“Gabinete do ódio” fez dossiê contra Mandetta e descobriu um homem honrado

Sob ameaça, Mandetta é cobiçado por governadores

MAndetta, um homem honrado, foi aplaudido ao deixar o cargo

Deu no Correio Braziliense
(Agência Estado)

Ainda no comando do Ministério da Saúde, Luiz Henrique Mandetta se tornou alvo do núcleo ideológico do governo. Um dossiê foi montado contra o então ministro sob a supervisão do “gabinete do ódio”, liderado pelo vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) que incentiva o presidente Jair Bolsonaro a adotar posições beligerantes nas redes.

A ideia era mostrar que Mandetta cometeu erros na condução do combate ao coronavírus, para que não saísse como “vítima” da crise. A estratégia foi desenhada para desgastar a imagem do agora ex-ministro desde que o confronto entre ele e Bolsonaro aumentou.

UM TIRO NO PÉ – Para a ala ideológica, a permanência do ministro após a série de atritos com o presidente foi um “tiro no pé”, que deve ser debitado na conta dos militares da Esplanada.

Os bolsonaristas compartilharam o dossiê acusando Mandetta de ser lobista de planos de saúde e de ter defendido “a destruição do SUS”, porque Mandetta foi dirigente de uma operadora de saúde entre 2001 e 2004 em Campo Grande (MS). Deixou o posto para assumir a Secretaria de Saúde daquela cidade. Permaneceu no cargo entre 2005 a 2010.

O mesmo documento afirma ainda que o município teve de devolver à União R$ 14,8 milhões. Mandetta sempre contestou a acusação e nem chegou a virar réu.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
É triste ver o principal grupo de apoio ao presidente ser chamado de “gabinete do ódio”, liderado pelo filho Zero Dois, Carlos Bolsonaro, um dos maiores especialistas brasileiros em “teorias conspiratórias”. Desta vez, foram “fabricar” um dossiê contra o médico Luiz Henrique Mandetta, por não ter aceitado as ordens insanas e nada republicanas do presidente da República, e o esforço foi um tiro pela culatra. A investigação constatou uma honrada carreira de médico, que foi deputado federal por duas legislaturas e tinha desistido da política, recusando-se a ser novamente candidato em 2018.

A única suposta irregularidade encontrada foi uma denúncia “inventada” contra Mandetta há dez anos pelo “gabinete do ódio” de um político rival, no Mato Grosso Sul, mas era uma acusação tão furada que sequer foi aceita pela Justiça estadual.

Quanto a Carlos e Flávio Bolsonaro, os dois irmãos não podem dizer o mesmo, pois tudo fazem para evitar que a polícia investigue suas “rachadinhas”, seus funcionários fantasmas e seus milicianos. E toca o barco, como dizia nosso amigo Ricardo Boechat. (C.N.)

33 thoughts on ““Gabinete do ódio” fez dossiê contra Mandetta e descobriu um homem honrado

  1. E impressionante que esse doentes pelo Bolsonaro não enxerguem o tipo de pessoas que se instalou no planalto.
    Mas, só mais 1 e meio e isso acaba.
    Será um pesadelo que rapidamente iremos esquecer.

  2. Para esse gabinete do ódio por parte do Bolsonaro existe o gabinete da boa aventurança da oposição.
    Jornalismo de compadrio e cara de pau é aquele que divulga a festa da recepção do novo ministro da saúde cheia de gente se cumprimentando e de tapinha nas costa, mas omite descaradamente o festejo dos mandettistas que teve de abraços apertados e outros rapapés.
    Está nos jornais de hoje e pra variar é Folha e Globo.
    Meu pensamento filosófico e hoje, “por causa de uma fonte, amava a montanha”

  3. Dentro do próprio Palácio do Planalto foi montado esse imundo gabinete do ódio, certamente capitaneado pelo mais idiotizado dos filhos de Bolsonaro, o vereador Carlos, que NUNCA trabalhou na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

    É algo asqueroso o que faz a turma desse gabinete, destruindo reputações dioturnamente.

    Isso precisa ser amplamente divulgado, pois tal prática certamente se enquadra em vários crimes, e usa de técnicas que guardam semelhanças até com algumas da propaganda nazista.

    Que a imprensa livre, juristas independentes, e os outros poderes da república ajam perante tal covil de bandidos, que é a designação mais correta para o gabinete do ódio bolsonarista.

  4. Com tantos ex aliados, que se tornaram inimigos mortais, não precisamos de oposição. O clã Bolsonaro só se interessa por barracos. E aí invez de continuarem fazendo dossiês e fake news sobre o PT, Gleise, Lula, Haddad, Dilma, e outros, ficam focados justamente nós que escolheram para juntos governarem. Não consigo uma explicação lógica. Alguém pode explicar?

  5. KKK é sempre preciso achar um culpado, as escolhas estão sempre entre Cristo e Barrabás. O dito “gabinete do ódio” se é que tal coisa existe sempre faz esta oferta, ultimamente tem optado por Barrabás. Não estou comparando o ex-ministro com Cristo, longe disto, mas que o cara foi pego para tal, não tem a menor dúvida. Agora vem a segunda etapa, os fardados que um dia na vida cumprimentaram o ex-ministro, estes também precisam ser crucificados, ou melhor, exonerados.

  6. Mais uma de crentes de uma nefasta ideologia que causou destruição e assassinatos de milhões no planeta que é de atribuir aos inimigos aquilo que ela sempre praticou: o ódio.

    Segundo os ditames de Lenin, um dos psicopatas que fundou o maior império do terror da história da humanidade, a URSS, os crentes de sua nefasta religião política, a socialista, devem sistematicamente acusar os inimigos daquilo que eles são e do que eles mesmos praticam.

    • Mario Jr., você não consegue perceber que a seita bolsonarista, que você talvez siga bovinamente, usa exatamente essas mesmas técnicas usadas pelo leninismo, e também muito usadas por esquerdopatas, que consiste em:

      – Acusar os outros daquilo que você é, mentir sistematicamente sobre um mesmo tema, e muito mais…

      É algo que seduz líderes com ideias ditatoriais, independente de serem de centro, direita ou esquerda! Mas que pode ser percebido à luz da razão, com bastante facilidade. Basta querer.

  7. Na despedida de Mandeta fizeram um vídeo com ele abraçando os assessores, contrariando tudo que pregou, como manter distância, ficar em casa,etc.

    O homem é o ato e não o contrário do que pensam os fanáticos do esquerdismo aqui presentes, sustentados pelas fantasias da falsa moral estabelecida em seu credo.

    Enfim, o que se depara aqui, é que estamos lidando com pessoas doentias que, aprisionados em um círculo de dogmas e abstrações, já não aceitam nada fora dele, a realidade dos fatos, o palpável e o visível.

  8. Acho que tenho uma explicação para esse clima de adversidade, atritos, fofocas na gestão do JotaBozo: mediocridade e inveja, duas irmãs gêmeas.
    Obama sempre foi tranquilo como presidente e sempre inspirou amizade – porque era competente. JotaBozo e o seu ídolo Trump são dois medíocres e por isso sempre estão inconformados e ansiosos.

    • Obama e Hilary não foram aqueles que apoiaram os rebeldes na Síria para derrubar Assad e com isso causaram a desgraça de grande parte da população civil daquele país, que o mundo inteiro assistiu pelos tele jornais?

  9. A turma do gabinete do ódio tem pensamento primário.
    Então em 2010 Mandetta tinha pendengas fortes com a justiça???
    Mesmo assim, Bolsonaro o escolheu para Ministro em 2018???

  10. É um homem honrado, sim. Quem sabe dele é o ministério público do Mato Grosso. Vai lá CN, olha o processo que corre em segredo de justiça. Mais um pilantra que soltou 1 bi de verba para vocês da imprensa.

    • Esses robôs, mecânicos ou humanos, tipo Luiz, me fazem lembrar Noel Rosa, porque não sabem o que dizem. É só bola fora.

      Mandetta nunca foi réu de processo algum. Só fosse, Carluxo (o dono dos robôs) estaria deitando e rolando.

      CN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *