Fora da corrupção não há salvação

Resultado de imagem para cabral picciani e pezao

Esta é a “comissão de frente” do PMDB no Rio

Carlos Chagas

Cinco conselheiros do Tribunal de Contas do Rio, mais o presidente da Assembleia Legislativa, reúnem-se ao ex-governador Sérgio Cabral e a antigos auxiliares para responder por toda sorte crimes de corrupção. Inclua-se na lista o governador Pezão e se terá a receita de um Estado em decomposição. Sobrará o quê, dessa quadrilha empenhada em enriquecer às custas de um povo entregue à própria sorte?

O Rio já foi a capital do Brasil. Hoje transformou-se em centro do crime organizado. Do tráfico de drogas aos assaltos, sequestros e ao desvio de verbas públicas de toda espécie, não sobrou nada. Para cada canto que o cidadão se vire, escorre lama.

Tem saída? Provavelmente, não. Daqui, só para pior. A corrupção estendeu-se por todos os setores e atividades públicas. Os encarregados de zelar pela ordem entregam-se à desordem. Receber propinas tornou-se regra fundamental de comportamento social.

Claro que existem exceções, do Ministério Público à Polícia Federal, mas o enfraquecimento das elites conduziu à rendição das massas, breve a se transformar em rebelião. Qualquer um que se disponha a protestar diante da roubalheira indiscriminada receberá o repúdio dos que servem como exemplo às avessas. Fora da corrupção não há salvação.

4 thoughts on “Fora da corrupção não há salvação

  1. Esses da foto são os fiéis representantes da máfia!

    Tire esses crápulas de circulação e irá continuar tudo como antes; tipico …

    O “burwaco” “ser” mais embaixo…

    O Rio de janeiro deveria se chamar, hoje, Rio de Dinheiro….
    Contaminados, tá tudo dominado.

    Só vai ter salvação se restituírem ao povo 110% da sua dignidade. Caso contrario, pode esquecer, já era…

  2. Parafraseando “Fora da corrupção não há salvação”:
    -Fora da mentira não há verdade.
    “O que é verdade…” Esta frase é de Pilatos que vertida pode ficar assim; “A verdade é a mentira necessária.” E o necessário que temos visto prevalecer é o da farinha pouco, meu pirão primeiro.
    Continua-se seguindo a mentalidade de
    Edom; desprezo pela virtude; “De que me vale a primogenitura se estou morrendo de fome?” Traduzindo hoje, de que me vale ser honesto se o mundo é dos espertos… Pilatos estava tão certo quando disse o citado como Chagas quando neste artigo mostra o fundo do poço em que estamos.
    Para finalizar, Pilatos estava tão certo quanto Jesus, por que cada um falava como representando respectivamente dois mundos; o mundo da verdade e o mundo da mentira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *