Governo recua e arranja ‘cargo’ para coordenadora do Inpe que divulgou desmatamento

Piada do Ano!”Basicamente, foi um mal entendido”, disse  Pontes

Sarah Teófilo
Correio Braziliense

O ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, afirmou na tarde desta terça-feira, dia 14, que a exoneração da coordenadora-geral de Observação da Terra do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) (Inpe), Lubia Vinhas, departamento responsável pelos sistemas que acompanham o desmatamento na Amazônia e no Cerrado, não tem relação com o aumento dos alertas de desmatamento na Amazônia Legal.

A exoneração foi publicada na última segunda-feira, dia 13, três dias depois da divulgação dos dados referentes a junho. Uma coletiva foi feita por ele e pelo diretor interino do Inpe, o militar da Força Aérea Brasileira (FAB) Darcton Policarpo Damião, para explicar uma nova estrutura do instituto que, segundo eles, está sendo elaborada desde agosto do ano passado, quando o diretor assumiu o cargo.

JUSTIFICATIVA – Ela, no entanto, só foi anunciada agora após a exoneração de Lubia da coordenação. A pasta justificou que a servidora apenas mudou de área, passando para um de base de informações georreferenciadas na nova estrutura organizacional, que é inserida em um departamento chamado Gestão de Projetos e Inovação Tecnológica.

“A transferência da Lubia para esse novo setor acabou acontecendo em um momento que acabou chamando atenção de todo mundo. Ela foi transferida por causa da reestruturação, mas o pessoal ficou olhando para o momento, pelo aumento dos alertas de desmatamento. (…) Basicamente, foi um mal entendido. Se eu tivesse prestado atenção no tempo, talvez teria esperado um pouco para fazer a mudança”, disse Pontes.

MONITORAMENTO – Em vários momentos, o ministro frisou que o coordenador direto dos sistema de monitoramento é Cláudio Almeida, que nesta nova estrutura coordenará os sistemas de monitoramento.

Na estrutura de hoje, no entanto, ele é coordenador do Programa Amazônia, que fica dentro da Coordenação-geral de Observação da Terra – cargo que era ocupado por Lubia. “Pelas características da doutora Lubia, ela foi designada a gerenciar esse projeto que tem uma importância estratégica grande”, justificou Pontes.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Na semana seguinte à divulgação de dados de desmatamento da Amazônia que desmentiram o discurso do governo Bolsonaro feito a empresários e fundos de investimento internacionais, que cada vez mais exigem medidas eficientes de preservação do meio ambiente, a pesquisadora foi exonerada . É muita coincidência e muito mal entendido para um gestão só e que nem chegou na metade do seu mandato. A canetada veio do alto e a Marcos Pontes coube o papel de justificar a ação. (Marcelo Copelli)

12 thoughts on “Governo recua e arranja ‘cargo’ para coordenadora do Inpe que divulgou desmatamento

  1. Pois é, mais uma mancada com as digitais dia militares. Estão 100% nivelados com Bolsonaro, abaixo da linha da sarjeta. Defendê-los já se tornou justificar o injustificável, estão metidos em todas as lambanças do Planalto.

  2. De o antagonista: “Eduardo Pazuello ligou ontem para Gilmar Mendes, após ser orientado por Jair Bolsonaro, a buscar diálogo com o ministro do STF, informa a Folha.”
    =====
    Um general da ativa, indevidamente ocupando a Pasta da Saúde, é mandado pelo presidente Trapalhão (um ex capitão!) a “ficar de bem” com o Gilmar!.
    Assim não dá para o exército reclamar que está sendo ofendido pela declaração do Gilmar, quando um seu general é tratado como criança pequena pelo presidente : vai, meu filho, vai se desculpar e não volte mais a brigar!

    • Quer dizer que os milicos mamadores de tetas no estado queriam que o Gilmar pedisse desculpas e agora sao os milicos mamadores de tetas do estado que estao pedindo desculpas ao Gilmar?! Esses milicos de pijama sao muito frouxos mesmo! Se um dia o Brasil entrar em guerra estamos ferrados devido a esses frouxos e trapalhoes desses milicos vagabundos mamadores de tetas do estado.

  3. Parem de reclamar. JB está fazendo tudo que sempre fez e do mesmo modo. Portanto se quiserem reclamar, primeiro avaliem o seu voto em 2018. Avaliem o que fizeram para apoiar ou evitar o golpe de 2016. JB foi eleito e tem um mandato de 4 anos. É assim que funciona a Democracia. Mourão foi militar? E quem não sabia disso? O tenente JB foi convidado a pedir baixa do exército? Não era segredo de justiça. Todos foram eleitos democraticamente, embora com a providencial ajuda de S Moro que garantiu tudo condenando Lula sem prova. Agora só em 2022.

  4. Quer dizer que os milicos mamadores de tetas no estado queriam que o Gilma pedisse desculpas e agora os mesmos milicos mamadores de tetas do estado eh quem estaovpedindo desculpas para o Gilmar?! Esses milicos de pijamas sao muito frouxos mesmo! Estamos ferrados se entrarmos em uma guerra com esses frouxos milicos de pijama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *