Será que FHC vai reconhecer o outro filho, que teve com a doméstica?

Charge sem assinatura (Arquivo Google)

Carlos Newton

Os jornais publicam que o  ex-presidente Fernando Henrique Cardoso prestou depoimento nesta sexta-feira na sede da Polícia Federal em São Paulo, no inquérito que investiga remessas de dinheiro ao exterior para a jornalista Mirian Dutra, ex-amante do tucano, por meio de um contrato da empresa Brasif Exportação e Importação S.A. Na PF, FHC foi ouvido pelo delegado João Tiago Pinho e o conteúdo do depoimento foi mantido em sigilo.

O fato concreto é que desde jovem FHC sempre foi extremamente volúvel, instável e mulherengo. Sua esposa, a antropóloga Ruth Cardoso, sofreu muito na convivência conjugal. Mas o destino acabou sendo perverso com um homem deste tipo, que se comportava como um conquistador vulgar e acabou levando um chifre registrado em cartório, com firma reconhecida e tudo o mais.

Era sabido que na década de 90 o ex-presidente tivera um filho com a repórter Miriam Dutra, que desde então foi estrategicamente “asilada” em Barcelona pela Rede Globo, a pedido do próprio FHC. O jovem chama-se Tomas e há alguns anos foi reconhecido por FHC, mas só depois que a mãe decidiu que ia mover processo judicial.

Criado na Espanha desde pequeno, Tomas foi para a Inglaterra, onde se formou no Imperial College, em Londres, em cerimônia assistida pelo próprio suposto pai, cheio de orgulho. E há alguns anos, o novo integrante do clã Cardoso se mudou para os Estados Unidos, para estudar Relações Internacionais na George Washington University.

TESTES DE DNA

Este caso amoroso virou escândalo, porque houve testes de DNA e ficou comprovado que a ex-jornalista Miriam Dutra era leviana, o rapaz tinha outro pai. Mas Fernando Henrique Cardoso já se acostumara a tê-lo como filho, então portou-se como um cavalheiro e nada mudou no relacionamento entre os dois. Pelo contrário, depois da decepção dos testes de DNA o ex-presidente até presenteou o jovem Tomas com um belo apartamento em Madri, o que demonstra que FHC não tem índole totalmente ruim.

Mas quem demonstrou ser totalmente desvirtuada foi a ex-jornalista Miriam Dutra, que subitamente ressurgiu para denunciar FHC, depois se arrependeu e acabou por desmentir em juízo as declarações que recentemente dera, de forma voluntária, sabe-se lá por quê, vejam a que ponto esses casos amorosos/financeiros chegam.

OUTRO FILHO DE FHC

Foi em 19 de novembro de 2011 que se descobriu um segundo caso de filho natural do ex-presidente FHC. A notícia foi divulgada pelo site do jornalista Claudio Humberto, ao relatar que há pouco mais de 25 anos o então senador Fernando Henrique Cardoso tivera um romance com a empregada doméstica Maria Helena Pereira, que trabalhava em seu apartamento na capital.

Desse relacionamento nasceu um filho, que se chama Leonardo dos Santos Pereira. Mãe e filho passaram a trabalhar no Senado Federal, em empregos terceirizados que FHC arranjou. Maria Helena é copeira e serve cafezinho aos gabinetes da Ala Teotônio Vilela, enquanto Leonardo trabalha como carregador (auxiliar de serviços gerais) na Gráfica do Senado.

UM PÉ NA SENZALA

É interessante lembrar que FHC vivia dizendo que tinha um pé na senzala. E isso era mais do que verdade. Além de ser mestiço, como praticamente todos os brasileiros, ele acabou tendo um caso com uma afrodescendente que o impressionou pela formosura. O filho dos dois, Leonardo, é considerado muito parecido com o pai. Justamente por isso, quando o bebê nasceu, a mulher de FHC, Dona Ruth Cardoso, logo decidiu demitir a empregada .

Mas o romântico FHC não deixou a doméstica Maria Helena desamparada de todo. Além  de arranjar trabalho para os dois, comprou dois apartamentos tipo quitinete para ela e uma loja na periferia de Brasília, que está alugada. Infelizmente, porém, não ofereceu a Leonardo Pereira as mesmas oportunidades que foram garantidas ao “meio-irmão” Tomas Dutra, filho da jornalista. Até agora  FHC não reconheceu o filho Leonardo.

A FILHA DE JOSÉ ALENCAR

Em 27 agosto de 2015, a professora aposentada Rosemary de Morais, 60 anos, mineira de Caratinga, foi reconhecida como filha do ex-vice presidente da República José Alencar, de acordo com o advogado Vinícius Mattos Felício, que a representa. A decisão foi tomada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), por unanimidade. A ação corria em segredo de Justiça, houve poucos comentários na imprensa.

O processo foi mal conduzido e  o STJ  apenas reconheceu a paternidade. Agora, a luta é para receber a parte da vultosa herança a que ela tem direito. Seus irmãos  deveriam acolhê-la na família, mas procedem como o pai, José Alencar, que nunca aceitou fazer o teste de DNA e ainda deu entrevista chamando a ex-namorada de prostituta, embora soubesse que ela era enfermeira.

LULA E ROSE

Por fim, o caso amoroso entre Lula e Rosemary Noronha é muito antigo, desde os anos 90. Ninguém sabe se a filha de Rose também descende dos Lula da Silva. Tudo é possível, somente o teste de DNA poderia dirimir esta dúvida. Rose ainda não reclama, porque Lula é generoso e nada lhe falta, mas o futuro a Deus pertence, como se diz.

No final das contas (públicas ou privadas) nada disso importa, é muito triste falar nessas fraquezas de importantes homens públicos brasileiros, mas os livros sagrados de diversas religiões demonstram que é a verdade que nos libertará. No entanto, atualmente poucos acreditam nesses ensinamentos. Quem reina hoje parece ser o deus Dinheiro.

###
PS – Sempre aparecerá quem diga que este tipo de reportagem é baixaria, mas convém lembrar Ibrahim Sued, que dizia: “Em sociedade, tudo se sabe”.

12 thoughts on “Será que FHC vai reconhecer o outro filho, que teve com a doméstica?

    • E você com isso???
      É nosso dinheiro que foi pelo ralo, pagando amantes aqui e acolá.
      Dinheiro roubado dos cofres públicos.
      Lhe passo essa informação sem cobrar propinas,, ao contrario desse bandidão travestido de inteleCUtual……….

  1. Uma correção, carissimo CN: ao falar do filho natural do FHC, aquele de Brasília, você o relacionou com o filho da Miriam Dutra como meio-irmão. Ou faltaram as aspas ou a consideração de que são meio meio-irmãos. (Maldade pouca é bobagem.)

  2. No Brasil há um sério problema pois não temos Homens públicos mas sim Homens pútridos. FHC nunca mais recebeu meu voto após a compra da reeleição. Ele não passa de um pavão envaidecido.

  3. Uma longa carreira de crimes cometidos contra a Pátria e aos cofres públicos, e acabou de maneira como devia, prestando contas na Policia Federal, que ao meu ver devia ter saido de lá e ir direto para o CADEIAO DE PINHEIROS, algemados com toda sua família de ladrões corruptos……

  4. Prezado Editor: Todo homem público está sujeito a ter sua vida devassada. É o preço que se paga pelas benesses que a nação dá ao eleito. E FHC recebeu muito do país.

    Louvo a coragem de Carlos Newton em trazer para o leitor da TI essa matéria sobre FHC. Isso demonstra cabalmente, a isenção do jornalista, que vem escrevendo a série sobre o tórrido romance de Lula, já escreveu sobre o drama de Renan nas minúcias. Então, histórias do PSDB, do PT e do PMDB. Isso é que é o jornalismo, a crítica generalizada sobre tudo e todos. Jornalismo a favor é melhor vender pão e salgados, ou seja, não tem sentido como dizia Millôr, que aliás, seus desenhos podem ser vistos na Fundação Moreira Salles, dentro do Jardim Botânico.

    Quanto a matéria propriamente dita, duas situações e duas ações distintas. Uma de uma relevância moral e ética digna de um homem de bem, qual seja, tratar o filho que não é seu, através da constatação do exame do DNA, como se filho biológico fosse. Simplesmente magistral. A outra digna de um homem comum, sem a grandeza do intelectual da Sorbonne, do professor de sociologia, do Ministro de Estado, Senador e Presidente do país, ao não reconhecer o filho da mulher simples, seu filho Leonardo.

    Faço um apelo a FHC: Dê a esse filho o mesmo tratamento que dá ao filho da jornalista. Prove que você FHC é um homem justo. É o que esperamos os seus admiradores.

    Para dizer que não falei de flores e perfumes franceses, informo aos leitores, que FHC apresentará no Canal Brasil, que estreia amanhã às 21:00, uma série sobre brasileiros que fizeram história no Brasil inspirado na série “A era da incerteza” estrelada em 1977 pelo economista Jonh Kenneth Galbraith. Pouco falam desse extraordinário economista, um dos maiores do século 20 e que foi conselheiro econômico do presidente americano Jonh Kennedy. A série A era da incerteza é uma aula de política, economia e filosofia. Simplesmente imperdível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *