Faltam definies

Carlos Chagas

Falta poucos dias para o PT realizar a conveno nacional destinada a oficializar a candidatura de Dilma Rousseff reeleio. Dificilmente algum orador ousar propor o volta Lula, mas a pergunta que fica se a deciso dos companheiros convencionais poder ser considerada definitiva. Melhor aguardar, porque continuando a cair nas pesquisas, a presidente estimula a hiptese de ser substituda pelo antecessor, coisa que a lei eleitoral permite em situaes especiais, passveis de armao. Uma doena grave, por exemplo, mesmo forjada.

Feita a ressalva, importa seguir adiante com os dados disponveis, ou seja, que Dilma a candidata e que o Lula multiplicar os esforos para faz-la vitoriosa. A duvida saber para que. At agora no surgiu uma simples indicao por parte da presidente e de seus auxiliares a respeito do que pretendem, no segundo mandato. No vale dizer que vo continuar a obra em andamento, j que as ruas e as vaias vem rejeitando a ao e a omisso do governo. Imaginar que a inequvoca reao popular hoje registrada significa a derrota da candidata assunto para mais tarde.

Por enquanto, vale concluir que falta um programa de campanha para Dilma. Uma definio do que ela deseja em termos de inovao ou recuperao. No basta inaugurar obras, distribuir tratores, exaltar as realizaes do PAC e fazer da rotina da administrao sua bandeira eleitoral. preciso apresentar um plano de mudanas, um roteiro no s de empreendimentos materiais, mas de ideias capazes de recuperar o apoio perdido. Apontar os novos rumos para o pas, os caminhos alternativos para a sociedade.

Torna-se imprescindvel para a candidata definir-se, no apenas visando ganhar a eleio, mas em especial para no transformar o segundo governo num aglomerado de frustraes, um vdeo tape da novela que no deu certo. Esgotou-se o modelo praticado at agora, sem ter aparecido um sucedneo em condies de sensibilizar a populao. Resta saber se a candidata tambm esgotou-se.

Estas inteis consideraes valem para os adversrios de Dilma. Que metas possuem Acio Neves e Eduardo Campos, alm dos chaves que comeam a repetir? Que tipo de Brasil pretendem, nos campos social, poltico e econmico? Apesar de muita gente sria sustentar que no h mais ideologias no planeta, por conta das contradies verificadas, vale insistir na sua existncia.

5 thoughts on “Faltam definies

  1. At mesmo uma doena forjada pode ser usado para o lula disputar a eleio no lugar da Presidente Dilma, como o Lula canalha, j foi at julgado antes do tempo. Nos mnimos detalhes. Quem tem que dizer o quer vai fazer o Aciodonosor porque a Presidente a continuidade do governo lula, e podem dizer o que quiser porque o PIB cresce pouco, mas cresce, e numa conjuntura econmica mundial desfavorvel. Compara com outros pases. O PT est a 12 anos no poder, mas o PSDB est mais tempo em Minas e So Paulo. Olha os dois estados e v se as coisas esto boas por l. Educao de responsabilidade de estados e municpios. Bora ver como est a educao em Minas e So Paulo. E a mobilidade urbana como est em Minas em So Paulo. E a honestidade dos polticos que administram Minas e So Paulo exemplo para o brasileiro ?
    Cad as realizaes de Acio ? Acio quem tem que se explicar quer ser presidente para qu ? Dizem que por vaidade, para ficar bonito na foto do panteo da capitania hereditria dos neves.

  2. Sr. Chagas, timo artigo, e o paragrafo final resume o eleitor como cego em tiroteio, desde FHC, no vi at agora, diferena real para o Brasil no lema “Ordem e Progresso” e o sentimento de brasilidade do “Hino Nacional”.
    Infelizmente, vamos ter que votar no “MENOS PIOR”, at quando!???
    Os siameses FHC/Lula, um intelectual, o outro com primrio incompleto, ficaro distribuindo as cartas, neste “jogo sujo de cartas marcadas”, e a grande famlia (povo) na misria, com “po e circo” e sobrevivendo “no me engana que eu gosto”, na escravido disfarada do salrio mnimo miservel, entregando 5 meses e 20 dias de seus mseros salrios em impostos para serem roubados, enriquecendo os “amigos do Rei ou Rainha”, todos sem o menor temor de serem punidos, a prescrio acontecer, a policia investiga e prende, e a suprema justia solta, e ainda declara que no houve “quadrilha”, a tudo isto chamam de Democracia, eu chamo DEMOCRADURA, contrao de Democracia com Ditadura.
    Ao deitar e acordar, rogo a DEUS pelo Pas, o que devemos fazer, sem qualquer cunho de religiosidade, mas como Filosofia e Cincia de Vida, para termos um BRASIL DECENTE E JUSTO.
    “O que temos, deixaremos, o que somos levaremos” Scrates a 3 mil anos. Meditemos!! e Jesus, o Cristo, o assassinamos, e continuamos a assassina-lo, atravs da deturpao de seu “Evangelho de AMOR FRATERNO”, e nos declaramos cristos!!, quanta “HIPOCRISIA!!!”. O Mundo vive a “separao do JOIO do TRIGO”, o egosmo o “GRANDE IMPERADOR.

  3. FINS ELEITOREIROS BANCAM “PESQUISAS ELEITORAIS”

    Nos momentos que antecedem s convenes partidrias, desde a abertura do o ano eleitoral, os institutos de pesquisas faturam alto sob patrocnio de grupos que tentam impor suas candidaturas ou interferir na formao de alianas, no interior dos partidos. Isto explica, de certa forma, os parcos 59% favorveis repetio da aliana PT-PMDB na legenda de Michel Temer.

    isto que esto tentando com essas sondagens presidenciais, so pesquisas atrs de pesquisas pagas por quem? E a mdia associada centrando suas baterias na queda da presidente Dilma Rousseff, sob a tica de que ela no estaria mais em condies de vencer a eleio logo no primeiro turno, enquanto setores petistas e do prprio governo fomentam o movimento “Volta Lula”.

    Mas quem diz que para ser melhor em campanha, que s comea aps o registro das alianas e candidaturas ou ainda mais adiante com o incio do horrio gratuito de rdio e TV, um(a) candidato(a) precisa demonstrar agora (trs meses antes) sua suposta invencibilidade em 5 de outubro? Trata-se, portanto, de uma anomalia do processo democrtico essa ingerncia sobre os partidos.

    Que essas advertncias sirvam de alerta sobre a nocividade dessas tticas eleitoreiras patrocinadas por grupos conservadores, que at no PDT j causaram estragos. Lembrem que para as eleies de 1994 na disputa ao Governo do Estado do Rio de Janeiro, a legenda embarcou na cilada de Garotinho deixando de considerar a liderana de Jorge Roberto Silveira. E deu no que deu, no verdade?

Deixe um comentário para Renato Lima, um estranho no ninho Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.