Gebran Neto, relator da apelação de Dirceu, é implacável no combate à corrupção

Resultado de imagem para desembargador federal joão pedro gebran neto

Gebran Neto já está concluindo o seu parecer

José Marques
Folha

O primeiro dos dois processos em que o ex-ministro José Dirceu já foi condenado em primeira instância na Lava Jato aguarda desde janeiro a finalização do relatório para ser colocado em pauta no TRF (Tribunal Regional Federal) da 4ª Região, em Porto Alegre. No entanto, não há previsão legal para que o julgamento ocorra. Os recursos criminais da Lava Jato em Curitiba são decididos pela Oitava Turma do TRF4, composta por três juízes federais. Na segunda ação, que condenou Dirceu em março deste ano, ainda não houve recurso para a corte.

Ambas as sentenças foram proferidas pelo juiz Sergio Moro. O ex-ministro foi condenado a uma pena total de 32 anos. Na primeira condenação, de junho de 2016, por recebimento de propina em esquema de contratos superfaturados da Engevix com a Petrobras.

O processo chegou ao TRF em agosto do ano passado e ficou pronto para análise do relator, o juiz João Pedro Gebran Neto, no dia 17 de janeiro deste ano. Antes, estava aberto para manifestações dos réus e do Ministério Público Federal.

SEM ATRASOS – Segundo o TRF4, “não há atrasos no julgamento dos processos de segundo grau da Operação Lava Jato” e “as ações tramitam respeitando os prazos legais”.

No segundo processo contra Dirceu, em que ele é condenado por recebimento de propina da empresa Apolo Tubulars, os procuradores ainda apelam ao próprio Moro. Eles pedem que a sentença seja modificada.

Já os advogados do ex-ministro, liderados por Roberto Podval, pedem “inconformados totalmente com a sentença” que os autos sejam remetidos ao Tribunal Regional Federal. Eles sempre negaram que Dirceu tenha cometido irregularidades.

Entre os dois pedidos, Moro acolheu primeiro o dos procuradores e deu prazo para que eles apresentassem as suas justificativas.

PARECER – Na turma da Lava Jato no TRF-4, Gebran Neto conclui o relatório dos processos, e os autos são enviados para o revisor, Leandro Paulsen, que pauta a data do julgamento.

Outros réus da Lava Jato presos preventivamente a pedido de Moro e soltos na última semana pela Supremo também não têm, ainda, data para julgamento. É o caso do pecuarista José Carlos Bumlai, que foi sentenciado por Moro em setembro. O gabinete de Gebran Neto começou a analisar o processo em 20 de abril. No caso de João Cláudio Genu, ex-tesoureiro do PP condenado em dezembro, a ação ainda não está pronta para conclusão do relator.

Segundo o TRF4, das 18 apelações ao tribunal contra sentenças definitivas da Lava Jato, metade já foi julgada pelo tribunal.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Como o réu Dirceu já está em liberdade, o desembargador federal Gebran Neto vai acelerar o parecer e a Oitava Turma deve considerar prioritário o julgamento da apelação do ex-ministro. Isso significa que Dirceu pode voltar à cadeia mais rápido do que se pensa. Embora não se possa prever decisão de juiz, as perspectivas para Dirceu são sombrias. O relator da Lava Jato no TRF4 é considerado implacável no combate à corrupção. Em 10 de outubro do ano passado, o desembargador federal Gebran Neto fez uma importante palestra na Associação Empresarial de Criciúma, em Santa Catarina, e deixou claro o que pensa sobre o papel do Judiciário no combate à corrupção. Os dias de liberdade de Dirceu são uma nuvem passageira, como se dizia outrora. (C.N)

6 thoughts on “Gebran Neto, relator da apelação de Dirceu, é implacável no combate à corrupção

  1. Li no site Rota 2014:

    Carta aberta a Gilmar Mendes
    Por Homer Itaquy

    Meu caro “ministro” Gilmar Mendes: vi na TV que o seu voto para liberar o Zé Dirceu foi uma espécie de puxão de orelha nos “meninos” de Curitiba.

    Como seu patrão e mais velho que o senhor vou lhe dar um puxão de orelha também. Mas não como um menino, e sim como um moleque que o senhor é.

    – Realmente os “meninos” de Curitiba não têm a experiência que um membro do STF deveria ter, mas eles têm uma coisa que o senhor jamais vai ter: CARÁTER.

    – Antes de falar da falta de experiência deles, o senhor deveria olhar para o seu par chamado Dias Toffoli, que jamais teve competência para ser um simples juiz, mas foi apadrinhado no STF.

    -Hoje, realmente, o senhor também deu mais uma aula para o Brasil: a aula de que o crime compensa.

    – O senhor estufou o peito para falar SUPREMO. Na realidade, era o seu ego que estava inflado para mostrar que o seu “poder” libertou um bandido só para mostrar quem manda.

    Infelizmente, graças ao senhor e aos seus pares, o Brasil hoje deixou de existir como nação honrada e respeitada para se tornar uma enorme lata de lixo comandada por bandidos, corruptos e moleques em todos os poderes constituídos.

  2. É confortante saber que ainda há juízes justos e responsáveis. Ganhei o dia quando li que o senhor Gebran Neto é um homem reto, embora isso deveria ser a regra. Mesmo assim, continuo entre os 33% de brasileiros que se envergonham de sua nacionalidade. Não pelo país que é lindo e o povo bom, mas pelos crápulas em posição privilegiada de melhorar o país, mas em vez disso caga no prato que come (de novo, desculpem-me pelo meu francês)

    • Nao costumo retificar comentário, mas desta vez preciso levar alguns tempos verbais para o plural. Portanto em vez de caga no prato que come, leia-se cagam no prato em que comem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *