Futebol é vendaval

 Futebol é vendavalTostão (O Tempo)

Na coluna anterior, falei sobre minhas preferências entre narradores e comentaristas da TV. Escrevi como telespectador. Faltou apenas dizer que Tino Marcos, da TV Globo, é o mestre dos repórteres da televisão.

Depois das boas atuações e da vitória sobre a Itália, existe um sentimento generalizado, talvez um saber inconsciente, intuitivo, que se mistura com uma prepotente euforia, de que o Brasil vai ganhar a Copa das Confederações e a Copa do Mundo.

Se vencer a atual competição, mesmo jogando melhor que a Espanha, na final, não significa que já temos uma grande equipe. Significa que temos um bom time, que Felipão, mesmo com algumas ideias ultrapassadas, executa bem o que deseja, o que é uma grande qualidade, e que o Brasil tem chances de ganhar a Copa do Mundo.

Antes da partida contra a Itália, Fred era muito criticado, pela falta de gols e por jogar parado. Muitos pediam a entrada de Jô. Bastou Fred marcar dois gols e se movimentar mais, para ser exaltado, como se fosse excepcional. Fred é o melhor centroavante do Brasil, bom jogador, artilheiro, mas quase todos os centroavantes fazem gols, até Fernando Torres.

Antes da Copa das Confederações, escrevi que, se o Brasil aproveitasse bem a vantagem de jogar em casa e conquistasse o torcedor, o que tem ocorrido, ficaria atrás apenas de Espanha, Alemanha e Argentina, como favoritos para ganhar a Copa do Mundo. Se o time mantiver boas atuações nos dois próximos jogos, sobe um degrau e fica na frente dos argentinos.

O México, em casa, uma seleção mediana, já ganhou uma Copa das Confederações, vencendo o Brasil na final. A África do Sul, sob o comando de Parreira, foi a única seleção anfitriã que não se classificou na primeira fase de uma Copa do Mundo.

Até a fraquíssima Coreia do Sul, beneficiada por árbitros caseiros, foi quarta colocada no Mundial de 2002. Os árbitros, na dúvida, consciente ou inconscientemente, favorecem os times da casa e/ou os mais fortes. Isso ocorre em todo o mundo e em todos os tipos de competição. As arbitragens a favor da Coreia do Sul, contra Espanha e Itália, foram mais que caseiras, foram vergonhosas.

Na última Copa das Confederações, a Espanha foi eliminada pelos Estados Unidos e ganhou o Mundial. O Brasil venceu as duas últimas competições e foi mal nessas Copa. Temos de ficar alegres, se o Brasil vencer, mas sem oba-oba.

No futebol, uma mesma equipe costuma ir muito bem em uma competição e muito mal na seguinte. Há muitos fatores envolvidos no resultado. Futebol é vendaval, uma metáfora da fragilidade e da finitude humana.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *