Força-tarefa diz que Janot autorizou divulgar as gravações

Charge do Fernandes (caricaturasfernandes.blogspot.com.br)

Graciliano Rocha
Folha

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi avisado e deu aval para a divulgação das conversas telefônicas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva antes de pedirem o fim do sigilo sobre a investigação do petista, segundo a Folha apurou junto a investigadores da Lava Jato. Indagada, a Procuradoria-Geral da República negou que tivesse conhecimento da existência dos áudios antecipadamente, isto é, antes de eles virem a público na última quarta-feira (16). Os áudios elevaram a temperatura política da crise e levantaram a suspeita de que Dilma e Jaques Wagner, então chefe da Casa Civil, podem ter agido para blindar o petista.

Segundo a Folha apurou junto a investigadores de Curitiba, primeiro foram avisados integrantes do grupo da PGR sobre a existência e o conteúdo geral dos áudios envolvendo Lula. A informação teria sido imediatamente levada a Janot, que, da Europa, onde está em viagem oficial, teria dado o sinal verde para procuradores de Curitiba pedirem o fim do sigilo sobre o conteúdo dos grampos do ex-presidente.

DEPOIS DA AUTORIZAÇÃO

Segundo um dos investigadores, Janot não foi informado da existência do telefonema dado pela presidente Dilma a Lula, ocorrido às 13h32 da quarta (16), porque ele ainda não havia sido juntado aos autos pela Polícia Federal.

Na conversa, a presidente ligou para o antecessor e combinou a entrega do termo de posse de Lula como ministro na Casa Civil, o que foi interpretado como uma manobra para proteger o ex-presidente da possibilidade de prisão pelo juiz Sergio Moro.

Janot, contudo, teria sido avisado das linhas-gerais dos conteúdos das outras conversas de Lula e deu aval para que a força-tarefa de Curitiba pedisse ao juiz Moro o fim do sigilo e a remessa dos autos à Procuradoria-Geral da República.

O pedido da força-tarefa foi protocolado na Justiça Federal de Curitiba às 13h39 e Moro decretou o fim do sigilo dos autos às 16h21 da mesma quarta-feira – pouco depois da PF anexar o áudio da conversa entre Lula e Dilma.

A colisão de versões entre a força-tarefa de Curitiba, que não agiu sem o conhecimento e a anuência de Janot, e o procurador-geral, que nega conhecimento prévio dos grampos, se dá em torno de áudios cuja legalidade está sendo questionada.

GRAMPO DE TEIXEIRA

A conversa entre Dilma e Lula foi gravada após o juiz Moro ter determinado o fim das interceptações. No caso de Wagner, então chefe da Casa Civil e detentor de prerrogativa de foro no STF (Supremo Tribunal Federal), as primeiras interceptações em que aparece são do fim de fevereiro.

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) também afirma que a quebra de sigilo telefônico do advogado de Lula, Roberto Teixeira, autorizada por Moro, viola as prerrogativas da advocacia e pode anular o grampo.

16 thoughts on “Força-tarefa diz que Janot autorizou divulgar as gravações

  1. Graciliano Rocha, da Folha de S. Paulo : outro que ignora o que hoje o Dr. Jorge Béja nos explicou de forma luminar: o cargo de “ministro” da Casa Civil não goza de foro privilegiado. Vou ilustrar a ignorância do jornalista da Folha e da própria presidência da República sobre este fato, com uma frase do próprio Graciliano Rocha, referindo-se a Wagner, então “ministro” da Casa Civil , ipsis litteris: “A conversa entre Dilma e Lula foi gravada após o juiz Moro ter determinado o fim das interceptações (não havia qualquer motivo ou necessidade do Juiz Sergio Moro determinar o fim das interceptações !). No caso de Wagner, então chefe da Casa Civil e detentor de prerrogativa de foro no STF (Supremo Tribunal Federal), as primeiras interceptações em que aparece são do fim de fevereiro.” Além de Jorge Béja, se um Pontes de Miranda ainda fosse vivo, se Rui Barbosa ainda fosse vivo, se Paulo Brossard ainda fosse vivo, estes iriam corar de vergonha em ver tamanha incompetência: temos umas duas dezenas de advogados no Brasil – os demais são rábulas. Isto sem falar dos ministros do STF que, à exceção de Dias Tóffoli e Gilmar Mendes, nove deles estupraram uma lei que tinham a obrigação de conhecer.

  2. Do Antagonista:
    Demóstenes Rousseff
    Em 2012, na Operação Monte Carlo, o então senador Demóstenes Torres foi gravado conversando pelo telefone com Carlinhos Cachoeira.
    O advogado de Demóstenes Torres, o indefectível Kakay, queria anular os grampos, porque Demóstenes Torres gozava de foro privilegiado e teria sido grampeado ilegalmente.
    O que disse na época José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça?
    Disse que foro privilegiado não servia para acobertar atos ilícitos. E afirmou que os grampos eram legais:
    “Ninguém nunca investigou objetivamente os parlamentares. Estava-se investigando o empresário Carlinhos Cachoeira. Agora, se parlamentares conversam com ele, o problema é outro.”
    Demóstenes Torres e Dilma Rousseff são, no caso, a mesma pessoa.

  3. O porco, traidor, arremedo de jornalista, Paulo Henrique dos Santos Amorim, disse que o dr.Sérgio Moro é golpista, e um juiz de segunda classe!

    https://www.youtube.com/watch?v=RHiImdMTt4Y

    Não sei até que ponto uma pessoa – independente da sua profissão – pode ofender uma autoridade e, federal, como o agredido por este pústula, inescrupuloso, escória da sociedade.

    Na verdade está claro que os criminosos do PT e gente adquirida com dinheiro roubado, cerram fileiras contra a operação Lava Jato, principalmente o juiz Moro, que se não for protegido pela PF poderá ter a sua vida ameaçada pelos petistas bandidos!

    Moro está diante de um combate sem fronteiras que está sendo montado contra ele, e não medirão esforços para lançar os meios mais desonestos e deletérios possíveis, desde calúnias e difamações pessoais, até contestar a sua lisura, imparcialidade e capacidade de trabalho como juiz federal!

    Caso não tiver o apoio de seus pares, do MPF e da PF, definitivamente o Brasil está nas mãos de ladrões, traidores, exploradores do povo e do país, pois dificilmente encontraremos outro magistrado tão comprometido contra a corrupção, desmandos e descalabros praticados pela corja petista e aliados!

    • Bendl,
      Uma operação dessa envergadura, plenamente vitoriosa e que hoje completa dois anos, não foi nem é obra de um só homem. O juiz Moro não está sozinho e sabe o que está fazendo. Ninguém se iluda. Qualquer gesto contra o juiz, seria suicida para a quadrilha.
      Abraço

      • Só temo que uma operação dessa envergadura chegue ao ano 2018 com um juiz acolhendo, outro derrubando, um aceita outra não aceita… até percorrer todos os juizes do Brasil, não vai ser né hoje. Sei que Direito não é uma ciência exata por isto tantas opiniões. Então deveria ser só o Juiz Moro. Como não sou jurista, não entendo porque todos dão palpite.

  4. Em Brasília o Mortadela Day reuniu 500 pessoas. Já em São Paulo, os ônibus fretados estão parando no Estádio do Pacaembu , onde há 3 barracas. Uma onde dão uma camiseta, noutra o sanduíche e na última os R$ 30,00.

  5. Se eu estiver errado me corrijam, mas o tal Roberto Teixeira não é advogado constituído do Lula neste caso, isso se percebe na transcrição do depoimento do Lula à PF. Além disso, tal senhor é parte investigada na lava-jato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *