Gasto de R$ 15 milhões com leite condensado por órgãos do governo federal gera revolta nas redes sociais

Executivo registou R$ 1,8 bilhão em gastos com supermercado

Deu no O Globo

A informação de que órgãos do governo federal gastaram mais de R$ 15 milhões com leite condensado em 2020 — em meio a R$ 1,8 bilhão de gastos com supermercado — virou piada nas redes sociais nesta terça-feira, dia 26, após ter sido divulgada pelo site Metrópoles.

Os dados, extraídos do Painel de Compras do Ministério da Economia, também provocaram revolta entre políticos e anônimos que usam a internet para se manifestar contra o presidente Jair Bolsonaro. As compras do Palácio do Alvorada, onde ele vive, não estão computadas no levantamento.

DESPESAS – De acordo com o Metrópoles, houve um aumento de 20%. no ano passado, nas despesas com itens alimentícios adquiridos pelo governo. Os maiores montantes foram pagos pelos ministérios da Defesa e da Educação. A primeira pasta é responsável pela alimentação do efetivo das Forças Armadas e, em nota enviada ao site, informou que “toda despesa efetuada pela Administração Pública Federal está dentro do orçamento”. 

Entre os alimentos listados pelo site, além de itens mais tradicionais, apareceram biscoitos, sorvete, massa de pastel, geleia de mocotó, picolé, pão de queijo, pizza, vinho, bombom e chiclete. O que mais mobilizou os internautas foi o leite condensado, utilizado em uma das receitas favoritas de Bolsonaro: o pão com leite condensado.

O ingrediente está entre os assuntos mais comentados do Twitter e já reúne mais de 200 mil menções até as 15h desta terça-feira. Apesar das publicações, os gastos da Presidência não constam no levantamento e os R$ 15 milhões gastos com o ingrediente são referentes ao uso de toda a administração federal.

CRÍTICAS – Políticos de oposição pegaram carona no episódio para criticar o governo. O ex-ministro Ciro Gomes, do PDT, disse que vai entrar na Justiça para pedir explicações sobre os “gastos absurdos”: “Entrarei na justiça para pedir explicações sobre os gastos absurdos do Bolsonaro! Mais de R$ 15 milhões em Leite Condensado e Chiclete com dinheiro público? Isso é corrupção!”

Segundo as contas da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), o governo federal teria gastado 7,6 mil latas de leite condensado por dia no ano passado. “O Brasil já teve ladrão de todo tipo na presidência. Já teve ladrão de galinha, de triplex, de Petrobras…Mas não é que o que mais tá metendo a mão no nosso bolso ficará conhecido com o “ladrão de leite condensado”?! 7.600 latas por dia!!! Vai roubar assim na casa do chapéu”.

A ex-deputada Manuela D’ávila (PCdoB) também criticou as compras e o presidente: “Bolsonaro nega ao povo brasileiro o auxílio emergencial de R$ 600 enquanto gasta R$ 16,5 milhões com batata frita embalada, R$ 15,6 milhões com leite condensado, R$ 13,4 milhões com barra de cereal, R$ 12,4 milhões com ervilha em conserva e, acreditem, R$ 2,2 milhões com chiclete”.

AUXÍLIO EMERGENCIAL – O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) também lembrou do auxílio emergencial criado durante a pandemia da Covid-19, que o governo decidiu não prorrogar. Já o youtuber Felipe Neto, uma das principais vozes de oposição entre os jovens, brincou com uma das brincadeiras que donos de canais no Youtube costumam filmar para publicar na plataforma: “E não fez uma banheira de brigadeiro para o Youtube?”, ironizou o influenciador.

###
NOTA DO MINISTÉRIO DA DEFESA SOBRE O CASO:

“Com disponibilidade permanente e dedicação exclusiva, os militares realizam atividades inerentes à profissão militar e que possuem exigências físicas específicas em diferentes áreas de atuação e nas mais diferentes regiões do território nacional. Assim, cumprem ações que requerem, em grande parte, atividades físicas ou jornadas de até 24 horas em escalas de serviço, demandando energia e propriedades nutricionais que devem ser atendidas para a manutenção da eficiência operacional e administrativa com a disponibilização de uma dieta adequada.

O Ministério da Defesa fornece diariamente alimentação para militares e servidores civis que permaneceram com atividades essenciais ao cumprimento de sua missão institucional, mesmo durante a pandemia, por meio de suas Unidades Gestoras. A aquisição de alimentos variados e conforme a disponibilidade de mercado, leva em consideração, naturalmente, que o fornecimento de uma dieta inadequada tem potencial de deixar de conduzir o homem a um estado nutricional saudável para a realização de suas atividades laborais.

O MD informa ainda que para fins de esclarecimento, existem processos de licitação em fase inicial de compra tipo Registro de Preços, que se trata de um edital para pregão, sem, contudo, haver sido consumada a compra dos itens discriminados. Nesta modalidade, a administração pública não está obrigada a firmar as contratações dos itens listados no pregão e o licitante fica obrigado a fornecer o material registrado durante o período de doze meses. Portanto, as quantidades elencadas não representam necessariamente a eventual aquisição e são estimativas para o período de um ano. Além disso, os preços constantes do chamamento público são valores de referência compatíveis com o mercado.

Por fim, as Unidades Gestoras obedecem aos requisitos previstos na Lei n 8.666, de 21 Jun 1993 – Lei de licitações e contratos”.

25 thoughts on “Gasto de R$ 15 milhões com leite condensado por órgãos do governo federal gera revolta nas redes sociais

    • Seria muito interessante saber quanto os políticos gastam com esses tais cartões corporativos e até quando essa incongruência vai existir no nosso país. ISSO É UMA IMORALIDADE. QUEM INVENTOU ISSO É UM CANALHA !

      • A questão não é essa, Sales.

        O problema é a aquisição de produtos absurdos para o governo!

        Batatas fritas embaladas, barras de cereais, leite condensado, ervilhas e CHICLETES!!!

        Ora, que necessidade tem o governo desses produtos?
        Fossem arroz, feijão, carne, ovos, tomate, açúcar, sal, vinagre … mas guloseimas??!!

        Nessas alturas, bando de canalhas é o governo, mesmo sendo verdadeiro na divulgação de suas aquisições, porém absolutamente supérfluas e desnecessárias.

        Sessenta milhões de reais gastos criminosa e irresponsavelmente!

        Depois, convenhamos:
        Dois milhões e duzentos mil reais de chicletes(?!), vai ter cara que deslocará o “carrinho” de tanto mascar essas PORCARIAS!!!

        A título de informação, essa quantia daria para adquirir quase SEIS MIL CESTA BÁSICAS, ao custo de 370,00 cada uma!!!
        Mas, Bolsonaro, comprou de chicletes, que pouca vergonha!

        • Caro Bendl, boa tarde.
          Tudo bem?
          Então, vamos ao assunto:

          Todas as compras ultrapassam a quantia de um bilhão e oitocentos milhões de reais.
          Se aplicasse essa dinheirama, daria para pagar mais de SEIS MILHÕES de Auxílio Emergencial de 300 reais para o nosso povo faminto.

          Pelo conteúdo da compra, é pra ser investigado.
          É … o cerco está se formando.

          Um abraço, saúde e cuide-se.
          Jared.

  1. Se não me falhe a memória (estou na fase pré-idoso)., uma das promessas de campanha do BolsoBaleia era acabar com as MAMATAS…
    Isso é só a ponta do iceberg do desperdício de dinheiro público.
    Peguem o Portal da Transparência, e vejam o que fazem os nobres “vermes sanguessumas”, verdadeiros sugadores, ladrões corruptos com do dinheiro público pago com nossos impostos.
    Tem verme que gasta com gasolina, que dá para ir até Marte e voltar, e ainda dá para dar uma esticada até a Lua….

    • Calmem, não se revoltem! Depois virá a recompensa: quando vocês souberem o número de diabéticos, dentre esses que se encharcaram com o leite condensado!
      O fato de eles se tornarem diabéticos, não vai pesar no erário público, com dietéticos e insulina; dois anos passam depressa!

  2. Sinceramente só pode ser Fake News. Não pode ser verdade. Não vou comentar. Detesto ser usado. Para detestar este governo não precisamos acrescentar nem adjetivos aos despaupérios que diariamente são praticados.

  3. Temos algum Tribunário nutricionista?

    Se tiver gostaria de ser esclarecido.

    Qual o valor nutricional destes “alimentos”.

    1) leite moça.
    2) batata frita em saquinho.
    3) barra de cereal.
    4) chiclete.
    5) ervilha em conserva.

    Se estes valores em reais são apenas uma estimativa, o governo federal como diz a nota do governo, deveriam informar imediatamente pra platéia que paga a festa, quais foram os gastos efetivos desses produtos.

    É óbvio que não vão esclarecer nada como sempre.

    Isto é um tremendo roubo descarado Corrupção à flor da pele!!

    PQP MIL VEZES!!!

    Está insuportável ter que conviver com estas notícias.
    Enlouquecem até o mais centrado contribuinte.

    JL

    P.S. Será que com essa grana, o demônio está armando seu milicianos?
    Serão muito úteis pra serem acionados no dia do FICO!!
    Não duvido nada!

    JL

  4. É revoltante, ainda fazem piada com esta safadeza, deveriam exigir explicações, uma lata de leite condensado custar R$ 162,00, isto é roubalheira, não é atoa que estes caras enriquecem com dinheiro público, agora diz não ter dinheiro para o auxílio emergencial, cadê o MPF, o STF, o congresso, é mais um motivo para impeachment.

  5. aosfatos.org.br

    Bolsonaro não gastou R$ 15 milhões em leite condensado; cifra equivale à despesa de todo o governo federal
    Por Luiz Fernando Menezes

    26 de janeiro de 2021, 17h04

    Não é verdade que, sozinho, o presidente Jair Bolsonaro gastou R$ 15,6 milhões em leite condensado no ano passado, como alegam publicações nas redes sociais (veja aqui). A cifra corresponde ao custo anual com o produto alimentício em todos os órgãos do governo federal, não apenas a Presidência da República. Dos R$ 15,6 milhões, R$ 14,2 milhões foram empregados pelo Ministério da Defesa, o que pagaria, segundo a pasta, pela alimentação do efetivo de todas as Forças Armadas.

    A distorção tem sido empregada nas redes sociais em postagens que sugerem que o gasto seria um indício de corrupção do presidente. No Facebook, o conteúdo reunia ao menos mil compartilhamentos nesta terça-feira (26) e foi marcado com o selo DISTORCIDO na ferramenta de verificação da plataforma (saiba como funciona).

  6. Prezado Xavier,

    Apesar dos esforços despendidos em explicações sobre os gastos mencionados acima, a verdade é que não existem explicações plausíveis e justificativas aceitáveis, sobre as despesas do governo federal em supérfluos!

    Vejamos:
    R$ 16,5 milhões com batata frita embalada; R$15,6 milhões com leite condensado;
    R$ 13,4 milhões com barra de cereal;
    R$ 12,4 milhões com ervilha em conserva;
    R$ 2,2 milhões com chiclete!

    SESSENTA MILHÕES DE REAIS em … guloseimas, em produtos absolutamente desnecessários, em mercadorias cujo valor significaria ajuda de 600,00 para CEM MIL PESSOAS!!!!

    Che, eu servi o Exército numa época onde não havia meio expediente, só nas quartas-feiras.
    Havia café da manhã para quem estivesse de serviço;
    almoço para a tropa;
    expediente à tarde;
    jantar para quem estivesse de serviço;
    e o famoso “brochante”, chá ou café numa caneca de metal de 400ml, acompanhada com um farto pedaço de pão francês com chimia ou, conforme vocês conhecem, geléia.

    A comida era tradicional para um contingente militar:
    carne de panela, arroz, feijão, salada, e como sobremesa uma fatia de marmelada.

    Agora, leite condensado, batatas fritas, barras de cereais, CHICLETE(?!), o governo definitivamente endoidou, aloprou, está debochando, escarnecendo sobre a pobreza e a miséria, onde a fome dessas pessoas aumentou nos últimos anos!!!

    Pô, mas nem o PT cometeu essa ofensa ao povo e país!

    Que os militares devem ser bem tratados, vá lá, mas seus proventos podem adquirir esses produtos que jamais deveriam compor a dieta de instituições, ou seja, O POVO pagar para satisfação de uns e outros, enquanto procura em latas de lixo restos de comidas estragadas e azedas para se manter em pé!

    Se, o Brasil, tem sido o país das maiores e mais graves INJUSTIÇAS sociais, desta vez Bolsonaro extrapolou, excedeu, foi irresponsável criminosamente por mais esta diferença, segregação condenável e repudiável na atenção de aquisições, que merecem e devem ter investigações a respeito dos porquês de terem sido compradas!

    Inaceitável esse tipo de comportamento do governo federal.
    Imagino este ano, 2021, como serpa as aquisições do STF!
    Se, ano passado, foi qualquer coisa de nababesco, de paxás, de xeiques árabes, este ano será algo parecido com as festas de antigos imperadores romanos!

    Nesse meio tempo, em razão de os três poderes precisarem ser independentes e “harmoniosos” entre si, quero ver as despesas do antro de venais, vulgo congresso, quanto aos gastos com alimentos e bebidas, açúcar, café, água mineral, salamaleques tradicionais dos corruptos e vagabundos parlamentares que, não bastasse o alto custo para o povo, ainda roubam gasolina, despesas de refeições não feitas, hospedagem em hotéis que sequer passaram perto, aluguéis de veículos que dariam várias voltas em torno do planeta, e a farra que deve ser nas despesas TOTALMENTE ressarcidas de médicos e dentistas para toda a família!!

    Em outras palavras:
    O Brasil tem dono, sim.
    E nós, o povo, somos os criados que mantém a mansão, e ainda cedemos nossos salários para os membros que se dizem proprietários das terras e palácios!

    Finalizando:
    nada mais dessas ofensas e deboches contra o povo me impressionam, pois se tornaram costumeiras, normais, tradicionais, advindas de nossos governantes.

    O que me deixa ainda perplexo, surpreso, não acreditando que os episódios de escárnio contra o povo sejam realizados diariamente, é a passividade, a omissão e até irresponsabilidade do cidadão para com ele mesmo e pais!

    Aceitamos tudo que não presta;
    comportamentos criminosos;
    somos roubados, explorados e manipulados;
    a pobreza, a miséria, a fome, o desemprego, o analfabetismo, a educação, segurança, A FALTA DE OXIGÊNIO NOS HOSPITAIS DE MANAUS, e nos resignamos COVARDEMENTE explicando que,

    “Deus quis assim, vamos fazer o quê”??!!

    Nessas alturas, merecemos mesmo ser injustiçados, ofendidos, debochados, agredidos, pois não só concordamos como ainda elogiamos nossos poderes constituídos!

    Somos mesmo um povinho de merda, e temos de fritá-la para comer o “torresmo”!

    • Caro Bendl, houve aumento de 20% na aquisição de alimentos. Isso numa época de vaca magras. Em outras áreas, como no CNPq, houve redução no orçamento. Dá para entender essas anomalias?

      • Queres mais uma atrocidade contra o povo e país, conterrâneo Vidal?

        Ei-la:

        “Os ministros Bruno Dantas, Vital do Rego e Walton Alencar Rodrigues, do TCU, vão receber cada um uma verba de R$ 40 mil da corte para viajar à Finlândia, à Suécia e à Coreia do Sul, informa Luiz Vassallo na Crusoé.

        Eles vão acompanhar uma comitiva do ministro das Comunicações, Fábio Faria, para “conhecer as melhores tecnologias relacionadas ao 5G”. O desembolso foi autorizado pela presidente do TCU, Ana Arraes.”

        Che, os caras tão pedindo para levar chumbo!!!

        O escárnio ultrapassou qualquer tolerância possível e imaginável.
        Tá demais o acinte.

        Abraço.
        Saúde e paz.

        • Logo a turma do TCU, o paraíso do serviço público!

          Alguma vez este pretenso “tribunal” alertou o as autoridades sobre os roubos produzidos nos poderes constituídos?
          Impediu que ataques fossem concretizados contra o erário público?

          Che, essa é maior mamata existente na republiqueta.
          “Conselheiros” escolhidos entre parlamentares, que aprovarão as contas do governo, evidentemente.

          Maaaaazzzzáaaaa safadeza!

          • Não sei se é por aí, mas pode ser que essa relação de compras, por tão absurda que é, não seria algo produzido para desviar a atenção do principal que está ocorrendo entre Bolsonaro e a Covid-19?

            Se eu estiver certo, depois é só provar que a lista é falsa e que nunca existiu, etc. etc.

            Digo isto porque é muita inocência num só governo.

  7. A ideia de Bolsonaro ao adquirir especiarias para a dieta do governo federal – absurdo! -, será o estopim para licitações as mais exóticas e diferentes que foram publicadas pela imprensa nacional.

    Considerando as compras de ingredientes para seus banquetes, penso que o STF este ano deverá ser mais sofisticado e exigente pois, se o governo pode adquirir produtos desnecessários e extravagantes, muito mais direitos teriam os ministros de escolherem suas refeições – claro, na imaginação de Suas Excelências.

    Deixo uma lista de produtos que, certamente, alguns mencionados irão compor as compras este ano para a Suprema Corte se deliciar, ainda mais patrocinadas pelo povão desempregado, pobre, miserável e esfaimado:

    Flor de Sal Defumada.
    Este não é um sal comum. Vendido por cerca de R$ 400 o quilo, ele guarda em si os sabores dos minerais e das algas de onde é retirado, na Normandia, França. Mais: os cristais são defumados em barris de carvalho que foram usados para envelhecer vinho, incluindo os aromas da bebida em seu buquê. Seu preço é de US$ 210 mil por quilo;

    Café Civeta.
    Conhecido também como Kopi Luwak, o cafezinho é produzido com grãos de café retirados das fezes do civeta, um simpático felino que gosta de comer as frutinhas do café. Durante a digestão, as enzimas e bactérias do organismo do animal deixam o grão com um sabor especial e diferenciado. Produzido em Sumatra, na Indonésia, ele é vendido por cerca de US$ 600 o quilo;

    Trufas Brancas.
    Mais que as negras, a versão branca destes cogumelos são encontradas na Itália e cresce apenas em determinadas áreas, junto com certas árvores. Encontrada com a ajuda de cães ou porcos (sim, porcos!) farejadores, em eventos que se transformam em verdadeiras festas nos vilarejos, esta iguaria é vendida por preços que variam entre US$ 4 mil e US$ 10 mil o quilo. A trufa branca mais cara do mundo pesava 1,5 quilos e foi arrematada por um comprador de Macau, que pagou impressionantes US$ 330 mil;

    Caviar Iraniano.
    Conhecidos no mercado como Almas Golden Caviar, estas ovas douradas são retiradas de esturjões beluga albinos com cerca de 70 anos, e que vivem apenas no mar Cáspio. O toque de Midas fica por conta da embalagem, feita em ouro puro. Tanto luxo tem seu preço: U$S 25 mil por pouco menos de um quilo;

    Carne Wagyu.
    Conhecida também como Bife Kobe, esta carne especialíssima é produzida no Japão, justamente em Kobe. Seu diferencial é o tratamento do bovino, que só come grãos, bebe cerveja, recebe massagem e passa os dias ouvindo música. Tudo para que a carne tenha o teor correto de gordura e atinja o melhor sabor e maciez. Preço: US$ 2,8 mil;

    Açafrão.
    Comum no mundo todo, este tempero é retirado de uma flor. O problema é que para se produzir meio quilo de açafrão, são necessárias até 75 mil flores, o equivalente a um campo de futebol americano delas. Por causa disso, os preços variam entre US$ 1100 a US$ 11 mil por quilo;

    Melancia Densuke.
    Cultivada exclusivamente em Hokkaido, no Japão, esta melancia especial possui uma casca escura e não possui sementes. Apenas 10 mil delas são produzidas por ano, o que aumenta a procura – e o preço. Cada uma delas pode custar US$ 250;

    Melão Yubari.
    Outra invenção japonesa. Também cultivados em Hokkaido, eles são semelhantes aos melões cantaloupes, mas possuem um formato perfeitamente arredondado e sua pele é mais macia. Também são excepcionalmente doces, o que especialistas acreditam ser resultado do cultivo em solo vulcânico. Nada doce, o preço chega a US$ 13 mil;

    Foie Gras.
    Odiado pelos ativistas da causa animal, o fígado gordo de pato ou de ganso (este último considerado o mais caro) só é possível porque os animais são alimentados à força, levando o órgão a funcionar no limite. O resultado é um fígado com quase 50% a mais de gordura do que normalmente teria e uma textura amanteigada. Apreciado como aperitivo, o quilo deste alimento custa cerca de US$ 100 por quilo;

    Chá Tie Guan Yin.
    Também chamado de “Deusa de Aço”, este chá é uma versão especial da erva produzida na província de Fujian, na China. Ele é semelhante ao chá verde, mas possui um aroma mais floral. Parte desse sabor é mantido graças ao complexo sistema de produção, mantido em sigilo por séculos e que requer prática para seguir oito passos fundamentais. Preço por quilo: US$ 112;

    Presunto Ibérico.
    Esse tipo de carne curada é produzido em regiões da Espanha e de Portugal, onde porcos pretos ibéricos (ou porcos que são ao menos 50% ibéricos) vivem em meio ao montado, um ecossistema formado por florestas de azinheiras, sobreiros, carvalhos ou castanheiros.
    Os animais vivem em liberdade e têm uma dieta de frutos dessas árvores, conhecidos como bolotas.
    A classificação do presunto ibérico é bastante rigorosa: o tipo “pata negra” é considerado o melhor e é produzido a partir de porcos ibéricos de raça pura.
    Esse presunto ainda é curado por um período de 36 a 48 meses, em condições especiais.
    Segundo o Guinness, o presunto mais caro disponível comercialmente é um pata negra feito a partir de Manchado de Jabugo, uma espécie rara de porco ibérico. A peça do tamanho de uma perna do animal é vendida a US$ 4.080;

    Ostras de Coffin Bay.
    Cerca de R$ 4,7 mil (US$ 900)
    Para atingir um tamanho de até dez vezes mais que ostras tradicionais, estas de Coffin Bay, na Austrália, demoram entre seis e sete anos crescendo até que sejam comercializadas. O tamanho impressiona, mas a textura perfeita e o sabor complexo e intenso também: salgado e doce ao mesmo tempo;

    Queijo Pule.
    A partir de R$ 5,3 mil (US$ 1 mil)
    Feito artesanalmente com leite fresco de burra dos Balcãs, no sudeste da Europa, o queijo é produzido em uma fazenda na Reserva Especial Natural de Zasavica, na Sérvia. São cerca de 100 animais no rebanho, cada burra é ordenhada manualmente e dá cerca de 300 ml de leite por ordenha. Mas 1 kg desta iguaria requer 6,5 galões de leite. O queijo é vendido apenas sob encomenda;

    Mel Élfico.
    A partir de R$ 37 mil (US$ 7 mil).
    Esse mel é coletado das paredes de uma caverna na montanha Saricayir Dagi, na Turquia. Para conseguir essa iguaria, é necessária a ajuda de escaladores profissionais, pois as colmeias estão localizadas em grande altitude. Não se obtém mais de 20 kg por ano, e mesmo esse valor é instável e depende das condições climáticas. Por isso, ele está entre as comidas mais caras do mundo;

    Uvas Ruby Roman.
    R$ 75 mil (US$ 13,3 mil).
    Ruby Roman é um tipo de uva que passa por uma seleção criteriosa antes de ser vendida. Só cachos com um peso não inferior a 700 gramas entram no mercado. Além disso, cada baga pesará, no mínimo, 20 gramas e conterá mais de 18% de açúcar. Ao comprar um cacho, você terá a garantia de obter apenas frutas grandes e doces e terá de pagar muito por isso;

    Fungo Caterpillar.
    A partir de R$ 95,4 mil (US$ 18 mil).
    Esses fungos minúsculos, são do tamanho de um fósforo, e parasitam tipos de insetos que vivem em uma área estritamente limitada: no alto das montanhas do Tibete. É impossível infectar artificialmente larvas com este fungo, por isso, ele deve ser procurado na natureza. São considerados na medicina chinesa um agente mágico de cura: além de usado na alimentação como tempero para pato ou frango, também são considerados afrodisíacos.

    Certamente o STF irá adquirir alguns produtos citados, pois o dinheiro não é dos ministros, mas do povo.
    Se não podemos adquirir essas especiarias, pelo menos vamos conhecê-las.

  8. É falso que Bolsonaro gastou R$ 15 milhões em leite condensado.

    “Após a divulgação, pelo portal Metrópoles, do que seria uma planilha dos gastos do governo federal com alimentos e bebidas em 2020, usuários de redes sociais passaram a comentar os valores. E surgiu, nas redes sociais, o boato de que o presidente Jair Bolsonaro seria o responsável por gastar, sozinho, R$ 15 milhões em leite condensado.

    A informação, no entanto, é falsa, já que o valor equivale aos gastos com o produto de todos órgãos do Poder Executivo durante todo o ano de 2020.

    De acordo com o veículo, o governo federal gastou R$ 1,8 bilhão na compra de mantimentos, o que representaria um aumento de 20% na comparação com 2019. Além disso, o veículo deu exemplos dos produtos, entre eles os R$ 15,6 milhões em leite condensado.

    Do valor total, R$ 14,2 milhões foram gastos do Ministério da Defesa e utilizados na alimentação do efetivo de todas as Forças Armadas. De acordo com a Pasta, são cerca de 370 mil pessoas.

    Já o restante dos valores utilizados na compra de leite condensado veio dos ministérios da Educação (R$ 1 milhão), da Justiça (R$ 327 mil) e da Saúde (R$ 61 mil).”

    Fonte: https://portalnovonorte.com.br/?p=35863&amp=1&fbclid=IwAR1O06WUqxC7zqEWM227yJ4aN7OJFtD19JL7uwwtLOh6FRLbvtFAzTX98_w

  9. Clementino,

    De nada adianta explicar os gastos de quase DOIS BILHÕES DE REAIS, se nesta fortuna estão contidos guloseimas, ou seja, mercadorias absolutamente desnecessárias.

    Chicletes, para quê?
    Barras de cereais, para quê?
    Leite condensado, um produto injustificável para o executivo e FFAA, para quê?!
    Batatas fritas embaladas … mas o que é isso?!

    Sofismas, cálculos diferentes, abordagens estranhas às aquisições, só aumentarão a indignação e revolta do povo!!!

    Os militares ganham ótimos soldos. Certamente esses produtos de satisfação pessoal citados acima, poderiam ser adquiridos individualmente, sem a necessidade de se tirar dinheiro do já esgualepado contribuinte e trabalhador, ainda mais para produtos inexplicáveis e absolutamente desnecessários!

    Um escárnio imperdoável que o governo praticou contra o pobre, miserável, desempregado e esfaimados, que tentam sobreviver nas grandes cidades brasileiras.
    Um deboche que deveria ser severamente punido, porém nesta republiqueta ficará por isso mesmo, desgraçadamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *