Gaspari, no mundo de Sherlock Holmes e Agatha Christie, diz que Moro é o culpado

Resultado de imagem para convicções charges

Charge do Duke

Pedro do Coutto

No espaço que ocupa em O Globo e na Folha de São Paulo nas edições de domingo, com seu estilo esmerado, Elio Gaspari ingressou no universo do romance policial que tem Conan Doyle e Agatha Christie como maiores destaques. Na trilha de Sherlock Holmes e Hercule Poirot, o jornalista percorre minuciosamente horários nas conversas mantidas pelo ministro Sérgio Moro quando estava à frente do juízo de Curitiba e construiu o processo que culminou com a condenação do ex-presidente Lula, entre outros réus acusados de corrupção.

Gaspari diz que, antes porém, Sérgio Moro divulgou o telefonema entre Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva, episódio que impediu a nomeação do líder do PT para a Chefia da Casa Civil.

ESQUECIMENTO – Gaspari, entretanto, esqueceu de dizer que o STF decidiu contra a posse do grande eleitor de Dilma Rousseff e responsável pela sustentação, até o limite do possível, da sua ex-candidata e sucessora no Palácio do Planalto.

Gaspari não leva em conta os resultados concretos da atuação de Sérgio Moro, não considerando um aspecto essencial: não fosse ele, o mar de corrupção teria continuado na praia da omissão e do silêncio conivente.

Mas falei no grampeamento do telefonema entre Lula e Dilma, o acontecimento hoje faz parte da história. Mas como no Brasil até o passado é imprevisível, nos dias atuais de fato a divulgação da conversa retirou o combustível numa estrada que transportaria o líder do PT à chefia da Casa Civil.

OUTROS DETALHES – Por trás da divulgação desses fatos de 2016, está a hipótese de anulação das sentenças do juiz então do Paraná não observa que a condenação de Lula foi ampliada pelo Tribunal Regional Federal nº 4, e, no lance subsequente reduzida pelo Superior Tribunal de Justiça. Portanto, anular uma das sentenças apenas revela o absurdo do projeto em curso, por diversas vezes nas últimas semanas levantado por Elio Gaspari. Assim, como poderia ser feita tal anulação?

O artigo de ontem não é um texto isolado, pelo contrário. O jornalista vem abordando a hipótese, como disse acima há algum tempo. Deixa a impressão que se assemelha à tese certa vez erguida pelo General Golberi do Couto e Silva que a utilizava para explicar um ponto comum de convergência para que fossem agudamente interpretado contextos políticos inesperados. Mas esta é outra questão.

CONTRADIÇÃO – Agora a questão essencial está em que, ao condenar as interferências telefônicas entre Sérgio Moro e Deltan Dallagnol, o jornalista Elio Gaspari, para criticar Moro baseia-se num processo semelhante criado pelo site Intercept. Quer dizer, não vale articulação do atual Ministro da Justiça no episódio Lula, mas vale a interceptação do mesmo tipo praticada pela Intercept…

No raciocínio do jornalista, só é ilegítima a atuação do atual Ministro da Justiça. Para finalizar, uma observação que julgo importante para análise do conflito Sérgio Moro e Intercept. As gravações da Intercept foram realizadas em 2016. Qual o motivo da demora de três anos para sua divulgação?

41 thoughts on “Gaspari, no mundo de Sherlock Holmes e Agatha Christie, diz que Moro é o culpado

  1. Acredito que não passe pela cabeça destes “defensores” legalidade que a ausência de culpa de Lula seria a razão essencial para sua soltura e não apenas o escavamento desesperado de brechas. Como bem lembrado nesta TI e é contado em filmes e nas manchetes da mídia, os feitos do que se apelidou de República de Curitiba falam por si. Não será qualquer mequetrefe que mudará o que ela foi.

    • As provas da Lava Jato contra Lula no caso triplex
      Na histórica sessão do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região, em que o ex-presidente foi condenado a 12 anos e um mês de prisão em regime fechado no caso triplex, desembargadores realçaram documentos e testemunhos que, em sua avaliação, tiveram peso decisivo para a sentença; confira as provas, uma a uma

      Julia Affonso

      26 de janeiro de 2018 | 05h15

  2. Moro é do Bem.
    Devemos respeitá-lo e agradecer seus trabalhos contra os bandidos, traidores, saqueadores e empulhadores da Nação Brasil.
    lularápio já provou à inúmeras Instâncias que rapinou o Estado junto com a sua camarilha.
    Comparsas não irão mudar o destino deste saqueador.
    Deixe o preso até pagar todas as suas sentenças já proclamadas e mais sete outras ainda não proferidas.
    Defender bandido com artifícios e chicanas jurídicas não enaltece qq jornalista ético e respeitado. Só denigre sua imagem, ainda restante quando for o caso.

      • E em que a Generalíssima do Exército Brasileiro não estaria sendo obedecida???

        Tal título foi dado pelo Marechal Costa e Silva, em 1967, demonstrando a histórica lealdade das tropas a Maria, desde a Colonização.

        O Espadim foi em 23/09/2017.

        Nos acontecimentos pós-19/03/64, a definição foi quando Costa e Silva se autoproclamou Ministro da Guerra … e ninguém o contestou!!! se tornando um dos Comandantes Supremos, né???

        Acontece que só com a CIDADÃ é que foi atendido o pedido de Família Deus Liberdade – pois não houve outra Revolução após 64 … o povo pediu eleições diretas kkk KKK kkk

        Sair da Liberdade é ir contra Nossa Senhora Aparecida.

        Sds.

      • E a LIBERDADE dada ao povo brasileiro pela CIDADÃ foi na escolha em plebiscito:
        Monarquia ou República … Presidencialismo ou Parlamentarismo.

        Os 4 que tivemos em nossa História:
        1 – Monarquia Presidencialista … desde 1.500, passando por Colônia e Reino Unido;
        2 – Monarquia Parlamentarista … com principalmente, Dom Pedro II;
        3 – República Presidencialista; e
        4 – República Parlamentarista – em curto período.

        Foi uma escolha LIVRE … e não será mudada; pois a CIDADÃ proíbe sair do Regime Democrático e voltar ao Antigo Regime dos Fidalgos!!!

  3. Bem,
    há alguma confusão do autor do texto Pedro do Couto. Ele colocou que as gravações foram realizadas pela Intercept e em 2016.
    Será que todos estão errados? Que as gravações foram realizadas pela Intercept e em 2016? Que a historia de hacker é falsa?
    Acho que Moro prestou um bom serviço quando liderou o combate a malfeitos ocorridos na Petrobras.
    Mas tanto ele quanto o MPF cometeram ilicitudes durante o processo.judicial. Também achei um equívoco o juiz aceitar um convite de Bolsonaro para integrar o governo, pois gera suspeição.
    É de bom senso constatar isso, porém, alguns insistem na tese de que vale transgredir as leis no combate à corrupção. Esse endeusamento não é bom, pois torna os “ceguidores” pessoas que enxergam só o lado que lhes convém.
    E como há ceguidores de todos os lados. Quaisquer ponderações se tornam inúteis, porque suas convicções estão enraizadas e nada os fará mudar de ideia..

    • Perfeito, Vidal, perfeito!

      Escreveste uma verdade, que as convicções de ambos os lados – contra e a favor de Moro -, dificilmente mudarão suas certezas.

      A minha, sempre estará ao lado da Justiça, SEJA LÁ QUEM FOR O CONDENADO, logo, é o lado correto, e que convém a sociedade como um todo, e não parte dela.

      Em outras palavras:
      Quem critica Moro porque SUPOSTAMENTE cometeu “ilicitudes” durante o julgamento de Lula, ladrão e genocida, CONSEGUIU tergiversar a sua adoração e fidelidade ao criminoso, adotando como razão as conversas OBTIDAS ILEGALMENTE PELA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA INTERCEPT!

      No entanto, tenta ESCONDER através desses artifícios mal intencionados, os crimes praticados pelo PT e Lula, o chefe da quadrilha!

      Ora, querer condenar Moro porque “agiu” de maneira tendenciosa e parcial contra Lula, ladrão e genocida, LIBERA O BANDIDO DOS MALES QUE COMETEU CONTRA O POVO E PAÍS!!!
      E ILICITUDES absolutamente comprovadas, mostradas, provadas, escancaradas.

      – Ah, mas Moro agiu errado!

      E Lula, por acaso, agiu certo enquanto presidente desta republiqueta??!!
      O correto será invalidar o processo capitaneado por Moro e soltar Lula da cadeia, e recebendo pedido de perdão pela “nossa falha”??!!

      Che, que troço mais ridículo e insensato!

      E dê-lhe sofismas e falácias diariamente em defesa de um inescrupuloso, ladrão, genocida e traidor, o tal de Lula!

      • Caro Bendl,
        certo. Longe de mim querer as convicções enraizadas, pois é tarefa impossível.
        Só expressei minha opinião, portanto não se sinta atingido. Já escrevi e repito: acho Lula culpado, mas isso não dá salvo-conduto a ninguém para agir fora da lei.
        Abraço e vida longa.

        • Meu conterrâneo, Vidal,

          Não foi pessoal o meu comentário acima.

          Eu e tu nos entendemos, mesmo com as diferenças que existem a respeito da política.

          Evidente que todos nós concordamos sobre os crimes praticados por Lula, ladrão e genocida, mas não se pode acusar Moro com base em conversas obtidas ilegalmente, sob pena de haver uma solene contradição entre as acusações contra o ex-juiz, e riscar dos anais da Justiça a culpabilidade do petista bandido!

          Nessas alturas, e não fosse a ideologia a impedir que se tenha um denominador comum neste caso, HOUVE A DEVIDA COMPENSAÇÃO ENTRE UM MAL MAIOR PELO MENOR!

          Moro não primou pela imparcialidade?
          Mas, o ex-juiz considerou que os roubos de Lula precisavam ser punidos e interrompidos.

          Sociedade um, crime zero.

          Forte abraço.
          Saúde, meu caro.

    • https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/artigos/AConjunturaRadicalizacao/A_marcha_da_familia_com_Deus

      Movimento surgido em março de 1964 e que consistiu numa série de manifestações, ou “marchas”, organizadas principalmente por setores do clero e por entidades femininas em resposta ao comício realizado no Rio de Janeiro em 13 de março de 1964, durante o qual o presidente João Goulart anunciou seu programa de reformas de base. Congregou segmentos da classe média, temerosos do “perigo comunista” e favoráveis à deposição do presidente da República.
      A primeira dessas manifestações ocorreu em São Paulo, a 19 de março, no dia de São José, padroeiro da família. O principal articulador da marcha foi o deputado Antônio Sílvio da Cunha Bueno, apoiado pelo governador Ademar de Barros, que se fez representar no trabalho de convocação por sua mulher, Leonor de Barros.
      Marcha da Família com Deus pela Liberdade, no Rio de Janeiro, em comemoração pela vitória do Golpe, no dia 02 de abril de 1964. Preparada com o auxílio da Campanha da Mulher pela Democracia (Camde), da União Cívica Feminina, da Fraterna Amizade Urbana e Rural, entre outras entidades, a marcha paulista recebeu também o apoio da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo. A marcha contou com a participação de cerca de trezentas mil pessoas, entre as quais Auro de Moura Andrade, presidente do Senado, e Carlos Lacerda, governador do estado da Guanabara. Durante o trajeto, que saiu da praça da República e terminou na praça da Sé com a celebração da missa “pela salvação da democracia”. Na ocasião, foi distribuído o Manifesto ao povo do Brasil, convocando a população a reagir contra Goulart.
      A iniciativa da Marcha da Família repetiu-se em outras capitais, mas já após a derrubada de Goulart pelos militares em 31 de março, o que as tornou conhecidas como “marchas da vitória”. A marcha do Rio de Janeiro, articulada pela Camde, levou às ruas cerca de um milhão de pessoas no dia 2 de abril de 1964.
      Sérgio Lamarão

    • https://pt.wikipedia.org/wiki/Marcha_da_Fam%C3%ADlia_com_Deus_pela_Liberdade é melhor:

      A Marcha foi idealizada pelo deputado federal Antônio Sílvio Cunha Bueno,[4] do Partido Social Democrático de São Paulo, como uma espécie de resposta conservadora ao comício da Central, com o intuito de mostrar aos articuladores do golpe que havia uma base social de apoio ao movimento deles.[6] Teve como inspiração a pregação anticomunista do padre irlandês Patrick Peyton, fundador do movimento Cruzada do Rosário pela Família.[12] Cunha Bueno procurou empresários e o vice-governador de São Paulo, Laudo Natel, para que oferecessem apoio logístico a sua empreitada. O então governador de São Paulo, Ademar de Barros, arrecadou dinheiro para comprar caminhões para a Força Pública (atual Polícia Militar do Estado de São Paulo) e garantir a ordem da Marcha. Natel recomendou a Cunha Bueno que procurasse a freira Ana de Lourdes, neta de Ruy Barbosa, para arregimentar lideranças femininas.[1] A religiosa viu ameaças à fé católica no discurso de Goulart, que afirmou que “não é com Rosários que se combatem as reformas”.[10] Além da reconhecida perseguição socialista à fé cristã.[13][14][15][16]
      A manifestação originalmente se chamaria “Marcha de Desagravo ao Santo Rosário”, mas Ademar ponderou que o nome excluía outras religiões e que a oposição ao governo Goulart deveria permanecer unida para conseguir depor o presidente.A deputada Conceição da Costa Neves propôs o Marcha da Família com Deus pela Liberdade.[10]

    • Marchas em outras cidades
      Após a marcha realizada na capital, outras manifestações semelhantes ocorreram no interior do estado de São Paulo. Em 21 de março foram realizadas marchas em Araraquara e Assis; no dia 25, cerca de 80 mil pessoas marcharam em Santos; no dia 28 os moradores de Itapetininga realizaram sua marcha e, no dia 29, ocorreu marchas em Atibaia, Ipauçu e Tatuí. A marcha aconteceu também em outros estados. No dia 24, foi realizada uma marcha na cidade de Bandeirantes no Paraná.[10] Segundo o livro A ditadura militar no Brasil – A história em cima dos fatos, ocorreram 49 marchas em todo o país entre 19 de março e 8 de junho de 1964, tendo as marchas após o golpe recebido o nome genérico de Marcha da Vitória.[1]
      Marcha da Vitória no Rio
      A Marcha convocada para o dia 2 de abril de 1964 no Rio de Janeiro passou a ser conhecida como Marcha da Vitória após a bem-sucedida deflagração do golpe de estado em 31 de março.[4][11] que comemoraram a deposição de Goulart pelos militares em passeata que saiu da praça da Igreja da Candelária às 16:00 horas rumo à Esplanada do Castelo. Dentre as instituições que apoiaram esta Marcha estavam a Assembleia de Deus, a Associação Cristã de Moços (ACM), a Associação de Pais e Mestres, o CAMDE – (Campanha da Mulher pela Democracia), criada em 1962 no auditório do jornal O Globo[18] – a Congregação de Belém, a Cruz Vermelha Brasileira, a Falange Patriótica, o Grupo de Ex-Combatentes da FEB e a Sociedade Cristo Redentor.
      A ideia da Marcha partiu do vigário de Ipanema, frei Leovigildo Balestieri, do engenheiro Glycon de Paiva e do general Golbery do Couto e Silva, sendo criada por Amélia Molina Bastos, irmã do general Antônio de Mendonça Molina, do setor de informação e contrainformação do Ipês.[18]

  4. Não sei quando que o Brasil irá parar com essa história de sempre estar dividido.
    A começar que existe até quem torça contra a Seleção de Futebol em Copas do Mundo, quanto mais na política, religião, ideologias …

    Afora a ronha entre direita e esquerda atualmente, a encrenca do momento é com Moro, onde a maioria absoluta do povo concorda com o ex-juiz, mas há uma parte da mídia, de “juristas”, de seguidores e adoradores de Lula, de partidos de esquerda e de extrema-esquerda, que movem uma campanha sórdida contra o ministro da Justiça, e anterior responsável pela Operação Lava Jato, que interrompeu os crimes contra o país e povo, e selou a sorte da impunidade!

    Em razão dessa forma como agiu Moro, torna-se difícil entender as manobras que tentam desmoralizá-lo, que o acusam de parcial e tendencioso, no caso do ladrão e genocida, Lula.

    Um ex-procurador, gaúcho, Lênio Streck, que se diz filósofo do Direito, é um dos críticos mais veementes contra o ex-juiz, deitando sofismas e falácias a respeito de uma justiça, que sequer ele mesmo obedeceu o que apregoa!

    Mas, a questão é saber quais as razões pelas quais Moro tem sido alvo de um movimento contrário à punição de ladrões e corruptos?!
    Qual seria o verdadeiro motivo dessa empreitada contra um ex-magistrado, que deu início a uma Justiça diferente, que separou a velha, arcaica, retrógrada, conservadora, por uma moderna, eficaz e eficiente??!!

    Moro deve ter mexido onde não devia pois, abriu com uma cunha, a brecha existente entre a honestidade e a impunidade, onde interessados na manutenção desse sistema, que há décadas protege e alimenta a corrupção, foi pela primeira vez na história dado ao conhecimento do público.

    Moro comprovou que os três poderes estavam unidos em roubar, explorar e manipular o Brasil e povo, e que este golpe precisava ter um fim ou que o cidadão brasileiro soubesse do quanto estava sendo enganado, e sem qualquer providência que fosse tomada neste sentido.

    Moro tirou a podridão que estava embaixo do tapete, e disse claramente que ela precisava ser retirada porque deixava a vida nacional fétida, imunda, nauseabunda!
    Foi a partir desse momento que a ratazana, as baratas, os micróbios, as bactérias se rebelaram, e passaram a querer destruir Sérgio Moro!

    Somente o povo, a sociedade organizada, poderão impedir essa barbárie, essa tragédia que se anuncia, de a Lava Jato ser enterrada na podridão que descobriu e, o seu autor, que julgou e condenou as podres alianças criminosas, então que seja também atirado pelos porcos à vala da sujeira onde habitam normalmente.

    Proteger Moro é proteger o Brasil;
    Manter Moro é impedir que a corrupção retorne com mais força;
    Impedir que Moro seja dessa forma desmoralizado, mediante campanhas pérfidas e sórdidas, é não permitir que o país e povo sejam cada vez mais desvalorizados no contexto internacional!

  5. Sim, Lionço, eu entendo, portanto a minha pergunta foi endereçada ao Malafaia, que alega haver “cura” para a homossexualidade, e esta se encontraria na fé em Deus!!!

    Eu não mencionaria a Intersexualidade como exemplo, Lionço, mas uma série de deficiências outras que nasce em um ser humano!

    Resumo da ópera:
    Devemos nos aceitar como somos.

    Abraço.
    Saúde.

    • Gênosis 5, 1. Este é o livro da história da família de Adão. Quando Deus criou o homem, ele o fez à imagem de Deus.
      2. Criou-os homem e mulher, e os abençoou, e deu-lhes o nome de homem no dia em que os criou.
      3. Adão viveu cento e trinta anos: e gerou um filho à sua semelhança, à sua imagem, e deu-lhe o nome de Set.

      Somos filhos de ADÃO, né … … … à imagem de Deus … porém – somos à semelhança e à imagem de ADÃO pecador!

      Há os da MULHER e os da SERPENTE – os que NÃO confessam!

      Sds.

  6. Lionço,

    Religião se confunde com política porque somos sempre enganados, ludibriados, iludidos, por ambos.

    A história da criação do homem é uma delas, que pelas razões mais comezinhas de raciocínios primários e de inteligências até mesmo simplórias, o nosso surgimento não se deu desta forma.

    Por outro lado, a própria Bíblia menciona seguidamente casos de homossexualismo e, Deus, também conhecido como Senhor dos Exércitos não os aniquilou!

    Vou mais longe:
    Apesar de a Eva ter comido do fruto da árvore do bem e do mal ou do conhecimento, tanto faz, ela foi instigada pelo demônio, que se transformara em … serpente.
    Logo, várias perguntas podem ser dirigidas ao Criador:
    1 – Por que permitiu que o demônio se intrometesse na sua criação?
    2 – Por que permitiu que o seu oposto, o diabo, tivesse tanto poder, a ponto de fazer sucumbir santos e pecadores às suas tentações?
    3 – Por que sendo o Todo Poderoso, teve de pedir – melhor -, comunicar à Maria que ela seria mãe do Seu Filho?!
    4 – Deus havia expulsado a mulher do Paraíso porque o desobedecera.
    Puniu a coitada deixando sobre ela que o parto seria com dores.
    Maria, bem que poderia ter “negociado” com Deus esta determinação:
    – Tá bem, Senhor, mas elimine o castigo das dores, na hora de a mulher dar a luz, pode ser?

    Maria se manteve altiva, obediente, e nada exclamou para não ser a mãe de um mártir, pois ela tinha plena consciência da sua missão.

    Portanto, Lionço, termos sido feitos à imagem e semelhança de Deus não pode ser desse modo como somos aparentemente, MAS EXATAMENTE O QUE NÃO CONSEGUIMOS VER, que muda sem que percebamos, e nos modifica mesmo que não queremos!!!

    Não é no corpo, na conduta, no comportamento pessoal, mas no nosso interior, na mente, nas intenções, na compaixão, no … amor!!!

    Mais vale um homossexual caridoso, honrado, decente, honesto, VIVENDO COM OUTRO HOMEM OU MULHER VIVENDO COM OUTRA MULHER, que aqueles que se intitulam profetas, apóstolos, pastores, bispos, missionários, que se servem da credibilidade alheia para tomar-lhes dinheiro e enriquecer!!!

    Muito melhor conviver com homossexuais corretos em suas sociabilidades, que héteros roubando, explorando e manipulando tanto outros héteros quanto homossexuais!!!

    Ah, e um detalhe muito importante:
    na razão direta que Deus é a imagem do masculino, do senhor, do homem, a pergunta é até lógica:
    Por que Deus não teve uma mulher para si??!!
    Não seria o Criador alvo de Intersexualidade, diante do fato que não se sabe se homem ou mulher ou ambos ao mesmo tempo??!!

    E NÃO ESTOU BLASFEMANDO, mas questionando o Todo Poderoso em episódios onde a sua onipresença e onisciência deixaram a desejar!

    Abração.

    • Amigão Bendl … mil desculpas por ter demorado a responder 🙂 🙂 🙂

      1 – Deus, para Ser Deus, precisa Ser Completo em tudo que necessita Ser um SER, né???

      2 – Portanto, não há sexo em Deus; no sentido de um sexo completar o outro.

      3 – Eu Sou Deus (Pai)
      Tu És Deus (Filho)
      Ele É Deus (Espírito Santo)
      São 3 Pessoas e no Singular!!!

      4 – Para Ser Pai, tem que ter Filho;
      E como completo é, não precisa de deusa;
      Então, dizemos que o Filho é Gerado e não Criado.

      5 – O Amor do Pai pelo Filho;
      O Amor do Filho pelo Pai;
      Temos o Espírito que os faz Ser um Só!!!

      Desculpa minha ignorância. Abs.

  7. Pedro do Coutto, parabéns pela excelente análise que me fez pensar.

    De fato, Moro estava com terrível dilema: permanecer inerte e deixar o Brasil continuar nas mãos dos corruptos, ladrões do dinheiro (trabalho) do povo brasileiro ou divulgar a indecente ligação entre Dilma e Lula, criando condições objetivas para salvar o Brasil.

    Optou por salvar o Brasil e, por isso, merece minha eterna consideração e respeito. Sua iniciativa foi de um justo e perfeito patriota.

  8. Caro Bendl, perfeito o final de um dos teus comentários, o que expressa:

    “Proteger Moro é proteger o Brasil;
    Manter Moro é impedir que a corrupção retorne com mais força;
    Impedir que Moro seja dessa forma desmoralizado, mediante campanhas pérfidas e sórdidas, é não permitir que o país e povo sejam cada vez mais desvalorizados no contexto internacional!”

    Perfeito, isso me faz lembar que Moro não recebeu qualquer centavo do “Petrolão”, nem do destroçamento dos “Fundos de Pensão”, nem do assalto ao BNDES, nem, nem, nem, …

    Nem pediu ao “Bessias” para ser portador de documento AMORAL !

  9. Caríssimo Celso,

    Ou ainda nos damos conta que devemos manter e proteger o pouco que obtivemos com a Lava Jato ou, então, LOCUPLETEMO-NOS TODOS!!!

    E viva a baderna, a terra sem lei, uma justiça tendenciosa, parcial, e que alimenta a impunidade!

    Moro inaugurou uma nova fase na Justiça:
    de perseguir os ladrões, os nefastos e nocivos corruptos, que dilapidaram o país e povo durante décadas!
    Ao impedir que o crime praticado pelos poderes continuasse, Moro foi declarado, pelos interesses e conveniências pessoas de poderosos, “persona non grata”.

    Razão pela qual a campanha sórdida e covarde contra ele na mídia, e por parte de “juristas” que apenas sabem ler o que diz a Constituição, sem que interpretem as leis porque incompetentes, além da demonstração de total desconhecimento de uma tal de Hermenêutica.

    Ou marchamos com Moro ou marchamos com a corrupção.
    Uma questão de escolha, tão somente.

    Abração.
    Saúde.

  10. Prefiro marchar contra os ilícitos, todos eles, portanto, minha escolha é correta. De boas intenções o inferno está cheio.
    esse endeusamento de qualquer pessoa não é salutar, faz a paixão sobressair-se à razão.
    Bom mesmo é que se respeite, as leis e a Constituição, caso contrário, se interpretações pessoais sobressaírem ao que realmente a lei estabelece, o vale-tudo vigorará e cedo ou mais tarde, poderemos ser atingidos por tais “interpretações”.
    Não devemos ser ceguidores de ninguém, mesmo com o pretexto de combatermos os malfeitos. O combate à corrupção deve ser um VALOR e impessoal.

  11. Pedro do Coutto nos fez o favor de destrinchar o artigo de Elio Gaspari e expor seus raciocínios enganosos. Gaspari é das muitas figuras da nossa mídia que desfruta um prestígio imerecido.

  12. Por que foi criada a Justiça desde tempos imemoriais?

    Por que desde que o homem surgiu sempre houve a necessidade de Justiça?

    Por que imediatamente à criação do homem, considerando o Criacionismo, um dos primeiros capítulos da Bíblia aborda o erro de Adão e Eva?
    Por que foram punidos por Deus?

    Qual seria a intenção de se fazer Justiça?

    O que seria Justiça?

    Meus parcos e ridículos conhecimentos de Direito e também Deveres, lógico, indicam que Justiça é resultado.
    O resultado de negócios é lucro;
    O resultado de se estudar é saber, e conquistar boas colocações no mercado de trabalho;
    O resultado de um bom casamento é o nascimento de filhos, e uma vida familiar coesa permanentemente, além da vida de total união entre os cônjuges;
    O resultado de se fazer exames médicos é a obtenção de diagnóstico preciso sobre a doença que nos abala;
    O resultado para o trabalhador é o salário;
    O resultado de uma disputa esportiva é a vitória, pois a derrota não seria resultado, mas fracasso;
    E por aí vai …

    Logo, a Justiça precisa de resultados, mas aonde, como e quando?
    Respondo:
    Faz-se justiça quando acompanhada de uma punição ao infrator, o resultado que se espera, claro.

    No entanto, a punição ao criminoso acontece porque as demais pessoas não agem como o delinquente.
    A punição não foi porque a pessoa merece ser castigada, não, mas pelo fato de que os outros cidadãos se comportam conforme os ditames sociais contidos em leis e códigos.

    Ora, se a maioria absoluta é cônscia de seus deveres e responsabilidades, a punição ao bandido é uma satisfação à sociedade, determinada pelo sistema Judiciário, que compõe um dos poderes constituídos.

    Se a discussão ficar limitada entre os protocolos do processo contra um ladrão, por exemplo, que incalculável prejuízo ocasionou à sua nação e povo e, por acaso, o Juiz deixou de observar detalhes que RESULTARIAM na impunidade do mal intencionado, que Justiça seria esta?!

    – Ah, mas o magistrado não poderia ter conversado com procuradores, não poderia se comunicar com os acusadores, deveria se ater tão somente à letra fria da lei!
    Mas, de acordo com esse procedimento meramente técnico, o meliante não seria julgado e condenado, porém continuaria solto e continuando na sua saga de crimes IMPUNEMENTE!

    De que adianta o curso para Juiz, após o bacharelato em Direito, onde estuda Hermenêutica, ou seja, tentar saber o que quis dizer o legislador quando criou as leis, e tal condição for desconsiderada por que assim determina alguns quesitos a respeito da conduta do juiz, e o resultado é o ladrão sequer ter sido processado??!!

    Que justiça é esta, se o resultado exigido pela sociedade prejudicada pelo bandido deixa de ser feita, em razão de que haveria envolvimento indevido entre acusação e o julgador!!!???

    Que resultado seria esse à sociedade, que se comporta OBEDECENDO as leis para não ser julgada, condenada e privada da sua liberdade, enquanto meros pormenores sem qualquer importância ao fato do roubo, forem classificados como prioridade, menos a punição ao delinquente?!

    Se é assim, o ser humano é menos importante que a lei QUE ELE MESMO CRIOU, algo insano, para dizer o mínimo!
    E juízes e processos para quê?!
    Se não se pode levar em conta atenuantes e agravantes, dolo ou não, que se jogue no lixo a Hermenêutica, haja vista a sua absoluta inutilidade!

    Mais:
    Se a Justiça não for ativa, passando por cima de certas filigranas, de modo a punir alguém que, além de ladrão era o presidente do país, que seria o responsável para cuidar do patrimônio e também obedecer as leis, porém as descumpriu, mais uma razão para a Justiça ir pelo atalho, mas a sociedade não pode deixar de ser contemplada com a punição àquela pessoa que tanto a lesou e prejudicou!

    Ao não se punir o réu, mediante provas documentais, testemunhais, o aparato necessário ao julgamento, a Justiça poderá estar sendo feita, sim, caso levar em conta o que diz as palavras contidas na lei.
    No entanto, a sociedade, que é o alicerce de qualquer Nação à sua estrutura, a sua razão de ter uma designação, de ser Estado, País e Pátria, ao se fixar somente em itens da sua Constituição, O RESULTADO É QUE O CIDADÃO DE BEM SERÁ PUNIDO, o trabalhador, o comportado, aquele que é honesto, decente, que cumpre com seus deveres e, em decorrência, possui DIREITOS – ESTES SERÃO SOLENEMENTE IGNORADOS PORQUE a lei estipulou os trâmites de um processo sem avaliar as circunstâncias onde a verdadeira Justiça que enaltece a sociedade, que a prestigia, que lhe dá a devida importância foi suplantada por “detalhes”.

    Então leio falácias, sofismas, conceitos mirabolantes e deturpados sobre … Justiça, enquanto a sociedade que vá cachimbar formiga!

    Não sou eu quem afirma:
    “Justiça é um conceito abstrato que se refere a um estado ideal de interação social em que há um equilíbrio, que por si só, deve ser razoável e imparcial entre os interesses, riquezas e oportunidades entre as pessoas envolvidas em determinado grupo social. … A justiça deve buscar a igualdade entre os cidadãos.”

    Justiça que contempla apenas a Justiça, que justiça é esta?!
    Ou, que se veja impedida de punir o infrator porque ou se obedece rigorosamente pontos e vírgulas contidos na lei ou segue o criminoso livre, em ofensa e agressão à sociedade!!

    Isso também seria Justiça?!

  13. KKK o raciocínio do colunista dos dois jornalões é ambivalente, para um vale e para outro não vale. Como a causa que o colunista abraçou é a salvação do 51, o episódio do grampo que o impediu de assumir a Casa Civil no desgoverno da infeliz é inválido, é mesmo, isto é inegável. Agora o grampo que o hoje ministro e membros do MPF sofreram é válido, bem diz o ditado, o diabo mora nos detalhes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *