Governar tomar ou adiar decises?

Carlos Chagas

Do imenso folclore de Getlio Vargas, pina-se um, como exemplo de competncia e malcia: quando um auxiliar entrava em seu gabinete levando relatrio sobre algum problema insolvel, o presidente abria a gaveta mais escondida de sua escrivaninha, arquivava o papel e comentava o famoso deixa como est para ver como que fica. Ensinava que determinadas questes resolviam-se sozinhas, sem obrig-lo a optar por esta ou aquela desgastante deciso.

Est o presidente Lula no mesmo caminho, s que premido pela cobrana da opinio pblica ou, se quiserem, da opinio publicada. Getlio Vargas governou parte de seus longos perodos impondo a censura imprensa.

Por conta disso, o primeiro-companheiro recomea a trabalhar na segunda-feira sob a expectativa geral de certas decises cruciais, a respeito das quais tem mantido silncio getuliano:

Mandar Csare Batistti para a Itlia ou optar por reafirmar o tal refgio concedido pelo ministro da Justia?

Anunciar a compra definitiva dos 36 caas Rafale, franceses, contra o parecer da Aeronutica, favorvel aos caas suecos?

Vai alterar o decreto dos Direitos Humanos, que assinou sem ler, como disse, evitando a revogao da Lei da Anistia, ou permitir que antigos responsveis por prticas de tortura venham a ser identificados e processados?

Manter o veto indicao nica de Michel Temer como candidato a vice na chapa de Dilma Rousseff, atravs da exigncia de uma lista trplice do PMDB, ou abraar o presidente da Cmara como a soluo ideal?

Nomear os secretrios-executivos dos ministrios para substiturem os 19 ministros candidatos s eleies de outubro ou buscar, na sociedade civil, os melhores nomes para completarem a derradeira fase de seu mandato?

Preservar a candidatura de Dilma Rousseff, mesmo contra todas as pesquisas e os ressentimentos do PT e aliados, ou ceder tendncia dominante em suas bases, de que deveria pelo menos admitir continuar no poder?

Outras questes to delicadas quanto variadas esto espera da deciso presidencial, mas, por enquanto, permanecem na gaveta. Uma prova de competncia poltica ou a evidncia da incapacidade de solucionar o insolvel?

Contradies

Pode ser mera especulao de jornalistas sem assunto, pode estar em curso uma armao inusitada. Fala-se da possibilidade de o ex-presidente Itamar Franco compor a chapa de Jos Serra como candidato vice-presidncia. Seria uma contradio dos diabos, apesar de o solitrio de Juiz de Fora pertencer ao PPS, partido da base de apoio ao governador paulista.

Porque, at prova em contrrio, Serra exprime tudo o que Itamar rejeita, ou seja, o modelo tucano de governar, expresso pelos oito anos de Fernando Henrique. A ironia est no fato de que o socilogo s se tornou presidente da Repblica porque Itamar o lanou e sustentou. Desiludiu-se, porm, logo nas primeiras semanas do governo do PSDB, por conta das privatizaes desmedidas, do desmonte da Constituio de 88, do neoliberalismo, da imploso da soberania nacional e de outros crimes de lesa-ptria praticados por FHC.

Se a estratgia de Jos Serra for a mesma, nada feito. Uma nica hiptese existiria para viabilizar a chapa: que o governador de So Paulo rompesse os grilhes de subordinao ao modelo e deixasse clara sua discordncia com quase tudo o que Fernando Henrique fez. Melhor ainda, se tornasse pblica sua admirao pelas diretrizes adotadas por Itamar Franco nos dois anos e meio em que presidiu o pas, desgraadamente postas em frangalhos pelo sucessor.

O longo caminho de volta

Por falar em ex-presidentes da Repblica, quem vive um perodo de dvidas o senador Fernando Collor. Seu mandato vai at 2014 e, haver que reconhecer, tem-se destacado na presidncia da Comisso de Infra-estrutura e no plenrio do Senado. Poderia continuar onde est pela prxima Legislatura, mas a tentao parece grande, de candidatar-se a governador de Alagoas, em outubro. Estaria fazendo o caminho de volta? Dificilmente. As cicatrizes do que aconteceu no incio dos anos noventa continuam na lembrana de todos, mas a hiptese de ser candidato e de vencer a eleio deve estar tirando o sono do ex-presidente.

No fundo, todos querem

Apesar das negativas, est havendo disputa entre os companheiros paulistas. O mais novo indicado para disputar o palcio dos Bandeirantes pelo PT o senador Alosio Mercadante. A ningum ser dado duvidar, porm, de que Marta Suplicy alimenta pretenses. Muito menos Antnio Palocci, para no falar em Eduardo Suplicy e at em prefeitos do interior. Para o pblico, todos sustentam no pleitear a indicao, mas, na verdade, no h quem no aguarde a possibilidade de enfrentar o favorito do PSDB, Geraldo Alckmin. Ou Alosio Nunes Ferreira, preferido do governador Jos Serra.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.