Força-tarefa da Lava Jato denuncia Lula, Palocci e Paulo Okamotto por lavagem de R$ 4 milhões em propinas da Odebrecht

Defesa de Lula afirma que doações estão “devidamente documentadas

Paulo Roberto Netto
Estadão

A força-tarefa da Lava Jato no Paraná denunciou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por lavagem de R$ 4 milhões em propinas da Odebrecht repassadas a título de doações oficiais ao Instituto Lula, entre dezembro de 2013 e março de 2014. O ex-ministro da Fazenda, Antônio Palocci, e o presidente do instituto, Paulo Okamotto, também foram denunciados.

É a quarta denúncia da Lava Jato contra Lula e a segunda relacionada ao instituto que leva o nome do ex-presidente. De acordo com os procuradores, Marcelo Odebrecht teria autorizado o pagamento de R$ 4 milhões a Lula que seriam quitados da subconta ‘amigo’, associada ao petista, listada na planilha ‘Italiano’ do Setor de Operações Estruturadas da empreiteira.

DOAÇÕES AO INSTITUTO – Para ‘lavar’ a propina, os repasses foram feitos como se fossem doações oficiais ao Instituto Lula, quitadas em quatro parcelas de R$ 1 milhão. Segundo a Lava Jato, a denúncia é embasada em e-mails e planilhas apreendidas em buscas feitas em fases anteriores da operação, além das delações de Marcelo Odebrecht e Antônio Palocci.

Em nota, a defesa de Lula classificou a denúncia como uma ‘invenção’ da força-tarefa. “Tais doações, que a Lava Jato afirma que foram “dissimuladas”, estão devidamente documentadas por meio recibos emitidos pelo Instituto Lula — que não se confunde com a pessoa do ex-presidente — e foram devidamente contabilizadas”, afirmou o criminalista Cristiano Zanin Martins.

Os procuradores afirmam que comunicações obtidas pela força-tarefa indicam que Marcelo Odebrecht informou o supervisor do departamento de propinas da empreiteira que Okamotto entraria em contato para acertar uma doação oficial ao Instituto Lula, que seria debitada da subconta ‘amigo’.

O e-mail de Marcelo foi enviado no dia 26 de novembro de 2013 – duas semanas depois, a primeira doação foi feita ao instituto. O registro de pagamentos da Odebrecht também constaria em planilhas apreendidas com Okamotto durante a 24ª fase da Lava Jato, a Aletheia.

###
COM A PALAVRA, O CRIMINALISTA CRISTIANO ZANIN MARTINS, QUE DEFENDE O EX-PRESIDENTE LULA

Após STF reconhecer ilegalidades, Lava Jato inventa nova denúncia contra Lula

Nota da Defesa do ex-Presidente Lula

A defesa do ex-presidente Lula foi surpreendida por mais uma denúncia feita pela Lava Jato de Curitiba sem qualquer materialidade e em clara prática de lawfare. A peça, também subscrita pelos procuradores que recentemente tiveram suas condutas em relação a Lula analisadas pelo CNMP após 42 adiamentos — e foram beneficiados pela prescrição —, busca criminalizar 4 doações lícitas feitas pela empresa Odebrecht ao Instituto Lula entre 2013 e 2014. Tais doações, que a Lava Jato afirma que foram “dissimuladas”, estão devidamente documentadas por meio recibos emitidos pelo Instituto Lula — que não se confunde com a pessoa do ex-presidente — e foram devidamente contabilizadas.

A Lava Jato mais uma vez recorre a acusações sem materialidade contra seus adversários, no momento em que a ilegalidade de seus métodos em relação a Lula foi reconhecida recentemente em pelo menos 3 julgamentos realizados pelo Supremo Tribunal Federal. No caso do uso da delação de Palocci em processos contra Lula às vésperas das eleições presidenciais de 2018, o Supremo Tribunal Federal, por maioria de votos, também identificou possível motivação política do ato, além da própria ilegalidade. Para além disso, o mesmo tema tratado na nova denúncia já é objeto de outra ação penal aberta pela mesma Lava Jato de Curitiba contra Lula, que foi recentemente sobrestada por decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal, acolhendo pedido da defesa do ex-presidente.

O excesso de acusações frívolas (overcharging) e a repetição de acusações são táticas de lawfare, com o objetivo de reter o inimigo em uma rede de imputações, objetivando retirar o seu tempo e macular sua reputação.

A denúncia acusa Lula e outras pessoas pela prática de lavagem de dinheiro, partindo da premissa de que o ex-presidente integraria uma organização criminosa. No entanto, Lula já foi absolvido de tal acusação pela 12ª. Vara Federal de Brasília, por meio de decisão que se tornou definitiva (transitada em julgado) e que apontou fins políticos na formulação da imputação. Nos contratos da Petrobras referidos na denúncia não há qualquer ato praticado por Lula (ato de ofício), assim como não há qualquer conduta imputada ao ex-presidente que tenha sido definida no tempo e no espaço, mesmo após 5 anos de investigação.

Essa nova investida da Lava Jato contra Lula reforça a necessidade de ser reconhecida a suspeição dos procuradores de Curitiba em relação ao ex-presidente, que está pendente de análise no Supremo Tribunal Federal, assim como a necessidade de ser retomado o julgamento da suspeição do ex-juiz Sergio Moro — a fim de que os processos abertos pela Lava Jato de Curitiba em relação a Lula sejam anulados.

Cristiano Zanin Martins

20 thoughts on “Força-tarefa da Lava Jato denuncia Lula, Palocci e Paulo Okamotto por lavagem de R$ 4 milhões em propinas da Odebrecht

  1. Assim como o irmão mais velho Fhcorrupto que não sai das páginas policiais com sua Quadrilha de Assaltantes dos Cofres Públicos, Luladrão também é um que está dia sim e outro também no noticiário policial.
    Toma ladrão…

    eh!eh!eh!eh

  2. Para os ainda descrentes que o NINE, é um ladrão safado e que não vale M. nenhuma.
    Teria imenso prazer que os defensores deste facínora dessem suas explicações.
    Sou todo ouvidos!
    Fico no aguardo… kkkk
    Atenciosamente.

  3. Qual país teria uma justiça que seria tão paciente com um uma empreiteira doar toda essa quantia para um Instituto fosse ele quem fosse, ainda mais sabendo que o dono desse local de lavagem de dinheiro ter como dono uma pessoa já condenada a mais de trinta anos por crimes semelhantes.
    É por essas e outras piores de um ex e futuro presidiário que um país vai se tornando cada vrz mais violento, e muitos sociólogos e outros distraídos ficam a procurar as desculpas mais esfarrapadas para tentar explicar motivos e causas debaixo que está na cara.
    Pessoas sem nenhuma vergonha como Luiz Inácio alçou a presidência de um país e daí fez o estrago que fez, e em todos os sentidos fa palavra, desde de colocaria a sua família, amigos e comparsas para delapidar o patrimônio público, chegando a levar 11 caminhões cheios de coisas que pertenciam à presidência da república, e não ao presidente. É muita cara de pau, e pau de dar em doido.
    Esse sujeito que foi matuto durante boa parte de sua vida resolveu ser malandro, mas caiu como rato na boca do gato.
    Foi então que Moro pegou-o na sua ratoeira, e de lá só saiu com a ajuda de outros ratos.
    Agora o rato está solto mais desorientado pois sabe que em breve voltará para gaiola.
    Viva o Clube de Regatas Vasco da Gama que nunca se meteu na podridão de Luiz Inácio rato da Silva.

    • Paulo Roberto Netto

      Estadão

      https://br.linkedin.com/in/paulorobnetto

      x

      Luis Nassif

      Prêmios
      Luís Nassif foi vencedor do Prêmio de Melhor Jornalista de Economia da Imprensa Escrita do site Comunique-se nos anos de 2003, 2005 e 2008, em eleição direta da categoria. Também recebeu o Prêmio iBest de Melhor Blog de Política, em eleição popular e da Academia iBest.

      Obras
      Literárias:

      O Menino do São Benedito e Outras Crônicas (2001, Ed. Senac, São Paulo, 456 pp.) – 126 crônicas com as reminiscências e impressões pessoais de Nassif sobre diversos temas, como a infância em Poço de Caldas, MPB, esporte e o país.
      O Jornalismo dos Anos 90 (2003, Ed. Futura, 320 pp.) – analisa a cobertura da imprensa em diversos episódios como o impeachment de Fernando Collor, o caso da Escola Base, o do Bar Bodega e outros.
      Os Cabeças-de-Planilha (2007, Ed. Ediouro, 312 pp.) – analisa a economia nos governos de FHC e traça um paralelo entre a Política do Encilhamento de Rui Barbosa e o Plano Real com Pedro Malan e Gustavo Franco.

      https://pt.wikipedia.org/wiki/Luis_Nassif

      Fiquem ao lado do que se identificarem.

  4. Todas as condenações de Lulla e as futuras também, são construídas a partir dos relatos e documentos de seus colegas cedidos por petistas!
    Todos os valores devolvidos pelos corruptos que faziam parte do esquema de arrecadação de “fundos mundos”, comprovam a realização e existência do esquema de roubo e corrupção nos governos Lula e Dilma. Ah, Dilma é inocente. Só para rimar, é também demente!
    O PT nunca mais se levantará: foi abatido pelos próprios fundadores e colegas de roubos.
    Fallavena

  5. Nesse caso, como em outros, foi usado a tal teoria de domínio do fato, pois não há existência do fato determinado e específico. Com base nessa teoria, qualquer coisa pode ser usada para a acusação.

    Será isso bom ou mau?
    Alguns acham que se for contra o PT e Lula é uma coisa boa.
    Outros acham que essa teoria é usada só porque é contra o PT e que não ela é muito controversa no CPP do país.

    É incontestável que os desvios ocorreram. Valores foram devolvidos, embora muitas vezes inferior ao valor que inicialmente foi propagado.

  6. “….foi usado a tal teoria de domínio do fato, pois não há existência do fato determinado e específico!”

    Bem, dados os bilhões devolvidos e a devolver a união por conta da roubalheira na Petrobrás, alegar que não sabia tendo nomeado o diretor da petroleira…hum..pra mim é demais.

  7. Chega a ser engraçado, se estiver com saudade de alguns colegas desta T.I. que andem sumidos alguns dias, é fácil, é só apertar um stater ‘Lula” ou “lavajato” ou “Moro” ou “Deltan” que eles pipocam na tua frente na mesma hora. kkkkkkk

  8. Mais uma do Vagabundo !
    Larápio de quinta…
    Toma vergonha nesta cara porca Lula !
    É o pior ladrão que já existiu neste País…
    Bom não esquecer ou outros também…
    Corja de descarados…
    BANDIDOS IMUNDOS !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *