Governadores do Amazonas e Brasília foram subornados pelos empreiteiros

Braga é um dos ex-governadores denunciados na Lava Jato

Deu em O Globo

Em delação premiada aos investigadores da operação Lava-Jato, ex-executivos da construtora Andrade Gutierrez revelaram o pagamento de propina aos ex-governadores do Amazonas Eduardo Braga (PMDB) e Omar Aziz (PSD), que, atualmente, são senadores pelo estado. As informações, do Jornal Hoje, estão nas delações de Clóvis Peixoto Primo e Rogério Nora de Sá — as mesmas pessoas que revelaram o pagamento de propina ao ex-governador do Rio Sérgio Cabral, do PMDB.

Eduardo Braga, que é senador e foi ministro de Minas e Energia do governo Dilma Rousseff, afirmou, por meio de nota, que a denúncia é “absurda” e que está indignado e se sentindo ofendido com as acusações. A assessoria de imprensa do senador Omar Aziz afirmou que não conseguiu contato com ele para responder as acusações. A Andrade Gutierrez afirmou que não irá comentar.

Segundo o Jornal Hoje, os ex-executivos revelaram que, para vencer a concorrência da obra da Arena da Amazônia, a empresa teve informações privilegiadas do governo estadual. Além disso, de acordo com os relatos, a construtora chegou a ajudar na elaboração do projeto e do edital. Segundo Clóvis Primo, a Andrade Gutierrez tinha preferência pela obra porque estava instalada há muitos anos no Amazonas.

Em relação a Braga, os delatores afirmam que havia uma combinação, que ocorreu durante os oito anos do governado do peemedebista, de pagamento de propina de 10% sobre o valor de cada obra da empreiteira, segundo o delator. De acordo com Primo, Braga fazia ameaças se houvesse atraso no pagamento da propina. “Ele era jogo duro”, afirmou. Braga teria recebido entre R$ 20 e R$ 30 milhões, segundo estimativa de Sá.

OMAR AZIZ

Ao detalhar a licitação da Arena da Amazônia, Primo disse ter se encontrado, em hotel em Brasília, com o sucessor de Braga no governo do estado, o senador Omar Aziz (PSD). O delator afirmou ter tentando negociar redução da propina e disse que, após fazer “um grande teatro” e ter se exaltado, Aziz aceitou a redução para 5% do valor das obras.

Segundo Sá, em outra reunião, em São Paulo, Omar Aziz pediu propina de R$ 20 milhões à construtora, alegando que a empresa tinha grande volume de obras no estado e que a verba seria usada para pagar despesas de campanha. O delator afirmou que, ao ouvir que não era possível, Omar Aziz teria insistido de modo agressivo, aumentado o tom e afirmado que, se a propina não fosse paga, o governo estadual poderia “se vingar” da Andrade Guetierrez.

A delação informa que Omar Aziz teria inclusive sugerido que a construtora executasse algum serviço de medição de terraplanagem e embutisse o valor. O total pago pela Andrade Gutierrez a Aziz somou cerca de R$ 18 milhões, segundo Sá, e teriam sido feitos pelo menos até setembro de 2011.

A Procuradoria-Geral da República ainda não pediu abertura de inquérito para investigar os dois senadores.

TAMBÉM EM BRASÍLIA

De acordo com o “Jornal Nacional” da TV Globo, na delação, os ex-executivos também afirmaram que houve pagamento de propina referente a obras da construção do Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Clóvis Primo disse que, em 2009, houve um acerto para o pagamento de propina de 1% para o então governador José Roberto Arruda (DEM), antes da formação do consórcio que ganhou a licitação.

Rogério de Sá disse que autorizou os pagamentos combinados com Arruda mesmo após o ex-governador ser afastado do cargo. Na época, Arruda foi preso, acusado de tentativa de suborno, e teve seu mandato cassado.

Rogério contou ainda que também houve pagamento de propina para o ex-governador Agnelo Queiroz, do PT. O executivo disse, segundo o “Jornal Nacional”, que quem fazia os pagamentos eram os diretores da Andrade Gutierrez, Carlos José e Rodrigo Lopes.

Clovis Primo disse na delação que não havia um acerto fixo de propina para Agnelo, mas que o ex-governador fez pedidos de pagamentos ao PT.

OUTRO LADO

O advogado de José Roberto Arruda disse ao “Jornal Nacional” que o contrato não foi assinado durante a gestão dele. Ele também negou que tenha havido repasse ou pagamento enquanto Arruda esteve no cargo.

O advogado de Agnelo Queiroz, por sua vez, disse também ao telejornal que o ex-governador nunca recebeu ou pediu qualquer quantia ou benefício ilícito de quem quer que seja. O PT informou que todas as doações ao partido foram dentro da legalidade e declaradas à Justiça Eleitoral.

O senador Omar Aziz também declarou à TV Globo que seguiu rigorosamente o valor da construção da Arena Amazônia determinada pelo Tribunal de Contas da União. E que está sendo vítima de retaliação da empreiteira por não ter cedido a pressões da empresa para aumentar o preço da obra.

14 thoughts on “Governadores do Amazonas e Brasília foram subornados pelos empreiteiros

  1. ÊPA!! É “distensionamento” demais para os meus neurônios e “diplomacia” além da conta do meu olfato.
    A gente já sabia que o Lula iria costear o alambrado , mas o Geddel Vieira Lima não precisava ter escancarado as porteiras para o bandido:

    “Tenho apreço, muito carinho e respeito pelo ex-presidente Lula. Tivemos divergências nem tanto por conta dele, mas pela a falta de habilidade e aptidão da presidente Dilma. Portanto, não tenho nenhuma dificuldades de dialogo com ele e tenho certeza de que, passado esse momento de emoção, o Lula, na condição de ex-presidente, haverá de dar sua contribuição para o distensionamento. Não creio que alguém que presidiu o País possa querer que o Brasil afunde ainda mais nesta crise econômica”.

    http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,tenho-certeza-de-que-lula-vai-contribuir,10000051308

    • Caro Moacir Pimentel … o PT ainda não rompeu OFICIALMENTE com o PMDB; visto que ainda não fizeram Convenção Nacional – coisa que o PMDB fez!!!

      O PMDB soube se posicionar na Anistia; pois não torturamos nem pegamos em armas – só usamos o gogó, né???

      fiz vários comentários explicando o momento atual no post do CN sobre Esperança.
      Abr.

    • O Temer está para lá de perdido, não sabe o que faz e nem quanto dura , na realidade ele está num estágio probatório de 6 meses. A OAB já disse que vai entrar na justiça para tirar todos os ministros que forem denunciados e olha que não faltam ministros que possam ser denunciados.

      • Caro virgilio … Temer sabe que quem DISPÕE sobre todos os assuntos da União é o LEGISLATIVO … Temer já avisou que cabe ao PMDB, em primeiro lugar, cumprir a Constituição Federal CIDADÃ de 1988 … tanto que é “ORDEM E PROGRESSO” seu lema de Governo!!!

        Alguns estranham por Temer não falar claramente em corrupção; porém, ele já deixou bem claro que foi o PMDB que colocou na CF tudo que a CIDADANIA precisava – inclusive, liberdade para ação de PF e Ministério Público … … … deixou bem claro que cabe ao PMDB dar o exemplo … precisa mais??? ??? ???

        • Sei não ao visto criaram uma ‘ sociedade de alívio mútuo ‘ …

          Temer tem de demitir Bendine
          Brasil 15.05.16 10:01
          Aldemir Bendine tem de ser demitido imediatamente.

          Ele tenta se manter no comando da Petrobras oferecendo blindagem aos peemedebistas que roubaram na Transpetro e na BR Distribuidora.

          Michel Temer não pode aceitar a barganha.

          Há dois nomes para substituir Aldemir Bendine. E os dois são são muito melhores do que ele: Rodolfo Landim e Jorge Camargo.
          ( OA ).

  2. Eduardo Braga (PMDB) e Omar Aziz (PSD).

    Se não me engano, respectivamente e pedrestamente falando, como diz o Sr. Mário, o pmdb é o partideco do atual-presidente da República, e o outro partideco se não me engano é do kassab, que faz parte do mesmo governo do atual presidente.
    A propósito, o Capo de Paris, mandou um recado ao atual-presidente, entre uns goles de champagne de 15 mil euros á garrafa, da famosa adega do imenso Palácio da Avenue Foch…(11 milhões de euros não é brincadeira).,
    “Ele não pode esquecer da corrupção,””

  3. A coisa mais interessante, é quando o Jornal , Nacional noticia o “milagre” e depois todos os “santos” envolvidos negam os fatos.
    Chama a atenção o fato de todos serem inocentes, ninguém fez nada.
    O Brasil é por natureza, um pais de puros e honestos, porém não se consegue então é entender como tanto dinheiro desapareceu e o mais importante, onde foi parar.
    Político por cá é exemplo de ética e honradez, ninguém nunca meteu a mão no “baleiro”. As balas desaparecidas foram obras do diabo.
    Quando o comunismo acabou na Russia, a igreja
    ortodoxa canonizou toda a família do antigo czar e
    todos os políticos, da época, mortos pelos comunistas. Não seria o caso do mesmo procedimento por aqui? São todos santos.

  4. (…)…É claro que a nova equipe ministerial não é a ideal para os que aguardaram tanto tempo o fim do governo do PT. A sintonia com o desejo de mudança da sociedade deve prevalecer mesmo com a necessidade imperiosa de obter maiorias no Congresso, tanto para garantir o afastamento definitivo de Dilma Rousseff nos próximos 180 dias, quanto para aprovar medidas urgentes de recuperação da economia.

    ( Instituto Teotônio Vilela )

  5. Competência para julgar no direito são dos juízes, para fazer cirurgia na medicina são dos médicos e assim vai … O que o CREA, CONFEA, CAU, entre outras entidades não levanta a voz quanto as competências das liberações das faturas das obras públicas e aprovação de aditivos são dos ENGENHEIROS, ARQUITETOS. O problema já é antigo e todos se calam. Vejamos o caso do Juiz Nicolau – quem liberou as faturas? Foi o Juiz ou Luiz Estevão? Onde aparece o Engenheiro para liberar as faturas e os aditivos necessários nas obras? Não são os Engenheiros especialistas na sua área que tem competência para fiscalizar, planejar, coordenar as obras? Parece que não. Os acordos de medição para pagar as faturas e aditivos são realizados pelos governadores, prefeitos? Penso que o grande erro começa nos deveres da competência de liberar que pertence a profissionais da área. O superfaturamento já nasce acordados com a alta administração, mas aí que entram os tribunais de contas da união, estados e municípios para fiscalizar, mas para liberar fatura deve entrar o fiscal engenheiro. Com a palavra CREA, CONFEA, CAU e o quarto poder (imprensa) para questionar.
    Observa-se que não encontra envolvido nenhum engenheiro nas obras e sim agentes públicos da alta administração (governadores, prefeitos, presidentes e diretores de empresas públicas). O fiscal engenheiro para fazer seu trabalho teria que ter proteção em leis que o ampare – para tornar seu trabalho eficaz e que não tenha pressão da alta administração.

  6. A composição do ministério do Temer está tão frágil que na primeira batida de pé da turma do cuspe ele recriou a Secretaria de Cultura. Como ele quer uma mulher sugiro a Rose.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *