Flávio Bolsonaro é intimado a depor sobre suposto vazamento da Operação Furna da Onça

Investigação apura a revelação feita pelo empresário Paulo Marinho

Rayssa Motta e Pepita Ortega
Folha

O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro intimou o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) a prestar depoimento na investigação que apura supostos vazamentos da Polícia Federal sobre a Operação Furna da Onça. Além de Flávio, serão ouvidos os advogados Ralph Hage Vianna e Christiano Fragoso.

A investigação faz parte do procedimento aberto para apurar declarações feitas pelo ex-aliado do governo, o empresário e pré-candidato à prefeitura do Rio, Paulo Marinho (PSDB), de que o filho mais velho do presidente foi previamente avisado da operação que trouxe à tona as movimentações atípicas nas contas de seu ex-assessor Fabrício Queiroz, preso ontem.

CITAÇÃO – O ex-funcionário de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio foi citado em um relatório do antigo Conselho de Atividades Financeiras (Coaf), o que arrastou o então deputado para o centro de uma investigação criminal sobre suposto esquema de desvio de salários em seu gabinete, a chamada ‘rachadinha’.

Marinho afirma que, segundo relato do próprio Flávio, um delegado da Polícia Federal avisou das investigações pouco após o primeiro turno das eleições daquele ano e informou que membros da Superintendência da PF no Rio adiariam a operação para não prejudicar a disputa de Jair Bolsonaro (sem partido) no segundo turno.

PRAZO – Em virtude do foro por prerrogativa de função, o Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial no Rio solicitou que o Procurador Geral da República, Augusto Aras, encaminhe a intimação. Flávio terá 30 dias, a contar do recebimento, para marcar o depoimento.

O advogado de Flávio Bolsonaro, Frederick Wassef, dono da casa onde Fabrício Queiroz foi encontrado, classificou a revelação de Marinho como uma ‘cortina de fumaça’. Já o próprio Flávio disse a acusação é uma ‘invenção’ e afirmou que o empresário tem interesse em prejudicá-lo, já que é seu suplente no Senado Federal.

7 thoughts on “Flávio Bolsonaro é intimado a depor sobre suposto vazamento da Operação Furna da Onça

  1. Faz tempo que “ACABOU, PORRA “. E só vocês do militarismo e do partidarismo, polítiqueiro$, e seus tentáculos, velhaco$, mais vossos gados, mais a massa ignara retardatária e os inocentes úteis não sabiam disso. Faz tempo que voce$ fizeram o Brasil perder o Novo Trem da História. Bolsonaro é a síntese da sinopse do resumo do esquema de uma república tipo 171, que já deu flor há muito tempo, forjada e protagonizada, há 130 anos, pelo militarismo em parceria com o partidarismo, politiqueiro$, e seus tentáculos, velhaco$, que foi ótima à corrupção e para as elites delinquentes enquanto durou, mas que está chegando ao final da sua carreira em petição de miséria, sem combustível moral, sem fundos, sem-vergonha, sem escrúpulos, sem razão e sem condições de continuar à moda mais dos me$mo$. E de quebra acuada pelo “anjo da morte”, quiçá indignado com tanta canalhice humana, na qual até o “anjo da guarda” revelou-se tb “anjo da morte”, restando comprovado mais uma vez que o diabo ajuda a fazer mas não ajuda a esconder a vida toda. E se não aprenderam nada até agora, não aprenderão nunca, embora nunca seja um prazo muito longo, porém normal na “terra do nunca”, que continuará sendo a eterna “terra do nunca”, enquanto não tirarmos a política, o país e a população das mãos sujas do sistema apodrecido, viciado e viciante, sendo inútil esperar ajuda de quem, no passado, embora tendo muitas oportunidades para ajudar, nunca se dignou ajudar, pelo contrário só fez atrapalhar as nossa vidas. https://www1.folha.uol.com.br/colunas/reinaldoazevedo/2020/06/bolsonaro-ja-tem-seu-tchau-querida.shtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=compfb&fbclid=IwAR2mN-xt150no-cb_B44kov0Zoftjtm5rbICFhptTtDBFlZSdtCqkjILl2U

  2. “O Ministério Público do Rio identificou que Luiza Souza Paes, ex-assessora de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio, só compareceu ao Palácio Tiradentes em três ocasiões – e apenas para assinar o ponto. Dentro do período ao qual os investigadores tiveram acesso ao dados de seu telefone celular, entre 2014 e 2017, ela esteve nomeada por 792 dias.”

    Essa é a honestidade desse sujeito que diz que vai provar sua inocência no momento certo.

    Não engana mais ninguém, a não ser os alienados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *