Dizer que Temer e Cunha tramavam “diariamente” a queda de Dilma é o óbvio

Resultado de imagem para temer e cunha charges

Charge do Latuff, reprodução do Arquivo Google

Fabio Serapião e Fábio Fabrini
Estadão

O doleiro e corretor Lúcio Funaro disse em sua delação premiada que, na época do impeachment, o então vice-presidente Michel Temer tramava “diariamente” a deposição de Dilma Rousseff com o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A afirmação consta de um dos anexos da colaboração de Funaro, já homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), na qual ele descreve a relação com a cúpula do PMDB e nomeia os “operadores” de Temer em supostos esquemas de corrupção.

Conforme Funaro, Cunha sempre foi o arrecadador de propinas para o chamado “quadrilhão” do PMDB, enquanto Temer atuava no núcleo político, viabilizando interesses de empresas que pagavam subornos ao grupo.

Funaro afirmou que a relação de Cunha e Temer oscilava, dependendo do “momento político”. “Na época do impeachment de Dilma Rousseff, eles confabulavam diariamente, tramando a aprovação do impeachment e, consequentemente, a assunção de Temer como presidente”, exemplificou o corretor num dos trechos do anexo.

Temer e seu partido romperam com Dilma meses antes de o afastamento dela ser aprovado e confirmado, mas o agora presidente sempre rejeitou a pecha de “conspirador” ou “golpista”.

Procurado, o Palácio do Planalto ainda não comentou as declarações de Funaro. E a defesa de Eduardo Cunha diz que. “enquanto não for levantado o sigilo, não comentará os supostos termos de delação”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Funaro fez uma delação verdadeiramente substancial, mas não trouxe a menor novidade no caso do impeachment. Para chegar ao poder, Temer e Cunha fizeram acordos com muitos grupos políticos e empresariais. Agora, estão pagando a conta com a abertura da terceirização, a defloração das leis trabalhistas e a reforma da Previdência. Como se sabe, a dívida já está quase paga e o prazo de validade de Temer termina em 31 de dezembro de 2018. Depois, terá de prestar contas à Justiça, junto com os demais integrantes do “quadrilhão”. (C.N.)

One thought on “Dizer que Temer e Cunha tramavam “diariamente” a queda de Dilma é o óbvio

  1. Reportagem e charge totalmente petistas. A Dilma caiu porque não soube governar com o congresso e isto não quer dizer, dar dinheiro. Dinheiro ela deu e não teve apoio nenhum. Quem nasceu para 1,99 continua 1,99 para sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *