Governo Bolsonaro escolhe nome do Centrão para comandar fundo de R$ 30 bilhões da Educação

Charge do Zé da Silva (Arquivo do Google)

Deu no Estadão

O governo nomeou o chefe do gabinete do senador Ciro Nogueira (Progressistas-PI), Marcelo Lopes da Ponte, para a presidência do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que tem um orçamento de R$ 29,4 bilhões neste ano. A nomeação foi publicada na edição desta segunda-feira, dia 1, do Diário Oficial da União.

Ele vai substituir Karine Silva dos Santos, que ocupava o cargo desde dezembro e é alinhada ao ministro da Educação, Abraham Weintraub. A entrega do fundo a um nome indicado pelo Centrão – bloco informal da Câmara formado por Progressistas, PL, Republicanos, PTB, Solidariedade, DEM e PSD – faz parte da estratégia do presidente Jair Bolsonaro para ganhar apoio no Congresso.

BASE CONSOLIDADA –  O objetivo do governo é ter uma base consolidada para aprovar projetos e, principalmente, barrar um eventual processo de impeachment. Vinculado ao Ministério da Educação, o FNDE é um dos espaços mais cobiçados por políticos. É responsável desde a contratação de livros escolares, transporte de alunos ao programa federal de financiamento estudantil.

Foi por meio do órgão que a pasta contratou uma empresa para fornecer kits escolares a estudantes que, segundo o Ministério Público, está envolvida em um esquema, revelado em março pelo Estadão, que desviou R$ 134,2 milhões de dinheiro público da saúde e da educação na Paraíba.

O governo já havia nomeado na Diretoria de Ações Educacionais do fundo um indicado ao PL, sigla do ex-deputado Valdemar da Costa Neto, condenado no mensalão. Garigham Amarante Pinto, assessor do partido na Câmara, assumiu o cargo no 18 de abril.

ENGOLIU SECO – Inicialmente, Weintraub chegou a reclamar com o presidente por retomar a prática do “toma lá, dá cá”, no qual o governo distribui cargos em troca de votos no Congresso. Mas teve que “engolir seco”. O presidente se irritou com o subordinado, inclusive o acusando de ter vazado informações sobre a negociação.

No ano passado, o órgão foi alvo de uma disputa entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o ministro. Um indicado pelo deputado, Rodrigo Sérgio Dias, foi exonerado da presidência do fundo em dezembro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
– É a velha política do toma lá dá cá que Bolsonaro jurou de pés juntos durante a campanha não compactuar. Agora, na mira de um possível impeachment, deixa a promessa na página dois e negocia cargos sem pudor algum. Dirão os seus seguidores, “mas e o Lula ?”. O Lula já foi e o combinado era para ser diferente. Mais do mesmo. (Marcelo Copelli)

6 thoughts on “Governo Bolsonaro escolhe nome do Centrão para comandar fundo de R$ 30 bilhões da Educação

  1. Nos EUA está sendo pela dor. Que no Brasil seja por amor. DEUS escreve sempre certo, mesmo quando o faz por linhas tortas. Sem colocar o guizo no Sataná$ lá, não há como nos libertarmos aqui. Agora é briga de cachorro grande: é Revolução X Involução. Xô velhaco$, Xô Picareta$. O Brasil e os EUA precisam se reinventar, para que possam ser de fato os faróis do mundo desenvolvido, civilizado e, sobretudo, da humanidade. O Brasil tem que se libertar do militarismo e do partidarismo, politiqueiro$, e dos seus tentáculos, velhaco$, mentirosos, camaleônicos, charlatões, oportunistas, aproveitadores, dos quais, no Brasil, há 130 anos, somos todos vítimas, reféns, súditos e escravos. Agora, e doravante, portanto, temos apenas dois lados, a saber: é a Revolução Pacífica do Leão, com Democracia Direta e Meritocracia, a reinvenção do Brasil, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para novo Brasil de Verdade, porque evoluir é preciso, rumo à possível Nova Europa, alicerçada na paz, no amor, no perdão, na conciliação e na união pela Mega-Solução, OU o retrocesso e a involução do velho continuísmo da mesmice que de fato já morreu mas que continua sendo imposto pela mentira e pela força, sobretudo, pelas mãos sujas do militarismo e do partidarismo, polítiqueiro$, e seus tentáculos, velhaco$, sacos da mesma farinha, com as suas tradicionais mentiras, bravatas, sofismas, armações, truques e fake news, que estão nos conduzindo rumo à Brazuela, ou quiçá, Haiti, aos quais urge dizermos: Basta. Chega dos Me$mo$. Fora todo$. Democracia Direta Nele$, Já, com Meritocracia. https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2020/05/cidades-americanas-preparam-se-para-mais-uma-noite-de-violencia.shtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=compfb&fbclid=IwAR3vpvRuCwH5lCQoYsiirO4iz3RFGoizI_SkX6GA9sAmLW2MZdHg72HUHnY

  2. O comentarista da TI é um pândego … quando o FNDE estava nas mãos do corrupto Botafogo … silêncio retumbante; agora, que mudou de mão … toma lá dá cá. Estou rolando de :=)

  3. Não se governa sem maioria no Congresso. E quando esse apoio vem por força das bases eleitorais dos parlamentares, nos municípios, onde moram todas as pessoas, é legítimo e salutar. Isto é absolutamente diferente da compra de apoio explicitada no Mensalão e Petrolão. Comparar o alinhamento dos parlamentares com o governo federal, ao apoio comprado da era lula, só nas mentes dos militantes mesmo. É dose pra mamute.
    Só resta agora à esquerdalha imunda atacar com suas ratazanas do esgoto para constranger e afugentar manifestantes pacíficos em favor do presidente da república.
    Supremo é o Povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *