Geisel, o seca-pimenteira

Sebastião Nery

Em Uruçuca, sul da Bahia, perto de Ilhéus, fica a fazenda “Mocambo”, de Rogério Joaquim de Carvalho, uma das mais antigas e famosas do Estado, fundada pelos ingleses da “Mocambo Company”.

Quando o general Geisel foi escolhido presidente, Antonio Carlos Magalhães, governador da Bahia, levou-o para conhecer a região do cacau e hospedou-o na “Mocambo”. De manhã, Geisel acordava e ficava contemplando, bem em frente à varanda, um majestoso “flamboyant”, muito antigo, meio século, glória da fazenda, a copa imensa, esplendidamente coberta de vermelho. Geisel olhava e elogiava. Elogiava e olhava.

Uma semana depois que Geisel saiu, o “flamboyant” começou a murchar, murchar. Rogério chamou os melhores técnicos, não adiantou nada. O “flamboyant” morreu.

***
BELO COMO SEMPRE

Dois anos depois, Geisel, presidente, foi à Alemanha, Rogério também foi, na comitiva dos empresários. Geisel não esqueceu:

– Como vai o “flamboyant”, dr. Rogério?

– Lindo, Presidente, belo como sempre.

Não quis contar. Voltou, plantou no lugar outro “flamboyant”, pequenininho, começou a cuidar. A Ceplac fez 25 anos, Antonio Carlos levou Geisel mais uma vez à região do cacau, de novo hospedou-o na fazenda “Mocambo”. Rogério, apavorado, correu na frente, chegou de véspera e cobriu o “flamboyant” de plástico escuro.

Com medo dos olhos do “seca-pimenteira”.

***
LULA

Não quero ser repetitivo, mas os leitores devem lembrar-se. No auge de suas magníficas vitórias como o número um do tênis mundial, Guga foi a Brasília levar sua raquete de presente a Lula. Adverti e, preocupado, escrevi aqui na véspera, que a estrela de Lula, tão poderosa, só funciona para ele. E, o que dá de sorte para ele, Lula dá de azar para quem chega perto dele. (José Dirceu e Palocci sabem. Dilma que se cuide).

Não deu outra. Houve o desastre. Lula ganhou a raquete e secou a sorte de Guga, que nunca mais jogou tênis. É um tremendo seca-pimenteira.

Na véspera da Copa de 2006, Ronaldo Fenômeno e Roberto Carlos também foram a Brasília levar de presente a Lula suas camisas. Avisei de novo. A Copa acabou na catástrofe que se sabe e os mais atingidos foram exatamente Ronaldo e Roberto Carlos. Não foi por falta de aviso.

Nunca antes na historia deste pais um só presidente perdeu duas Copas. Alguns outros perderam outras Copas. Mas duas só Lula.

Há inúmeros outros fatos, como o martírio do bravo e valente José Alencar, o fracasso e o prejuízo do filme “Lula, o Filho do Brasil”, etc.

***
DUNGA

A televisão brasileira é o retrato mais explicito do Brasil de Lula, um governo sem caráter no país do “Big Brother”, tudo escondido embaixo dos lençois, dos edredons. Durante quatro anos, rasparam da TV o nome de Ronaldinho Gaucho. Por que? Só porque não foi convocado? Não queriam desagradar a Ricardo Teixeira e a Dunga. Era para puxar o saco de Dunga.

No primeiro tempo de Brasil x Holanda, logo depois do gol de Robinho, a TV mostrava Dunga o tempo todo na sua cadeira de técnico ou em pé, com aquele casaco preto de fantasma de filme de horror. Mal veio o segundo tempo com o primeiro gol da Holanda, Dunga foi tirado do ar.

Ninguém mais o viu. O tempo inteiro desaparecido. Terminada a partida, ele de costas, saindo pelos fundos,como um cão escorraçado.

Mas Dunga não era o grande herói, guerreiro, “brameiro”, criminoso vendedor de cerveja para os jovens? E não só ele. Outros também.Bem feito.

Agora, no futebol brasileiro quem brilha é Ronaldinho Gaúcho.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *