Governo italiano procura conter a crise aberta com a condenação de Berlusconi

Da Telam e da Lusa

Buenos Aires – O primeiro-ministro da Itália, Enrico Letta, disse hoje (2), um dia após a confirmação da sentença de quatro anos de prisão para o ex-premiê Silvio Berlusconi (foto) , que o país precisa de estabilidade e deve evitar disputas partidárias. Quinta-feira, o Tribunal Supremo da Itália confirmou a condenação, em primeira e segunda instâncias, de Berlusconi a quatro anos de prisão.

Deputados e senadores do PDL, partido de Berlusconi, ameaçaram renunciar, em protesto contra a condenação definitiva do ex-premiê à prisão. Os parlamentares disseram que se demitirão se o presidente italiano, Giorgio Napolitano, não conceder indulto a Berulusconi. Antes disso, em reunião com correligionários, o ex-primeiro-ministro defendeu a reforma urgente da Justiça ou a convocação de eleições antecipadas.

Berlusconi, de 76 anos, foi três vezes primeiro-ministro e exerce atualmente mandato de senador. Ele foi condenado por fraude fiscal relacionada à compra de direitos de transmissão de filmes americanos pelo Mediaset, grupo de sua propriedade.

Por causa da idade e de uma lei de indulto, a pena do ex-primeiro-ministro será reduzida a um ano e poderá ser cumprida em prisão domiciliar ou na forma de prestação de serviços sociais.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

5 thoughts on “Governo italiano procura conter a crise aberta com a condenação de Berlusconi

  1. Não, a nossa é que aprendeu com a dela. Até na doutrina. Aliás, a Itália sempre teve instituições e governos corruptos. Desde a unificação. Só para mencionar de 1946 até o surgimento do Berlusconi, todos os governos foram democratas cristãos, associados à máfia siciliana e com alguma associações regionais com as calabresa e napolitana. Berlusconi apenas foi uma compensação que sistema corrupto adotou para compensar a luta que teve que empreender contra a máfia, que ultrapassou as regras estabelecidas quando assassinou figurões. O que passou é que a Itália entrou num novo contexto, a comunidade européia, problemas econômicos, Berlusconi meteu a mão em demasia no dinheiro público e se queimou com aqueles bacanais e surubas com menores de idade. Forçou a barra. Se não tivesse extrapolado e fosse apenas um Sarkozy que embolssasse do Khadafi ou um Tony Blair que embolsasse de xeiques depravados do Golfo, seu caso de corrupção não ia além de murmúrios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *