Foi um fracasso a manobra de Renan, Lindbergh e Requião para desmoralizar Moro

Resultado de imagem para moro e renan

O juiz Moro encarou Renan e mostrou que tem carisma

Carlos Newton

Teve efeito contrário a manobra arquitetada pelo senador Renan Calheiros (PMDB-AL), para desmoralizar o juiz Sérgio Moro, ao convidá-lo a participar de uma audiência especial no plenário sobre abuso de autoridade. O presidente do Senado acredita que só havia duas possibilidades, ambas desfavoráveis ao magistrado: – 1) o juiz Moro se recusar a comparecer, situação que o transformaria num saco de pancadas, recebendo críticas implacáveis dos senadores da bancada da corrupção, que inclui parlamentares de todos os partidos; – 2) Moro comparecer, ser confrontado pela bancada da corrupção e depois ser contestado por juristas que se dispusessem a demolir suas teses, capitaneados pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo, que apoiara publicamente Renan quando ele apresentou o projeto para punir abusos de autoridade.

O presidente do Senado armou o bote magistralmente, mas não percebeu que existia mais uma possibilidade: – 3) O juiz Moro comparecer e ser tão seguro e convincente que os ataques a ele desfechados pelos aliados de Renan – especialmente Lindbergh Farias (PT-RJ) e Roberto Requião (PMDB-PR) – acabariam caindo no ridículo e despertariam reação contrária dos senadores independentes. E foi exatamente o que aconteceu.

ENORME CARISMA – É impressionante o carisma do juiz Sergio Moro, que desde o ano passado vem integrando a lista das personalidades mais importantes do mundo. Sem levantar a voz e sem o estrelismo que caracteriza alguns procuradores e delegados da Lava Jato, ele defendeu suas teses com firmeza e segurança, sempre demonstrando inequívoco conhecimento de causa.

Requião, que há duas semanas foi escolhido por Renan para relator do projeto sobre abuso de autoridade, apressou-se em anunciar que não incluirá no parecer o artigo sugerido pelo juiz, mas não teve argumentos para sustentar essa recusa. Como não conseguiu rebater a argumentação de Moro sobre a necessidade de os juízes terem independência para interpretar as leis e as provas, entrou em desespero e passou a criticar o corporativismo da magistratura. Mas acontece que  a sugestão de Moro nada tem de corporativista, é apenas democrática e libertária.

DEU TUDO ERRADO – A manobra de Renan e da bancada da corrupção fracassou completamente e teve resultado desastroso. No dia seguinte, sexta-feira, um grupo de sete senadores independentes apresentou um substitutivo ao projeto sobre abuso de autoridade e acolheu a sugestão de Moro. ”Não configura crime previsto nesta lei a mera divergência na interpretação da lei penal ou na avaliação de fatos e provas”

Apenas uma frase, cuja procedência não pode ser questionada, por representar uma obviedade, mas sua apresentação significa que a bancada da corrupção não conseguirá impedir a liberdade de atuação dos juízes e integrantes das diferentes categorias do ministério público – promotores, procuradores e defensores.

Portanto, o único artigo sugerido por Moro passou a ser o ponto central da questão e tem condições de ser aprovado. Em último caso, mesmo que a bancada da corrupção consiga sair vitoriosa (neste Congresso tudo é possível), o Supremo evidentemente colocará as coisas em ordem e consagrará a oportuna e necessária tese do juiz  paranaense, que tanto se empenha em moralizar a administração pública e a política de nosso país.

24 thoughts on “Foi um fracasso a manobra de Renan, Lindbergh e Requião para desmoralizar Moro

    • Caro Marine, quem sabe é a reencarnação de Rui Barbosa, o ícone da Justiça brasileira, cujo Amor à Justiça, e a formação da Pátria Republicana, nos legou; foi-me apresentado pela Professora primária da minha Escola Medeiros e Albuquerque no Engenho Novo Dª Graciosa, 79 anos atrás. Que Deus, ilumine a proteja o Dr. Sergio, e sua Equipe MPF e PF, a a todos que o tomam como exemplo, contra a corja que infelicita mais de 200 milhões.
      Na Escola que ensinava, RUI, foi apresentado, pela Prece “DEUS”, que ele fez, para ele, como Político, e que deveria ser a Bandeira dos políticos, e a Poesia que considero uma Prece,”Tenho Vergonha de mim em ser honesto”. Por estar só, ao ver a corrupção que se iniciava, no novo Regime, pela Elite do café e da Igreja, que o barraram, 2 vezes, para ser Presidente, da República Nascente, se tivesse, sido Presidente, o Brasil com certeza, não estaria neste Oceano de Lama.
      A Cada um segundo suas obras e pagarás até o último ceitil, Leis cósmicas, acontecerá além túmulo, no Tribunal Divino da Consciência, acreditemos ou não, não importa, a sentença já está gravada, com a Luz e Paz, ou Ranger de Dentes.
      Oremos a Deus e ao Mestre Jesus.

  1. Este lindberg é um boçal. Está sendo investigado.
    Na mesa, um outro imbecil, Requião, tb investigado.
    Na mesa, um ladrão corrupto, renan, réu.
    Que abissal diferença de postura moral entre o Juiz Sergio Moro e estes crápulas.
    Vejam as palavras, no dia seguinte, do Senador Magno Malta.

      • Não foi nesse caso ?

        Demóstenes diz que novas denúncias complicam Magno Malta

        Publicidade
        GABRIELA GUERREIRO
        da Folha Online, em Brasília

        O senador Demóstenes Torres (PFL-GO), relator do processo de cassação do senador Magno Malta (PL-ES) no Conselho de Ética do Senado, disse nesta terça-feira que a situação de Malta pode se complicar com as ramificações nas denúncias que ligam o senador à máfia das ambulâncias. “Há provas diretas e indiretas, uma série de estranhezas que podem levar a uma conclusão desfavorável a quem está sendo investigado”, afirmou Demóstenes.

        O relator ouviu hoje o depoimento de duas testemunhas no caso Magno Malta: o chefe-de-gabinete Hazenclever Lopes Cançado e o proprietário do carro que o senador teria recebido como propina da Planam, José Luiz Cardoso.

        Hazenclever negou ao Conselho de Ética ter qualquer ligação com Luiz Antônio Vedoin, mesmo com a revelação do empresário, feita ao Conselho de Ética, de que se reuniu uma vez com o chefe-de-gabinete de Magno Malta.

      • Ou foi nesse ?

        O senador Magno Malta (PR-ES) foi indiciado sexta-feira pela Polícia Federal por envolvimento no escândalo dos sanguessugas. Ele é acusado de ligação com o esquema de venda superfaturada de ambulânciaspara prefeituras, suspeito de ter cometido crime de corrupção. O parlamentar é acusado de receber um Fiat Ducato para apresentar uma emenda ao Orçamento que destinaria recursos para a compra de ambulâncias que seriam vendidas por Luiz Antônio Vedoin, chefe da máfia dos sanguessugas.

        Malta foi investigado também pela CPI dos Sanguessugas, juntamente com outros 70 parlamentares, mas seu nome não apareceu no relatório final da comissão. Ele foi absolvido no processo por quebra de decoro parlamentar aberto no Conselho de Ética do Senado.

        Para a PF, não é necessário que o parlamentar tenha beneficiado a empresa para ser responsabilizado pelo suposto crime. Apenas a promessa de apresentar uma emenda ao Orçamento, que beneficiaria a Planam, na avaliação dos responsáveis pelo caso, já justificaria o indiciamento do senador.

      • O negócio é fazer uma fézinha…

        Sob o título ‘Fragmentos’ a jornalista Renata Oliveira veicula na coluna do jornal Século Diário do Espirito Santo, uma denúncia do ex-deputado José Carlos Gratz, que o senador Magno Malta fazia viagens com despesas pagas por donos de bingos. Confira a ítegra da nota:

        “1 – O ex-deputado estadual José Carlos Gratz, que nunca escondeu o passado ligado a jogos de azar, provocou o senador Magno Malta (PR), que tem feito campanha contra a legalização de Bingos e Cassinos no Brasil. O senador tem usado esse discurso no programa do partido.

        2 – Gratz alega que quando atuaram juntos no Parlamento, Malta fazia viagens com despesas pagas por donos de bingos e desafia o senador a lhe desmentir. A briga entre os dois promete ser quente.”

        Comento

        Aqueles atores políticos que profetizam que se posicionam com argumentos encardidos contra a legalização dos jogos de azar estão sucumbindo uma a um. Fica novamente a pergunta: até onde vai a credibilidade destes personagens que vivem profetizando contra o setor de jogos de azar?

        Eu desconfio de todos…

  2. Caro Newton, quando o Gilmar, foi nomeado, nosso querido Helio Fernandes, na saudosa Tribuna da Imprensa escrita, minha leitura diária, teceu alguns elogios ao novo Ministro, que virou SINISTRO, creio que, o Helio, ficou decepcionado, como lutador de Amor à Pátria Decente e Justa.
    o STF, está stf, está conivente com os ladrões do Cofre Público, não os pondo em Pauta, levando a prescrição, que não deveria existir, bem como esse foro privilegiado, que leva a impunidade. Examinemos os procedimentos desses msinistros, que estupram e vilipendiam a Srª Justiça,
    Todos responderão seus crimes de lesa-cidadão, no Tribunal que faz JUSTIÇA, a Consciência, no além túmulo, com o “Ranger de dentes”, sentença da Leí cósmica, que todos nós, estamos sujeitos, por sermos Almas eternas.
    Que Deus, ilumine e proteja o Juiz Sergio Moro e Equipe, e a todos os que o tomam como exemplo.

  3. Jornalista C. Newton e comentaristas deste TI, o farol da liberdade de opinião, pergunto: teremos, agora, dados suficientes para avaliar aquele “encontro casual” no escritório de advocacia do ex- ministro da Justiça Jobim, entre o Chefe da ORCRIM e o ministro do STF Gilmar Mendes?
    Lembro-me das palavras do Gilmar Mendes, após o evento ter vazado para a imprensa, ao ser questionado por um repórter: “- Eu não sabia que o ex-presidente Lulla estaria lá.”
    A postura do magistrado no plenário do Senado Federal levou-me àquela reunião, onde estavam, no ninho da serpente, alguns ovos a chocar.

  4. Funcionário público que “trai” o seu país, sob ordens de governos estrangeiros, não deveria ir para o banco dos réus?
    O coitado tomou uma coça, e ficam os puxa-saco acreditando o contrario!

  5. “PROPOSTA DE SÉRGIO MORO É COISA DE CRETINO.” – Gilmar Mendes

    É real, amigos.
    O ministro Gilmar Mendes está fora da casinha?

    Acessem o link ” ataqueaberto.com.br/2016/12/proposta-de-sergio-moro-e-coisa-de.html “

  6. Prezado CN
    Como sempre, excelente artigo, desvelando as manobras de Renan.
    Gostaria, porém, de ressaltar a posição do Ministro Gilmar Mendes.
    É fato que o Brasil está farto das injustiças do STF, principalmente no que diz respeito à proteção de políticos corruptos, e vê o Juiz Sérgio Moro como o Grande Herói da Nação. Qualquer posição contrária à do Juiz Moro é logo criticada.
    É certo que Renan e seus cúmplices querem calar a Lava Jato, mas o PL sobre abuso de autoridade não é novo. Apesar de Renan estar sendo movido por interesses oblíquos, este PL precisa ser votado.
    Neste ponto, sou forçado a concordar com o Min. Gilmar, quando ele rebate o Juiz Moro e diz que não tem como se definir a “melhor época” para se discutir o projeto.
    O problema aqui, e que a mídia faz questão de não esclarecer, é que os dois (Gilmar e Moro) estão certos. Para Isso é preciso lançar mão da sua sempre genial “tradução simultânea”.
    Queremos celeridade do Congresso nas votações (posição do Min. Gilmar), mas também exigimos responsabilidade dos congressistas. Este é o ponto de discórdia. Quando o Juiz Moro, e toda a equipe da Lava Jato, se posicionam contra a discussão no Congresso, querem dizer (mas não podem ser explícitos) que “BANDIDOS não podem aprovar Leis para proteger… BANDIDOS”.
    Garanto que, se tivéssemos um Congresso de homens (e mulheres) íntegros, estariam todos imbuídos em aprovar a Lei.
    Sds,
    Yulo

    • Concordo totalmente contigo, Yulo, e pessoalmente sou a favor de haver mais rigor na lei sobre abuso de autoridade. Dou apoio à posição de Gilmar Mendes, mas não concordo com a armação contra Moro.

      Abs.

      CN

      • CN
        Sei que seu foco no artigo foi a armação contra Moro, por isso considero-o perfeito, sem necessidade de qualquer retoque.
        Apenas fiz questão de comentar, e defender a posição de Gilmar, pois penso que a mídia em geral, acaba por passar a imagem que quem não pensa como Moro está contra o Brasil. E sabemos que o respeito ao contraditório é base fundamental para qualquer democracia.
        Sds,
        Yulo

  7. Mas não tinham pressa em divulgar as gravações do Calero ???

    Temer cogita afastar diretor-geral da PF no começo de 2017.

    Presidente não gostou de saber que ex-ministro da Cultura contou com orientações de “amigos da PF”.

    BÁRBARA LOBATO
    03/12/2016 – 10h00 – Atualizado 03/12/2016 10h00.

    Assessores de Temer dizem que o presidente está amadurecendo a ideia de afastar o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, nos primeiros meses de 2017 em meio a uma pequena reforma ministerial. O presidente não gostou da declaração do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero dizendo ter feito gravações no Planalto sob orientação de “amigos da PF”. Daiello está no comando da PF há quase seis anos e ganhou força com a Lava Jato.

    http://epoca.globo.com/politica/expresso/noticia/2016/12/temer-cogita-afastar-diretor-geral-da-pf-no-comeco-de-2017.html

  8. Newton, hoje saiu notícia que Pedro Taques do PSDB, governador de MT, caiu em delação premiada feita pelo Ministério Público no âmbito da Operação Rêmora, que investiga desvios da área de educação para sua campanha de governador. Será verdade? Confirma isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *