Gravações de Machado envolvem Renan, Sarney e Lobão, mas Jader escapou

Machado só não conseguiu pegar Jader Barbalho

Tânia Monteiro e Erich Decat
Estadão

A divulgação da gravação do diálogo do ex-ministro do Planejamento, Romero Jucá, e o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, sobre a tentativa de barrar a Operação Lava Jato, criou a primeira grande crise interna do governo interino de Michel Temer. Junto com o áudio, veio outra preocupação com a extensão do que mais poderia existir e que outras pessoas da cúpula do PMDB, com e sem ligações fortes com o Planalto, poderiam ser atingidas com as conversas. A preocupação é de que outros integrantes da cúpula do PMDB sejam envolvidos, e Temer tem cinco ministros alvo de inquéritos no Supremo.

Interlocutores diretos de Temer afirmam que ele não tem nenhuma preocupação pessoal, mas que a mesma segurança não existe em relação a outros auxiliares. Caso haja novos problemas a solução tende a ser a mesma: afastamento imediato.

TEMER AVISOU…

Com a saída de Jucá, Temer agora tem cinco ministros com investigações em curso no Supremo Tribunal Federal. Ele questionou todos, quando foram convidados, se teriam alguma pendência judicial. A resposta de Jucá foi absolutamente tranquilizadora, assim como dos demais, segundo interlocutores.

Temer, então, avisou a cada um e repetiu isso, na primeira reunião ministerial, de que não aceitará qualquer tipo de desvio de ordem moral. Reiterou ainda que, se houvesse problemas, o titular da pasta seria afastado.

Um dos casos que preocupam, por exemplo, é o de Henrique Eduardo Alves (Turismo). A casa dele foi alvo de busca e apreensão da Polícia Federal em dezembro do ano passado em uma das fases da Lava Jato.

SAÍDA DE JUCÁ FOI UM ALÍVIO

Apesar de lamentar a perda de uma peça fundamental do seu governo, considerado um hábil operador político que seria de importante neste momento de articulação para a aprovação de medidas no Congresso, Temer e seus auxiliares respiraram aliviados com a decisão de Jucá de se afastar do cargo. O ministro comunicou sua decisão a Temer assim que ele chegou ao Congresso para se reunir com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Na manhã de segunda-feira Jucá foi ao Jaburu, explicou a Temer que, se a gravação saísse integral, todos veriam que não haveria problemas. Pediu ainda que o presidente permitisse que ele se explicasse publicamente, o que foi feito em uma coletiva, no início da tarde. Mas o estrago já estava feito e o governo precisava agir rápido.

Temer informou que a defesa da Operação Lava Jato é ponto de honra para ele, assim como o combate à corrupção. Jucá ponderou que, da forma como estava sendo apresentada a gravação, todos ficavam em único balaio e que ele queria mostrar que, quem deve, precisa pagar, mas quem não deve precisava se defender.

QUERIA SE EXPLICAR…

O ministro salientava ainda que queria se explicar e que, depois, então, Temer decidiria. O presidente disse que iria avaliar. “Vamos esperar o decorrer do dia”, afirmou Temer a seus interlocutores, já tendo certeza de que manter um ministro sob investigação e sob tiroteio, em um momento em que seu governo precisa de mostrar força no Congresso para aprovação de medidas econômicas, seria muito prejudicial.

A avaliação era de que a permanência de Jucá no posto contaminaria o governo Temer e a sua busca por credibilidade, por causa do seu discurso de posse, quando defendeu a Lava Jato.

SARNEY, RENAN, LOBÃO E JADER

A preocupação no PMDB é grande. O entendimento é de que Machado, para se livrar das acusações das quais é alvo na Lava Jato, entregou caciques do partido como o ex-presidente José Sarney e os senadores Renan Calheiros, Romero Jucá, Edison Lobão (PMDB-MA) e Jader Barbalho (PMDB-PA).

Segundo relatos, Machado, que tem relação com o grupo há pelo menos 20 anos, chegou a tentar a realizar um encontro com Jader em São Paulo, que só não foi possível em razão de o senador, na ocasião, estar internado no Hospital Sírio Libanês. Apesar de não ter conseguido falar com Jader, integrantes da cúpula do Senado têm como certo que Renan e Sarney não escaparam das gravações.

O ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa afirmou à Justiça Federal no Paraná que recebeu R$ 500 mil de Machado – dinheiro proveniente do esquema de corrupção.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A tática de Sérgio Machado deu certo. Como ele sabe muito sobre a corrupção no esquema da Petrobras, ligou para os caciques do PMDB e eles tentaram acalmá-lo. Jucá, como se viu, chegou a falar num fantasioso esquema envolvendo o Supremo, mas não citou nomes, só o de Teori Zavascki, para alegar que havia dificuldades. Como diz o velho ditado, quem fala demais dá bom dia a cavalo. Foi o que aconteceu com Delcídio e agora se repete com Jucá. O caso de Delcídio foi mais grave, porque realmente houve o esquema de Lula para comprar o silêncio de Nestor Cerveró e o advogado Edson Ribeiro embolsou o dinheiro, na onda do ladrão que rouba ladrão, e agora vai se dar muito mal, será investigado na Lava Jato e perderá a licença da OAB.  (C.N.)

7 thoughts on “Gravações de Machado envolvem Renan, Sarney e Lobão, mas Jader escapou

  1. ” Ele questionou todos, quando foram convidados, se teriam alguma pendência judicial. A resposta de Jucá foi absolutamente tranquilizadora, assim como dos demais, segundo interlocutores.”.

    Êta desculpinha esfarrapado, mais um ‘Soninho Todo Puro ” Só ele não sabia….

    Agora falta o Renan explicar quem bancou o Sergio Machado nesse posto por 13 ( ops ) anos.

    Se o Temer colocar no lugar do Jucá a Senadora Simone Tebete, ele tem muito a ganhar, pois além de uma ótima parlamentar ela é uma excelente advogada.

  2. Uma palavra de ordem a serviço da extrema-direita

    22.05.2016

    Aos verdadeiros integrantes da direita brasileira interessa grandemente que se caracterize como próprias da esquerda as posturas assumidas por grande parcela dos apoiadores do PT, da presidente da República e da palavra de ordem segundo a qual “Não Vai Ter Golpe”. (1)

    Os petistas e seus apoiadores caracterizam como golpista o processo de impeachment , absolutamente legal, movido contra a presidente da República, a qual, afrontando a Constituição e o Superior Tribunal Federal foi uma das primeiras pessoas a levantar a desqualificada hipótese de que estaria sendo vítima de um golpe político.

    Dessa forma, associa-se a “esquerda” com a ignorância das leis e da Constituição do país, com a luta política sem princípios, com a total falta de formação ideológica solidamente lastreada, com a corrupção e o crime que visam ao roubo puro e simples, com a exploração do patrimônio nacional, com dádivas ilegais destinadas ao financiamento partidário ou com o mero enriquecimento pessoal ilícito calcado em propinas.

    Como sabido, as ocorrências conhecidas como “mensalão” e “petrolão” assim como as demais ações em curso no âmbito da “Operação Lava Jato” evidenciaram de maneira insofismável o comprometimento criminoso de altos dirigentes do PT bem como de integrantes de outros partidos e de altos dirigentes empresariais.

    Assim sendo, os reacionários veem transferir-se para a “esquerda” as seculares maneiras de agir dos adeptos da direita, formas estas enraizadas em várias eras históricas e que, presentes nos mais diversos rincões do planeta, conheceram seu ponto culminante no nazi-fascismo.

    Camufla-se desse modo a história verdadeira da rendição aos moldes direitistas do PT capitaneado que foi por seu líder máximo Luiz Inácio da Silva e seus apaniguados; conjunto este o qual, em seu nascedouro postou-se contra a ditadura então vigente e apoiou-se em ideais trabalhistas de esquerda, mas que, tão logo conseguiu chegar ao poder central da Nação, abandonou suas pretensões iniciais e curvou-se inteiramente à depravação aplicando golpes típicos da direita contra os interesses nacionais, depredando as empresas públicas, aparelhando o governo e entregando-se à corrupção, ao roubo e às alianças espúrias com os representantes maiores da velha oligarquia coronelística e patrimonialista.

    A esta altura é importante reconhecer-se que para um sujeito ou agrupamento político ser realmente de esquerda não lhes basta “pensar-se” ou “dizer-se” de esquerda. Efetivamente, como apontado acima, depois de galgar o poder central o PT – ampliando dramaticamente os desvios que já se esboçavam no plano de suas administrações municipais – praticamente deixou de lado as tradicionais bandeiras da esquerda concentrando-se na distribuição de benefícios também aos mais pobres, necessários reconheça-se, mas que, de fato, sobretudo depois do episódio do mensalão, transformaram-se num autêntico Coronelismo de Estado visando a angariar votos. (2)

    O fenômeno político aqui evidenciado revela-se profundamente deletério pois desvirtua perante os olhos da população nacional e internacional a real formação ideológica da esquerda teoricamente sadia e efetivamente associada aos interesses da massa trabalhadora brasileira. Tenha-se presente, ademais, que tal fenômeno não é promovido conscientemente pelas forças políticas de direita, trata-se de algo que se dá espontaneamente, muito embora beneficie largamente, como demonstrado acima, o aludido pensamento conservador existente entre nós.

    É preciso reconhecer, por fim, que nas críticas ao PT e ao governo presidido por Dilma Rousseff fazem-se presentes, também, personagens da direita e até mesmo da extrema-direita; no entanto tais elementos não atuam de maneira orgânica nem apresentam reivindicações ou programas dirigidos contra os interesses da massa trabalhadora. Compõem, de fato, uma parcela das camadas médias descontentes com os políticos e os Partidos em geral, com a existência de uma prática generalizada de conchavos e de trocas de favores por meio da corrupção assim como com a condução emprestada à economia pelo governo central.

    Considere-se, ademais, que tais camadas médias não estão paranoicamente preocupadas com a ascensão dos mais pobres que as molestariam com sua presença desabonadora com respeito aos “bons modos”. Quanto aos empresários deve-se ter em conta que se movem por verem seus interesses fortemente impactados pela recessão a que o país foi levado, sobretudo, pelos desacertos da presidência da República. +

    NOTAS

    1. Sem comprometê-lo com meus eventuais enganos agradeço ao Prof. Julio Manuel Pires por suas críticas e sugestões.

    2. Aqui vão alguns exemplos: não foram apresentados projetos para tornar mais progressiva a estrutura tributária (introdução de uma adequada taxação dos lucros auferidos pelos detentores de capital, das distintas alíquotas concernentes aos diversos patamares de ganhos a serem considerados pelo Imposto de Renda assim como das heranças e de quaisquer formas de legados patrimoniais ou financeiros) nem houve preocupação especial com o sistema previdenciário e as leis trabalhistas.

    * Professor Livre-docente aposentado da Universidade de São Paulo.

    Fernando Soares Camposdois dias atrás as 12:09

    – See more at: http://port.pravda.ru/sociedade/cultura/22-05-2016/41012-extrema_direita-0/#sthash.7jpMCCmt.dpuf

  3. “Com a saída de Jucá, Temer agora tem cinco ministros com investigações em curso no Supremo Tribunal Federal. Ele questionou todos, quando foram convidados, se teriam alguma pendência judicial. A resposta de Jucá foi absolutamente tranquilizadora, assim como dos demais, segundo interlocutore”
    Uai, Michel queria que todos fossem reus confesso? Não existe! Vá numa prisão ver quantos inocentes lá estão.

  4. Onde está o Efeagaécio Nevers????
    Parece que escutei nas gravações o nome dele e do Partidinho Corrupto da Dona henriquetta cardosina II…….
    Esse estadinho do cardoso é puro jornazismo….
    eh!eh1eh

  5. Bonner não consegue imitar sotaque de Jucá e não apresenta o JN.

    Após uma tarde inteira tendo aula de prosódia, William Bonner saiu frustrado por não conseguir imitar o sotaque de Romero Jucá. A imitação seria apresentada durante a leitura dramatizada da transcrição do áudio vazado na manhã de hoje.

    Bonner já tem tentado também fazer outras vozes de políticos do governo Temer, na expectativa de que mais cedo ou mais tarde algum deles vai aparecer com problemas.

    Sem conseguir imitar Jucá, Bonner preferiu não apresentar o Jornal Nacional e ficou em casa treinando o sotaque de Renan e de Sarney para os próximos áudios que deverão ser lidos em breve no JN.

    http://www.sensacionalista.com.br/2016/05/23/bonner-nao-consegue-imitar-sotaque-de-juca-e-nao-apresenta-o-jn/

  6. FATOS COMPROVAM: LEGALIDADE É CAMINHO MAIS SEGURO

    Os improvisos parlamentares não resolvem, o caminho é pressionar que Executivo e Legislativo cumpram suas atribuições cobrando do Judiciário combate mais implacável aos corruptos e corruptores. É preciso maior seriedade com as causas públicas nos pelos três poderes, sem que um interfira no outro movido por jogadas políticas de suas cúpulas. Eleições só se forem gerais, não melhora mudar presidente com esse Congresso. As conversas de Romero Jucá seriam de conhecimento do procurador-geral da República Rodrigo Janot e de alguns ministros do Supremo Tribunal Federal desde março, sem que tenham adotado qualquer providência para evitar essas influências no jogo conspiratório contra o mandato da presidente Dilma Rousseff. Algo muito sério, não?

    Dilma fez bem não aceitar acordo com esses caras. Nem renunciou, como queriam. Ouçam a partir dos 07:15, no link adiante, o ‘plano de governo’ dessa gente.. (envolveram Lula no pacote) https://www.youtube.com/watch?v=dkHqxNl6Wzk&feature=youtu.be

    JOGO BRUTO: ‘A imprensa ocultou, mas no Senado o golpismo só teve dois votos acima do que será preciso no julgamento final. Se Michel Temer perder dois senadores, será derrotado. E seu governo está longe de se consolidar, apesar da mídia a favor’. http://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/05/as-chances-de-dilma-para-reassumir-a-presidencia-da-republica.html

    PROCURADOR-GERAL da República Rodrigo Janot, o Supremo Tribunal Federal e o presidente interino Temer devem tomar atitude no caso.. E aqueles 2/3 do Senado Federal com suas cumplicidades? http://www.youtube.com/watch?v=MDg90t_YRzg

    JUIZ FEDERAL que renunciou para se lançar na política, diferente de alguns que se reduzem no exercício da função com suas tendências, Flávio Dino é governador revelação e defensor da Legalidade. http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2016/05/20/dilma-deve-levar-impeachment-a-tribunal-internacional-defende-flavio-dino.htm

    DEPUTADA Cidinha Campos escreveu artigo no qual faz uma previsão: Eduardo Cunha irá devorar o presidente interino Michel Temer. Para ela, a traição de parte a parte no universo político, que vitimou Dilma Rousseff, não começou agora: Judas, Tiradentes, Leonel Brizola e Collor foram traídos no jogo da sobrevivência política que deverá desconstruir o governo Temer: “Paulinho da Força ja se diz enganado”, recorda a deputada estadual. Para ela, porém, Dilma deverá entrar no livro dos recordes: “ninguém foi traída por tantos em tão pouco tempo. http://www.conexaojornalismo.com.br/colunas/politica/brasil/cidinha-campos-cunha-vai-devorar-michel-temer-73-43863

    TURBULÊNCIAS do governo interino Temer-Cunha provocou novos protestos de parlamentares e juristas. Para muitos, a maioria das ações de desmontagem de equipes e programas pelo presidente em exercício só poderia ser levada adiante em caso de confirmação da saída definitiva da presidenta afastada – que até 180 dias para se defender. http://www.sul21.com.br/jornal/para-juristas-interinidade-nao-autoriza-temer-a-desmontar-governo-e-programas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *