo Brasil de Verdade, com Democracia Direta e Meritocracia, e não pelo continuísmo da picaretagem, à paisana ou fardada, charlatona, démodé, aventureira, oportunista e aproveitadora que, infelizmente, à moda jurássica, se encastelou outra vez em Brasília, donde tem que ser removida, pelo amor ou pela dor, porque o Brasil e o povo brasileiro não têm mais tempo a perder com velhos e novos 171, nem fardado e nem à paisana, de modo que a rendição do velho que já morreu em prol do novo de verdade que precisa se estabelecer tem que ser já, aqui e agora, de forma inteligente, pacífica, sendo este o diálogo que precisa ser estabelecido com urgência urgentíssima, sob pena de reedição das Jornadas de Junho de 2013, desta feita para liquidar a fatura em prol do advento do Novo Brasil de Verdade, porque evoluir é preciso. E a bandidagem sistêmica que não me venha com ameaças de processos por isso ou por aquilo, ou qualquer outra armação, porque Aquele que me fortalece me preparou para enfrentá-los e desmascará-los em público. E tenho dito. http://www.tribunadainternet.com.br/falta-pressionar-senadores-para-aprovar-impeachment-de-ministros-do-stf/#respond

  8. F. Moreno o senhor respondeu por mim.
    Um secretário de segurança do RJ a décadas atrás, declarou: Tem policiais que se multiplicarmos o salario deles por 100(cem) ainda assim ele acharcará infratores e bandidos, são 2%(dois por cento) aproximadamente.
    Tem policiais que mesmo que ameacem a família deles e eles próprios; não se venderão, são 2%(dois por cento) aproximadamente. O resto da corporação 96%(noventa e seis por cento) vai para onde a política de momento apontar.
    Por isso é tão danoso o pacto que os três poderes fizeram para acabar (e acabaram) com a prisão dos ladrões de “colarinho branco”.

  9. Só restou a prisão preventiva que tem a ver com os Juízes de primeira instancia, os valorosos procuradores e os também valorosos policiais federais.
    Após a liberação por HC facilmente conseguido na pocilga; nunca mais serão presos.
    PS: só tem que se preocupar em desviar o mínimo para pagar uma banca de advogados.
    Realmente não resta muito de Brasil não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *